Archive for the ‘Evolution’ Category

Lista dos péssimos e errados designers na Natureza

Thursday, December 5th, 2019

Lista feita por um anônimo:

The process of evolution by natural selection is estimated to have an IQ of about 1. It works by trial and error, mostly error. It takes hundreds of thousands of years because it is so stupid. In contrast, Yahweh is alleged to have an IQ of ∞. For some reason, he is allegedly extremely partial to humans over all other species. Evolution works by spawning variants almost identical to the parents and natural selection wipes out all but the best of them. It takes about 200 million years to notice any appreciable cumulative difference in the current generation. This means that the humans who were living at the dawn of agriculture 10,000 ago were for all practical purposes identical to us. Many creationists erroneously imagine evolution is the morphing of a single individual into a new species that takes place over a few seconds. The animal kingdom exhibits so much bungling in their design, it can’t be the work of a competent designer, much less a divine one. Which designer more likely joined the windpipe of a human to his esophagus so that if he is inattentive for even a second he can choke to death? Which designer more likely gave much better eyes and lungs to birds than to humans? Humans have the optic nerve attached to the wrong side of the retina causing a blind spot. Which designer more likely gave man a spine more suited for a quadruped, meaning he would be vulnerable to back pain? Which designer more likely gave women birth canals far too small for extruding babies (or babies with heads too big). Other animals don’t have that problem. Which designer more likely gave humans teeth that are prone to cavities and that wear out part way through life? Which designer more likely made the laryngeal nerve in a giraffe do a 4.57 metres (15 ft) needless detour? Which designer more likely added useless organs like vestigial legs on snakes, appendixes in humans, vestigial pelvises in whales, dew claws on dogs, chestnuts on horses (vestigial toes)? Which designer more likely gave the crocodile belly armour, but not the human? Which designer more likely gave humans bodies that craved foods, chemicals and drugs that were harmful to them? Which designer more likely gave humans bodies that craved a sedentary existence when they needed exercise to survive? Which designer more likely gave koalas backward-facing pouches tending to dump the young out on the ground? Which designer would pack the genome with vestigial genes from ancestor species? Creationists insist there is no such thing as ancestor species. They claim Yahweh created each species from scratch. Any similarity between species (e.g. the various types of rat) is as illusion. Which designer more likely put an additional chameleon-style visual system in a human which does not provide conscious vision, along with the usual conscious one? Evolution can explain why it is there. Intelligent Design cannot. Creationists have a problem. If they ascribe all this incompetence to Yahweh, he will be seriously insulted.

Pondo o Sistema Universal dentro do seu corpo, o seu interesse em conhecer os detalhes do seu corpo te conduzem a intuir os detalhes do sistema universal e assim, reducionisticamente, você é levado a conhecer o TODO!

Tuesday, December 3rd, 2019

Abaixo tem uma extensa copia da introdução ao relato de uma investigação cientifica sobre um detalhe do corpo: o mecanismo que faz o diafragma inspirar o ar. Focando uma minuscula parte da medula óssea, os cientistas vão relatando o que constatam e que já foi constatado antes por outros cientistas em varias investigações. Como se trata de um documento cientifico, os autores são obrigados a citar cada documento publicado antes sobre os detalhes, confirmando o que estão observando. Apenas depois disso eles vão mencionar o que descobriram alem do que já se sabe.

O que precisa notar aqui é como um minimo pedacinho, talvez microscópico, e apenas da medula óssea, já revelou tantos mecanismos e processos feitos pela Natureza. E nessa experiencia em particular, os cientistas foram descobrir que existe mais um mistério – “Como faz, o que bombeia o inicio da inspiração quando o bombeador normal num corpo saudável foi injuriado e parou de funcionar?! Alguma coisa que não estava funcionando entrou em funcionamento e continuou o bombeamento. Assim foram suspeitar que existe uma invisível ou desconhecida network alem da network normal. Isto vai desencadear uma nova onda de pesquisas encima daquele detalhezinho. E algo mais profundo, ainda nem sequer imaginado, existente na Natureza, será descoberto!

Permita-me agora analisar isto sob a perspectiva da minha cosmovisão construída quando pensei ter descoberto a formula universal de todos os sistemas naturais na selva amazônica. Tudo o que eu disser daqui para a frente, lembre-se, é dedução da minha teoria consultando aquela formula.

” O corpo humano está montado como um sistema, à imagem e semelhança, na sua estrutura ultima, de todos os outros sistemas existentes no Universo. Na verdade todos os outros sistemas nada mais são que copias evolutivas derivadas de um sistema universal que se iniciou nas origens do Universo, talvez com o Big Bang. Assim, sistemas atômicos, astronômicos, como o sistema-corpo de bactérias, são todos nossos ancestrais na nossa linhagem evolucionaria. A formula universal surgiu neste mundo com todas as informações existentes dentro deste Universo. Então tudo o que a Natureza faz é uso e ativação daquelas informações. Para entender isto lembre-se que quando nasce um complexo corpo humano, tudo o que ali está veio de informações contidas no genoma inicial de seus pais. A formula universal é um genoma, vinda do alem deste Universo.

Parece-me ser uma meta suprema desta Natureza Universal conduzir o sistema universal que está crescendo, evoluindo, dentro deste Universo, a aprender e conhecer por completo o que é, como é, como funciona, a formula deste genoma extra-universal. Nestes tempos e aqui na Terra, uma copia deste sistema universal é a especie humana, então ela está sendo conduzida nesta aprendizagem.

Mas a espécie humana é uma forma do sistema universal quase microscópica, limitada a uma ínfima parte do espaço sideral, então como sua inteligencia pode ser conduzida a se desenvolver, sem acesso as informações que estão muito distantes? Simples: todas as informações do Universo estão na formula que esta dentro do corpo humano, expressadas nos mínimos detalhes das carnes, dos ossos, das substancias. Estes detalhes no corpo humano causam mal-estar na inteligencia humana quando estão funcionando mal, com dores, paralisias, disfunções, etc. Então essa inteligencia tem que entrar fundo nestes detalhes buscando conhece-los para ver se os consertam quando estão errados. E assim vamos aprendendo informações em nós mesmos que servem, muitas vezes inconscientemente e por intuições inexplicáveis, para ao mesmo tempo ir-mos montando modelos de galaxias, átomos, coisas distantes de nós nas dimensões do Universo, nos aproximando cada vez mais do conhecimento mais correto do que é este mundo, mesmo estando limitados neste pequenino ponto no espaço-tempo!

Por exemplo, a suspeita dos cientistas nessa investigação de que existe uma network inibida, apenas em estado latente, que eles nunca conseguiram detectar, alem da normal network de músculos e nervos e neurônios que eles detectam, está conduzindo os humanos a uma descoberta fantastica, uma das coisas mais importante neste Universo. Trata-se de que este nosso mundo é feito como os computadores, possui um hardware – o mundo material que captamos – e um software – o mundo dos fótons que são partículas de luz constituindo os circuitos da formula Matrix, dentro de todos os sistemas. Não posso explicar aqui, mas a formula esta sugerindo que estes fótons interconectados com nossa matéria estão no estado de anti- fótons, com energia negativa e talvez opacos, escuros, pois seriam os fragmentos de uma onda de luz original que se fragmenta em fótons e estes tem a tendencia a retornarem pelos caminhos que vieram, reconstruindo a onda de luz original e quando chegam próximo á fonte se tornam novamente fótons positivos ( Como analogia, o genoma dos pais caem num oceano amniotic o e os genes começam a trabalhar para reconstruir o corpo dos pais, nossa conhecida reproduce genética sexual). Por serem quase fantasmagóricos não captamos os fótons e muito menos as networks que formam pois os fios de conexões são mais abstratos que as sinapses. Creio que é esta network que está escondida naquela região da medula espinhal e que os cientistas estão pressentindo, que apenas entrou em ação para salvar uma vida que não poderia viver sem inspirar ar. Quando os cientistas pensam com extrema curiosidade nesta network latente eles estão, sem o saberem, sendo conduzidos a descobrirem o que existe nas mais complexas dimensões deste universo, dentro de átomos, galaxias, etc.

Com isso descobri uma maior utilidade do reducionismo, este método cientifico que eu vinha, sem razão, combatendo porque acho que ele está impedindo o florescimento de um método ainda mais importante, o sistêmico.”

Copiei o pequeno trecho da introdução do paper cientifico apenas para ilustrar como temos que nos reduzir ao tamanho e dimensões de detalhes microscópicos para ir aprendendo o que a Natureza faz e é capaz, pois o que ela faz nas dimensões microscópicas aqui é o que ela aplica nas dimensões macroscópicas universais.

A Latent Propriospinal Network Can Restore Diaphragm Function after High Cervical Spinal Cord Injury: Cell Reports

https://www.cell.com/cell-reports/fulltext/S2211-1247(17)31381-5

Introduction

(Apenas uma observação: para você entender o texto mudei as cores de parágrafos. O texto dos autores esta em negro. Mas a cada citação de outros trabalhos que fazem, interrompi o texto para mostrar os outros trabalhos mencionados nestas citações, assim se tem uma ideia do grande grupo de cientistas e experiencias laboratoriais envolvidos no assunto. Quando retorna o texto dos autores, observe no inicio do paragrafo existe um parêntesis em aberto)

) Inspiration—the act of drawing air into the lungs—is executed primarily by the diaphragm, which contracts ∼20,000 times per day and 108 times over the average human lifespan. The diaphragm is solely innervated by phrenic motor neurons (PMNs), which are anatomically positioned at spinal cord levels C3-5/6. Thus, injury to the cervical spinal cord severely compromises diaphragm function.Excitatory circuits of the pre-Bötzinger complex (preBötC), located in the ventrolateral medulla, generate inspiration and relay inspiratory drive to PMNs via a medullary premotor nucleus termed the rostral ventral respiratory group (rVRG; Smith et al., 1991

  • Smith J.C.
  • Ellenberger H.H.
  • Ballanyi K.
  • Richter D.W.
  • Feldman J.L.

Pre-Bötzinger complex: a brainstem region that may generate respiratory rhythm in mammals.Science.1991; 254: 726-729

). Neurons of the rVRG maintain bulbospinal projections that synapse directly with PMNs (Davies et al., 1985

  • Davies J.G.
  • Kirkwood P.A.
  • Sears T.A.

The detection of monosynaptic connexions from inspiratory bulbospinal neurones to inspiratory motoneurones in the cat.J. Physiol.1985; 368: 33-

Crossref PubMed

Scopus (84)

Google Scholar

, Dobbins and Feldman, 1994

  • Dobbins E.G.
  • Feldman J.L.

Brainstem network controlling descending drive to phrenic motoneurons in rat.J. Comp. Neurol.1994; 347: 64-86

Crossref

PubMed

Scopus (362)

google Scholar

, Duffin and van Alphen, 1995

  • Duffin J.
  • van Alphen J.

Bilateral connections from ventral group inspiratory neurons to phrenic motoneurons in the rat determined by cross-correlation.Brain Res.1995; 694: 55-60

, Ellenberger and Feldman, 1988

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.

Monosynaptic transmission of respiratory drive to phrenic motoneurons from brainstem bulbospinal neurons in rats.J. Comp. Neurol.1988; 269: 47-57

, Ellenberger et al., 1990

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.
  • Goshgarian H.G.

