Archive for the ‘Philosophy’ Category

Existiria Gaia? E Ela estaria atirando virus microscópicos contra os virus humanos?

Thursday, May 20th, 2021

Ebola, Vaca Louca, Gripe Suina, Gripe Aviária, COVID-19, SARS,… uma história de bombardeios consecutivos e persistentes contra uma espécie… Um evento que se repetiu uma unica vez não foi produzido pelas forças caóticas do acaso, ele veio de alguma camada invisivel de alhguma faceta da ordem natural. Então qual será o rpincipio natural emitindo raios de sua força que se materializaram na forma destes virus?

Esta pergunta me surgiu quando li um panfleto no seguinte link:

O Filósofo (@ofilosofo_) • Instagram photos and videos

https://www.instagram.com/p/CPEQz7hj0h4/

Claro que este tema deve ser trabalhado pelos filósofos. Como filósofo sendo induzido por este inteligente panfleto a pensar no consumo humano de outros animais e na existência destes virus, e tentando ver os fios invisíveis que tecem esta interação entre estas duas espécies, me vem à mente a teoria de Gaia, do James Lovelock, da Lynn Margulis e do Teilhard du Chardin.

Se este planeta produziu com sua matéria estes sistemas biológicos, organismos com propriedade vital, de onde ele obteve as informações materiais para fazer isto? Sugere a razão que a mais provável hipótese é que ele as obteve de si mesmo, e as propagou pelo processo que ele aplicou que conhecemos hoje, o genético. Mas se foi isso, este planeta é semi-vital, um organismo. E como tal tem uma força vital com um instinto, o qual deve ser um protótipo de subconsciência que se espalha como bolhas na sua atmosfera que aloja sua camada mental condensadas nas cabeças das suas criaturas que perfazem esta biosfera. Isto seria Gaia, tal e qual imaginaram aqueles grandes pensadores.

Isto explicaria este fenômeno de interação mortal entre humanos e virus. O instinto de Gaia não veio de algum instinto fraternal cósmico, pois esta biosfera foi produzida pelas forças do caos, as quais se movem como ondas que crescem e se colapsam se auto-devorando para assim ressurgirem auto-recicladas, como funcionam as marés, pois nisto consiste esta carnificina da cadeia alimentadora ecológica. Mas quando uma de suas espécies se torna muito poderosa extinguindo as demais, Gaia aciona suas micro forças como setas caóticas venenosas e certeiras, assim temos virus dizimando humanos. É como um terremoto na dimensão quântica chacoalhando a sua dimensão macroscópica.

Talvez exista neste mundo várias camadas inferiores de consciências nascentes que se apresentam como as camadas da cebola, constituindo diferentes dimensões, uma delas sendo a camada de Gaia embutida no inconsciente coletivo pensado por Chardin, Jung, e até o grande mistico Pietro Ubaldi com sua teoria das nuvens de nourées… A mente do filósofo é util porque se adianta na escuridão ainda não penetrada pelo método científico e sonda seus arredores elaborando as teorias que abrem caminho para os cientistas… De onde Gaia obteve as informações para dotar suas criaturas com sistema de defesa imunológica, se ela não já possuía um protótipo em si mesma? Agora os virus contra Gaia são humanos e os anticorpos virais produzidos por Gaia é o SARS-COVI? Meras hipóteses, mas com consideráveis fatos arrolados como evidências.

O corpo humano nada mais é que uma maquina. Como é animado a funcionar, como e porque funciona? Como eu surgi dentro dentro desta maquina? Que sou eu?

Sunday, May 16th, 2021

Vou relembrar as perguntas que me fazia na selva que me conduziram a construir uma resposta teórica universal chamada “Matrix/DNA”. Primeiro as perguntas procurando explicar o meu corpo e eu.

Funciona desconectado do plug da eletricidade na parede, da mangueira de gasolina da bomba, não tem bateria interna, então de onde e como vem sua energia? Vem de bilhões de microscópicas baterias, espalhadas na maquina inteira, chamadas mitocôndrias? Vem também da energia no ar, pela respiração. Mas quando o pulmão está vazio, o que, ou quem, o faz se mover para sugar o ar e se encher? E quem, ou o que, é a força que surge quando o pulmão está cheio mandando-o se esvaziar?

