Porque existe o encontro entre um vírus assassino e um humano suicida?

Ele morreu com apenas 24 anos, pelo coronavirus. Era incrível sua felicidade a vida toda, nunca foi visto sem estar rindo e brincando. Super saudavel. E devotado suporte de Trump, atuando como militante nas campanhas dele, etc.

COVID-19 victims’ stories: Ben Hirschmann

Robert Hirschmann remembers his son’s last days before he died at home from the coronavirus: “This is a hole in your heart that will never be filled again.”APR 26, 2020

https://www.cbsnews.com/video/covid-19-victims-stories-ben-hirschmann/

Vamos tentar analizar este evento natural:

O vírus é invisível, donde se conclui que o humano é pego de surpresa, traiçoeiramente. Então não teria nexo dizer que o humano que se encontra com o vírus procurou seu suicídio. Mas acontece que humanos procuram suicidios pelo tipo de seus comportamentos anteriores, os quais dirigem humanos ao encontro com o vírus.
Claro, cada pessoa vai interpretar esta história à sua maneira, baseada na sua interpretação geral da natureza real e sua metafisica mistica, todos nos temos isso.
Acho que o ateu não vai se dispor a analizar, saltando imediatamente para a conclusão de que “foi simples acaso, ele foi no lugar e hora errada, e o virus estava lá, o encontro entre os dois obedeceu os simples processos naturais. Sendo a mais bem elaborada e mais complexa arquitetura construída pela sorte, dentre os varios eventos ao acaso, ele aproveitou isso enquanto pode, e se maravilhou pelo que a sorte pode produzir”.

Acho que o religioso, principalmente doutrinado na crença do conteúdo de um livro chamado Bíblia que conta as histórias e mitos dos judeus a milhares de anos atrás, também não vai investir sua mente numa análise profunda de cada detalhe desta historia para ver se aprende algo mais sobre o mundo real. Ele vai repetir o que sua religião diz: ” É… Deus tem suas razões ( para produzir esta historia com virus e humanos sendo torturados e mortos pelos virus) e não somos nós que vamos saber como Deus pensa…”