Ventral respiratory group projections to phrenic motoneurons: electron microscopic evidence for monosynaptic connections.J. Comp. Neurol.1990; 302: 707-714

); therefore, it is well established that rhythmic PMN bursts arise from circuits rostral to the spinomedullary junction. Evidence that rVRG axons make direct synaptic contact with PMNs comes from studies examining cross-correlation between rVRG units and phrenic nerve activity, which exhibit 1- to 2-ms latencies typical of monosynaptic connections (Davies et al., 1985

  • Davies J.G.
  • Kirkwood P.A.
  • Sears T.A.

The detection of monosynaptic connexions from inspiratory bulbospinal neurones to inspiratory motoneurones in the cat.J. Physiol.1985; 368: 33-62

, Duffin and van Alphen, 1995

  • Bilateral connections from ventral group inspiratory neurons to phrenic motoneurons in the rat determined by cross-correlation.Brain Res.1995; 694: 55-60

). Additional evidence comes from anatomical studies demonstrating close apposition of rVRG axons, identified by anterograde labeling, with the dendritic arbors of retrogradely labeled PMNs (Ellenberger and Feldman, 1988

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.

Monosynaptic transmission of respiratory drive to phrenic motoneurons from brainstem bulbospinal neurons in rats.J. Comp. Neurol.1988; 269: 47-57

, Lane et al., 2008

  • Lane M.A.
  • White T.E.
  • Coutts M.A.
  • Jones A.L.
  • Sandhu M.S.
  • Bloom D.C.
  • Bolser D.C.
  • Yates B.J.
  • Fuller D.D.
  • Reier P.J.

Cervical prephrenic interneurons in the normal and lesioned spinal cord of the adult rat.J. Comp. Neurol.2008; 511: 692-709

). Also, synapses between rVRG axon terminals and PMNs have been identified at the ultrastructural level (Ellenberger et al., 1990

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.
  • Goshgarian H.G.

Ventral respiratory group projections to phrenic motoneurons: electron microscopic evidence for monosynaptic connections.J. Comp. Neurol.1990; 302: 707-714

).The simplest model, which is widely accepted, is that PMN bursts are always directly evoked by rVRG input. Nonetheless, there are also data indicating that, in the absence of supraspinal (rVRG) input, PMN activity can be initiated centrally by various pharmacological manipulations (Coglianese et al., 1977

  • Coglianese C.J.
  • Peiss C.N.
  • Wurster R.D.

Rhythmic phrenic nerve activity and respiratory activity in spinal dogs.Respir. Physiol.1977; 29: 247-254

, Ghali and Marchenko, 2016

  • Ghali M.G.Z.
  • Marchenko V.

Patterns of phrenic nerve discharge after complete high cervical spinal cord injury in the decerebrate rat.J. Neurotrauma.2016; 33: 1115-1127

, Reinoso et al., 1996

  • Reinoso M.A.
  • Sieck G.C.
  • Hubmayr R.D.

Respiratory muscle coordination in acute spinal dogs.Respir. Physiol.1996; 104: 29-37

, Viala et al., 1979

  • Viala D.
  • Vidal C.
  • Freton E.

Coordinated rhythmic bursting in respiratory and locomotor muscle nerves in the spinal rabbit.Neurosci. Lett.1979; 11: 155-159

, Zimmer and Goshgarian, 2007

  • Zimmer M.B.
  • Goshgarian H.G.

GABA, not glycine, mediates inhibition of latent respiratory motor pathways after spinal cord injury.Exp. Neurol.2007; 203: 493-501

) or by electrical stimulation (Huang et al., 2016

  • Huang R.
  • Baca S.M.
  • Worrell J.W.
  • Liu X.
  • Seo Y.
  • Leiter J.C.
  • Lu D.C.

Modulation of respiratory output by cervical epidural stimulation in the anesthetized mouse.J. Appl. Physiol.2016; 121: 1272-1281

, Kowalski et al., 2013

  • Kowalski K.E.
  • Hsieh Y.H.
  • Dick T.E.
  • DiMarco A.F.

Diaphragm activation via high frequency spinal cord stimulation in a rodent model of spinal cord injury.Exp. Neurol.2013; 247: 689-693

). Although it has been suggested that this activity might be generated by a spinal analog of the preBötC (Ghali and Marchenko, 2016

  • Ghali M.G.Z.
  • Marchenko V.

Patterns of phrenic nerve discharge after complete high cervical spinal cord injury in the decerebrate rat.J. Neurotrauma.2016; 33: 1115-1127

), the origin of this activity has always been elusive. Indeed, it is largely unclear whether this PMN activity is caused by pharmacologic/electrical action on PMNs themselves or whether these manipulations engage propriospinal neurons, which are also known to synapse with PMNs (Dobbins and Feldman, 1994

  • Dobbins E.G.
  • Feldman J.L.

Brainstem network controlling descending drive to phrenic motoneurons in rat.J. Comp. Neurol.1994; 347: 64-86

, Lane et al., 2008

  • Lane M.A.
  • White T.E.
  • Coutts M.A.
  • Jones A.L.
  • Sandhu M.S.
  • Bloom D.C.
  • Bolser D.C.
  • Yates B.J.
  • Fuller D.D.
  • Reier P.J.

Cervical prephrenic interneurons in the normal and lesioned spinal cord of the adult rat.J. Comp. Neurol.2008; 511: 692-709

, Lipski et al., 1993

  • Lipski J.
  • Duffin J.
  • Kruszewska B.
  • Zhang X.

Upper cervical inspiratory neurons in the rat: an electrophysiological and morphological study.Exp. Brain Res.1993; 95: 477-487

, Lois et al., 2009

  • Lois J.H.
  • Rice C.D.
  • Yates B.J.

Neural circuits controlling diaphragm function in the cat revealed by transneuronal tracing.J. Appl. Physiol.2009; 106: 138-152

). Importantly, there is no existing evidence that, when isolated from the medulla, propriospinal neurons can generate spontaneous PMN burst activity.If there is a population of propriospinal neurons that can generate PMN bursts, then it is important to determine whether these interneurons simply relay inspiratory drive from the preBötC (e.g., preBötC → rVRG → interneuronal burst population → PMNs) or whether these neurons act as part of some other independent system—and what relevance this system might have. In this study, we establish an ex vivo model of spinal cord injury (SCI) and combine this model with pharmacologic and optogenetic perturbations to investigate whether propriospinal circuits are capable of evoking PMN bursts. We identify a recurrent excitatory network that is both sufficient and necessary for PMN bursting in the absence of the medulla and show that activity generated by this network is dissociable from bona fide inspiration. Furthermore, we demonstrate that this network can be used to promote diaphragm function after SCI in adult mice and rats.

A evolução (ou a seleção natural?) recompensa, favorece, quem interpreta a realidade de forma errada…

Friday, November 8th, 2019

xxxxx

Nesta brilhante palestra de um renomado neurocientista que esta chamando atenção por suas surpreendentes teorias sobre auto-consciência, proferida no TED TALK ( com link abaixo), um de seus inusitados insights é que a evolução esconde de nos a realidade dos objetos e do ambiente para nossa sobrevivência e própria evolução. Com o tempo ela mostra a realidade de um objeto e como estávamos enganados. O que serve também para nossa aprendizagem e evolução. Um exemplo foi sugerir a nós que o SOL se move a nossa volta, e depois corrigir essa ilusão de ótica. Mas então nas teorias do Dr. Hoffman percebi que estão encriptadas como resultados dos meus cálculos a 30 anos atras, e que eu vinha tratando estes temas como questões ainda a resolver dentro da cosmovisão da Matrix/DNA, enquanto o Dr. Hoffman denomina as mesmas questões como “teorias”. Vejamos:

 