Estou em pé no quarto ao lado de um corpo deitado na cama. Vejo a barriga sendo inflada e encolhida, presumo que a maquina está funcionando. Mas aquela maquina vai ficar inerte se eu não entrar dentro dela, na cabine de comando, e move-la. Mas o que é o “eu” que entra nela? De onde vim? Como apareci neste mundo? Porque não me vejo, não vejo nada do meu corpo, de que substancia ou matéria sou feito? Sou um fantasma, mas como um fantasma tem força para mexer com a matéria, mover esta maquina? O que existe de elo entre o fantasma e a maquina material? Fios?

Maquinas, motores, são ligados e desligados muitas vezes. A maquina humana só é ligada e desligada uma única vez na sua existência! Se ela existir por 80 anos, vai ficar funcionando 80 anos sem parar um minuto!

Na civiliazação lá fora, o mindset dominante é o reducionismo, que diz: ” Everything about the world can be explained by atoms and their interactions.”

Como disse o filósofo Paul Humphreys:
“The world is nothing but spatiotemporal arrangements of fundamental physical objects and properties. You and I, rocks and galaxies, toads and scrambled eggs are just processes, the successive states of which are spatial arrangements of elementary physical objects. These elementary physical objects, arranged in different configurations, account for all the astonishing variety that we encounter in our day-to-day lives.”

Those “fundamental objects” in Humphreys description are the elementary particles of physics: electrons, quarks, etc. So, the idea is that once you have made a list of all those elementary particles and once you know how those particles can interact (i.e., what forces they respond to), you are, in principle, done. Everything that can ever happen, everything that ever will happen is, in principle, encoded in that list of particles and their interactions.

If you know the fundamental entities and their laws, you can, in principle, predict everything that will or can happen. All of future history, all of evolution, is just a rearrangement of those electrons and quarks. In the reductionist view, you, your dog, your love for you dog, and the doggie love it feels for you are all nothing but arrangements and rearrangements of atoms. End of story.

Então peguei um pedaço de carne de capivara que estava secando no varal, numa mão, e na outra peguei um punhado de mistura de terra, pedrinhas, mineris, tudo mohado com agua. E fiquei pensando: “Este material de terra se transformou nesta carne. Tudo o que existe num corpo, numa maquina de carne, existe nesta porção de terra.

Sabe de uma coisa? Aos diabos o que a civilização lá fora acredita… eu não consigo acreditar… e vou procurar o elo entre o inicio nesta porção de matéria e o final neste meu corpo… e neste meu eu fantasma…

Recentemente tem despontado uma nova forma de pensamento, crendo que no meio da matéria e da matéria surgem fenomenos emergentes, que não seria produzidos apenas pelos tijolinhos dosreducionaistas e nem com suas interações.

“Emergence” is the alternative to this view. As philosophers Brigitte Falkenburg and Margaret Morrison put it, “A phenomenon is emergent if it cannot be reduced to, explained or predicted from its constituent parts… emergent phenomena arise out of lower-level entities, but they cannot be reduced to, explained nor predicted from their micro-level base.” From an emergentist view, over the course of the universe’s history, new entities and even new laws governing those entities have appeared. The key is evolution.

Mas então de onde veio esta força, este processo, este fenômeno natural. chamado evolução? Eles não me explicaram.

Então fui observar os nove meses da embriogênese de um corpo humano. Ali se vê a evolução trabalhando. Transformando uma bolinha microscópica inicial numa maquina super complexa. Evolução é um objeto chamado DNA. Certo. Bate com o que encontrei na selva. Porem, DNA é uma projeção materializada com anatomia, funcionamento, vida, tudo idêntico a uma onda de luz. Eles não percebem isso, e nem aceitariam isso. Quando desenho no papel o esboço dessa onda de luz funcionando como uma maquina, um sistema vivo, eu vejo o desenho do DNA e de tudo o que existe na maquina humana.

Não parei aqui, não acredito nas minhas teorias, agora me focalizo na busca de uma maneira de ver, tocar, materializar esta formula. Enquanto continuo de olho no que as outras formas de pensar – o reducionismo, os emergentes, etc – vão descobrindo, teorizando… o que me interessa é encontrar a resposta de como surgi dentro desta maquina, o que sou eu… Já percebi na embriogênese que o eu de todo baby surge aos 6 ou 8 meses vindo de fora do seu pequeno universo intrauterino, vem de seus pais, etc… Desconfio que 8 meses humanos corresponde a 13,8 bilhões de anos para o Universo, que aqui está ocorrendo uma embriogênese universal, cósmica, e isso me acalma um pouco satisfazendo em parte a explicação que busco. Mas preciso de provas…

( continuar este raciocínio. Foi daqui eu saltei do reducionismo para o holismo sistêmico)

Nova onda, novo equívoco: o levante do protesto contra o reducionismo se baseia no mito da emergência mágica

Sunday, May 16th, 2021

Este movimento “emergentista” está sendo conduzido pelo Marcelo Gleiser e sua equipe se seu Cross-Disciplinary Institute. Interessa muito à Matrix/DNA. Aqui um artigo publicado por eles:

Reductionism vs. emergence: Are you “nothing but” your atoms?

https://bigthink.com/13-8/reductionism-vs-emergence-science-philosophy

( Ver website e novo paradigma liderado por Marcelo Gleiser)

Ser um intelectual da classe média, na poltrona com ar condicionado, imitando os filósofos gregos… qual o sentido e resultado desta vida?

