Descoberto mais um padrão universal: fluxo de elétrons num condutor

xxxxx

Universal Pattern Explains Why Materials Conduct

Isto deve vir da formula da Matrix/DNA, talvez do fluxo de energia/informação que corre no circuito esférico do ciclo vital. Mas trata-se apenas da criação de uma faixa ampla de possibilidades numa Matrix matemática estatística com números que registrou os elétrons se posicionando mais ou menos no meio entre os dois lados extremos. Mas todos os padrões universais interessam a teoria da Matrix/DNA.

https://www.quantamagazine.org/universal-pattern-explains-why-materials-conduct-20190506/

Art for "Universal Pattern Explains Why Materials Conduct"

The movement of electrons inside a conductor is impossible to calculate exactly.

Esta imagem pode ir para o livro para dar uma ideia de como a entropia faz os fótons-bits-informações escaparem do fluxo do circuito sistêmico tornando-se os radicais livres que podem reproduzir o sistema em outro lugar.

“What they show, which I think is a breakthrough mathematically … is that first you have conduction, and second [you have] universality,” said Tom Spencer, a mathematician at the Institute for Advanced Study in Princeton, New Jersey.

My answer in Portuguese and English (voltar ao article para ver se foi publicado – aguardando moderador):

Matrix / DNA – A Systemic/Biological Approach –

And why is that? First, there must be a kind of matter that can be traversed by electrons. And as soon as electrons penetrate this material, instead of scattering like clouds across the material or coiling in one place, they line up and move forward in a row. Thus arises universality, because this line always happens.

An ant follows the last of a row because it has sensors such as smell, maybe vision, etc. Which sensors have the electrons to follow the last in line? When we look at an anthill or a beehive from a more distant location we see the whole set functioning as a system that copies the Matrix / DNA formula system. And the systems of those insects were not created by sensors like smells, etc., they build a design that insects couldn’t possibly do, so we learned that the system is automatically imposed by the formula inside the atoms and DNA forming the bodies of the insect proving to be a will from the inside out, but at the same time the same formula is in the larger environment surrounding the insects, suggesting an automatic imposition from the outside in.

In the case of these electrons, when penetrating a conductive substance that artificially conducts them through a pre-established wire could not function modeling to form a system. Even if the wire were bent by joining the beginning end to the end forming a ring, the flow would probably remain permanent running without further effect.

From the Matrix/DNA formula’s perspective, the scattering of electrons escaping from the flow and composing those few random numbers are due entropy of electrons. But comparison with the formula where the flow are photons, we ask what would these electrons lack that photons have to form systems? That is, forming parts and transforming the flow in the life cycle circuit? The photons – which are the registers / transporters of information – within the electrons would be missing. In simple natural systems the photons are the internal sensors. In the future when we get instruments that identify each photon and manipulate them, maybe it will be possible to emit photons aligned in the formula sequence and even in a conductive amorphous mass, systems may spontaneously arise.

xxxxx

Matrix/DNA – Uma perspectiva sistemica e biologica:

E porque é assim? Primeiro é preciso que haja um tipo de matéria que seja atravessável pelos elétrons. E assim que elétrons penetram esse material, ao invés de se espalharem como nuvens por todo o material ou de se embolarem num só lugar, eles se enfileiram e seguem a frente como uma fila. Assim surge a universalidade, porque essa fila acontece sempre. Uma formiga segue as ultimas de uma fila porque tem sensores, como olfato, talvez visão, etc. Quais sensores tem os elétrons para seguirem os últimos da fila? Quando observamos um formigueiro ou uma colmeia de abelhas de um local mais distante vemos todo o conjunto funcionando como um sistema que copia o sistema da formula da Matrix/DNA. E os sistemas daqueles insetos não foram criados por sensores como cheiros, etc., eles constroem um design, impossível de ter sido feito pelos insetos, então aprendemos que o sistema fé imposto automaticamente pela formula que esta dentro dos átomos e do DNA formando os corpos do inseto mostrando ser uma vontade, de dentro para fora, mas ao mesmo tempo a mesma formula está no ambiente maior que envolve os insetos, sugerindo uma imposição automática de fora para dentro.

No caso destes elétrons, ao penetrarem uma substância condutora que os conduzem artificialmente através de um fio pré-estabelecido não poderia funcionar a modelagem para formarem um sistema. Mesmo que se curvasse o fio unindo a ponta inicial a ponta final formando um anel, provavelmente o fluxo se manteria permanente correndo sem mais efeitos. Pela perspectiva da formula da Matrix/DNA, o espalhamento dos elétrons escapando do fluxo e compondo aqueles poucos números ao acaso  são devidos a entropia dos eléctrons. Pela comparação com a formula onde o fluxo é composto por fótons, nos perguntamos o que estaria faltando aos elétrons que os fótons possuem para formar sistemas?  Ou seja formarem partes e transformarem o fluxo no circuito do ciclo vital? Faltariam justamente os fótons – que são os registradores/transportadores das informações – dentro dos elétrons. Nos sistemas naturais simples os fótons são os sensores internos.

No futuro quando conseguirmos instrumentos que identifiquem cada foton e os manipulem, talvez sera possível uma emissão de fótons alinhados na sequencia da formula e mesmo numa massa amorfa condutora, talvez surjam sistemas espontaneamente.

 

Tags: ,

Comments are closed.