Eu sempre fui um perdedor na competição por bens materiais, riqueza, confortos da vida. As três classes sociais sempre interpretaram cada fenômeno natural de forma diferente que is interpreto. Todas as três classes me suplantaram no quesito material. Obviamente isto me levou a uma conclusão: eu vejo a realidade de form errada, os outros humanos a veem de forma correta. Então, se eu vivesse na Idade Antiga, suspeito que estaria endo o Sol parado e a Terra girando, enquanto todos os outros interpretariam ao contrario. Todos os outros estariam ajustados ao sistema social – fosse este monarquia, feudalismo, capitalismo, etc. – o que os faria ganhar de mim em todas as competições pelos recursos materiais. Mas… depois se comprovou que todos estavam errados… o que comprovaria que quem viu ao contrario, era quem estava certo. E este paradoxo me ocupou a mente por muito tempo. Pois por mais estupido que pareca, eu não consigo aceitar que estou errado nas minhas interpretações. Fiz e refiz milhares de vezes meus cálculos, os resultados são sempre os mesmos, as mesmas interpretações. E tenho uma convicção intima de que eu estou do lado da logica, não da logica dos outros humanos, mas da logica da natureza, do mundo real. Vejamos um primeiro exemplo: O evento do Big Bang foi uma explosão, e foi uma explosão sem uma meta racional, e explosão de algo muito mais simples e menor do que o Universo de hoje. esta a interpretação dos outros humanos. Para mim não foi uma explosão e sim o rompimento de uma membrana contendo algo, havia uma meta racional pois foi um ato de fecundação do qual se reproduzira’ aquilo que produziu o rompimento, e aquilo que produziu o rompimento, ou Big Bang, tem que ter sido maior e mais complexo do que o Universo hoje. Tudo ao contrario. Então sou inicialmente conduzido a acreditar que estou errado. E refiz os cálculos da evolução universal iniciando pelo Big Bang e calculando tudo ate hoje e depois os cálculos iniciando ao que temos hoje regredindo ao Big Bang. E sempre os resultados apontam a minha mesma interpretação. Então comparo meus cálculos com os cálculos dos outros humanos. E nos cálculos vejo as diferenças. Calculamos diferentemente. Eles usam mais a Física e a Matemática, eu uso mais a Biologia e o Ciclo Vital. Eles usam os mecanismos da teoria da evolução darwiniana, eu uso os mecanismos da teoria da evolução macro universal, e assim por diante. Mas não posso rejeitar meus cálculos e aceitar os deles. Porque o meu Big Bang foi um evento exatamente igual a um evento que meus olhos assistem hoje, aqui e agora, toda vez que uma nova vida é concebida. E então meus cálculos aplicam os mecanismos e processos da concepção aqui e agora em todos os estagios da evolução ou da Historia intermediaria entre o Big Bang e o resultado final dessa Historia, os fatos e a vida que aqui existem agora. Por outro lado, a interpretação deles do que foi o Big Bang, os calculos que aplicam sobre o Big Bang para interpretarem como foi a Historia Universal, não poderia jamais, pela logica natural e exercício racional, produzir a vida e os fatos que existem aqui e agora. Então não tenho como mudar minha interpretação. Se não for descoberto um fenômeno real, comprovado, derrubando minha interpretação, não tem outra alternativa senão a de morrer crendo que estou certo. Mesmo que no fundo minha consciência sussurra que não posso estar certo, pois todos os outros não poderiam estarem errados, e eu, o unico certo. Com isso, vou morrer sendo o perdedor, na competição material. Simplesmente porque a minha cosmovisão me obriga a me comportar perante o mundo com outros valores diferentes daqueles da competição com que os vencedores estão se comportando e vencendo. Passados 30 anos com este paradoxo em mente, eis que acontece algo que vem trazer nova maneira de pensar isso. Trata-se das teorias do Doutor Donald Hoffman, e alguns outros, que eu desconhecia e tive contacto numa questão levantada na secção ask/philosopher do REDDIT, que apontava para a obra do Doutor Hoffman. Dentre os surpreendentes insights do Dr Hoffman estavam uns dois ou tres conceitos chaves. ” A evolução recompensa aquele que vê a realidade de forma errada”. Na verdade, e ainda no inicio do estudo de sua obra, concluo que o Dr. Hoffman esta dizendo que vemos a interface apenas da realidade, nada vemos do que esta por trás e por dentro da interface. Por exemplo alguém apresenta duas pessoas lado a lado e diz que uma é a pessoa mais bonita da especie humana, enquanto a outra é a mais feia. Mas se tirássemos a pele total das duas pessoas, apareceria uma massa de carne vermelha com fibras e muito sangue, algumas pontas de ossos, e não veríamos mais as qualidades de bonito ou feio, pois as duas pessoas seriam iguais. São as peles e seus enchimentos de gordura que fazem as duas pessoas diferentes em relação a estética preferida pelos valores humanos? Valores humanos! E aqui vem o segundo importante insight do Dr. Hoffman: nas nossas interpretações, nos distorcemos a realidade de acordo com nossas “aptidões intimas”. Nos tínhamos que nos ar importância para nos diferenciar dos animais irracionais, então criamos as religiões colocando o humano no centro da criação e o lar onde vive os humanos, estável, parado, no centro do Universo. Talvez ate nossos olhos vissem a realidade, que o Sol não esta se movendo a nossa volta, mas quando a imagem do que víamos viajava dos olhos na direção do neocortex, um bilhão de neurônios e outro tanto de sinapses atuavam nos sinais transmitindo a imagem, e no final a imagem chegava ao cérebro de forma torcida. Este mecanismo é diferente do mecanismo da “visão” de uma maquina fotográfica, que tem uma câmera similar, mas a imagem é revelada tao como ela se apresenta. Entre os sinais da imagens que entra na lente e o filme no fim da câmera que revela a imagem não existem os bilhões de neurônios e sinapses atuando sobre estes sinais. Estes neurônios e sinapses – e isso não foi dito pelo Dr. Hoffmam – a meu ver – são os agentes da desinformação produzidos pela desinformação de que o humano é o fator central do universo, mas que assim foram selecionados pela evolução porque essa mentira tornava o humano mais apto a sobreviver com mais força, energia e motivação. Do que ele agiria se soubesse que não é um animal diferente dos outros e portanto teria depressão, tornando-se desmotivado e fraco. Raios! E agora? Como fica? Isto seria a explicação exata do porque sou o perdedor interpretando o mundo de forma diferente, e talvez mais sintonizada com a realidade…? Os meus valores, que emergem da minha cosmovisão ( somos 8 bilhões de genes semi-conscientes construindo um embrião de auto-consciência, etc.), não me levam a depressão, ao contrario, eles tem me provido com energia sem igual, uma motivação que tem me mantido vivo e mentalmente mais eficiente que muitos dos que me rodeiam. Porem meus valores me conduzem, a meus comportamentos, em outra direção, e deste conflito, onde sou um contra todos, obviamente sou o perdedor. Ou eu estou fazendo exatamente o mesmo que fizeram os antigos? Criando uma cosmovisão errada, com uma religião errada, para me iludir inconscientemente escondendo minha fraqueza física, e isso me deu força, saúde e motivação para sobreviver e ate chegar ao fim da vida melhor que a maioria? Se for isso, novamente a evolução recompensa quem vê a realidade distorcida. Ela me favoreceu, sobrevivi e me coloquei numa zona de conforto. Bem… eu não tenho como resolver isto. Acho que ninguém mais tem, apenas o tempo, com suas novas informações, pode ser o juiz que decidira quem esta certo ou errado. Então o que deve me interessar agora é entrar mais fundo na pesquisa das teorias do Dr. Hoffman. O que ele fornece como exemplo comprovado de que a evolução favorece o erro? Vamos iniciar por uma de suas palestras no TED TALK. https://www.ted.com/talks/donald_hoffman_do_we_see_reality_as_it_is#t-760280

Nos vemos a realidade tal como ela é?

xxxxx

Copio aqui um comentário e minha resposta que foram postados abaixo da palestra e que serve para expor mais das minhas teorias sobre o tema:

Mohammad Abbasi

Posted 20 days ago

It was great, especially when he compared our perception of reality to the 3D desktop, But his words were contradictory. On the one hand, he acknowledged that beetles were at risk of extinction due to limitations in reality detection. But on the other hand, he said that simulations assess the limitations of knowing reality for positive survival and evolution. Perhaps the simulations are not yet complete.

 Louis Morelli

Posted at 11/9/19

Mohammad, I have a hypothesis suggesting the advantage for evolution making us with limitations in reality detection without these limitations bringing to us the risk of extinction and at the same time driving us to positive evolution. Think that humans are like genes. How genes knows to change a fetus into an embryo, if they doesn’t have any design for embryos?

While they are working on the fetus, they have hidden particles-bits-information with the design for embryo. These bits are our neurons, which knows the shape of the next shape of embryo. Then, the bits at genes and neurons at humans take the reality that arrives to our eyes and transform the image into a interface ( the shape of the embryo) before the image arriving to neocortex.

There are no natural risks: the bottles does not belong to the natural world of the beatles, and the statue is not a natural thing in the world of that bull…

I got this hypothesis 30 years ago because my calculations building a new worldview ( The Matrix/DNA cosmovision) were suggesting that “in this Universe is happening a genetic process of reproduction of the unknown thing that triggered the Big Bang as an act of fecundation”. If this theory is right, we, humans are like genes building an embryo of consciousness… we are, like genes, programed to do it, that’s why neurons does what they do. Nature shows as interface the most beautiful template of the embryo instead the most ugly reality of the fetus which is the real environment…











O conflito da Religião com o Acaso na Teoria da Evolução, e a tolerância da Matrix/DNA

Wednesday, October 16th, 2019

xxxx

Randomness and religion

https://en.wikipedia.org/wiki/Randomness

Randomness can be seen as conflicting with the deterministic ideas of some religions, such as those where the universe is created by an omniscient deity who is aware of all past and future events. If the universe is regarded to have a purpose, then randomness can be seen as impossible. This is one of the rationales for religious opposition to evolution, which states that non-random selection is applied to the results of random genetic variation.

Hindu and Buddhist philosophies state that any event is the result of previous events, as reflected in the concept of karma, and as such there is no such thing as a random event or a first event.

Na teoria da Matrix/DNA existe e não-existe randomness. O destino do Universo esta pre-determinado, aqui esta ocorrendo um processo de reprodução genética, o embrião vai nascer e o Universo sera descartado como a placenta ( a não ser que seja possível existir uma força mais potente que o universo, vinda de fora, e interrompa a gestação, pois o ser que fecundou esta gestação não é magico, nem omnipotente, é simplesmente um ser natural). Então num processo de reprodução, todos os passos no aumento da complexidade são interpretados pelos humanos como sendo um processo de evolução, o que esta certo, relativisticamente falando. Se todos os passos estão pre-determinados, não teria lugar para acontecimentos ou estruturas formadas pelo acaso no tronco da arvore da evolução. Mas acontece que em paralelo a arquitetura que esta sendo o objeto da reprodução, o mundo esta se movendo, acontecimentos acontecem… (bah…), chuvas chovem, e as vezes estes acontecimentos penetram a dimensão da arquitetura. Podem causar um repentina mutação genética, mas geralmente são logo descartadas pela Natureza quando não batem com o template, o genoma, sendo seguido. Porem, ainda por acaso, pode ser que um evento ao acaso produziu uma mutação que é exatamente a mutação que a Natureza ia produzir a seguir, e nesses casos, para que a Natureza iria descartar e refazer o mesmo? Creio mesmo que a Natureza nem pode saber o que fé mutação programada ou mutação ao acaso. Não, a mutação ao acaso é selecionada pelo template, que é a forma final da especie sendo reproduzida, e mantida no tronco da arvore da evolução. No conflict with randomness.

xxxx

PESQUISA SOBRE A TEORIA DO ACASO:

Randomness

From Wikipedia, the free encyclopedia
Randomness is the lack of pattern or predictability in events.[1] A random sequence of events, symbols or steps has no order and does not follow an intelligible pattern or combination. Individual random events are by definition unpredictable, but in many cases the frequency of different outcomes over numerous events (or “trials”) is predictable. For example, when throwing two dice, the outcome of any particular roll is unpredictable, but a sum of 7 will occur twice as often as 4. In this view, randomness is a measure of uncertainty of an outcome, rather than haphazardness, and applies to concepts of chance, probability, and information entropy. ( continua…)











Evolution x Intelligent Design controversy: data of pools in USA

Wednesday, October 9th, 2019

xxxxx

https://whyevolutionistrue.wordpress.com/2013/04/25/science-course-at-ball-state-university-sneaks-in-religion/

Mark Joseph
Posted April 25, 2013 at 7:44 pm | Permalink

“You sound as if you would resolve scientific issues in the court of public opinion, but that isn’t the way science works.”

Ah, but the illustrious William Dembski would disagree with you. Here he is babbling in a ludicrous essay entitled “Skepticism’s Prospects for Unseating Intelligent Design” which is chapter 10 in the book of essays “Science and Religion: Are They Compatible?” edited by Paul Kurtz:

“A few years ago skeptic Michael Shermer wrote a book titled Why People Believe Weird Things. Most of the weird things Shermer discusses in that book are definitely on the fringes, like Holocaust denial, alien encounters, and witch crazes–hardly the sort of stuff that’s going to make it into the public school science curriculum. Intelligent design by contrast is becoming thoroughly mainstream and threatening to do just that.
Gallup poll after Gallup poll confirms that about 90 percent of the U.S. population believes that some sort of design is behind the world. Ohio is currently the epicenter of the evolution-intelligent design controversy. Recent polls conducted by the Cleveland Plain Dealer found that 59 percent of Ohioans want both evolution and intelligent design taught in their public schools. Another 8 percent want only intelligent design taught. And another 15 percent do not want the teaching of intelligent design mandated, but do want to allow evidence against evolution to be presented in public schools. You do the arithmetic.”











Why still there are dictators like this video, em Togo? The answer is surprise.

Wednesday, August 28th, 2019

xxxxx

Why the United Nations does not stop these dictators? Because dictators are rich with the predator instinct and all countries are ruled by rich with the predator instinct ( be it communism, capitalism, feudalism, etc.). So, they accept dictatorship as natural. Only those with the prey’s instincts of all countries worry about. But… why not all poor people in the world are joining for fighting dictators? Because the instinct for prey is like predators, extremely selfish, individualist. The unique hope is evolution exorcising humans from these inherited animals instincts. But, evolution works at the astronomic scale of time, so, it will be very slowly…

TED TALKS

https://www.ted.com/talks/farida_nabourema_is_your_country_at_risk_of_becoming_a_dictatorship_here_s_how_to_know

Farida Nabourema

Is your country at risk of becoming a dictatorship? Here’s how to know

Posted Feb 2019











Como ocorre a transformação evolutiva dos sistemas naturais e das especies vivas

Saturday, August 24th, 2019

xxxxx

Pense num tanque ou lago de águas paradas onde cai uma pedra. Olhando desde a margem do lago, portanto de cima da água, você vê a água formando ondas em círculos concêntricos. Imagine que você esta vendo se formar o segundo circulo, no qual você vê como era o Universo a 13 bilhões de anos atras, uma nebulosa de átomos leves, gasosos, e já se formando algumas estrelas de puro gaz. Desse segundo circulo, matéria como poeira e detritos são empurrados para a frente enquanto a terceira onda se forma e quando esta formado o terceiro circulo você vê o Universo como uma aglomerado de galaxias.