Agora, eu não acho como um filósofo naturalista vai reagir, porque sou um deles, então tenho certeza de como eles reagem. Enquanto assistem a historia, cada detalhe vai-lhes trazendo ‘a lembrança detalhes de outras histórias reais sobre a natureza real que se assimilam. No final do video, a mente do filósofo esta fervilhando com todos aqueles detalhes, os quais incluem desde o que aconteceu recentemente como o que aconteceu com partículas nas origens do Universo, ou da extinção dos dinossauros. Eu particularmente na primeira menção da palavra vírus minha mente correu na formula da Matrix/DNA para ver o que é, como veio a existir, qual o significado da existência dos vírus, e na fórmula focalizo a Função Sistêmica numero 5 (F5). aem seguida, busco as causas da origem do personagem. Nasceu na classe média americana da Carolina, seu pai era policial, sua mãe advogada. Disto procuro deduzir a vida infantil, a educação, que formou o carater do personagem. Com estas duas criaturas identificadas, vou analisar como e porque vírus e o humano Ben se encontraram num mesmo ponto do espaço tempo e como, porque, neste encontro ocorre o fenômeno em que o virus mata o humano.
Os humanos sabem que virus matam, assim como leões matam, por isso existe falta de logica racional num humano se ele desafiar um leão. Ben não foi surpreendido por um inimigo invisível, ele sabia da pandemia. Ele desafiou o virus. Isto significa que ele tinha problemas no raciocinio: ao inves de raciocinio logico racionalista tal como a natureza fez ao criar este cerebro no mundo real, ele estava desviado para o tipo de raciocinio magico, mais virtual que real. É tipico dos misticos, religiosos, ideologos, etc. Dirigido pelo pensamento mágico seu corpo foi desafiar o leão de mãos vazias. Talvez convencido por outros humanos com pensamento magico: pode ir no meio daqueles indivíduos porque eles não trazem o virus. Ou seja, existe o leão, mas ele esta preso fora, não vai aparecer no encontro. Ninguém poderia afirmar que os indivíduos não levariam o virus, se tivessem o raciocínio lógico, o qual estaria bem informado pelos cientistas, principalmente que pessoas podem estarem com virus, espalhando o virus, sem o saberem.
Sei que ler a descrição do comportamento do filósofo naturalista ( e não dos filósofos acadêmicos do ar condicionado, que são experts em florear e entreter seus discursos sobre abstratos, e nao sobre o real) é maçante, tedioso, mas também o é escrever, e o filosofo naturalista aguenta firme o desconforto escrevendo porque ele quer uma explicação racional. Os religiosos do tipo ateu e deista já teriam chutado o balde desde o inicio, saindo com seu julgamento definitivo.
Ambos, o pai e a mãe de Ben cometeram na vida um infringimento de uma lei natural. A de que: “Comerás o teu pão, dormirás na tuas casa, vestirás suas roupas, e tudo o mais que consumires, pelo suor de seu rosto e calejar de suas mãos. Pois no mundo real nada do que consomes cai do céu gratuitamente. E se consomes algo concreto sem ter produzido algo concreto de igual sacrifício no trabalho para dares em troca, certamente estarás se apropriando do trabalho, tempo, e vida de outro humano.” Advogados e policiais nada produzem de concreto com suas mãos. Eles procuram escaparem dessa maldição da Natureza, se aproveitando de uma falha no sistema social, sempre criado por predadores de humanos. Um sistema social criado por um filósofo naturalista jamais teriam estas brechas, não precisaria de advogados e policia, pois a visão do mundo na base do sistema social teria configurado as operações mentais de todos para não infringirem as normas do sistema e quando um doente mental o fizesse, a função de polícia e de júri seria exercido pela comunidade. Criado nesse lar com esse erro Ben não perceberia por si mesmo o erro e tenderia a ser mais um errado igual. Esse foi um dos desvios da lógica natural que ajudou a conduzir Ben ao encontro com o virus.
Em seguida, o filosofo naturalista nota que Ben imita seu idolo, Trump, desprezando o poder do virus, baseado na auto-segurança erigida pelo estado do pensamento mágico. Esta auto-segurança vem da infância mental da humanidade ( tão fantasista como é a infância dos indivíduos humanos) na forma do representante da psique construída pelo instinto a predador inscrito na genetica dos ancestrais animais habitantes das selvas. O leão nasceu com a maior força do mundo vivo, nada o ameaça, ele é o dono, o rei supremo de seu território e automaticamente com ódio devora e mata suas presas. Para ele aquele estado do mundo é eterno, um leão nunca pensa no futuro e muito menos que possa existir alguma ameaça de que aquele mundo seja mudado. Como esse estado mental se transfere para a recem-criada psique do humano ainda primitivo? Este humano nasce brincalhão, com a psique povoada de fantasias, conversando com amigos fantasmas imaginarios. estes amigos fantasmas foi quem produziu os objetos ‘a sua volta, tudo usado como brinquedos. Então no humano primitivo os amigos fantasmas se tornam deuses, responsáveis pela criação de tudo que existe no mundo. E para o humano cuja psique tem o instinto para predador dominante, ao invés do instinto para presa típico dos escravos conformados, ele nasce privilegiado e deve passar a vida se deleitando nestes privilégios, pois assim Deus o quer. Para Trump é inadmissível que venha um inimigo invisível com poder destruindo suas presas e território, seu Deus subconsciente jamais permitiria isso, isso mudaria um mundo que é imutável.
Ben estava fazendo tudo certinho na infância para se tornar mais um patrão e ele se dirigiu mais para ser um patrão político. Inconscientemente, ele não podia evitar o semblante sorridente quando se aproximava de pessoas, fas parte da função, serão seus futuros eleitores. E não poderia ter evitado se inscrever na militância dentre os políticos, especialmente os republicanos que representam mais o seu caráter.
Vírus é a ferramenta concreta, material de um operador invisível mas que tem uma força material para operar essa ferramenta, assim como nosso pensamento tem a força invisível para mover nosso dedo. Pelo que vejo na formula da Matrix/DNA, virus vem como dois grupos opostos entre si: um pode ser para o bem de certas criaturas, outro para ser o mal. Na formula, virus representa F5 que é o responsável pela perpetuação de um sistema fechado em si mesmo, ou, como o oposto, o responsável pela perpetuação de sistemas abertos. Tudo depende da direção em que F5 é ejetada, se para dentro ou para fora do sistema. Se for para dentro, ele é bom para o sistema e mal para tudo que esteja fora, e vice-versa. O coronavirus é mal para a criatura humana, um sistema aberto. Sei que ele foi produzido por um sistema fechado, com as forças e elementos naturais desta galáxia, que é um sistema fechado. Ele vai definir a criatura humana como uma inimiga, uma intrusa de sistema aberto dentro do seu sistema fechado.
E aqui chego ao pico máximo do mistério, daqui vai surgir uma lição me mostrando o que um humano deve fazer de sua vida para não ser pego por ele e quiçá, o que fazer para vencer a guerra contra ele. Mas aqui todos os dados formam um quadro muito confuso ao observador, pois um personagem do conflito nasce como X dentro de um sistema X para atuar como X contra um personagem que nasce como Y, dentro de um sistema aberto Y… A coisa fica confusa porque Ben era um representante do tipo de sistema fechado, X, porque sua mente revelava o egoismo dos sistemas fechados, mas tinha a anatomia interna de sistema aberto… e isso tudo torna o quadro confuso. Quando chego neste ponto de qualquer meditação pelo metodo filosofico naturalista, já estou muito cansado mentalmente, costuno parar aqui, apenas registrando o que foi escrito, e isso fica no subconsciente voltando ‘as vezes a tona e muitas vezes, sem querer, surge uma resposta racional. Ohhh… espera aí… Ben tinha a psique fechada, o virus representa um sistema fechado, os iguais se auto-identificam, se relacionam festivamente, Ben e o virus se encontraram numa festa do partido republicano… Não,… não, acho que forcei demais, vamos pausar por aqui… prometendo que volto no dia que pintar uma solução racional. Raios, a vida dos religiosos ateus e deistas é muito mais fácil…

Tags: