Archive for the ‘Discoveries by Matrix/DNA’ Category

Fractal Universal : plano para desenho

Sunday, April 11th, 2021

Xxxx

FRACTAL UNIVERSAL

Frases preferidas pela Matrix/DNA

Sunday, March 28th, 2021

“A primeira condição para modificar a realidade consiste em conhece-la.” – Eduardo Galeano

Justamente o que pensei na juventude quando decidi que não suportaria o que a humanidade fez e estava fazendo de sua existência, então fugi para viver isolado no meio da selva. Lá tive a intuição de que o mundo urbano era artificial e falso, e assim essa mentalidade gerada e crescida nele. Decidi que investiria o que me restava da vida na selva investigando na natureza bruta e virgem a visão ou interpretação do mundo que gerou essa mentalidade. Então na investigação comecei a perceber que as interpretações humanas dos fatos e fenômenos e eventos naturais estavam erradas, fora da realidade. Se consertassem essas interpretações, sincronizando-as com a realidade, deveriam mudar a mentalidade doentia. Então tinha que levantar e provar que novas interpretações eram mais racionais, mais logicas, mais de acordo com as experiências reais humanas, tinha que mostrar os absurdos nas velhas interpretações ( como a inexistente separação dos sistemas naturais em vivos e não-vivos, etc.) , desconstruindo a velha cultura milenar. Assim surgiu e se desenvolveu a cosmovisão da Matrix/DNA. De fato, antes de mudar o mundo humano, e para mudar o mundo humano, é preciso antes conhecer a realidade. Parabéns, Mr. Galeano.

O clitóris e a anatomia do pênis partilham a mesma origem embriológica e cosmológica

Friday, March 19th, 2021

O clitóris e a anatomia do pênis partilham a mesma origem embriológica.

Pense fora e além da doutrina educadora que doutrina você.

A pergunta racional ao ver isso é: Como e de onde a Natureza tirou a ideia para fazer isso, essa fantástica engenharia?

O procedimento correto é buscar a resposta onde? Ora, claro, na Natureza, e no tempo passado anterior de quando ela criou isso. Como Ela não é magica, os ingredientes e os processos, mecanismos, para criar isso tem que estarem presentes nela mesma no momento e estado do mundo daquela época.

Como estavam estes dois órgãos na primeira célula, hermafrodita? Pelo que sei ninguém buscou porque a doutrina impede raciocinar com a lógica natural, então está aí sua oportunidade de pesquisar como cientista ou apenas filosofo pensador.

Em seguida, quais eram as substâncias, as forças naturais e as arquiteturas naturais existentes a 4 bilhões de anos que já tinham em si todas as informações para criar isso? Tinha um planeta dentro de um sistema solar dentro de uma galáxia. Onde estavam os protótipos do pênis e do clitóris? Ninguém perguntou isso, você terá muito trabalho a fazer.

Eu tentei fazer tudo isso e cheguei a surpresas estonteantes. Primeiro, você vai notar que os modelos teóricos astronômicos, as teorias das origens e funções dos astros, etc., ensinadas nas escolas estão todas erradas porque estes modelos não poderiam ter produzido os sistemas biológicos, aka, a vida. É como o modelo geocêntrico nas escolas medievais estava todo errado. A evolução começou com a origem do Universo e não na Terra. Tudo que existe de fenômeno natural veio sendo desenvolvido passo a passo desde o Big Bang.

Resumindo, meus resultados indicaram como protótipos do pênis e do clitóris era um mesmo fenômeno natural (no meu website tem artigos explicando os pormenores): gigantescos vulcões em planetas velhos chamados de pulsares emitindo magmas que continham as informações do astro que se tornavam cometas e depois os espermatozoides. O órgão feminino veio do vórtice nuclear que se forma em toda nebulosa estelar e que gera as sementes dos novos astros, tudo igual nossa embriogênese. E daí por diante, ao se ver a luz clara do mundo com os olhos puramente naturais e a razão pura construída pela Natureza, muda sua mente totalmente. As Ciências Humanas ainda está aí toda para ser corrigida e desenvolvida. Você se habilita?

Uma fração do Grande Pecado Original no DNA de cada ser humano

Wednesday, March 17th, 2021

xxxx

Albert Camus:

“Quando formos todos culpados, será a democracia.”

Louis Charles Morelli:

” Onde todos são culpados, todos forçosamente aprendem a não repetirem o mesmo erro da culpa. E o princípio da autocura. A Humanidade (e esta biosfera inteira) hoje, é o produto de um grande equívoco do seu livre-arbítrio quando existia na pele de um único antepassado bilhões de anos atrás.

Foi o maior erro, a maior transgressão que se pode cometer contra as Leis Naturais deste Universo: o extremo egoísmo tornando o ser num sistema fechado em si mesmo, fechando as portas `a sua própria evolução. Descobri isso ao focalizar a ponta última do DNA de hoje e descer na sua história vendo a evolução ao reverso, e assim cheguei neste ancestral, vi a sua Queda, justo como sistema fechado, e como caiu na superfície deste planeta na forma de micro-organismos.

Hoje cada humano tem uma fração (0,0000001%) do total desta culpa registrada no DNA. Assim todos enfrentam os maus efeitos dos outros 99% do erro que está no resto dos humanos, e ao se indisporem contra cada fração do defeito em outro humano, no fim acabam por odiar o defeito inteiro, e quando isso acontecer, todos serão desinfetados, exorcizados, e assim livres novamente para reencetar sua evolução suprema. Mas também todos tem sua fração do Acerto, da Verdade, que veio da nossa Fonte Geradora. E isso foi descoberto por um método logico, racionalista…

Calvin Cycle e a Formula da Matrix/DNA: Maravilhas da Formula Criadora

Wednesday, December 2nd, 2020

Como a formula Matrix/DNA para sistemas naturais e ciclos vitais montou o Calvin Cycle? BASTA VER A SEGUNDA FIGURA AQUI PARA ENTENDER TUDO!

O processo da fotossíntese se divide em duas fases. Uma é chamada de fase clara, porque se dá na presença da luz; a outra é a fase escura, porque ocorre no interior da folha, sem luz. Esta segunda fase é o Calvin Cycle.

Um artigo completo explicando o Calvin Cycle pode ser visto no Wikipedia ou melhor no link: https://www.eartheclipse.com/biology/calvin-cycle.html

1) Figura do Calvin Cycle

Superpondo o objeto real criado ( o Calvin Cycle ) sobre o template gerador que é a formula Matrix/DNA, temos:

This image has an empty alt attribute; its file name is Calvin-Cycle-no-paint-1024x666.png
Calvin Cycle e a Formula Matrix/DNA

Recordando uma das figuras da formula:

The Universal Matrix/DNA as Closed System

F1 fica no local Stage 1, carbon fixation, depois que entra ” 3 molecules CO2″ na folha através dos poros chamados stomata. Ali existe uma molécula que é a receptora inicial de NADPH and ATP, os quais vem da primeira fase da fotossínteses que é outro ciclo. Este receptor (acceptor, porque F1 é função inicial receptora que inicia a mistura das matérias primas e gera o embrião do sistema ) é chamado RuBP: ribulose-1,5-bisphosphate (RuBP), a five-carbon acceptor molecule. Observe que no final do ciclo, no Stage 3, começa a ocorrer a regeneração de RuBP, da mesma forma que no sistema astronômico os fragmentos de F7 se reúnem num ponto para refazerem o vórtice nuclear.

Partindo daí deduzimos que o Stage 2 representa as funções F2, F3, F4. Observa-se que o produto final, 3-carbon sugar é emitido onde deve estar F4, onde fica a função masculina emitindo seu “espermatozoide” que tanto pode ser a energia e informação a fecundar F1 ( sistema fechado) ou pode ser energia/informação atirada para fora do sistema ( sistema aberto).

Temos então a novidade, o curioso caso em que um sistema perfaz-se como fechado e aberto ao mesmo tempo. Fechado porque ele mesmo fornece o material para refazer sua fonte inicial, e aberto porque ele recebe e fornece, ou seja faz trocas com o exterior.

Mas como isto é possível? Eu nunca vi sistema semelhante antes, ou não notei que outros sistemas também fazem isso. A explicação é que o sistema não é realmente fechado, como também não é realmente aberto. Em resumo, pode-se explicar com uma analogia de dois grupos de três passageiros humanos num veiculo:

Existe uma estrada circular, formando uma esfera, onde permanentemente roda um veiculo, com 3 pessoas. A certa altura, o veiculo para e recolhe 3 pessoas que pedem carona. Ficam 6 pessoas. Antes do veiculo chegar novamente ao ponto onde as 3 caronas entraram, elas saltam do veiculo, e correm a pé na frente, para reentrarem quando as três caronas desembarcarem… isto porque naquele trecho terá que ser feita uma tarefa da qual o grupo carona é especialista. Aquele trecho que fica no inicio e no final de uma volta, sempre terá apenas 3 passageiros. Essas voltas do veiculo com 3 pessoas representa o sistema fechado, que foi aberto no meio da volta e voltou a se fechar, sem afetar nada na chegada. E qual a evidencia para esta teoria? Está aqui: ” An enzyme called RuBP carboxylase/oxygenase or rubisco would catalyze the attachment of carbon dioxide to the RuBP. This process would make a six-carbon compound. But because the said compound is unstable, it would quickly split into two molecules of a three-carbon compound which is called as the 3-phosphoglyceric acid or 3-PGA. Hence, for each of carbon dioxide that would enter the cycle, two 3-PGA molecules are formed.”

Two 3-PGA … São dois grupos de 3 passageiros.

Mas sentimos aqui algo muito mais profundo e complexo acontecendo. E parece-me que a nível quântico! Pois um sistema fechado é estável, sempre. Se qualquer de suas partes se tornar instável – por alguma perturbação externa – o fluxo ou parte dele se desvia da lógica do ciclo vital, o que significa que não vai chegar o material necessário em F1 para reiniciar a auto-reciclagem. Mas neste sistema, ele já se torna instável logo após a partida do fluxo de F1. Como se seu corpo começasse gordo em demasia de maneira que o veiculo, muito pesado, não rolaria para perfazer o circuito. Mas quando o veiculo começa a falhar logo depois da partida, quer queira, quer não queira, o sistema será invadido por outro gordo, que vem de fora. Mas ao invés do invasor entrar no veiculo, empurra-o. E só pára quando termina o stage 2. O invasor entra como a molécula “NADO” e sai na forma de glucose. Tudo bem, não vemos nenhum dedo da quântica nisso, é perfeitamente racional pelas leis da física clássica. Mas…

E se o sistema não tivesse partido instável? Ele não pode evitar a invasão que sempre ocorrerá no meio do trajeto. Se o gordo invasor tivesse entrado no veiculo, todo o sistema teria desmoronado. Então para que o sistema sobreviva ele precisa se tornar instável logo na partida. Mas como, na partida, o motorista do veiculo sabe que vai ser atacado no futuro?!!!

O fluxo nada pode saber do futuro, assim como as aguas de um rio não podem saber que lá na frente vai desaguar sobre ela as aguas de outro rio que também vem correndo na direção do mar.

O FENOMENO QUANTICO DA “ESCOLHA RETARDADA” SE MANIFESTA NO CALVIN CYCLE?

Esta estranha surpresa nos lembra imediatamente o mesmo problema chamado de “escolha retardada” que ocorre na dimensão quântica, e que foi meu assunto a uns dois ou três artigos atrás. No qual o acaso que vai ocorrer no futuro determinou a logica do que ocorreu no passado…. Os caras ficam observando o canhão emitir um feixe de fótons que saem na forma de partículas e perfazem um circuito. Aí resolvem brincar com os fótons e faze-los quebrarem o nariz num paredão. Devido a se moverem na velocidade da luz, não é possível colocar a barreira no circuito depois que os fótons foram disparados. Então colocam a barreira antes e disparam o canhão. Os fótons atravessaram a barreira. Como? Repetem a experiência, Vamos focar na barreira como fazem isso. Aí descobrem estupefatos que os fótons não vinham como partículas e sim como ondas, as quais atravessam facilmente a barreira. Mas como vinham como ondas se saíram como partículas? E porque quando não colocamos a segunda barreira, os fótons saem como partícula e continuam como partícula até o fim? Vamos focar a boca do canhão de onde saem estes fótons. Sem barreira, saem como partículas. Quando botam a barreira, saem como ondas.

Como é que os fótons adivinham que lá no futuro vão encontrar outra barreira e por isso precisam serem ondas? E no Calvin Cycle, como é que os carbonos sabem que devem entrar em numero de seis, o que parece suicídio, na forma instável, porque lá na frente vai chegar algo que se os encontrassem na forma estável estariam todos mortos?!!!

NÃO EXISTE DE FATO A DUALIDADE SIMULTANEA DE UM OBJETO COMO ONDA E PARTICULA ?

Para mim, a formula da Matrix/DNA está sugerindo uma solução que me parece lógica. É uma solução parecida com a epigenética. E vem reforçar uma suspeita que venho pensando a tempo e que escandalizaria os cientistas da teoria quântica: “Não existe essa dualidade onda/partícula. Claro que essa ideia tem minado toda a nossa racionalidade, pois ela não existe de fato. O que existe, no experimento acima, é uma partícula fóton se movendo junto com seu background, seu fractal maior, que é um campo que é onda, como se fosse um campo eletromagnético. Acontece que essa onda é luz a luz original de onde vem os fótons, e os fótons são miniaturas da onda, eles contem tudo o que a onda completa contem, com seus sete estágios vibracionais. E acho que isso explica também o ainda desconhecido comando de instruções do DNA. A formula está ali materializada em carne e osso, mas ela continua junto como luz.

A MATRIX/DNA, ENQUANTO ONDA DE LUZ, É ATEMPORAL?

A onda é atemporal ( passado e futuro colapsam a um ponto que é o presente, então, sempre existe apenas o presente) portanto antes do fóton partir, a onda já sabe qual será sua futura trajetória. Se a onda sabe que terá a segunda barreira, ela modela o fóton para se comportar como onda. Essa ideia me veio do meu modelo teórico do átomo, quando procurava descobrir como a formula Matrix/DNA ( que é a onda que estamos falando) construiu os sistemas atômicos. Sendo o primeiro molde evolutivo do sistema universal, o átomo foi feito mais como template do que objeto real. O template está circunscrito nas sete camadas eletrônicas, cada camada sendo uma das partes da formula. Elas são campos abstratos de força, ou luz, e apenas emergem como objetos se tocadas por um elétron. É como se um corpo humano fosse invisível e quando tocado em algum órgão, ou mais alguns, estes órgãos se materializassem sendo visíveis… com o resto do corpo permanecendo invisível. E isso resolveria as contradições entre o modelo teórico de Rutherford, onde elétrons circulam o núcleo como partículas, e o modelo teórico quântico, onde os elétrons aparecem como ondas difusas. Ora, a partícula elétron continua, mas agora também a camada eletrônica correspondente a onda se manifesta, por isso os observadores veem como onda.

( Pesquisa a ser continuada)

A intuição e seus efeitos como invenção e criatividade: uma necessária releitura de Henry Bergson.

Monday, November 30th, 2020

https://www.instagram.com/estante.filosofica/

Consegui hoje colocar no papel de forma mais organizada o meu entendimento mental do que são aquelas intuições que sempre me ajudaram a montar minha cosmovisão. Fui inspirado a fazer isso ao ler um post no Instagram, sobre o filosofo Bergson, no link:

Como vitima de algumas intuições fantasmagóricas com elevado potencial criativo, fiquei curioso em saber de onde vem a intuição, e por isso na minha juventude trombei com Bergson, sem no entanto ler nenhum livro completo dele. Nunca entendi porque ele gastava tanto miolo com a questão do tempo (uno e interpenetrado, não é? ) e ficar discutindo com mecanicistas. Mas a sua coloração metafisica-espiritual da intuição me influenciou na minha teoria da intuição, e consequente invenção, criação.

Como um filosofo que juntava todos os fatos e eventos conhecidos empírica e cientificamente e pelo método da analise e anatomia comparada, eu tentava montar o grande quebra-cabeças, vi minha investigação ser interrompida muitas vezes por questões sem possíveis soluções, mas depois de dias e noites irado pensando no problema, numa bela manhã acordava com um quadro desenhado na mente que era uma logica incrível solução.

Por exemplo, em certo momento a questão era: ” A vida surgiu dentro deste sistema solar feita com forças e elementos de um planeta e uma estrela. Quais as forças no sistema solar que executavam funções parecidas com as funções das propriedades da vida? Onde e como o sistema solar realiza algo que evoluiu para metabolismo, digestão, reprodução, código genético, etc?”

Fiquei semanas remoendo isso, devassei o sistema solar varias vezes, e nada. Quando já estava concluindo que não queria mais viver sem estas respostas, que nunca saberia porque e para que vivo, fui para a selva amazônica, e numa bela madrugada vendo o céu estrelado, os astros realizaram uma dança no meu cérebro. Correndo pequei lápis e papel e fui desenhando… No final tinha um modelo astronomico onde os sete tipos de astros conhecidos se conectavam de tal maneira que realizavam todas as funções vitais!

Em outra interrupção veio a súbita intuição de que uma onda de luz se propaga no tempo e espaço da mesma maneira que meu corpo, a partir da fonte que foi minha mãe, vem se propagando no tempo e espaço! Ou seja, ondas de luz natural trouxeram para este Universo o processo do ciclo vital…

E pior: a anatomia da onda de luz bate exatamente com o retrato falado e calculado do comando de instruções no DNA! Assim, de intuição a intuição formulei a nova cosmovisão que está no meu website. Então penso que a intuição é produto de informações que estão registradas na memoria do DNA, mais exatamente no dito “DNA-lixo”, que surgem como flashes na mente. Desde que nosso DNA tem 13,8 bilhões de anos e passou por todas as formas de sistemas naturais – de átomos a galáxias a bactérias – nós temos em nós o conhecimento de toda a matéria deste Universo, todos seus movimentos, suas origens, tudo no tal tempo colapsado numa duração simultânea que bem intuiu Bergson. Quando Bergson defendia o tempo qualitativo metafisico e criticava o tempo físico mecanicista, ele percebeu que uma intuição é um colapso brusco da historia em que passado e futuro coexistem num momento presente. Ele só não tinha o conhecimento biológico e astronomico atual para perceber que isto define o código genético: o passado deste mundo está todo registrado no ponto onde também estão registradas as informações para o futuro da arquitetura que ele está construindo.

