O fim das olarias e cerâmicas: tijolos vivos que se reproduzem!

Tijolos e cimentos que crescem e se reproduzem prometem revolucionar a indústria

Por Fidel Forato | 20 de Fevereiro de 2020 às 18h30

https://canaltech.com.br/saude/epidemia-do-covid-19-causou-reducao-na-emissao-de-co2-na-china-160804/

Já imaginou um material sólido, perfeito para construção, que é capaz de crescer sozinho como recifes de corais? É basicamente assim que funcionam os tijolos do laboratório do cientista Wil Srubar, da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos. Isso porque essas criações da biotecnologia não estão apenas vivas, mas em processo de reprodução, também. (ver mais)

É simples (mas complicado de fazer): coloque bacterias numa sopa rica de nutrientes dentro de um recipiente. Quando elas consomem os nutrientes, o que sobra é o material dos tijolos. Entendeu? Mas acho que não vou fazer minha casa com tijolos de fezes de bactérias… Espera aí… e por acaso eu não respiro o oxigênio que nesta atmosfera foi produzida pelo bafo de microorganismos?

Scientific Paper:

Biomineralization and Successive Regeneration of Engineered Living Building Materials

https://www.cell.com/matter/fulltext/S2590-2385(19)30391-1

Minha opinião ( como homus economicus, e não como porta-voz da Matrix/DNA):

Um dia todo o trabalho duro, braçal, rotineiro, será realizado pela tecnologia automaticamente, e a Humanidade finalmente será livre daquela condenação ao nascer: “Comerás o pão com o suor do teu rosto”. Agora estamos vendo o inicio do fim até da profissão de pedreiro! A tecnologia 3D já está fazendo o trabalho de pedreiros e carpinteiros. Então, para o 1% no topo dos humanos predadores de humanos surgirá uma questão: essa imensa massa desempregada, o que vamos fazer com ela que agora não precisamos mais dela? Nos tempos medievais, dois reis que tivessem prejuízo pelo aumento da superpopulação, se contratavam uma guerra de araque, botavam os pobres de um lado a matarem os pobres do outro lado. Então adivinha o que vai acontecer? Mas é bem feito! Até hoje gente pobre das colônias ficam encantados com as notícias dos namoros dos filhos da rainha Elizabeth, quando eu tiro meus olhos rápidos destas notícias exclamando: “São parasitas predadores. Se todo pobre fosse igual eu jamais teria existido reis, inclusive os 1% de hoje…”
Desde já os pobres das vilas deveriam estarem se unindo para juntar seus centavos e trabalhar para produzir seu consumo, pois no futuro vai sobreviver quem tiver a tecnologia como os meios de produção.

Tags:

Comments are closed.