Assim funciona o mecanismo natural que transformou um único sistema inicial na origem do Universo em sistemas de átomos, e depois destes sistemas de átomos produziu os sistemas astronômicos, dos quais evoluíram os sistemas biológicos vivos, e destes agora, esta se formando o circulo dos sistemas de consciência pura. A evolução avança através das ondas de complexidade.

Mas como e porque cada novo circulo agrega mais novas informações aos sistemas que vem dos círculos ou ondas anteriores? Porque o Universo tem uma substancia espacial que é formada de uma matéria escura ainda não bem compreendida, que não parece ser formada de átomos e partículas, e no meio, junto com essa matéria escura, existe a onda de luz natural original emitida no momento do Big Bang. Isto significa que alem das ondas dos sistemas, como o resto da água que você vê em volta no lago, existe essa substancia misturada de escuridão e luz. Mas tem um importantíssimo detalhe…

Nos descobrimos ao observar o espectro eletromagnético formado de sete tipos de radiações, cada qual uma cor diferente na mesma sequencia das cores do arco-iris, e cujas radiações são na verdade essa onda de luz original, que ela é como uma coisa viva. A onda de luz universal tem um corpo formado de sete partes funcionais e essa anatomia toda é um sistema completo, funcional, como um ser vivo! Em seguida fomos descobrir que o design desta anatomia da luz é o mesmo design de uma unidade fundamental de informação do nosso DNA…!!!

Em outras palavras, a luz que banha todo o Universo, funciona como o nosso DNA. Como o DNA tem um código encriptado nele contendo todas as informações para construir um corpo humano, a luz universal tem nela encriptado o código para construir um sistema natural universal.

Então na sua embriogênese quando você era apenas um feto, as informações para construir sua forma futura de embrião e ate de criança peralta ou adulto paquerador já estavam ali, `a sua frente, esperando sua vez de entrar na grande obra. O resto da água que circunda em volta da onda que você vê formada pela caída da pedra não tem as informações para construir nada, mas quanto a evolução natural, o espaço a frente de qualquer forma que o sistema esteja, tem as informações que lhe serão agregadas e o transformarão numa nova e mais complexa especie.

Sacou? Não é lindo e gratificante se infiltrar escondido nos labirintos da natureza enquanto ela dorme e não o percebe, e descobrindo seus segredos mais íntimos? isto porque esta Natureza ainda não lhe revelou um mindinho de suas maravilhas, do que ela é capaz de fazer.

Nos, que somos a forma biológica deste sistema universal, estamos no quarto circulo, a quarta onda. Mas a luz completa tem sete ondas, sete camadas de complexidade, como sete são as cores do arco-iris. A diferença entre o que faz uma onda e a sua seguinte é fantástica. Olhe a diferença entre um átomo e uma galaxia, ou a diferença entre uma galaxia e uma célula viva!. Nos estamos na quarta onda. daqui vamos para a quinta. O que sera de nos na quinta? O que esta quarta onda esta ensaiando fazer a partir de nos – um sistema de auto-consciência, sei la de que tipo de substancia! – da para saber que não temos a menor ideia de como seremos na quinta. E depois… ainda vem a sexta, a sétima…

Coitado dos arrogantes que clamam aos quatro ventos que já sabem tudo… Eles sabem que botando fogo na Amazônia, eles e seus herdeiros serão mais ricos e mais felizes no futuro…

… pois eu não sei de nada, e não tenho a minima ideia, man…

Então estou em melhor situação que eles. Cada nova descoberta, cada novo insight da imaginação, como esse agora notando a semelhança entre as ondas na água e as ondas da luz natural… quase divina… nos proporciona uma alegria imensa, a qual nunca sera experimentada por quem já sabe de tudo…











Evolutionary Accelerator : mais um website/movimento social apoiado pela Matrix/DNA

Monday, July 29th, 2019

xxxxx

Evolutionary Accelerator

https://www.evolutionary-accelerator.com/

Evolution science is revealing that humanity has a critical role to play in advancing the evolutionary trajectory of life on Earth.

It reveals that the next great step in the evolutionary trajectory requires humanity to envision and build a cooperative, sustainable and evolvable global society to ensure its continued success and survival.

This platform intends to accelerate the advancement of the evolutionary trajectory. It does so by bringing together people who are developing practical initiatives to advance evolution with others who might be interested in contributing time, skills and other resources to these initiatives.

If you are looking for opportunities to consciously and intentionally contribute to advancing the evolutionary trajectory on Earth, you are in the right place.

People tend to be motivated to advance evolution once they understand the emerging science-based evolutionary worldview and its implications for humanity. This evolutionary worldview is capable of providing meaning and purpose for human existence, both for individuals as well as collectively.











Para micróbios, imagens ofuscadas de nebulosas de gaz da Via Láctea.

Thursday, July 25th, 2019

xxxxx

Avatar

Como um microbio situado numa célula dentro do corpo humano veria as coisas e órgãos longínquos a sua volta: nuvens de átomos aparentemente sem sentido… é como estamos vendo o mundo longínquo a nossa volta. Descobriremos um dia que não são meras formas sem sentido, mas sim, formam sistemas funcionais, quase-vivos? Apenas estamos vendo coisas que refletem luz e vibram apenas numa das sete faixas do espectro da luz e mais algumas nebulosas imagens da dimensão vizinha captadas pelo sensores para Raios-X do Chandra.