Mas obrigado pelo post, pois você me alertou que preciso arrumar tempo e reler Bergson, agora seus 5 livros, por completo. Pois na juventude não entendi quase nada e rejeitava aquelas idéias metafisicas e espirituais, as quais, agora bem entendo, são puramente naturais, que tem como causa uma luz, que funciona como um genoma…metafisico, pois sua fonte veio do antes do Big Bang.

O cérebro é o circuito de um sistema perfeito, o corpo, outro igual circuito: alterações no circuito corporal são detectadas no circuito cerebral, como dores, sensações. Nova sub-teoria da Teoria Geral da Matrix/DNA

Saturday, November 28th, 2020

Nem meu cérebro nem eu (como ego ou consciência), nunca vimos meu fígado, meu coração, nem meu estomago. Meu ego, ou consciência, sabe que tenho estes órgãos, qual a forma deles, e onde estão localizados, porque vejo figuras destes órgãos em outros corpos iguais ao meu. Mas o cérebro não pode saber nada disso, ele nunca recebeu sinais visuais, tácteis ou sonoros destes órgãos. Então, como o cérebro avisa meu ego que está ocorrendo má digestão no estomago, ou seja, alguma azia, e com um tipo de aviso ( na forma de dor) bem especifico, ou seja, aquela dor que imediatamente relacionamos à azia?!

Exemplos de que o cérebro nem sabe que ele tem – ou está ligado – a um corpo, são muitos. No vídeo com link abaixo, são mostrados alguns exemplos. Outro exemplo é o que acontece com crianças recém-nascidas. No inicio elas não controlam os movimentos de mãos e pernas. A certa idade elas ficando olhando para as mãos e os pés, curiosas, e uma mão pega, apalpa, sente a outra, pega um pé… só então a criança começa a ver que que aqueles membros não são como os outros objetos que ela vê – o berço, o brinquedo, etc – porque elas percebem que podem mover estes membros pela simples vontade de movê-los. Só então passam a ter controle deles, a aprender a andar, etc. Mas o que percebeu isso foi o ego, não o cérebro: para este, não tem diferença entre os diferentes objetos externos.

O cérebro tem extensões, denominadas “nervos”. Mas um nervo que desce pelo pescoço, ou sai da medula espinhal, atravessa larga área escura, passa pelo fígado, não vê nada, e o cérebro não pode saber onde ele está, são como tentáculos de um polvo cego no fundo escuro do oceano. Nervos que passam pelos dedos que sofre um ferimento são afetados naquele local, mas o cérebro, que nem sabe o que tem dentro dos dedos e em volta daquele nervo, nem a qual distancia o ferimento está, etc., jamais poderia saber que um dedo está sendo cortado.

No entanto, a realidade mostra que ele avisa o ego que o dedo está sendo cortado, mesmo que eu também esteja num oceano escuro sem ver meus dedos.

Neste vídeo, é ensinado como estão as ultimas pesquisas e mais atualizadas teorias dos cientistas. A teoria pode ser resumida neste trecho do seu discurso:

Aos 12:38 s – ” As experiências do corpo a partir de dentro são bem diferentes das experiências do mundo à nossa volta. Ao olhar à minha volta, o mundo parece cheio de objetos, mesas, cadeiras, mãos de borracha, pessoas, vocês todos…inclusive meu próprio corpo. Posso percebê-lo como um objeto externo. Mas as minhas experiências a partir de dentro do corpo não são assim. Não percebo meus rins aqui, meu fígado aqui, meu baço. Não sei onde fica meu baço, mas fica em algum lugar. Não percebo minhas vísceras como objetos. Na verdade, nunca as percebo, a não ser que haja algum problema com elas. E isso é importante, eu acho. A percepção do estado interno do corpo não tem a ver com saber o que está lá, mas tem a ver com controle e regulação, com manter nossas variáveis fisiológicas dentro dos limites necessários para nossa sobrevivência. Quando o cérebro se utiliza de palpites pra entender o que está fora, percebemos os objetos como causas das sensações. Quando o cérebro se utiliza de palpites para controlar e regular coisas, vemos o quanto esse controle está indo bem ou mal. Então, nossas experiências mais básicas de sermos um ser, de sermos um organismo corpóreo, estão profundamente arraigadas nos mecanismos biológicos que nos mantêm vivos. E, quando seguimos essa ideia, começamos a ver que todas as nossas experiências conscientes, já que dependem do mesmo mecanismo de percepção por palpites, vêm de uma necessidade básica de permanecermos vivos. Vivenciamos o mundo e a nós mesmos com, por meio de, e por causa dos nossos corpos vivos.”

Sinceramente, não entendi nada. Para mim, ele enrolou, escapando como os políticos escapam recorrendo a recursos de retoricas que nada dizem para enganar os eleitores de que elas sabem o que estão falando, mas o leitor que não sabe porque não tem inteligência suficiente, deve docilmente aceitar aquela verborreia como sentença definitiva. Ele não apresentou filmes animados mostrando o que são “variáveis fisiológicas, mecanismos biológicos que nos mantem vivos, ou por qual mecanismo o cérebro calculou a região e o local do nervo dentro do dedo, e como, por qual sinal, o cérebro materializou sua percepção em substancia mental para que minha consciência se inteire disso, e etc.”

Sei que minha inteligência é fraca, e posso até aceitar que é mais fraca do que o normal entre humanos, por isso, peço a alguém que tenha entendido e saiba traduzir isto numa outra forma de linguagem que ei entenda melhor, talvez nem precise mostrar os experimentos científicos que revelam estas variáveis fisiológicas, estes mecanismos biológicos, como são, fisicamente, estes controles de regulação… que pelo jeito, teriam que ser controles remotos, dada a distancia e separação do cérebro e o corpo.

Mas os cientistas mencionaram duas palavras que me impressionaram: controle e regulação.

Isto me lembrou imediatamente a minha Teoria Geral da Matrix/DNA, a sua formula universal, e me fez correr a calcular uma nova sub-teoria.

A Matrix/DNA diz que existe uma formula natural de todos os sistemas naturais. Essa formula é vista no corpo, do pescoço para baixo, e outra vez, como forma do cérebro, pois são dois sistemas naturais. Então ela sugere que somos duas cópias do sistema universal, uma como corpo e outra como cérebro. O cérebro foi construído evolutivamente como auto projeção do corpo, desde as bactérias, iniciando por sistemas nervosos muito simples. E diz que todos os sistemas naturais são como fractais em diferentes tamanhos, uns dentro de outros, numa universal hierarquia de sistemas. Acima de todos os fractais existe o fractal perfeito universal como template de todo este Universo, uma espécie de genoma da fonte geradora deste Universo. I sentido da existência destes fractais menores, como nós humanos, é serem moldados pela evolução e crescerem para se empalharem com o genoma divino. Assim como aconteceu entre seu corpo e o de seus pais. Para lembrar e fixar melhor a nossa mente vamos trazer a formula para cá:

Se esta formula está como template tanto do cérebro como do corpo, seus órgãos principais do corpo correspondem a seis regiões ou glândulas do cérebro. No corpo, F1 deve ser o coração, no cérebro sabemos que é o hipocampo. E assim por diante. No cérebro as partes todas são fixas, não se móvel e não realizam funções metabólicas, então no cérebro a formula é fielmente estabelecida e imutável. No corpo as partes executam funções metabólicas, podem ter seus estados variados. Enfim, o que interessa mais na formula é o fluxo de informações do sistema inteiro que corre no circuito esférico. Sendo a mesma formula na forma de dois fractais e estando os dois interconectados, podemos supor que estão alinhados, encaixados, superpostos, como ocorre na superposição quântica. E devemos supor que qualquer saída da anormalidade, qualquer influencia negativa em qualquer órgão ou ponto do circuito do corpo, causará uma perturbação local da energia fluindo no circuito. Assim, qualquer perturbação num ponto do circuito do corpo, será imediatamente percebido como alteração ou desvio ou bloqueamento da energia no mesmo ponto do circuito do fractal cerebral.

O cérebro não diz ao ego que está doendo o pulmão. O cérebro não sabe que existe pulmão. E o pulmão por si só não tem e não sente dor. E quem está conectado com o ego, ou consciência, não é o pulmão, e sim o cérebro.

No emaranhamento quântico, qualquer alteração numa partícula repercute e produz alteração imediata na sua contraparte que pode estar a milhas de distancia. Então quando existe bolhas de sopro/água perturbando o pulmão, o cérebro retira o ponto correspondente de seu circuito de contato com o ego e cede lugar ao mesmo ponto de circuito que corresponde ao pulmão. Assim o pulmão entra em contato direto com a mente. E a mente sente a dor localizada e característica do pulmão.

O cérebro deveria ter o poder de impor a correção do seu circuito sobre o ponto correspondente doentio no corpo. Isto seria uma espécie de epigenética, e tem evidencias sugerindo que de fato pode acontecer. Com a evolução, talvez nossa mente, através do cérebro seja assim capacitado a nos curar.

Na minha mente – acostumada a 30 anos a lidar com esta formula – a figura se desenha com clareza, a superposição dos fractais, mas entendo que ao leigo no assunto, fica difícil de ver o quadro mental. Se tiver tempo e melhores recursos computacionais aqui vou fazer o desenho que tenho na mente desta superposição e adiciona-lo neste artigo. Por ora, fica registrado maus um ramo de pesquisa a ser refletido e desenvolvido.

O vídeo é muito bom, pode ser escolher a legenda em português, e até ver o transcript. Mas a mensagem final, a meu ver, é obscura, mostrando que a uma certa ideologia está falando mais que a ciência real. Isto se nota no inicio quando dizem que : ” antigamente se acreditava que a vida foi feita por magicas, hoje já sabemos como foi feita pela física e pela química…” Novamente o escapar pelo reino das palavras humanas que são desconectadas da realidade captada pelos nossos censores e pelos instrumentos científicos. Para a Natureza não existe isto de física e química, não existe separação nos eventos naturais de isto pertence a uma área, e isto a outra área, ali tudo é uma coisa só é natureza. Física e química se tornaram duas palavras representando entidades magicas que criaram as propriedades vitais e toda a vida em si. Onde estavam – nos átomos do planeta terra, no sistema solar e nesta galáxia, as forças e elementos naturais que convergiram para a superfície terrestre e entre suas ações e reações produziram a vida? Não venham me enrolar com palavras que, tendo a Natureza como observadora, nada significa. E este salto da realidade para o mundo das ideologias, sejam deístas ou materialistas, que foi aplicado ao fenômeno da vida, estão agora aplicando-o ao fenômeno e maior mistério de todos os tempos que é a autoconsciência…

Your brain hallucinates your conscious reality | Anil Seth

FIM 

Incrível: a formula da Matrix/DNA me conduz a sugerir uma solução para o maior mistério da Física Quântica! (Claro que devo estar errado mas esta solução seria elegante demais)

Friday, November 13th, 2020

Sobre: O Experimento da Escolha Retardada

Inspirado no Artigo: Onda ou partícula? Experimento testa natureza dos objetos quânticos

http://Onda ou partícula? Experimento testa natureza dos objetos quânticos

http://sbfisica.org.br/v1/home/index.php/pt/

Sociedade Brasileira de Física

xxxx

O desenho abaixo explica o experimento proposto num artigo na revista Physical Review Letters, pelos físicos Rafael ChavesGabriela Lemos e Jacques Pienaar, todos pesquisadores do Instituto Internacional de Física (IIF) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em Natal. A novidade do experimento é que é uma modificação do chamado experimento da escolha atrasada, concebido em 1979 pelo físico norte-americano John Wheeler (1911-2008), justamente para testar a realidade quântica, e cujo resultado levantou a famosa discussão entre um grupo que acredita na escolha atrasada ( a consciência do observador interfere no comportamento dos fótons), e outro grupo que defende a segunda explicação: “É que o fóton não tem propriedades bem definidas até que seja medido”. Essa é a explicação mais aceita pelos físicos, a chamada interpretação de Copenhagen da mecânica quântica, defendida pelo dinamarquês Niels Bohr (1885-1985).

O desenho abaixo ilustra o experimento realizado pelos físicos do IFF:

destaque 2018 09 20

O experimento usa um conjunto de espelhos perfeitos e semi-refletores. Primeiro, um fóton incide sobre um aparelho chamado de divisor de feixes (BS1 na figura acima). É um espelho semi-refletor, que em 50% das vezes reflete os fótons incidentes e nas 50% das vezes restantes deixa os fótons atravessarem sem desviá-los.

Assim, o fóton pode tomar dois caminhos possíveis. Refletido, toma o caminho b, encontra um espelho perfeito e atinge o detector de fótons d. Mas se atravessar BS1, percorre o caminho c e atinge o detector e. Nesse caso, o fóton parece se comportar como uma partícula: existe chance igual do fóton ser detectado em d ou e.

O fóton se comporta como uma onda, porém, se além do divisor de feixes BS1, os experimentadores colocarem no cruzamentos dos caminhos b e c, um segundo divisor de feixes, BS2. Nesse caso, as chances do fóton ser detectado em d ou e variam. As probabilidades de detecção variam com o tamanho relativo dos caminhos c e b e o ajuste do modulador de fase no caminho c (triângulo amarelo na figura). Nesse caso, o fóton age como se fosse uma onda. Ao incidir em BS1, a onda se divide em duas, que depois interferem uma com a outra em BS2. A interferência das ondas em BS2 determina a probabilidade do fóton ser detectado em d ou e.

Wheeler imaginou então o que aconteceria se o experimentador escolhesse colocar ou não o divisor BS2 apenas depois do fóton já ter incidido em BS1. O experimento já foi realizado várias vezes e verificou que a escolha atrasada não influencia o resultado. Sem o divisor BS2, o fóton age como partícula. Com o divisor BS2, o fóton age como uma onda. Mas como isso seria possível? Como o fóton poderia “saber” se deve se comportar como partícula ou como onda ao passar por BS1?

Entenda: O fóton sai do canhão emissor, ninguém sabe ainda se como onda ou partícula. Se lá na frente, depois que ele partiu, colocarem um BS2, se verifica que ele partiu como onda. Se não colocarem, verifica-se que ele partiu como partícula… !!! This blow up our brains…

“A primeira possibilidade é que a decisão do experimentador sobre a medição no futuro refletisse no comportamento do fóton no passado”, explica Lemos. Essa possibilidade implicaria no absurdo de eventos no futuro poderem influenciar eventos no passado.

“A segunda explicação é que o fóton não tem propriedades bem definidas até que seja medido” diz Pienaar. Essa é a explicação mais aceita pelos físicos, a chamada interpretação de Copenhagen da mecânica quântica, defendida pelo dinamarquês Niels Bohr (1885-1985). Wheeler foi um aluno de Bohr e costumava afirmar que “nenhum fenômeno é real até ser um fenômeno observado”.

Inspirados por discussões com Romeu Rossi Junior, físico da Universidade Federal de Viçosa, Chaves, Lemos e Pienaar decidiram verificar se não haveria uma explicação alternativa para o experimento da escolha atrasada. “Surpreendentemente, descobrimos que há sim um modelo clássico estatístico causal para explicar os resultados”, diz Lemos.

O modelo matemático de causa e efeito descoberto pelos físicos do IIF é difícil de visualizar, pois não utiliza os conceitos de onda ou partícula. É um conjunto de regras abstratas que assumem que o comportamento do fóton é controlado por uma variável que só pode assumir dois valores ou estados possíveis. O valor dessa variável “oculta” é sensível à presença do divisor BS2 apenas no momento em que este é colocado no experimento, modificando o comportamento do fóton, fazendo com que as previsões do modelo sejam idênticas às da teoria da mecânica quântica convencional. “Desta forma, o experimento de Wheeler não seria um bom experimento para diferenciar um fenômeno quântico de um fenômeno clássico”, explica Lemos.

Os pesquisadores então propuseram uma pequena modificação no experimento da escolha atrasada. Inserindo moduladores de fase adicionais no circuito do experimento, os experimentadores poderiam criar situações em laboratório em que as previsões do modelo clássico de dois estados seriam diferentes das previsões da mecânica quântica. Os resultados das três realizações do experimento rejeitaram o modelo clássico e confirmaram as previsões da mecânica quântica.

Financiada pelo CNPq, MEC e MCTIC, a pesquisa foi destaque em artigo da Quanta, revista de divulgação científica da Simons Foundation, sendo republicado pela revista Wired.

xxxx

Pois bem. Vamos fazer agora uma introdução à uma terceira solução, que estou sugerindo. Depois continuamos esta pesquisa verificando o paper na Physical Review, os artigos da Quanta e da Wired, e fazer uma pesquisa na Internet buscando mais reações de cientistas.

Solução da Matrix/DNA:

A nossa Teoria Geral tem sugerido que existem ondas de luz primordiais ( ou existiu uma primordial emitida no Big Bang) que, quando avança se propagando no tempo e espaço ( ou seja, ficando mais idosa e maior em tamanho), a onda de luz imita exatamente o que acontece com um corpo humano quando, emitido pela fonte geradora, avança se propagando no tempo e espaço ( ficando mais idoso e maior). Mas tem mais outras coincidências entre uma onda de luz original e um corpo humano. Por exemplo, observando-se as luzes emitidas por radiação eletromagnética de sete diferentes elementos, obtém-se sete diferentes “estados” de luz, que são por nos denominados de faixas de frequência, cada qual emitindo uma cor especifica. Isto fica visível na figura que se forma na tela do computador e que se chama “espectro eletromagnético” segundo a figura abaixo:

See the source image

Na montagem da minha teoria, fui parar no Big Bang procurando o que houve ali que teria sido a primeira manifestação neste universal material da formula da Matrix/DNA, pois me focalizando no nosso DNA e seguindo as pegadas da evolução de trás para a frente, ou seja, daqui do presente rumo ao passado, fui encontrando os ancestrais desse DNA nos sistemas astronômicos, depois nos atômicos, observei a formula fazendo os primeiros átomos alguns instantes após o Big Bang,

Mas… de onde veio a formula? Num belo dia, observando e refletindo sobre uma figura num livro de física, do espectro eletromagnético, de repente deu um estalo no cocuruto… Quando eu desenhava a formula da Matrix/DNA como sistema aberto, resultava numa reta continua, como se pode entender a senóide do espectro como reta continua. E quando eu aplicava esta formula nos sistemas naturais conhecidos, os objetos que se situavam nas Funções, apresentavam diferentes intensidades de energia. deixa-me de novo trazer a figura da formula no seus aspecto de diagrama de software:

Formula Universal da Matrix/DNA no aspecto de sistema fechado

Resumindo e recapitulando o que está exaustivamente explicado em outros artigos neste website: um sistema natural perfeito é um conjunto de seis peças que se conectam movidos pela força do ciclo vital; o sistema é produzido iniciando-se pela fonte geradora (F1) emitindo um bólido que devido ao ciclo vital se transforma em forma e estado gerando F2 e assim sucessivamente até em F7 se desintegrar e seus fragmentos retornam reconstruindo a fonte que reinicia o ciclo. Se dividir-mos a vida de um corpo humano de 70 anos em sete formas ( desde a forma de feto até a forma de cadáver) teremos F1 como a barriga da mãe ou fonte geradora, o baby em F1, e assim até F7 que é a forma de cadáver se desintegrando. Nesse caso as seis formas do corpo que rola sob o ciclo vital se fixam como peças de um sistema, aberto. A formula é abstrata no sentido de que as peças são representadas como funções sistêmicas, as quais se encarnam em cada peça e nunca variam. Assim podemos situar como peças as organelas do sistema celular, as moléculas de uma unidade fundamental de informação do DNA, os órgãos de um corpo humano, os sete tipos de astros de uma galáxia, as sete camadas eletrônicas de um sistema atômico. Assim a formula construiu tudo isso, todos os sistemas naturais são copias diferenciadas de um único sistema universal, se dissemos que uma bactéria – que é um sistema – foi nossa ancestral temos que dizer que a galáxia – outro sistema – também é nossa ancestral, apenas mais remota… Mas onde estava essa formula antes de fazer a primeira forma desse sistema universal, que foi o átomo? De que substancia ela era feita?

Por uma década desisti de buscar, achei que nunca iria encontrar a solução, arquivei toda a teoria na gaveta, pois qual seria a utilidade dela, de saber que vim do átomo, que passei pelas galáxias, tido produzido no mundo por uma formula invisível que parece ter surgido ao acaso?

Mas estava sempre descobrindo novos sistemas e como batiam com a formula, então os desenhava, até que tive a intuição de desenhar apenas o fluxo de energia que corria nas formas das peças variando de intensidade e montei a formula da energia dos sistemas. Obtive a mesma figura da senoide do espectro eletromagnético, e isso me fez eriçar os pelos do corpo todo… a LUZ!

Primeiro fez-se a Luz! Fiat Lux!

A luz? Sim, existiam ondas de luz antes do primeiro átomo e ela não apenas tem a mesma cara da formula como também cresce e morre mostrando as mesmas formas de energia e na mesma exata sequencia das frequências!

Dai veio o resto: o Big Bang foi um ato de fecundação, dele foi emitido uma onda de luz que contem o código da vida sendo uma forma de genoma, este Universo é formado por uma placenta de células galácticas e no meio desta placenta esta havendo um processo de reprodução genética daquilo que fecundou… Se em mim, meu DNA é de matéria biológica porque sou de matéria biológica, então um DNA de luz só pode vir de um corpo que tem luz… e etc.

Então voltei na figura do espectro magnético e acrescentei algumas coisas nele, como na figura a seguir. Botei as sete formas do corpo humano ali, na luz, onde elas merecem estar. E os astros, e as funções sistêmicas. Mas poderia botar tudo, as organelas das células, as moléculas do DNA, e até a mão humana, se por a palma como a barriga gravida e o dedo mindinho como o baby, vais descobrir que cada dedo representa uma frequência da onda de luz e suas mãos também foram feitas e desenhadas pelo ciclo vital.

THE ELECTRO MAGNETIC SPECTRUM – The template for all natural systems and Life´s cicles

Essa minha teoria também sugere que cada partícula de luz contem a onda toda. Ou seja, um fóton é uma partícula desprendida de uma onda e ele tem a mesma configuração de onda. Tem as sete formas de frequências, depende do observador se o vê fixo como partícula ou se movendo como onda.

E agora estudando a figura do experimento acima, tentei ver se a formula – que sempre foi meu oráculo – me socorre mais vez, pois ela nunca deixou pergunta sem resposta. Imaginei um experimento cujo resultado foi: enquanto os fótons correm nos circuitos se apresentam como partícula, quando o feixe é dividido, a partícula b se torna spin right, ou seja, gira para a direita, enquanto a partícula c se torna spin left. Se os dois spins se encontrarem em qualquer lugar, tenha ou não espelhos perfeitos ou refletores, os dois se juntem a será sempre uma onda. Mas porque a divisão em spins? Vamos imaginar o seguinte experimento:

Vamos pegar um corpo humano recém-nascido, fazer um clone dele e chamar de forma 1, depois fazemos outro clone quando for criança e chamamos de forma 2, assim:

clone 1 – forma baby > copía baby e deixa crescer

clone 2- forma criança > copia criança e deixa crescer

clone 3 – forma adolescente > copia adolescente e deixa crescer

clone 4 – forma adulto jovem > copia adulto jovem e //

clone 5 – forma adulto maduro > copia adulto maduro e deixa envelhecer

clone 6 – forma cadáver > copia cadáver e deixa desintegrar

( atenção: na formula aparecem sete funções, enquanto aqui delineamos seis funções. Isto porque a F5 é intermitente, responsável pela reprodução de sistemas, não entra aqui.)

Agora vamos fazer clones de cada forma de fóton ( fótons tem a forma geral da onda de luz, contem ao mesmo tempo todas as seis formas, mas expressa uma forma em cada momento dependendo do seu avanço no tempo e espaço)

clone 1 – Primeira (1*) frequência, raios gama > copia raios gama e deixa avançar (crescer)

clone 2 – X-rays – copia raios X e deixa avançar

clone 3 – ultravioleta – copia ultravioleta e… //

clone 4 – luz visível – copia luz visível e …

clone 5 – infravermelho – copia infravermelho e…

clone 6 – microwave – copia microwave e ….

clone 7 – radio wave – copia radio wave e …

Tudo bem… temos setes clones de fótons e seis de humanos ( Epa, cometi um erro acima: a primeira forma humana seria embrião, então corrija-se o esquema para ter os sete clones).

Se colocarmos as três primeiras formas humanas de mãos dadas, e depois outra fila separada com as quatro seguintes formas de mãos dadas… vamos observar o quadro e refletir. A força do ciclo vital estaria empurrando o adolescente a pegar na mão do adulto jovem. E de fato, ao avançar no tempo e espaço ele vai se transformar num adulto jovem. Não da para dividir isso em partes iguais como fizeram com os fótons, só se dividisse o adulto jovem em dias metades e desse uma metade para cada grupo.

Mas quando o espelho refletor dividiu o feixe de fótons em duas metades de 50% cada uma, o que aconteceu? Acertou o foton quando ele estava expressando sua forma de luz visivel. Mas o corpo dele tem as sete formas ao mesmo tempo. Então, sua forma de adulto atravessa o espelho como c e vai envelhecendo passando por adulto maduro, idoso, cadaver… enquanto a outra forma de adulto vai como b retroagindo pata adolescente, criança, baby…

Energia crescente é spin right, energia decrescente é spin left. Quando as duas metades se envcontram no segundo espelho, uma esta na forma de drone 1 e o outro de drone 7. Ora drone 7 constroi imediatamente F1 que se torna o elo do qual resulta em F2, o embrião, o baby… está recomposta e fechada a onda.

bem… nesta altura do campeonato já não aguento mais, estou com forme, sono, vou parar por aqui por hoje.

Mas será mesmo?! E então ? Escolha atrasada ou fóton sem definição possível? Talvez não seja nenhuma das duas, meus pobres e queridos amigos cientistas… A luz pode ser viva e se mover pela força do ciclo vital… Sei que vocês ririam a valer se soubessem deste texto, mas eu… vou manter esta hipótese no ar e testando-a.

Abelhas: robots da Matrix como alerta e lição para a Humanidade

Monday, September 28th, 2020
zangão abelha

Um artigo recente na Socientifica, com link abaixo, revela mais uma propriedade surpreendente das abelhas. E com ela vem um manancial de novas aprendizagens sobre o que é e como funciona este mundo.

Tanto a montagem pelas abelhas, de um sistema social no modelo de uma maquina automática perfeita, quanto cada comportamento inteligente impressionante, conduz um humano a se perguntar como um cérebro quase inexistente consegue tais façanhas. Mas apenas fica sem o entendimento racional sobre as causas de cada detalhe das abelhas e do seu sistema social quem desconhece a cosmovisão da Matrix/DNA. Esta sugere uma formula natural que tem funcionado como “O Principio Organizador da Ordem Física Sobre as Forças e Elementos Naturais no Caos”. Vemos esta formula como o template, a fôrma que modela sistemas astronômicos, sistemas celulares, sistema de informação do DNA, sistemas atômicos e por fim fomos encontra-la encriptada numa onda de luz original emitida junto com o Big Bang. E esta formula explica tudo sobre abelhas, assim como tudo que existe de material neste Universo.