Thursday, May 13th, 2021

( texto como comentário num debate de filosofia, não me lembro onde…)

Uma pergunta, Victor: qual o sentido da vida tem um humano que investiu sua vida numa causa que exigia ficar sentado e na solidão, buscando aprender tudo o que se passou de pensamentos, imaginações, resultantes da configurações sinápticas emanadas pela anatomia dos cérebros de indivíduos da espécie humana, sendo que alguns destes pensamentos se materializaram como atos, os quais, no seu conjunto, construiu o quadro atual que ele vê quando caminha na superfície do planeta Terra? Para que? O que ele almeja obter como resultado final deste investimento, se vai morrer fazendo apenas isso e sem terminar de estudar todos? No final, o que vai ser feito de sua mente e toda essa produção acumulada como um tesouro, e o que vai ser deste planeta, e o que vai ser feito desta espécie humana, que foram influenciados pela presença e manutenção deste corpo físico, que viveu como classe media trabalhando em alguma atividade da classe media, formando uma família e gerando filhos, e assim continuando o simples ciclos das gerações e consumindo porções dos ingredientes deste planeta, muitas vidas de outros animais, e parte da energia do trabalho dos humanos escravizados da classe pobre? No ultimo suspiro, se toda sua vida passasse num filme, ele se iria sorrindo satisfeito por concluir que foi um sucesso ou iria chorando por concluir que desperdiçara a vida numa meta fracassada? Qual seria a conclusão final do Universo, da Vida, deste planeta, e até mesmo de alguma possível inteligencia não biológica e não terrestre que possa estar vendo tudo daqui, sobre a existência de tal ser? ,,,,, Hoje estou com 60 anos, vou contar minha experiencia, que pode ajuda-lo a pensar. Na juventude e até os 30, fui ainda mais radical que você nesta meta, pois trabalhava e me divertia menos, não formei família, tudo para sobrar mais tempo para estar sentado, isolado, lendo. Quando saia na rua, o fluxo humano moderno me arrastava, agitando-me, na direção de metas que eu detestava. Aí me caiu um livro chamado “O Lobo das Estepes”, do Hermann Hesse. Gostei e li um segundo dele, “O Jogo das Contas de Vidro”. Foi um choque tremendo. O autor era como nós na vida real e no livro ele buscou racionalizar esse modo de vida. Imaginou um lugar ocupado apenas por intelectuais ricos que passavam a vida estudando e seus debates eram feitos com pensamentos na forma de perolas que eram peças num tabuleiro de xadrez. No fim, na velhice, conclui que aquela vida não faz sentido, tudo com seus camaradas na sua comunidade se resumia a um jogo de xadrez sem sentido e finalidade racional, e ele se suicida. Nos dias que eu estava remoendo este conteúdo, li um livro espirita e nele uma frase: – “Ali, naquela cidade, vivem os desencarnados que na Terra amaram e se dedicaram aos estudos, intelectuais, científicos, literários… alguns ficam fazendo experimentos científicos… Mas acontece com todos, sempre acabam se cansando e nos procuram se temos alum outro lugar, ou alguma coisa mais substancial para fazerem…pois descobrem que não possuem capacidade mental para saltarem às dimensões onde estão as soluções da sabedoria que buscam, que para esse salto é preciso também realizar certas obras físicas, concretas ” …. Eu era alto funcionário do Metro de São Paulo com mil subordinados, tinha carro, uma kitchnete, fazendo a segunda faculdade, e uma firma particular com escritório, mas a maior parte do tempo nas leituras. Larguei tudo, arrumei uma mochila e fui cair vivendo sozinho, vizinho de índios, no meio da selva amazônica, sem livros. Uma guinada total do mundo mental para o mundo do animal irracional lutando pela sobrevivência na natureza bruta, virgem. Mas acho que foi a redução da atividade intelectual que me fez ver e sentir o mundo diferente, busquei microscópio e telescópio simples para ver se aquilo era real, etc. Sete anos depois de ter vivido o inferno, com duas malarias e cheio de venenos no corpo, sai da selva com um pouco de ouro, e com uma nova cosmovisão que precisava gritar ao mundo, alertando que a humanidade está interpretando todos os objetos e eventos naturais tudo errado, e se não mudar-mos o inferno nos espera. Você pode ver algo dessa cosmovisão clicando no meu avatar acima, mas avisado que humanos como eu só temos teorias, temos cérebros e sensores muito limitados, meu conselho é que construas tua própria cosmovisão. Pense na minha experiencia, porque se eu pudesse voltar na sua idade, deixaria de imitar os filósofos gregos que se recusaram a botar a mão na massa e arregaçaria as mangas caindo nessa carnificina deste mundo visando transforma-lo. Mas ser um intelectual de classe media é menos nocivo à vida, à especie, ao planeta, que os outros 95 %, por isso os prefiro. Sugiro apenas que procure meditar no sentido mais amplo da sua existência.

Os racionalistas que criticam os misticos espiritualistas estão convidados a criticarem a cosmovisão da Matrix/DNA, com fatos.

Wednesday, May 12th, 2021

xxxx

Parabéns pela lógica. Gostaria que você analisasse e criticasse minha teoria, para eu me livrar dela. Reagi com a mesma lógica sua contra a teoria espiritualista, argumentando que ninguém pode se corrigir e evoluir vivendo sob o ciclo da fraqueza e miséria na Terra. Pagar karma? Ora, as prisões não corrigem, tornam-nos mais criminosos.

Porém, apesar de parecer ser puramente lógica, é possível que haja neste mundo e no nosso inconsciente uma lógica diferente e mais logica ainda, que justificaria este nosso nascimento absurdo aqui. Descobri essa possibilidade numa investigação pelo método naturalista, exclusivamente materialista. Trouxe para a mesa todos os fatos e eventos reais conhecidos e comprovados deste Universo e procurei conectá-los sem as místicas e teorias comuns. Quase fechei o quebra-cabeças, mas sobrou apenas um mistério a resolver: o que era aquela onda de luz original no Big Bang? De onde e como veio? Estudando-a no espectro eletromagnético percebi que ela tem uma anatomia, formando um sistema funcional que se expande e se propaga pelo mesmo ciclo vital que faz nossos corpos se propagarem no tempo e espaço. No meu website podes ver como ela se encaixa na função de fórmula criadora de todos os sistemas naturais, de átomos, a galaxias, e inclusive, da unidade de informação do DNA, a qual é em si um sistema funcional. Mas daí tem dois desfechos surpreendentes:

1) As sete faixas ou micro-ondas são como os órgãos do nosso corpo, porém a nível cósmico, estas faixas produzem sete dimensões ou sete realidades porque cada faixa tem todas suas propriedades em um nível deferente das propriedades das outras seis faixas. Um nível de vibração, intensidade energética, comprimento de onda, temperatura, etc., que cria uma realidade que não se mistura com as outras seis, como sendo sete universos paralelos. Isto sugere a possibilidade de que a minha centelha de Matrix/DNA seja “sete-em-um”, cada qual na sua faixa dimensional. Se isto estiver correto, a minha forma biológica tem que fazer o que convém aos sete, que no seu conjunto compõe o Eu, Superior, mesmo que alguma tarefa não me agrade. Por exemplo, se sujei a casa, eu devo limpá-la.

2) No quebra-cabeças apareceu que, quando eu estava na forma de um ancestral remoto, chamado LUCA – the Last Universal Common Ancestor, vivendo longe daqui, usando a dadiva do livre-arbítrio cometi um erro gravíssimo contra as leis naturais e o propósito da existência de qualquer DNA (genoma), me tornando um sistema fechado em si mesmo, o qual se tornou meu inferno, implorando para dele ser libertado ou a morte eterna, porem quem decidiu foram as minhas outras seis partes, que não são culpadas e não querem morrer, e assim decidimos então que eu mesmo consertasse a burrada que fiz. Tenho o modelo teórico, o retrato falado, deste ancestral como sistema fechado, se desfazendo pela entropia cujos fragmentos caíram nas superficies dos planetas criando este tipo de vida no estado de caos e rastejando como sistema aberto, comendo o pão que o diabo amassou, para retornar ao caminho certo. Como fazendo isso seremos libertados, o que é melhor do que a morte eterna, voce nasceu aqui não satisfeito, porém aprovado pelas outras seis partes suas…., pelo seu Eu superior. Aliás esta história foi narrada na forma da parabola do retorno do filho prodigo e depois numa lenda sobre uma tal de queda de um paraíso, porém como não gosto de religiões, desprezei os insights daqueles autores semianalfabetos. Ele não se suicidou no chiqueiro, porque teve enorme saudade de seus pais, então comeu lama e aguentou porque tinha esperança de retornar.

Como até agora ninguém me apresentou um fato ou evento real conhecido que derrube essa teoria, estou suportando comer lama nesta prisão motivado pelo significado existencial que emerge desta teoria: “Somos 8 bilhões de irmãos genes semiconscientes que juntamente com mais bilhões de outros irmãos espalhados neste Universo estamos construindo um embrião de autoconsciência num corpo de luz para nascer além deste Universo no dia do Big Birth. Assim você é – como qualquer gene – o único portador de uma informação específica, intransferível e indestrutível cuja missão é inseri-la na Grande Obra, e de quebra, tens o desejo de ajudar todos os irmãos genes a cumprirem as suas missões, porque se um apenas não o fizer, nasceremos com um aleijão…

Como você pegou no pé dos espiritualistas com exemplar logica racional, imploro-lhe que busque a falha aqui também e apresente o desejado fato que possa me derrubar, pois o que me interessa é a Verdade.

Os humanos estão desprezando a Mestra Natureza para consultarem Oráculos pseudo-naturais

Saturday, May 8th, 2021

No artigo com link abaixo, se revela como a moderna intelectualidade acadêmica está se perdendo em masturbações mentais infindáveis que os afasta cada vez mais de sua mãe Natureza. Bastaria voltarem sua atenção para a face linda que a natureza nos mostra, nos afaga e nos suporta aqui e agora, e conversarem com ela, pedindo-lhe as explicações sobre nossa existência, mas não preferem transportar suas mentes num barco à deriva num oceano infindável de elocubrações mentais que não vão conduzi-los a lugar algum. Fico indignado e por isso me pronuncio como nos dois posts copiados abaixo…

Artigo publicado na Tecmundo em 05/05/21:

O que existe além do universo? A resposta pode dar dor de cabeça

https://www.tecmundo.com.br/ciencia/216787-existe-universo-resposta-dar-dor-cabeca.

Minha resposta:

Imagem

Louis Charles Morelli • May, 28, 21 • edited

O Universo dos físicos e matemáticos é mágico. Ele cria informações do Nada, por mágica. Por exemplo, no universo dos físicos a vida surgiu depois dos átomos e galaxias, e como as propriedades vitais não existiam nos seus modelos teóricos de átomos e galaxias, só podem ter sido criadas por acaso, propriedades vindas do Nada. Tudo bem, porém não posso aceitar esta teoria. Pois tudo indica que o corpo humano com vida foi produzido por este Universo, e porque ele tinha informações para isso. Mas assim como o corpo humano precisa de uma infraestrutura sólida como o esqueleto ósseo, a vida primordial precisava de uma estrutura solida para iniciar. Sistemas atômicos e astronômicos são o passado estrutural da vida complexa, constituída de sistemas biológicos, e os físicos, com a lógica matemática, estão limitados ã captação das coisas deste esqueleto cósmico estrutural. Porém olho novamente para um corpo humano, vejo que tem esqueleto mais simples coberto pela carne mais complexa e quando estudo a história deste corpo descubro que a carne produz esqueletos e não que esqueletos produzam a carne. Então projeto minha inquirição para o antes do Big Bang produtor deste esqueleto, e somente uma solução é possível: seja lá o que for que deflagrou o Big Bang, que iniciou a construção deste esqueleto fisico-mecanico cósmico, TINHA VIDA! Era algo vivo, ou ao menos, continha as leis e propriedades da Vida!. Isto é aplicar a Navalha de Occam neste mistério, pois a solução se torna simples, tudo o que existe aqui se tornam evidências e nosso Universo não é misticamente mascarado de magico. Ele só pode criar coisas pelo mesmo processo e informações que ele foi criado. No primeiro instante da fecundação de um ovulo ocorre um relâmpago de luz, um micro-big bang como no primeiro instante deste universo. Nunca esse moderno mindset acadêmico dominado por físicos + matemáticos vão conseguir elaborar a Teoria do Tudo, sem a participação dos experts em leis e informações da Vida, como biólogos, neurologistas, etc. O mindset acadêmico se tornou mistico pois inclusive acredita que a evolução que vemos nos sistemas biológicos também foi criada aqui vinda do Nada, pois não procuram o elo evolucionário vindo da evolução cosmológica que dirigiu toda a existência dos nossos ancestrais sistemas astronômicos e atômicos.

