Archive for the ‘Astronomy’ Category

As velhas que morrem para se tornarem supernovas

Wednesday, November 11th, 2020

No instagran com link abaixo foi postada esta foto e uma explicação para ela. Mas na Teoria da Matrix/DNA, o que é velho e morre, de fato morre, e não se transforma em novo jovem> Por isso postei o comentário que vai abaixo:

#BBCBrasil#NasaHubble3d

Hodge 301 Créditos: Hubble Heritage (AURA/STScI/NASA) #BBCBrasil#NasaHubble3d

Essa imagem clássica do @nasahubble mostra um aglomerado de estrelas chamado Hodge 301, no canto inferior direito, que faz parte da nebulosa Tarântula, a aproximadamente 168 mil anos-luz. Muitas das estrelas no Hodge 301 já explodiram sob a forma de supernovas. O aglomerado também tem três estrelas gigantes vermelhas — estrelas que estão no fim de suas vidas e perto de se tornar supernovas.

louischarlesmorelli – Humanos não se apercebem do absurdo em dizer “estrelas que estão no fim de suas vidas e perto de se tornar supernovas”… Onde alguém viu outro objeto natural em estado de degeneração entrópica, de repente, sem receber carga de energia externa, florescer exuberante no seu estado anterior jovem?! Vocês perderam o controle das suas faculdades mentais, como todos os outros místicos infantis, inventando fantasmas que não existem?

O seu modelo teórico astronomico está tão errado ou incompleto como estavam os modelos da Terra plana e do geocentrismo. Estrelas velhas como tudo o mais que é velho se decompõem, se fragmentam, tornando-se poeira estelar. O que vocês chamam de “explosão de supernovas” é o colapsar da camada superficial dos astros revelando e florescendo o germe estelar que foi germinado dentro, assim como uma semente ou um ovo quando se rompe a casca revelando o pintinho que nasce. Mas suspeito que quando vocês veem a cena da flor despontando da semente acreditam que foi a matéria burra deste planetinha que inventou este “milagre”… Por isso esta Humanidade está se desviando da ética e moral universal e pode ser expelida pela sua natureza universal

Teoria dos cometas: novos dados sugerem que o interior é “muito mole”.

Sunday, November 8th, 2020

Diferente da teoria acadêmica, os modelos astronômicos da Teoria da Matrix/DNA sugeriu, a 30 anos atrás, outro tipo de origem, formação e consistência dos cometas. Segundo estes modelos, lavas emitidas por gigantes vulcões em planetas velhos (pulsares), escapariam da gravidade do planeta e como esferas ou bólidos chamejantes cairiam no espaço sideral. Ao entrarem nas zonas geladas as esferas seriam cobertas de gelo ou não, dependendo da velocidade. Se com muita velocidade o cometa alcançaria algum vórtice nebular e sua inserção seria igual a um processo de fecundação, por um espermatozoide.

Por outro lado a teoria acadêmica sugere que cometas foram formados como os demais astros do sistema solar: havia uma nébula de poeira e gazes, as partículas foram se agregando por gravidade, os objetos resultantes são chamados de planetesimais. Os planetesimais menores seriam os asteroides, os maiores seriam os cometas e os maiores ainda seriam os planetas. Tudo isso pelo simples jogo das forças e elementos dentro da nébula, portanto os astros resultantes não obedeceriam a nenhum agente organizacional que vise formar sistemas dentro da linhagem evolucionaria universal. Em outras palavras tudo se formou sem qualquer propósito maior, tudo dentro de uma linhagem consistindo de eventos físicos sob o desproposito do acaso. Por esta teoria, a vida que foi formada dentro deste sistema solar também teria que estar na mesma linhagem física, ou seja, por acaso. Pois o sistema solar nada tem a ver com o primeiro sistema biológico, dito “vivo”, que foi um sistema celular. Sob outra intuição, a Teoria da Matrix/DNA suspeitou que o sistema celular seria uma cópia-filha deste sistema galáctico e pelo método da anatomia comparado encontrou um outro modelo teórico astronômico que se encaixa como criador e ancestral do primeiro sistema celular. Por isso nesta teoria, todos os sete tipos de astros conhecidos, inclusive os cometas, executariam funções semi-biológicas/semi-mecânicas. Os cometas inicialmente teriam seu interior constituído de lava incandescente ( um material “mole”) mas como espermatozoides que não fecundam e morrem, os cometas velhos poderiam ter seu interior enrijecido e duro, pelas camadas externas de gelo. A recente descoberta não confirma a teoria da Matrix/DNA do interior mole, porque os cientistas supõe que a “moleza” do interior se deve a material feito de gelo suave, como a neve. O que está previsto na Teoria da Matrix/DNA é que o gelo possa estar misturado com o material da lava apagada.