Esta formula vem evoluindo no seu aspecto material, tornando-se cada vez mais complexa à medida que vai transformando um sistema natural inicial construído por aquela onda de luz, mas quando ela montou os sistemas astronômicos, ela pisou na bola. pelo que esta formula tem feito neste Universo não restam duvidas que ela funciona exatamente como o nosso genoma biológico, o qual é apenas outra cópia dela. Então sobre ela recai uma proibição cósmica: jamais construirás um sistema perfeito neste Universo, pois isto a tornará um moto perpetuo fechando suas portas á sua evolução e assim, eternizando uma forma provisória, deixarás de se tornar o ser final a nascer para o reino além deste Universo.

O modelo de sistema perfeito está encriptado na onda de luz inicial, claro: o baby final terá que ser perfeito. Mas nos assistimos a embriogenese de um corpo humano onde tudo começa com formas simples e vai evoluindo das formas de mórula, girino, sapinho, peixe, mamífero quadrupede, e imagine se o corpo for abortado numa destas formas intermediarias simples… Não tem perigo, não vai nascer um peixinho vivo, só nascerá quando o baby estiver pronto.

Mas por motivos que ainda não consegui descobrir de forma satisfatória, quando partiu da forma de sistema atômico para se tornar a forma de sistema galáctico, este surgiu como quase… quase perfeito. É uma maquina automática fascinante, inclusive com a capacidade de vencer a morte, pois ela se auto recicla! Ela pode viver 24 horas por dia em êxtase total pois ela mesma produz seu alimento que lhe cai na boca como vindo do céu, ela é hermafrodita e pode ficar o tempo todo se curtindo a si mesma, ela sempre reconstrói qualquer uma de suas partes gastas, é de uma inteligência jamais imitada pela tecnologia humana!

Mas isso foi a causa de todas estas torturas e fragilidades que hoje são as tragédias da vida animal, vegetal, humana. É preciso entender que a “vida” foi produzida dentro desta galáxia e por esta galáxia, ou seja, não veio forças ou interferência de fora, sobrenaturais. isto significa que esta galáxia é nossa ancestral, o que leva a estarrecedora conclusão que nos fomos galáxias na pele de um ancestral! Um ancestral que teve sua evolução interrompida, apenas continuou a crescer e se multiplicar ocupando todo o Universo, e hoje não passa das células de uma placenta no meio da qual o genoma cósmico teve que se reinventar e continuar sua evolução na forma microscópica, como sistema celular biológico.

Quando procuro nos mapas, formulas e modelos, a causa deste erro estupido e não encontro, apenas uma possibilidade quase metafisica surge que pode explica-lo. esta possibilidade está numa frase dita a 5.000 anos atrás por algum sábio chinês: ” A alma dorme no átomo, sonha na galáxia, começa a acordar no vegetal, desperta no animal, e… se levanta no HOMEM!”

Seria como em nossa embriogenese. A consciência não se expressa no ato de fecundação, nem nas formas de mórula, blastula, feto, e talvez comece a se expressar na forma de embrião, mas apenas quando um cérebro foi formado com a aparelhagem adequada. No entanto não foi o embrião que inventou a consciência pela primeira vez no Universo, não foi ele nem seu cérebro que criou a consciência, pois quem esta fora do seu pequeno universo intrauterino esta observando-o e sabendo que aqui fora já existia consciência muito antes dele surgir: ela estava fora, existindo nos seus pais, na espécie humana, sem se expressar, porem como potencial latente, encriptada no seu DNA desde antes de sua fecundação. A consciência dorme na mórula, sonha na blastula, começa a despertar no feto, se levanta no baby!

Agora imagine que você é um tipo de pai ou mãe que quer gerar um filho, uma filha, com a extrema perfeição e extrema felicidade. Não vou aqui me estender muito nesse tão debatido assunto do livre-arbítrio, apenas vamos considerar que para um ser se completar totalmente ele tem que ter total liberdade, ou seja, livre-arbítrio. mas não tem outra maneira de fazer um filho assim se não programar o livre-arbítrio na sua genética, na sua essência elementar, no genoma, antes da fecundação. Seja como for, a fonte geradora que existia antes do Big Bang e que deflagrou o Big Bang emitindo esse código da vida encriptado em seu genoma na forma de onda de luz, inoculou aqui um genoma com previa programação contendo o livre-arbítrio. Talvez essa própria fonte assim procedeu porque ela mesma tem total livre-arbítrio, assim teria que ser seu genoma.

Então surge aqui uma diferença entre os dois paralelos vistos acima ( num caso, a alma dorme no átomo, e no outro, a consciência dorme na célula inicial): no primeiro caso quando ela dorme ela já tem o livre arbítrio inclusive para escolher que tipo de corpo construir para si; no nosso caso biológico, a consciência não tem esse poder. E talvez graças a Deus seja assim, pois vemos que o genoma cósmico aplicando seu livre-arbítrio ainda enquanto sonambulo, cometeu o maior equivoco do universo: construiu seu próprio corpo como um paraíso eterno dentro do qual ele é Adão e Eva ao mesmo tempo vivendo na maior felicidade. E mandou o resto do mundo plantar batatas… mas fazendo isso atirou sua evolução junto com a agua da banheira para o ralo! Não se pode fechar-se em si mesmo. Isto é a extrema expressão do extremo egoísmo! Isto é cavar sua sepultura para a eternidade, mas graça a uma sabedoria inserida neste Universo, que foi detectada como o segundo principio da termodinâmica e chamada de lei de Clausius, o universo desmancha tal maquina prisão com o recurso da entropia, libertando Adão e Eva daquele terrível destino.

Está bem, bonita teoria, mas o que isso tudo tem a ver com as abelhas, seu sistema social e seus comportamentos?

Ora, esta é uma pergunta de quem não entendeu nada da historia acima. A rainha das abelhas é a galáxia encarnada na Terra meu amigo, ela é Adão e Eva vivendo seu paraíso que ela mesma construiu. E como Adão e Eva, daqui ela só tem um destino possível: a Queda, sua extinção. Claro que ela não fez isso tudo conscientemente, seu irrisório cérebro seria incapaz de produzir tamanha engenharia. Acontece que tudo nela, inclusive seu sistema social, estava encriptado na formula cósmica, no seu genoma! Faça-me um favor: coloque na ima foto de uma colmeia de abelhas ao lado da foto da formula que temos na forma de diagrama. Comece a analisar detalhadamente e descobriras que todos os mecanismos, todos os processos, todas as tendências, todos os comportamentos vistos na colmeia estão inseridos na formula! Tudo aquilo foi montado automaticamente num simples processo de reprodução genética do genoma que veio esta galáxia! Mas tens que ser perspicaz. Apenas um exemplo:

Você observa que quando a rainha quer se reproduzir produzindo um exercito de novos súditos ela sai do trono, levanta voo, chega a uns dois metros acima do solo, para, enquanto os machos formam fila para copilarem com ela. E cada macho da fila ao copilar cai diretamente no chão, morto! estes machos são burros, estrupidos? Você mesmo desejando uns minutos de prazer iria faze-lo sabendo que seria sua morte? Porque a rainha não fica no trono comodamente deitada e tem que fazer todo aquele esforço para se aguentar no ar fazendo aquilo? na verdade todos aqueles comportamentos que parecem sumamente inteligentes, são trágicas burrices. Porque? Ora, tanto o sistema social como os comportamentos estão vindo de dentro da abelha programados em seu genoma como estão vindos de fora programados no seu criador… esta galáxia!

Cada mínimo detalhe nas abelhas podemos ver o mecanismo, a causa, na formula que funciona como a fatal “Matrix”. Tudo automático, como a maquina quase perfeita que paira no céu.

E porque volto a escrever isso tudo se já registrei aqui artigos anteriores? Porque no artigo com link acima, fiquei sabendo de mais um detalhe das abelhas que desconhecia. Quando as operarias picam, elas morrem em seguida. Isto porque desde seu abdômen cresce e se estende um ferrão transportador de veneno que quando emerge do corpo para o ambiente exterior, surge curvado… Quando ela pica, o ferrão curvado fica preso no local, de tal maneira que ela não consegue retira-lo e ali morre ou se é arrancado, morre em seguida.

Ora, que outra burrice! Agora também o genoma, a pré-programarão, é estupida? Porque, com tantos milhões ou bilhões de anos de evolução a genética desse bicho não corrigiu isso, produzindo um ferrão reto?!

Vou testar se você aprendeu essa complexa tarefa de ler nas entrelinhas da Matrix. Vou trazer sua face genética, ou melhor, a formula genoma universal para cá:

Ok. Agora pense na abelha, seu abdômen, o ferrão sendo formado, o veneno transportado dentro do ferrão, se tornando curvo após sair do abdômen… e observe a formula. Qual trecho da formula, qual função sistêmica, contem tudo isso que acontece nesta abelha?