O mesmo artigo republicado no facebook – A Ilha do Conhecimento

E minha resposta:

A minha investigação privada apontou uma resposta: Antes e além do que nossos sensores (naturais e artificiais) captam e denominamos Universo existe uma extensão mais complexa dele, no qual existem seres “naturais”, não mágicos, cujos corpos são constituídos de um fluído semelhante a luz e autoconsciência. Estes seres se autorreproduzem por um processo semelhante ao genético/computacional quântico fecundando regiões externas preenchidas com matéria/energia escura em eventos que denominamos Big Bangs. Do Big Bang se expande esse fluido luminífero no qual estão encriptados todas as informações para construir uma placenta e um ser (ou uma ninhada de vários seres) que será seu filho. Todos os trilhões de mínimos detalhes conhecidos deste universo hoje são incontestáveis evidências desta teoria. Alguns exemplos: 1) Nos 9 meses da gestação de um corpo humano uma célula inicial se transforma em várias novas formas que apresentam as mesmas formas do período da evolução cosmológica: filogenia biológica recapitula ontologia cósmica; 2) A unidade fundamental de informação do DNA é composta de seis moléculas (dois açucares nas hastes e 4 bases) cujo conjunto é um sistema e funcional. Este sistema é exata reprodução do sistema mais simples que produz os sistemas astronômicos e veio de outra sua forma mais simples ainda que produz os sistemas atômicos, o qual é a exata forma da onda de luz completa visível como espectro eletromagnético, o que significa que nosso DNA foi emitido do Big Bang como onda de luz contendo um código; 3) No microciclo da gestação de um corpo humano se expressa a autoconsciência vinda de seus pais, enquanto no macro ciclo da gestação deste ser cósmico essa autoconsciência vinda de seus genitores se expressa nos 13,8 bilhões de anos; 4) Um corpo humano surge de uma fonte e se propaga no tempo ( aumentando sua idade) e no espaço ( crescendo em tamanho) pelo processo do ciclo vital que produz as transformações das suas 7 formas notáveis (feto, baby, criança, etc.), na mesma exata sequência constatada na propagação da onda de luz primordial, revelando igualmente a causa como sendo o mecanismo do ciclo vital que transforma as formas, as propriedades gerais como intensidades, frequências, comprimentos de ondas, nas sete faixas do espectro eletromagnético. Portanto, não apenas a vida biológica, mas todos os sistemas naturais, desde aquela onda primordial foram formados e evoluem pela mesma formula vital. Desafio todos os humanos, todos os religiosos, cientistas, materialistas, místicos, ateus, capitalistas ou comunistas, etc., a apresentarem um único fato conhecido e comprovado que derrube esta cosmovisão. Se queres saber o que existia antes do Universo equipe-se com uma sonda e camera com poderosa lente situando-a na região microscópica de um ovulo no instante que ele é fecundado. O “spark” ou clarão de energia no momento da fusão dos dois gametas iluminando todo o universo intraovular será à imagem e semelhança do spark inicial do Big Bang na dimensão macrocósmica… e então olhe para alem do ovulo e veja os dois seres que o produziu… Big Bang na dimensão macrocósmica… e então olhe para além do ovulo e veja os dois seres que o produziu…

O fio da História e seus inúmeros afluentes penetrando territórios misteriosos

Friday, April 30th, 2021

O Facebook me pergunta o que estou pensando, nesta pandemia. Respondi escrevendo:

Estou experimentando a mesma sensação incomoda que todos os pensadores revolucionários sentiram nos últimos anos de vida. Todos acreditamos que descobrimos e tocamos o fio da meada da Historia que está enrolado num novelo e puxamos a ponta desse fio que é como a fita de um filme e então ficamos assistindo esse filme projetado dentro da nossa mente.

Sim, o fio da História Natural Universal está no novelo da fita do DNA mas a ponta oculta no meio do novelo não acaba quando chegamos nas cenas da origem da vida, não… a fita continua entrando no passado, passando pelas galaxias, pela nebulosa inicial de átomos e chega no Big Bang. Aí sentimos que ela ainda continua no passado, porem nem a vemos, não a tocamos e ela não projeta mais as cenas. Darwin acreditou que esse fio era a evolução natural, Einstein acreditou que era uma onda de luz, Plank afirmou que o fio era composto de quantas, Newton achou que era uma engenharia mecânica manipulada por Deus, etc. Mas todos viram o fio desde a ultima ponta até algum ponto no passado e não conseguiam avançar mais, então ficaram com a mente ricocheteando entre o Big Bang e o contexto geral do presente, indo e voltando em zigue-zague nessa linha, sem captarem seu significado existencial, sua causa inicial, se ela se estende a um infinito ou teve um começo, etc. E assim todos morrem se sentindo fracassados.

Este é o rotulo na minha testa que vejo quando olho minha cara no espelho: fracassado! E não tens outra alternativa, vais para o tumulo com a etiqueta de fracassado. Está bem, sendo assim, encho minha geladeira com bolos de chocolate e vou para o tumulo com a boca lambuzada de chocolate…iac… iac…
Mas na pandemia descobri algo a mais que não vi nenhum dos meus semelhantes falar qualquer coisa a respeito. Descobri saliências, protuberâncias, situadas ao longo do fio e então puxei estas saliências e fui vendo que eram fios também, como afluentes saindo do grande rio. Seis destes afluentes passados no projetor mostravam cada qual uma das outras seis faixas invisíveis da onda de luz, e cada qual entrava numa mata espessa na qual fui sendo impedido de avançar por tantos penhascos e obstáculos, e quando insistia até o ultimo esforço me via no alto de um vale do qual se descortinava um abismo de luz tão forte que me cegava, não tinha como seguir em frente. Outro fio revelava cenas de seres estranhos, em planetas surpreendentes, e conclui que era o mundo dos extraterrestres, no qual fui cerceado pelas distâncias invencíveis do espaço sideral. Outro fio mostrava cenas de vultos parecidos com humanos mas virtuais, vivendo em camadas circulares acima ou dentro deste planeta, e quando comecei a remar nesses afluentes ouvia vozes avisando que ali era passagem proibida aos encarnados, e ventos fortes batiam nas velas do barco virando-o ao contrario, me jogando de volta no leito do grande rio.

Raios… fiquei perdido, sem saber agora qual é o fio principal no tronco, pois tem afluentes que se alargam mais do que o fio da Historia Natural Material. Será que, como humano e corpo material estou fora do fio central? Cada afluente leva a outros mundos, totalmente misteriosos, meu conhecimento e instrumentos científicos, as imaginações esotéricas e religiosas, nada me ajudam ao tentar investiga-los. Uma coisa aprendi alem do Darwin, do Penrose, etc.: o nosso fio material natural que podemos ver e segurar na mão, pode revelar tudo o que nosso complexo sensorial capta da realidade, mas esse nosso tudo é quase nada da realidade. E não adianta repetir o que fiz no Rio Tapajós, em busca de conhecimento dessa natureza, navegando numa voadeira dotada de pequeno motor e entrando nos afluentes emaranhados de galhos que paravam o motor e eu tinha que descer na água com revolver dentro de saco impermeável amarrado na mão e faca na boca para enfrentar crocodilos, jiboias e onças. Na Amazônia os afluentes sempre morrem em terra firme, no Universo os fios laterais sempre desembocam em nebulosas esvoacentas sem piso sólido, e algumas pequenas informações obtidas nas entradas não conseguimos processar com este cérebro microscópico e primitivo.

Meu fio da historia mostrou tudo, do Big Bang ao Big Birth, que sei será o fim deste universo quando toda sua matéria será descartada como a placenta. Mas a placa que investi toda minha vida procurando, onde deve estar escrito “O Significado da Existência”, está fora deste fio, existem outros muitos fios emaranhados neste novelo, muitos em outras dimensões e com substancias tão inimagináveis que jamais poderia ser encontrada por um rastejante bípede deste planetinha perdido na imensidão cósmica.

Então que vou fazer destes últimos momentos da a minha vida? Chamar dos túmulos meus infelizes camaradas buscadores para chorar-mos junto nossa debilidade e fracasso, ombro a ombro? Ainda não. Percebi também que estes fios misteriosos não apareceram apenas para mim, tem muita gente que chegaram nas portas de saída destes fios, e voltaram narrando estupefatos as estranhezas que viram e sentiram, outros até conseguiram dar uns passos alem destes umbrais. E o que estão narrando – muitas vezes talvez puro fruto da imaginação de cérebros em estados alterados, outras vezes experiencias reais, que precisam serem investigadas pelo método cientifico com novos instrumentos – vem me ajudando a lapidar meus modelos atômicos, cosmológicos, vitais, etc., com logicas racionais, incríveis. O Youtube está sendo invadido por essa multidão, na maioria pessoas simples, uns relatando retorno de morte clinica, outros relatando visões e até contatos com extraterrestres daquele fio que sai como afluente do fio principal, outros inclusive realizando proezas com olhos que veem como raio-X os nódulos em volta das minhas vértebras!

Sinto que o conhecimento é um oceano imenso, do tamanho do Cosmos, e que com investigação tecnológica nós humanos começaremos a navegar mais profundamente neste oceano. Então, me deem licença porque tenho agora que voltar ao trabalho que vai ficar comigo até o ultimo momento que eu chegar na frente do caixão que vai levar este corpo para a escuridão… porem onde poderei ver saindo do mesmo corpo outro fio lateral levando minha mente para outro misterioso lugar… É possível,… ou não.

O que pode evitar a crise existencial e necessidade de terapias nesta pandemia.

Thursday, April 22nd, 2021

Celio Augusto – postado em 22/04/21, no link:

https://www.facebook.com/groups/ilhadoconhecimentomarcelogleiser/

10 h  · Atualmente é grande a procura por terapia devido a vários tipos de dificuldades e transtornos, mas e quando a busca por terapia é devido a uma crise existencial?Sei que aqui no grupo tem muitas pessoas ligadas a filosofia, e tenho lido sobre filosofia médica, a minha pergunta é, o quando a filosofia pode ajudar nesta situação?Eu mêsmo faço terapia, tive muitas perdas nos últimos anos, fui obrigado a fazer algo extremamente difícil que é procurar ajuda profissional, sou autista, adulto e tendo que viver sizinho e independente.Uma frase que me marcou da última Live do Marcelo, é que temos que ter um motivo pra viver, para acordar todos os dias. E quando vc precisa encontrar este motivo, a filosofia poderia ajudar?

Resposta da Matrix/DNA:

A autentica Filosofia Naturalista detecta na Natureza as forças naturais que modelam bem ou mal as mentes e corpos sistêmicos, como os dos humanos. Você poderia ter detectado estas forças e adotado as boas para ti se não tivesse sido desviado da Filosofia Naturalista pela cultura absurda do coletivo humano e por certos instintos caóticos herdados dos nossos ancestrais animais irracionais.

Quem está te informando isto aprendeu por si mesmo a ter ótimas saúdes mental e física, e muita energia com muitas ideias para lutar. Mas nada vem de graça, eu era um filosofo acadêmico que caí a viver sete anos no meio da selva amazônica e na Natureza real fui reduzido a semi-macaco para me re-erguer com outra filosofia, outra visão do mundo, que me ajustou muito bem a como funciona este mundo. É minha obrigação e conveniência que os demais humanos tenham conhecimento dessa nova e inédita maneira de interpretar e entender suas existências, para ficarem saudáveis como eu e abraçarem a mesma causa evolutiva, pois estão fazendo tudo errado e isso me prejudica.

Se clicares no meu avatar vais encontrar meu website gratuito e lendo apenas a pagina home em português talvez te dê um estalo, um despertar e se anime a continuar se informando sobre isso. Não sou eu quem diz, e sim a natureza virgem e intocada: suas ciências, suas visões de mundo, seus misticismos e fantasias, esta filosofia acadêmica traidora da mãe Natureza, está tudo tragicamente muito errado. Ter crise existencial e precisar de terapia é um bom sinal porque revela alguém com potencial para descobrir a verdadeira realidade deste mundo.

O Genoma cosmico e os 5 solidos geometricos: como a onda de luz se expressa nas formas materiais

Thursday, April 15th, 2021

Os 5 solidos geometricos pitagoricos apresentam-se numa sequencia de quantidades de faces: triangulo ( 3 faces ) ; cubo ( 4 faces); pentagono ( 5 faces) ; isosceles ( 6 faces); [ 7 ?); octaedro (8 faces).

E a configuracao sensorial e neuronial destes pensdores a 2.600 anos atras formou um tipo racional que via relacoes entre estas formas materiais com alguns elementos naturais. Assim:

  • O triangulo estava relacionado com o fogo,
  • O cubo com
  • O pentagono com
  • O isosceles com
  • O octaedro com a agua

Quando aprendi isso logo associei com a sequencia das faixas da onda de luz, portanto com o genoma cosmico e isso produz muitas novas questoes. Pr exemplo, a agua apresenta propriedades iguais a onda de luz, ambas se dissolvem, etc.

deixo aqui iniciado este topico para depois continuar uma pesquisa, trazendo as formas geometricas, o espectro da luz, etc.

Naturalismo: Website Principal

Monday, April 12th, 2021

Xxx

https://infidels.org

THESECULARWEB

https://qr.ae/pGT98m