A Teoria Astronômica da Matrix/DNA está explicada em detalhes na categoria ” astronomia” neste website, em português, enquanto a Teoria Nebular pode ser vista mais completa neste link:

http://www.scienceclarified.com/scitech/Comets-and-Asteroids/How-Asteroids-and-Comets-Formed.html

Final Clues From Derelict Lander: Comet Interior “Extraordinarily Soft”

“The comet’s interior is “fluffier than froth on a cappuccino, or the foam found in a bubble bath.”

https://futurism.com/derelict-lander-comet-interior-extraordinarily-soft

How Asteroids And Comets Formed 2934
Photo by: Iuliia KOVALOVA

In 2014, the European Space Agency’s Rosetta spacecraft released a tiny lander called Philae over the surface of 67P/Churyumov-Gerasimenko, a comet of ice and rock some 370 million miles from Earth.

Philae crash-landed on the comet, failing to deploy its harpoons and bouncing off the surface before disappearing behind a cliff. But now, clues about its final minutes are providing unprecedented insight into the interior of the icy space object.

Conclusão dos acadêmicos:

“Philae had left us with one final mystery waiting to be solved,” ESA’s Laurence O’Rourke ….

Lava-Planet: Mais Uma forma prevista pela Matrix/DNA Theory

Friday, November 6th, 2020

Planeta coberto de lava vulcânica, tal como previsto pelo meu modelo astronômico 30 anos atrás, que se encaixa nos cálculos das transformações dos astros pelo processo do ciclo vital. Esta forma de planeta estaria entre F3 e F4 na formula Matrix/DNA, e seria um planeta velho tornando-se pulsar.

This lava planet has ‘rocky’ weather and winds many times the speed of sound

https://www.cnn.com/2020/11/06/world/lava-exoplanet-scn-trnd/index.html

An artist's impression of the lava planet K2-141b: At the center of the large illuminated region, there is an ocean of molten rock overlain by an atmosphere of rock vapor.
An artist’s impression of the lava planet K2-141b: At the center of the large illuminated region, there is an ocean of molten rock overlain by an atmosphere of rock vapor.

 It orbits extremely closely around its star, which is just slightly smaller than our sun.

Matrix/DNA: Parece contradizer meu modelo, o qual sugere que planetas devem se afastarem da estrela à medida que envelhecem. Uma órbita muito próxima da estrela poderia ter sua superfície incandescida pelo calor e não pelo crescimento do seu núcleo. Mas se isso acontece não perturba a teoria e seria um caso de origem de uma estrela anã dos sistemas duplos. Porem, este fato torna meu modelo suspeito, devemos acompanhar isso.

ExoplanetK2-141b has winds that clock in at about 3,100 miles per hour (5,000 kilometers per hour), and its magma ocean is estimated to have a depth of about 86 miles (140 kilometers), according to Nguyen’s calculations.

Matrix/DNA: Esta estimação é favorável à teoria: pode sugerir ser a superfície de lava oriunda do núcleo.

… the planet would be lit (acendido, iluminado) by the sun at any given time.”It’s a planet that doesn’t make much sense at all. There’s nothing like it in our solar system,”

Matrix/DNA: isto nos faz pensar que o sistema solar ainda pode vir a ter um pulsar. E seria lógico: o produtor de cometas ( na função de espermatozoides) para emergir teria que esperar a estrela envelhecer e morrer se fragmentando em poeira estelar que criaria a função feminina para ser fecundada no tempo de máximo atividade emissora do macho… TERÁ AINDA UM PULSAR O SISTEMA SOLAR ?

“It’s a planet that doesn’t make much sense at all. There’s nothing like it in our solar system,”

Matrix/DNA: realmente, não faz sentido em relação ao modelo teórico acadêmico, mas se encaixa no nosso modelo.

Evidencia para Matrix/DNA Theory: imagem de telescópio bate com a teoria da Função 1

Tuesday, October 27th, 2020
Observations made with the European Southern Observatory’s Very Large Telescope (ESO’s VLT) have revealed the telltale signs of a planetary system being born. Around the young star AB Aurigae lies a dense disc of dust and gas in which astronomers have spotted a prominent spiral structure with a ‘twist’ that marks the site where a planet may be forming. The observed feature could be the first direct evidence of a baby planet coming into existence.

https://www.eso.org/public/news/eso2008/?utm_campaign=later-linkinbio-esoastronomy&utm_content=later-7281719&utm

E a formula que fiz na selva a 30 anos atrás:

Matrix/DNA as Universal Configuration For All Natural Systems
Matrix/DNA as Universal Configuration For All Natural Systems ( O turbilhão vorticial à esquerda, identificado como F1, é o local do nascimento dos astros)


Esta formula também pode ser representada como nesta figura

Outra imagem do satélite:

SPHERE image of the inner disc around AB Aurigae

Meu comentário postado hoje no Facebook:

Novamente uma descoberta cientifica provando que a 30 anos atrás eu fui o primeiro e único humano a ter a correta teoria sobre a formação dos astros…
Acontecem dois fatos aqui que são muito difíceis de digerir;

1) Se eu não tivesse registrado os direitos autorais no Brasil na década de 90 e depois nos USA em 2001, não teria como provar que fiz isso.
2) Nunca consegui divulgar nenhuma das centenas de sub-teorias desta teoria geral, e nos debates inclusive com especialistas nunca nenhum entendeu o que eu dizia porque eles acreditavam nas teorias erradas da época.

Mas um terceiro fato é impossível de ser digerido pelos humanos, porem para mim é totalmente compreensível. Trata-se do fato de um cérebro sem diplomas nas áreas das ciências envolvidas e isolado do mundo intelectual acadêmico fosse capaz de passar 30 anos na frente de 8 bilhões de humanos. É facilmente compreensível porque eu sei da intuição que tive na juventude e foi a chave inicial destas descobertas:

“Todo sistema natural só pode vir de outro sistema”

Os criacionistas crentes em deuses pequenos refutam os cientistas materialistas dizendo que ” a vida só pode vir de outra vida”, portanto a primeira vida não pode ter vindo de uma sopa inorgânica por acaso, como acreditam os materialistas. Todos se esqueceram de notar que o primeiro ser vivo completo e funcional surgido na Terra foi uma célula, a qual é um SISTEMA. Eu notei isso e averiguei que nunca se viu nenhum sistema ter surgido sem vir de outro sistema e fui o único a sair procurando o sistema desconhecido misterioso que teria gerado a primeira célula. Fui encontra-lo nesta galáxia. Claro, só podia ser, pois o primeiro ser vivo surgiu dentro de uma galáxia e feito com materiais desta galáxia. E a galáxia é um sistema. Como resultado surgiu a formula, que é o DNA de todos os sistemas do universo, e por isso acertei em cheio inclusive em como os astros celestes surgem neste mundo. Era fácil… apenas faltava pensar com a lógica pura tal como a natureza nos deu… Ninguém, nem o Universo conhecerá esta historia que irá comigo para o tumulo, não importa, o fato é que para mim foi uma historia real e fantastica!

New theory on the origin of dark matter

Monday, October 19th, 2020

by Lito Vilisoni Wilson, University of Melbourne

https://phys.org/news/2020-10-theory-dark.html

My comment published at the article:

Morelli – just added – 10/19/20

DARK MATTER = THE JUNK-UNIVERSE
Which is the existential meaning of dark-matter?
The investigative method of Matrix/DNA Theory says: “Ok,… look at this:
1 ) 97% of DNA is junk-DNA;
2) 90% of the brain are junk-glial cells;
3) 95% of the Universe is junk-matter.

Because, you know, when a species is transformed by evolution into a new shape, the internal essence-design is kept, as supporter of the new one. Glial cells are supporter of neurons for keeping neurons at their place. Junk bases of DNA keeps the active genes at their place. Dark-matter, the ancestral of light-matter, keeps galaxies, stars and planets in their places for not hitting themselves.

If you want to know more about dark-matter, look to properties and functions of junk-DNA and junk-neuronal cells. Like… one function of glials is interference and changing the pathways of synapses. maybe here is the secret of worm-holes. So, if you want to travel to another galaxy, see how and what glias does with synapses…

Teoria planetária virada do avesso

Monday, September 28th, 2020

Descobertos vários sistemas estelares onde os planetas giram no sentido contrario ao de suas estrelas. Então a teoria acadêmica oficial de que estes sistemas, como o solar são formados de nebulosas de gases e poeira giratórias não se sustenta, pois todos os corpos deveriam girar na mesma direção da nuvem original. Quanto ao modelo astronomico da Teoria da Matrix/DNA, isto já estava previsto. (ver meu comentário abaixo).

http://www.astropt.org/2010/04/13/teoria-planetaria-virada-do-avesso/

eso 1016a
descoberta de nove novos exoplanetas em trânsito foi hoje anunciada no NAM2010.
Quando estes novos resultados foram combinados com observações anteriores de exoplanetas em trânsito, os astrónomos surpreenderam-se com o facto de seis deles, numa amostragem de 27, orbitarem na direção oposta à da rotação da estrela hospedeira – precisamente o contrário do que se passa no nosso Sistema Solar. Estas novas descobertas põem em causa, de maneira séria e inesperada, as atuais teorias de formação planetária. (ler mais…)

meu comentário enviado para modera~~ao em 9/28/20

Louis Morelli:

Ora, Carlos, elaborei um modelo teórico astronomico em que a migração planetária é a norma e possibilidade de planetas orbitarem na direção oposta à da rotação da estrela hospedeira ser comum. Isso a 35 anos atrás, tenho os copyright para confirmar e o modelo esta no meu website a 10 anos. Mas está se tornando comum a cada nova foto do Hubble ou novo dado descoberto vir acompanhado da observação ” isto não está de acordo com os cálculos do modelo teórico portanto teremos que rever a teoria”, enquanto todos tem reforçado meu modelo. Mas como seria possível que alguém sem diploma em astronomia e usando instrumentos simples pudesse acertar mais que os profissionais?
É possível para qualquer um desde que mantenha a logica racional pura tal como recebida pela Natureza, sem desviar a mente pelas fantasias imaginarias. Minha pesquisa começou com uma pergunta logica: ” O primeiro sistema biológico que apareceu na superfície da Terra só pode ter sido produzido por forças e elementos naturais contidos nesta galáxia. O primeiro sistema biológico – um sistema celular – tem que ter sido produzido por um sistema natural menos evoluído, porem, deve ter mantido suas características. Então onde estão estas forças e elementos no sistema galáctico? Se o modelo acadêmico não as encontrou, o modelo teórico deve estar equivocado. E deve bastar projetar o sistema celular sobre o quadro geral da galáxia sabendo que ambos são à imagem e semelhança para se obter um modelo da galáxia mais plausível.”
Encontrei fácil um modelo astronomico onde todas as forças, os elementos e as propriedades vitais já se encontravam nele, de forma mais simples. Agora, se uma humanidade inteira desvia sua razão para acreditar na mística de que houve uma origem da vida onde nunca houve nada parecido, que esta origem veio de sobrenaturais mágicos como um acaso absoluto ou um deus imaginário… vão certamente calcular formação de planetas e sistemas estelares sem nenhuma correspondência com a realidade. essa mente desviada vai acreditar num modelo teórico pseudocientífico e decretar que o modelo correto é pseudociência… mesmo que não possuam um fato real sequer para provar sua sentença.
Mas para entender o meu modelo tem um aviso. O sistema celular tem dois processos diferentes de formação. O primeiro processo foi por simbiose, e formada a primeira célula, ela aprendeu a se replicar, que é io segundo processo. isto não é por acaso, pois sua genitora, esta galáxia, teve igualmente os mesmos dois processos de formação. Infelizmente este nosso sistema solar parece ser de segunda ou terceira geração e o meu modelo se refere apenas ao primeiro processo. Mesmo assim, a diferença deve ser mínima.

Terra: As Mudanças no núcleo e a importância do campo magnético para a vida.

Tuesday, September 1st, 2020

Os astrônomos discutem a idade do núcleo da Terra e teorias variam desde 4 bilhões de anos a 1,3 bilhão, supondo que a idade do núcleo solido não é a mesma idade do planeta. Este artigo divulga um estudo baseado no ferro liquido que concluiu pelos 1,3 bilhões de anos. Outro assunto interessante tratado aqui é: este planeta é o único do sistema solar que tem vida porque tem uma atmosfera respirável e na superfície não tem radiação. Mas estes predicados existem aqui graças a um outro fenômeno: o campo magnético da Terra. Se não fosse o campo magnético barrar a radiação vinda do Sol acima da atmosfera, esta radiação destruiria esta atmosfera. Mas este é o único planeta do sistema solar que tem campo magnético. Por isso é o único que cria e suporta a vida.

Earth’s core is a billion years old

https://www.space.com/earth-core-billion-years-old.html

Earth's layers shown in this modified NASA image.
(Image: © Shutterstock)

Artigo: Not much is known about the history of this 1,500-mile-wide (2,442 kilometers) iron ball that’s the Earth’s nucleus. Estimates of its age have ranged from half a billion years to more than 4 billion years, almost as old as 4.5-billion-year-old Earth itself. Now, researchers have squeezed a miniscule piece of iron between two diamonds and blasted it with lasers to arrive at a new estimate of 1 billion to 1.3 billion years old — a date range that coincides with a measurable strengthening of the Earth’s magnetic field that happened around the same time.

Matrix/DNA: Mas o que é 1,3 bilhão de anos, a substancia do núcleo ou o estado físico desta substancia – se solida. liquida? Eu não posso me arriscar a opinar porque não sei se esta galaxia e este sistema estelar é de primeira ou segunda geração, pois existiram dois processos diferentes de formação destes sistemas, assim como o sistema celular teve como primeiro processo a simbiose e depois disso aprendeu a se reproduzir… no caso dos sistemas astronômicos aprenderam a se reproduzirem auto-reciclando-se. Creio que no sistema celular a simbiose na formação das células modernas manteve-se encoberta: a partir das proteínas produzidas pelo DNA/RNA as organelas são produzidas numa sequencia e esta é a mesma sequencia do ciclo vital da primeira geração quando as organelas foram geradas fora da célula. Então a logica aconselha que na formação dos sistemas astronômicos modernos deve estar encoberto o processo da primeira geração, o qual está explicitado na formula Matrix/DNA.

E sugere esta teoria da primeira formação que os núcleos dos planetas são formados antes dos planetas, no estado liquido, depois são congelados tornando-se sólidos e depois voltam a serem líquidos, sempre variando pela variação da temperatura externa. Mas esta sequencia e esta variação é sugerida também quando aplicamos outro método de construção do nosso modelo teórico, o qual consiste em verificar o que este sistema astronomico produziu aqui quando criou os sistemas biológicos para calcular como teria sido a formação destes sistemas astronômicos, pois a ideia é que sistemas só sabem gerar outros sistemas pelo mesmo método que eles próprios foram gerados.

E o método para gerar i sistema biológico vegetal, que veio primeiro do que a célula animal, portanto sento mais fiel ao método do ancestral, começa pela formação da semente, que corresponde ao núcleo dos astros e ditas sementes de novas estrelas. pensamos como exemplo uma semente de milho. Ela é feita sob alta temperatura exposta ao sol, depois é esfriada quando inserida na terra, e depois volta a esquentar quando recebe novamente a energia solar pela água e o solo, quando então cresce e brota. Assim deve acontecer no aspecto astronomico quando desabrocha uma nova estrela. Não é por acaso que vindo por dois caminhos diferentes, dois métodos diferentes, chegamos um mesmo resultado: porque seja no processo de primeira geração, no processo da segunda, e no caso da semente vegetal, em todos os três casos a formula construtora é a mesma.

Artigo: Modern Earth is like a layer cake, with a solid outer crust, a hot, viscous mantle, a liquid outer core and a solid inner core. That solid inner core is growing slowly as the liquid iron in the core cools and crystallizes. This process helps power the churning motion of the liquid outer core, which in turn creates the magnetic field that surrounds Earth and helps protect the planet from harmful cosmic radiation. ( leia mais no link acima)

Ferro-60: Possível prova do modelo teórico astronomico da Matrix/DNA

Friday, August 28th, 2020

Restos de supernova podem ser encontrados em bactérias pré-históricas

Um material que não se forma na Terra (isótopo Ferro-60) foi encontrado em 2004 no fundo do Oceano Pacífico e, de acordo com as análises da época, a fonte teria sido uma supernova ou, mais precisamente, seus restos que chegaram ao nosso planeta 2,2 milhões de anos atrás. 

