O coronavírus é parte do metabolismo interno de Gaia?

Dois posts publicados no Facebook, em 9/julho/2020:

O que procuro fazer para melhor aguentar essa pandemia?

Na infância quando chorava segurando a dor do joelho esfolado, algum adulto ainda piorava mais gritando: ” Está vendo? Você não me houve avisando para não correr e pular, que você vai cair. Agora vai chorar longe daqui”. Esse adulto me fez um grande favor. Porque no meu cérebro infantil eu olhava com raiva o buraco na grama, a culpa toda era dele, até que o adulto me obrigava a estender a mente para ver que a culpa estava mais distante, era minha culpa, a causa era correr sem olhar pra frente, e assim fui aprendendo a evitar muitos erros impulsivos.

Hoje quando já quase não aguento mais essa inercia nessa prisão e vejo no noticiário a carnificina e o desespero financeiro da maioria, olho o mundo pela janela, vejo a morte rondando no ar do planeta, lembro dos chineses comendo aqueles animais, e na parede vejo o calendário com a imagem de Jesus, e fico com raiva disso tudo: do Universo, do planeta, de Deus, dos chineses… Mas no computador abro meu website, com uma cosmovisão que sempre sussurrou nos meus ouvidos:

” Vocês humanos estão indo pelo caminho errado, que é perigoso, repetindo o mesmo erro que derrubou seus ancestrais”. E a cosmovisão mostra com surpreendentes detalhes qual foi o erro, o que é este Universo e este planeta e o que fazer para viver melhor neles, sugere o conceito de fonte criadora muito mais complexo que o conceito do Deus elaborado pelos humanos, que os chineses são apenas as outras partículas de um grande erro do qual sou outra partícula… e tudo isso se resume na inevitável logica conclusão: a pandemia é culpa nossa, minha! E a dor está sugerindo que ainda pode ser pior, talvez o joelho quebrou, pode precisar de cirurgia…

Na cosmovisão, o planeta simples dos astrônomos muda, e se torna Gaia, uma visão muito mais profunda e tão complexa que o coronavírus se torna um fenômeno natural onde forças físicas e químicas pressionadas pela pressão de humanos atuando como vírus se projetam na forma do Covid19, como os anticorpos do sistema de defesa auto-imune de Gaia. Vejo Gaia como a ancestral das mulheres gravidas que por instinto natural lutam desesperadamente na defesa do feto que gestam, pois planetas gestam em seus núcleos os germes vivos e escaldantes das novas estrelas. Como ter raiva de uma mãe que solta seu gato para matar ratos que lhe mordem a barriga e ameaçam comer sua cria?

Assim abro a camisa e vou de peito aberto enfrentar a atmosfera mortífera lá fora olhando Gaia bem nas suas entranhas efervescentes e digo alto para ela ouvir.

” Eu te compreendo, minha mãe hospedeira e sinto e compartilho sua dor. Você tem todo o direito e dever de fazer conosco o que está acontecendo, pois recebestes nossas almas em seu seio, nos alimentastes, nos confortastes, nos protegestes e destes de ti tudo o que lhe foi possível. E nós lhe abrimos feridas, sugamos suas energias e sangue interno, sufocamo-la impedindo-a de respirar tapando seus poros com asfalto e cimento envenenando seu ar. Passei a vida diferente na mais possível simplicidade e puxando as orelhas de meus irmãos tentando explicar que és a mãe Gaia e que estavam te maltratando… mas fracassei, somos culpados, aceito e quero que agora defenda sua cria, suportarei todo castigo, mãe querida cumpra a missão que o Universo espera de ti.”

Assim, com este estado consciente de espirito atravesso a pandemia tranquilo com tolerância e paciência nesta minha prisão solitária… reconhecendo meu crime.

Como entender esta pandemia para manter um estado mental mais forte, resistente e o corpo saudável?

Alem do aspecto Gaia do meu ultimo post, esta pandemia cobra sacrifícios de algumas vidas humanas e com isso pode vir a salvar a especie inteira da extinção, desviando-a da louca correria desembestada que vem aprontando cujo futuro certo será seu suicido. Pois alem de interromper o desenvolvimento natural da nossa hospedeira Gaia, nós estamos indo direto para o Admirável Mundo Novo, a terrível profecia do genial Aldous Huxley, sendo dominado pelo Big Brother da outra terrível profecia do genial George Orwell.

Para se ter uma ideia do destino a que estamos indo se a pandemia não mudar nossas mentes, sugiro lembrar-se do que são as colmeias de abelhas e os formigueiros, pois os insetos foram dirigidos a constituírem seus sistemas sociais automatizados quase perfeitos pelas simples forças físicas e elementos naturais que constituem seus corpos e o meio-ambiente ao seu redor: o mesmo sistema social na forma de maquina funcional automatizada destes nossos ancestrais sistemas solar e galáctico.
Enquanto nenhum desastre agride os insetos seus corpos se acomodam naquela zona de conforto como um paraíso porque eles não tem nenhuma consciência expressada, nenhuma necessidade intelectual, nenhum motivo para evoluir, ao contrario, são reacionários a qualquer motivo que implique em qualquer alteração.

Desprezando e até combatendo agressivamente toda expressão de pensamento sistêmico holístico que se somaria ao seu idolatrado pensamento e método reducionista, a Ciência humana dominada pelo 1% financeiro, através destes ambiciosos acadêmicos, fica reduzida dentro de uma ínfima faixa material da realidade, e das informações que obtém desenvolve esta tecnologia, a qual conduz a instalar a biosfera mecanicista no mesmo sistema social dos insetos, pois o tipo do conhecimento humano tem o terrível efeito de entorpecer, aprisionar e até ameaça abortar o feto de auto-consciência cósmica que estamos gestando no meio dessa placenta chamada cérebro dentro deste ovo chamado caixa craniana.

Sem a pandemia, com certeza estaríamos ainda caindo, retornando ao nosso estagio ancestral de insetos. E isso se estabeleceria tentando ser eterno com o domínio da robotização pela Inteligencia Artificial.Nós precisamos sim, transformar a biosfera caótica dando a nossa mãe Gaia a face linda e feliz de planeta ajardinado. Que os trabalhos embrutecidos e rotineiros sejam feitos pelo automatismo. Pois precisamos da casa em ordem e bem abastecida, todas as necessidades do corpo físico satisfeitas, para que possamos gestar o sagrado feto o qual será nós mesmos no futuro, todos em um. Precisamos ter nossas bases físicas firmes neste planeta, para que possamos iniciar nossa aventura cósmica onde vamos colher as informações que são o alimento necessário para a expansão do nosso feto de auto-consciência. Mas precisamos de outro tipo de Ciência, de outra cultura interpretativa dos detalhes da Natureza que é Universal, de outro tipo holístico de tecnologia, e de algum reforço nas nossas incipientes ética e moral. Enfim precisamos nos mudar em quase tudo para salvar e manter livre aquilo que os insetos não tem, que é a nossa alma na forma da nossa mente, antes que ela caia irreversivelmente na armadilha do Admirável Mundo Novo sob as botas pesadas do Big Brother, o qual será, na verdade, a Big Mother, a Big Queen, como são a s rainhas das abelhas, das formigas, e da que está parecendo ser imortal, a septuagenária rainha da monarquia inglesa.

A pandemia está sacrificando meus amados velhinhos irmãos e irmãs, estou chorando e implorando a Gaia que proceda a esta cirurgia corretora de forma menos dolorosa, mas na minha pequenina e infantil mente penso que entendo que tudo isto visa salvar os jovens da armadilha preparada em nosso caminho. Namastê!

Tags: , ,

Comments are closed.