Não vistes, certo? Vamos ajudar. Quando num sistema natural uma substancia ou qualquer outra coisa, como um feto por exemplo, é ejetado de um corpo para p meio externo, isso tem que vir de F1 ou F4. F1 é a fêmea do sistema, ela ejeta embriões, F4 é o macho do sistema, ejeta suas informações na forma de F5, que pode ser cometas emitidos por pulsares na galáxia, espermatozoides emitidos por machos humanos, magmas emitidas por vulcões de planetas, etc. Tudo depende do tempo, local, e tipo de material que a formula cósmica tem à sua disposição para construir uma nova forma do sistema universal. Então vamos ver se a abelha neste caso está aplicando todo o processo encriptado em F1. Vemos F1 emitindo de dentro de si uma substancia, então deve ser aqui o abdômen da abelha emitindo veneno. vemos que do corpo de F1 emerge e se estende um circuito, um tipo de canal ou cílio, representado como seta saindo à esquerda no sentido horário. Por este canal vai a semente, a substancia, o feto do baby, para se tornar F2. A seta, a extensão se torna na abelha, o ferrão. mas na formula o circuito é curvo, ele tem que se modelar como esfera. E não tem raios dos diabos que pode mudar isso na formula quando ela constrói células, galáxias ou seres vivos como abelhas. As abelhas podem existir por mais bilhões de anos, podem até se aperfeiçoarem evolutivamente em algum aspecto contido e permitido pela formula, mas jamais vai conseguir um ferrão reto!

Ela morre por picar, assim como os machos encantados e ainda estremecendo de orgasmos depois de “picarem” a rainha, são surpreendidos pela morte. Eu ainda não fui pesquisar como é o órgão genital dos machos, mas sou capaz de apostar que são curvos e aí esta uma das causas de sua morte. Pois toda extensão produzida pelo genoma fresquinho que acabou de chegar da galáxia – e que ainda não foi trabalhado pela substancia de consciência que ainda não se expressa nas espécies até a abelha, terá de ser curva.

Ok… mas para que gastar tento tempo para saber isso, não tem aplicação pratica, isso é cultura inútil!

Amigo, de agora em diante você não maios se fará aquelas perguntas encantado observando uma colmeia. Mas você não perdeu o encantamento, apenas trocou-o, porque aquele encantamento era fundamentado na ignorância, nas trevas, era falso. Agora, sabendo a verdade, relacionando o Cosmos inteiro para explicar a colmeia, outro tipo de encantamento muito maior e prazeroso te acometeu. mas o principal é que agora uma porção de trevas no seu cérebro onde se alojava uma porção de ignorância, foi substituída por uma porção de sabedoria. E aqui está a utilidade insuperável desta cultura “inútil”: ela expandiu sua consciência. Você não usou seu livre-arbítrio para repetir o seu erro quando estava na pele de seu ancestral desprezando o conhecimento do mundo externo e se fechando em si mesmo para toda a eternidade… E ainda mais importante: você não estará se deixando robotizar pela Matrix porque agora você a desmascarou, você entendeu como ela está agindo aqui sobre humanos tentando se reproduzir ao fazer deles as mesmas abelhas zumbis do sistema social mecânico.

Você se abriu mais para o mundo, você abriu a camisa e de peito aberto se lançou no espaço cósmico para continuar sua grande aventura rumo ao retorno á sua fonte suprema geradora, assim como todo genoma lançado pelos pais retorna a eles na forma de um belo baby. E eu investi o meu tempo em meu próprio beneficio pois você talvez não o saiba, mas és um gene do genoma a construir o baby cósmico, o qual serei eu, tu, nos, todos, e preciso que você continue sua missão, e insira aquele bit de informação que só você neste mundo possui, pois se você não cumprir com liberdade e ajuda a sua missão, eu nascerei com algum aleijão, eu aparecerei na frente de meu pai, minha mãe, com vergonha, por estar deformado. Não amigo, eu não tenho comportamentos estrupidos como as abelhas, eu não sou daqueles que escrevem anúncios tomando seu tempo visando te tomar algum dinheirinho para a vida mundana imediata, eu vou além, meus investimento visa obter um muito maior retorno, sou muito mais ambicioso, penso eterno, aqui a consciência já está desperta e no comando… “pero, no mucho”,… pois com esse cerebrozinho ainda em formação não dá para fazer muita coisa…

Baseado no artigo da Socientifica, neste link:

Pesquisa cientifica revela que seus dedos adquirem a forma da sua personalidade… mas tem muitos outros segredos que suas mãos te contam…

Tuesday, September 15th, 2020

Your fingers can tell you a lot about your personality. What kind of fingers do you have?

https://www.tips-and-tricks.co/various/fingers-personality/

Segundo uma pesquisa de cientistas, no link acima, seus dedos podem contar muito sobre sua personalidade. E segundo os resultados da minha Matrix/DNA Theory, nossas mãos e dedos são da forma que são porque foram feitas pelo mesmo processo que nossos corpos são feitos, assim as mãos revelam coisas surpreendentes, coisas que nunca nenhum outro ser humano percebeu! Por exemplo, descobri que a forma da palma mais os cinco dedos de uma mão é a forma exata à imagem e semelhança do seu real criador, que é um nucleotídeo, formado por uma grande molécula pendurada na haste do DNA como a palama da mão está pendurada no braço, e mais as 5 moléculas que são as bases internas coladas na grande molécula, assim como os 5 dedos estão colados na palma da mão! Mas a surpresa aumentou quando notei que pondo as duas mãos unidas pelos 8 dedos superpostos, deixando os polegares imitando as duas hastes, se obtém exatamente a forma de uma unidade inteira de informação do DNA, que é uma das suas secções, ou um degrau na escada em caracol! Mas o pior ainda foi a terceira descoberta: na evolução pela sequencia da construção das mãos ( desde o primeiro cílio e flagelo que surgiu nas primeiras amebas e baterias) até chegar nas mãos humanas, a Natureza aplicou a mesma sequencia do ciclo vital que aplica para fazer seu corpo mudar de formas ao longo da sua existência!

O DNA dirigiu a evolução dos corpos e de todos seus acessórios aplicando o processo do ciclo vital porque ele é a formula universal no seu aspecto biológico e a formula universal se manifestou no Big Bang sendo formada pelo mesmo processo do ciclo vital!

A historia total do seu corpo está escrita em suas mãos! E agora não tem nada de cartomantes, adivinhações, é simplesmente aprendizagem por métodos lógicos, racionais, de como funciona e o que é esta Natureza, portanto, o que somos nós!

Vamos resumir: 1) seu corpo começou e foi formado na barriga de sua mãe; olhe a palma de sua mão e lembre-se da barriga da sua mãe onde você esteve 9 meses. 2) da barriga da sua mãe você nasceu como um baby, desajeitado, inútil para fazer qualquer coisa, porem, sem os bebês não haveria nem humanos; então olhe para a palma da sua mão, pense nela começando a fazer os dedos, no sentido horário, da esquerda para a direita, fazendo primeiro o baby desajeitado mindinho que não serve para nada, porem sem ele, a mão não conseguiria sustentar quase nada. 3) O mindinho cresce e se torna o dedo adolescente, que usamos para por o anel; 4) O circuito criador e transformador do ciclo vital continua, no sentido horário, e o anelar se torna o grande dedo médio, que representa o jovem adulto iniciando sua maturação sexual; 5) O jovem adulto se torna o adulto chefe e luz da casa indicando os melhores caminhos, na forma do dedo indicador; 6) E então o adulto-adulto se torna o velhinho encurvado caminhando com sofreguidão e já sendo desajeitado para fazer qualquer coisa, como é o nosso dedo na forma do polegar…

Um fato interessante aqui, é que você nunca consegue mostrar todas as formas que o seu corpo teve e vai ter num único instante. Neste instante você apenas mostra a forma que seu corpo tem agora. Mas a mãos não nos deixaria mentir – por exemplo dizendo que nunca fui criança – porque ela fixa todas as formas e está sempre mostrando todas as formas coexistindo ao mesmo tempo. Quem conhece a formula da Matrix/DNA sabe porque isso acontece, pois os astros nas galaxias e os elétrons nas ondas eletrônicas dos átomos nunca mostram todas suas formas ao mesmo tempo, porem o átomo e a galaxia fixa todas as formas e não os deixa mentir.

  • ” Fascinante, … mas isso é pura coincidência… Os materialistas dizem que nossa mão é assim feita pela “evolução” que criada por acaso pela matéria burra da Terra, e os misticos dizem que foi desenhada por Deus…”
  • ” Por isso vocês nunca perceberam a incrível fonte de informações que é o DNA, a formula universal que está nele inscrita que construiu de átomos a galaxias a corpos e mãos humanas! Tambem as semelhanças entre o corpo do macaco e o corpo humano são coincidências, porque o corpo humano surgiu do nada por acaso ou precisou de um deus pequeninho vindo aqui no meio da bicharada fazendo milagres… Assim vocês nunca vão aprender a eliminar as doenças milenares que continuam torturando e matando-os…”

Para você começar a entender o que estou dizendo, vou puxar uma unidade do nucleotídeo nestas figuras:

Nucleotídeo - Brasil Escola
Quando uma criatura chora pedindo um acessorio ao DNA para conseguir sobreviver, como pernas para se mover, mãos para pegar, o DNA manda para o local que ela indica, uma cópia de sua formula fundamental, porque nesta formula tem todas as informações para se construir tudo o que os vivos precisam. E aí cabe à criatura fazer esforço para que a formula expresse as coisas que ela escolher, então tem inicio uma longa luta da formula querendo ajudar e a criatura dirigindo, modelando, as informações disponíveis, através da malhação física, enfrentando nos obstáculos e resistências do meio-ambiente. A primeira célula viva conseguiu apenas tipos de fios de linhas, os ciclos, que já a ajudaram a alguns movimentos e como tentáculos, puxar algum alimento. Quando chegou nos insetos, o cílio já eram longas pernas e já podiam até dobrar, tendo as juntas que se tornaram depois, nas especies que vieram em seguida, como os macacos, os joelhos e cotovelos nos braços. A formula vai librando todas as informações, e, claro, se forem usadas todas as informações da formula, o resultado da arquitetura construída será uma forma cópia da formula: claro, o que foi feito é uma auto-projeção da formula. Então quando chegamos na mão humana, vemos que ela é uma exata copia da formula no DNA! Quer dizer, cada mão é copia da metade da formula, por isso somos feitos com duas mãos, completando a formula inteira.
Na figura acima, temos a metade esquerda da formula universal Matrix/DNA feita com moléculas químicas. Quando essa formula é feita com ossos, muculos, carne, o FOSFATO, que é a haste no DNA, se torna o braço humano; a PENTOSE, que é a molécula “açúcar” agarrada à haste, se torna a palma da mão humana; e as 4 bases nitrogenadas penduradas na PENTOSE, quando tem osso, músculos, carne, para se fazer, se tornam os 4 dedos… Entendendo mais como funciona o DNA isto fica mais claro: O DNA mexe na sopa de matéria á sua volta catando átomos e montando proteínas com seus “dedos”, que são suas quatro moléculas internas se mexendo na sopa, enquanto a PENTOSE fica imóvel na haste como comandante guardando todas as instruções e gritando-as para os dedos. A PENTOSE faz apenas quatro movimentos permitidos pelos limites da haste, por isso nossas palamas também só faz quatro movimentos. Quem de fato trabalha fazendo todo o trabalho sujo são as bases, e nas mãos, são os dedos. Assim como no principio, assim é agora; o que está embaixo, etá encima; a palavra do passado é sempre a palavra do futuro… assim na Terra como no céu…´porque tudo é feito por uma formula que veio primeiro na forma de onda de luz e com a função de genoma do Criador! Imagine uma família perfeita onde todos fossem hermafroditas: o pai-mãe faz a função da fêmea gerando o rebento mindinho que cresce como o dedo onde se usa anel, criança se tornando adolescente, aí continua se desenvolvendo se tornando o jovem-adulto sexualmente maduro que é o dedo médio e faz a função agora de macho e dai se torna o chefe da casa indicando a todos os melhores caminhos com o próximo dedo, o indicador, e depois aquele adulto envelhece, fica corcunda, quase inútil, como é o dedo polegar! Tudo igual, sua vida contada nas suas mãos! Maravilhas da formula divina! Mas vamos ver essa formula na figura seguinte, desenhada simples como um diagrama de software:

Sei que é um sacrilégio desfigurar o que é sagrado na Natureza desta maneira, dentro dos pobres recursos de comunicação humana, mas algo temos que fazer. A formula é um programa, biológico, cibernético, holográfico, quântico, etc., cujo circuito sistêmico é esférico ou espiral dentro do qual corre a energia do processo do ciclo vital que vai construindo os corpos-funções, então, vejamo-la imitada pelos nossos pobres programas não-quânticos e não-holográficos dos nossos computadores. Em outra secção deste site mostro como uma onda de luz ( como aquela emitida com o Big Bang no ato da criação) com suas sete faixas diferenciadas se torna esta formula de maneira que cada função de cada faixa e na mesma sequencia se mantenha nesta formula. Mas quando estamos falando de mãos humanas, e como elas foram produzidas por esta formula, experimente esta demonstração: levante sua mão esquerda, ponha a palma sobre a F1, o mindinho sobre F2… até o polegar em F7, e vá aprendendo os segredos na formula que a Natureza está tão desejosa de te revelar que a colocou nas palmas de suas mãos!

Certa vez telefonei para o DNA dizendo:

  • ” Ohh… Sr. DNA… não estou satisfeito com o produto que me entregou. Esta forma de mão e dedos não é a mais eficiente para fazer o que preciso. A forma de polvo, com a palma versátil e os tentáculos também maiores e mais apropriados para os movimentos… é isso que quero, entende?”
  • Sua resposta me deixou alarmado:
  • – ” Sr. Luis, meu querido cliente e minha criatura adorável! Sinto muito, mas essa é a forma máxima de eficiência que posso fazer, para as suas condições. Não tenho em mim mais informações para fazer algo diferente, mais sofisticado. Posso sim, fazer sua mão versátil e livre como o corpo do polvo, porem aí tenho que separar sua mão do seu braço. Você não vê que o polvo não está preso a nenhum eixo, nenhum senhor? Como você quer umas mãos separadas andando por aí, como uma aranha? Para que iriam lhe servir? Só posso criar coisas`a minha imagem e semelhança, e em mim, a palma da mão, chamada PENTOSE, está conectada ao meu braço, chamado FOSFATO. Mas se você quiser mudar nos seus filhos, tudo bem… posso fazer uma proteína que corta as mãos fora dos braços…”
  • ” Não,… não… por favor não, eu estava só brincando, na verdade liguei para parabeniza-lo pela bela obra! Passo horas admirando-as e dizendo ” minhas queridas mãozinhas”!

Mas o artigo cientifico vai por um diferente caminho, errando, porque não conhecem o mundo construído pela formula sagrada. Vamos ver a diferença copiando e traduzindo o artigo aqui:

O segredo reside em dois dedos, o dedo do anel e o dedo indicador. Eles podem dizer muito sobre que tipo de pessoa você é. Mas este teste se aplica apenas a homens por que o comprimento destes dedos indicam o nivel da testosterona no homem. Eles são de três tipos: A, B, e C.

A. O dedo anelar ( o proximo do mindinho) é maior que o dedo indicador

Estamos vendo um homem agradável aqui. Eles são charmosos e conseguem se comunicarem facilmente com todo mundo. Ainda que sejam um pouco agressivos, e muito impulsivos a tomarem riscos. isto também significa que este tipo de pessoa frequentemente faz mais dinheiro do que seus colegas com este dedo mais curto.

B. O dedo anelar é mais curto que o indicador

Homens com estas mãos são muito confiantes e podem ser um pouco narcisistas. estas pessoas não tem problemas estando na solidão e frequentemente não gostam de serem perturbados. Todavia quando diz respeito ao amor, eles são menos confiantes e por isso não são eles os primeiros a tomarem as iniciativas.

C. O dedo anelar e o indicador são do mesmo tamanho

Talvez isto diga o suficiente… homens com estas mãos são bons mediadores, muito leais e amaveis. Tudo é balanceado, equilibrado, com este tipo. Eles são calmos e tudo parece correr suave, como se tudo estivesse organizado.

O que você pensa, você se reconhece, ou a alguem que conheces, numa destas categorias?

Fim do artigo….

Bem, não conheço os detalhes do estudo, mas achei muito fraco. Relacionar as forças naturais que construíram e modelaram os dedos como medida para ganhar ou não dinheiro? A Natureza não usa dinheiro como parâmetro de seus valores, isso é coisa de humanos. Ganha dinheiro quem teve um privilegio de ter recebido uma quantia inicial de capital para investir. Quem nunca recebeu de graça um capital inicial nunca vai ganhar dinheiro a não ser por acaso.

Não pode existir isso dos dedos significarem coisas diferentes para homens e mulheres, as mãos são universais. E não acredito que mãos tenham algo a ver com a mente e sua personalidade, a ponto de ser modelada pelo tipo de mente, ou seu modelo determinar o tipo de mente…

Mãos são feitas pelo DNA mais a modelagem contribuinte das experiencias nos meios ambientes e de acordo com o estagio evolutivo das criaturas.

Mas então porque que acontece isso, este defeito, de tamanhos de dedos serem diferentes entre pessoas? A formula mostra que quando constrói um sistema, ou um acessório, sempre uma das funções tende a ser mais dominante, enquanto as outras vão decaindo nos níveis de recessividade. A dominante se torna maior que seu tamanho pré-programado, as recessivas, menores. Eu apostaria que o dedo anelar maior significa que no DNA do individuo, uma das bases, digamos, a guanina, tende a dominar as outras, e no indicador, outra base, a citosina, tem a tendencia a dominar. Isso tudo se reflete acaba coincidindo com o tipo de personalidade porque O DNA também constrói o cérebro e porque a personalidade também é dividida em sete formas principais cada uma correspondendo a uma fase da vida. Crianças tem personalidade diferente de jovens que são diferentes dos idosos. Se alguém tem o dedo anelar maior, e sabendo que o anelar corresponde no ciclo vital à fase entre criança e adolescente, isto significa que este individuo terá as características comuns de personalidade desta faixa etária influenciando seus comportamentos em todas as outras faixas etárias.

No meu caso a minha teoria bateu certo com o teste. Tenho o dedo indicador maior. Por isso tenho essa mania de ser o adulto indicador do melhor caminho a seguir… mas pode ser mera coincidência, ainda preciso de mais testes e mais dados para comprovar e acreditar que minha teoria esteja de alguma maneira mais próxima da verdade. Mas como ignorar tantas evidencias demonstradas pelas minhas próprias mãos e meu DNA?