Matrix/DNA: A parte da Teoria Geral da Matrix/DNA que trata de Astronomia sugere um diferente modelo teórico para formação das estrelas ( e dos outros tipos de astros). Neste modelo, germes de estrelas são produzidas num cone vorticial e são ejetados ao espaço como pequenas esferas constituídas principalmente de ferro incandescente. No espaço estes germes atravessam o horizonte de eventos ao redor do cone nuclear, o qual é constituído de poeira de estralas e outros astros “mortos”. Sobre o germe são agregadas estas poeiras que formam camadas diferenciadas pelas temperaturas e constituição da poeira e num desenvolvimento seguinte o bólido esta na forma de planeta. is to significa que planetas gestam em seu núcleo o germe de nova estrela, a qual vai se expressar mais tarde como está calculado no modelo. Esta noticia revela que foi encontrado nas profundidades marítimas o isotopo de Ferro-60, e segundo a noticia este elemento não é produzido na Terra, mas calcula-se que seja produzido em estrelas supernovas. É uma hipótese um tanto vaga pois não se aponta a estrela, não se sabe como uma estrela teria enviado este material à Terra. Ora, a teoria da Matrix/DNA, quando trata das origens da vida, sugere que material do núcleo terrestre tenha “subido” para a superfície, pois segundo os cálculos, 50% das informações para a vida teria vindo de astros na forma de planetas ( os outros 50% teriam vindo de formas de astros entre F6 e F7, nos quais se incluem as estrelas). Infelizmente não guardei uma leitura antiga que informava que existe uma troca de elementos entre a superfície e o núcleo do planeta, algo como carregados por lixivia, e subiriam como lavas vulcânicas. O fato do Ferro-60 ter sido encontrado nas profundezas marítimas, que esta mais perto do núcleo e tem ventos e lavas vulcânicas é indicativo favorável à Matrix/DNA. Porque procurar a causa a muitos anos-luz distante da Terra, se ela pode estar aqui mesmo, abaixo de nossos pés?

No entanto, há de se lembrar que a Matrix/DNA sugere dois tipos de formação de galaxias e não tem os cálculos das transformações do primeiro processo no segundo, o que pode anular planetas de segunda geração como a Terra de portar um germe estelar.

Pista indica que LUCA estaria no centro da galaxia. Mais evidencias para Matrix/DNA

Friday, August 28th, 2020

Agora é oficial: somos mesmo feitos de poeira de estrela

https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2017/01/agora-e-oficial-somos-mesmo-feitos-de-poeira-de-estrela.html

https://www.universetoday.com/132791/confirmed-really-star-stuff/

Pesquisa mostra que tanto os seres humanos quanto os astros brilhantes possuem 97% do mesmo tipo de átomos

Constataram ainda que os elementos essenciais para a vida como a conhecemos (hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, fósforo e enxofre) são mais prevalecentes nas estrelas que estão no centro da galáxia.

Matrix/DNA: A teoria calculou um modelo astronomico do que deve ser o building block das galaxias e encontrou que existe muitas semelhanças com o building block do DNA. Assim dentro da teoria geral tem o capítulo que trata da procedência dos sistemas biológicos, sugerindo um link evolucionário entre esta galáxia e o primeiro DNA, cuja unidade de informação – segundo a teoria – é um sistema completo e funcional , como é o building block astronomico, segundo nosso modelo teórico. Note-se que o DNA tem todos estes tipos de átomos das estrelas: hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, fosforo e… não estou seguro que tenha enxofre ( a pesquisar ).

Image teorizada do nucleo de LUCA imitada na Terra como cone de chama de fogo azul

Monday, August 24th, 2020

Um “redemoinho de fogo azul” pode diminuir impacto ambiental

O novo tipo de chama tem potencial para ser uma melhor fonte de energia

Esse redemoinho de fogo azul é composto por quatro tipos diferentes de chamas, relatam os pesquisadores.
https://i2.wp.com/socientifica.com.br/wp-content/uploads/2020/08/redemoinho-de-fogo-azul.jpg?fit=1030%2C579&ssl=1
Surgimento das chamas.
O redemoinho azul apareceu quando os cientistas acenderam combustível líquido flutuando na água, dentro de um invólucro projetado, de modo que o sopro de ar crie um vórtice.
Um tornado de fogo queimou antes de se estabelecer como uma chama azul giratória com vários centímetros de altura.

Meu comentario postado no forum da Socientifica sobre artigo

Eu faria experimentos construindo uma plataforma no meio do cone da chama onde poria todos os materiais, fluidos, substâncias possíveis… para ver o que acontece. Afinal, essa imagem do cone azul bateu exato com a imagem do meu desenho calculando como deve ser o cone espiralado no centro de sistemas astronomicos, e, segundo  sugerem os calculos, dessa forma no meio do cone são criados o material de ferro incandescente que se tornara o nucleo de planetas e ao mesmo são as sementes das novas estrelas. Claro, o ambiente [e diferente…