Obviamente estas galaxias tem que serem muito mais complexas do que imaginamos, senão não teriam a capacidade de se reproduzirem como as complexas células da vida dentro delas próprias. Foi pensando nisso que iniciei uma investigação própria por um método contrario ao aplicado pelas ciências oficiais: calculando a evolução ao inverso, iniciando pelo que conhecemos existindo aqui e agora e retornando no tempo ate o Big Bang. E sim, tive que recalcular e obter novos modelos teóricos dos sistemas astronômicos e atômicos para se justificarem como inseridos nesse tronco da arvore da evolução universal. E sim, ao contrario de tudo que podia imaginar, meus modelos estão sugerindo que galaxias e átomos possuem uma cobertura de fenômenos biológicos, o que os tornam quase-vivos. Veja no meu avatar como, por exemplo, as diferentes formas dos astros surgem de um único astro, do mesmo processo do ciclo vital que produz as diferentes formas do seu corpo. E entenda porque nossa tecnologia e medicina ainda estão tao atrasadas a ponto de manter 90% da população mundial torturada neste absurdo ciclo da miséria. Veja como a Natureza la fora em estado de ordem resolve as imperfeições do nosso estado de caos.

Quase-órgãos, ancestrais simples de estômagos, figados, corações… conectados metabolicamente por processos mecânicos, isso pode ser o que estão constituindo essas imagens que meus pequeninos olhos atrelados a um pobre e pequenino cérebro dentro de um microbio cósmico podem ver, estarrecidos, incrédulos e maravilhados.

Via Láctea: divulgadas novas imagens da galáxia

From Chandra X-ray Observatory

From Chandra X-ray Observatory











Teoria Darwiniana x Cambrian Explosion

Tuesday, July 23rd, 2019

xxxx

Ha 540 milhões de anos atras apareceram grande quantidade de novas especies sem evidencias de terem vindo pela evolução das especies anteriores. No quadro abaixo se nota a diferença dos dados em fóssil record entre Cambrian e pre-cambrian. Isto esta sendo usado com insistência pelos contra-evolucionistas como “prova” de que evolução não existe. na teoria da Matrix/DNA, no entanto, isto não é problema para manter a teoria de que evolução existe. Senão vejamos:

– A Matrix/DNA sugere o modelo anatômico de LUCA, como building block de sistemas astronômicos;

– A Matrix/DNA sugere um mecanismo entropico pelo qual fragmentos de LUCA – que consistem nos bits-informação do corpo de LUCA – são espalhados no espaço sideral e por vários tempos diferentes:

– A Matrix/DNA, baseada no mecanismo genético, sugere o mecanismo pelo qual estes bits-informação caem nas superfícies de planetas e tentam reconstruir o mais próximo possível o sistema astronômico de onde vieram;

– A Matrix/DNA sugere como a entropia ataca inicialmente a periferia do corpo de LUCA. A partir da periferia vai se desprendendo bits cada vez mais internos ate alcançar o centro nuclear do sistema. isto implica que informações diferentes relacionadas a diferentes estágios da reconstrução de LUCA chegam aos planetas em pacotes em tempos e lugares diferentes.

– Assim a Matrix/DNA sugere todos os passos que seriam suficientes para provocar a explosão cambriana.

– A mesma explicação serve para elucidar as novas especies, como os primatas, que surgiram a 65 milhões de anos com a queda de meteoritos: meteoritos, por estarem no espaço sideral recebem em tempos e lugares diferentes, diferentes informações chegadas a Terra.

Vejamos como argumentam os anti-evolucionistas:

The Cambrian explosion of life has long been a major hurdle for the naturalistic theory. The fossil record shows the first three quarters of the earth’s history to have nothing but very simply structured organisms. Then all of the sudden, 542 million years ago, vast quantities of complex creatures emerged without any of the evolutionary precursors demanded from Darwin’s theory.

In fact Darwin himself was perplexed by this event and in his book stated; “It’s as though they were just planted there without any evolutionary history”. He concluded that the fossil record was incomplete and said “To the question of why we do not find rich fossil deposits belonging to these…periods prior to the Cambrian system, I can give no satisfactory answer”. This fact caused great doubt in Darwin’s mind. He proposed that the fossil evidence was yet to be found and that without it his theory would collapse.

Since publishing his book, “The origin of species”, there have been new discoveries. Advanced life forms from the Cambrian era were discovered all around the world. However the findings only served to refute Darwin’s theory as there was no evolutionary species found for the Cambrian animals.

It is clear that the fossil record does not support Darwin’s theory of a common ancestor but in fact it undoubtedly refutes it. Yet the Cambrian explosion is not even mentioned in many text books and when it is mentioned it is not presented as evidence against Darwin’s theory but instead as an event that requires no further justification.

Similar situations also occur throughout time including the period after the extinction of the dinosaurs 65 million years ago. This is where many modern animals, including primates, appear without any evolutionary evidence.

From observing the fossil data of the pre Cambrian period we should find evidence of evolution and a common ancestor as predicted by Darwin. We find no such evidence therefore, as Darwin himself knew, the theory is falsified. It also fails both criminal and civil legal standards of evidence.

But,… don~t forget that there are evolutionists, and they does not accept any assumption from the arguments above. Only as example, look haow they answer the text above:

BY CARWINIAN’S EVOLUONISTS

I was impressed that you intend to use the ‘highest standard of evidence” in you arguments but you then spoiled it by immediately not using any standards of evidence at all.

Just taking your very first example of “A false representation of an evolutionary tree that would be typically presented as factual to young school kids“ you need to show, ‘with the highest standard of evidence’ where that diagram is used in schools, to whom and when, then show where it is wrong and why any errors might give a fatally false impression to its intended audience. Finally you have to show why it affects the ToE’s validity as settled science.

Maybe when you’ve done that to everyone’s satisfaction, you can move on to your second claim.