Virus: Novas informações

Nenhuma descrição de foto disponível.
https://www.facebook.com/biologiajubilut/

Para entrar na célula, os coronavírus utilizam suas glicoproteínas para ligar-se na membrana celular do hospedeiro. Então, o vírus “comanda” a célula, obrigando-a a produzir cópias virais.

xxxxxxxxxxxx

Só para você ter uma ideia, um único coronavírus tem capacidade de estimular uma célula a produzir até 100 mil novos coronavírus. Chega um momento em que a célula fica tão sobrecarregada, que entra em processo de apoptose (ou morte celular) e libera muitas cópias do material genético do vírus no organismo – período capturado pelas imagens dos cientistas.

xxxxxxxxxxxxxxxx

O vírus se reproduz por meio de “montagem”?

a célula vai criando pequenas partes do vírus e assim montando em pedaços

xxxxxxx

Tava curiosa pra entender “como” o vírus prejudicava o corpo humano…Ou seja… ele tem matado as pessoas mais idosas, ou pessoas com doenças pre existentes / crônicas, que ja não conseguem produzir células saudáveis e ter forças pra combater o poder de destruição dele.

xxxxxxxxxxx

nas ilustrações sempre colocam a celula expandindo e rompendo pela quantidade de vírus q foi produzido, então, na verdade a quantidade de proteína/lipídio etc utilizada para fazer os vírus q sobrecarrega a célula e ela mesmo entra no processo de apoptose? Interessante

Minha resposta: Mas você tocou num ponto interessante: como a célula tem tanto material interno que são ingredientes para produzir tanto lipídio/proteína para os milhares de vírus reproduzidos dentro dela? Então não é apenas o DNA que fica indefeso mas também o citoplasma fora do núcleo…?!

xxxxxxxxxxx

Comentario que postei no Facebook do Jubilu dessa foto acima:

Louis Charles Morelli:

Deixa-me consultar as formulas da Matrix/DNA:

Todo sistema natural – como uma célula – tem aquela propriedade emergente que denomino “a entidade do sistema”, ou “o software do hardware”. Isso vem dos sistemas físicos não-vivos, quando surge um controle interno para chegar ao equilíbrio termodinâmico. Se o vírus consegue vencer a entidade sistêmica da célula e assumir sua maquinaria, significa que ele tem uma entidade sistêmica mais poderosa, o que é paradoxal, pois ele é mais simples. Mas como o COVID-19 está tendo mais sucesso nas células de pessoas idosas, então podemos supor que não é o vírus que tem a entidade ou software mais potente, e sim que entidade da célula está demasiada enfraquecida. Talvez por causa da idade.

O fato do vírus ter como principal e talvez único efeito a sua reprodução, significa que ele todo é um pedaço do sistema biológico, e um pedaço relacionado a um dos dois pedaços que desempenham função na reprodução, que são F1 (feminino) e F4 (masculino). Para mim uma grande questão é como ou porque o vírus surge no mundo: produzido nos sistemas biológicos e dispersados externamente, ou vindo da evolução a partir do material inorgânico, por conta própria? Outra questão surge da informação de que na célula o vírus é montado aos pedaços, o que significaria irredutível complexidade: não seria possível reduzir sua evolução chegando a um ancestral comum. Escrevo isto aqui para curiosidade dos estudantes de Biologia de que existe esta outra frente de pesquisa com outra abordagem diferente da acade mica, e que pode inspirar os estudantes a muitas pesquisas e teses. E buscando ajuda de cabeças pensantes, pois estou sozinho nessa…

xxxxxx

Outra imagem igual, do NIAID – instagran, não possivel de copiar, e meu comentario postado abaixo, no Instagran:

https://www.instagram.com/p/B-eudowDCzM/

Louis Morelli: I have noticed that outside the cell the virus only exists as groups. The unique allone, isolated virus, are those already linked to cell´s receptor. Why? If we have a drug that could separate these groups, maybe isolated virus in space could dye? Which is the substance used by these virus as glue among them?