Ferro-60: Possível prova do modelo teórico astronomico da Matrix/DNA

Restos de supernova podem ser encontrados em bactérias pré-históricas

Um material que não se forma na Terra (isótopo Ferro-60) foi encontrado em 2004 no fundo do Oceano Pacífico e, de acordo com as análises da época, a fonte teria sido uma supernova ou, mais precisamente, seus restos que chegaram ao nosso planeta 2,2 milhões de anos atrás. 

Matrix/DNA: A parte da Teoria Geral da Matrix/DNA que trata de Astronomia sugere um diferente modelo teórico para formação das estrelas ( e dos outros tipos de astros). Neste modelo, germes de estrelas são produzidas num cone vorticial e são ejetados ao espaço como pequenas esferas constituídas principalmente de ferro incandescente. No espaço estes germes atravessam o horizonte de eventos ao redor do cone nuclear, o qual é constituído de poeira de estralas e outros astros “mortos”. Sobre o germe são agregadas estas poeiras que formam camadas diferenciadas pelas temperaturas e constituição da poeira e num desenvolvimento seguinte o bólido esta na forma de planeta. is to significa que planetas gestam em seu núcleo o germe de nova estrela, a qual vai se expressar mais tarde como está calculado no modelo. Esta noticia revela que foi encontrado nas profundidades marítimas o isotopo de Ferro-60, e segundo a noticia este elemento não é produzido na Terra, mas calcula-se que seja produzido em estrelas supernovas. É uma hipótese um tanto vaga pois não se aponta a estrela, não se sabe como uma estrela teria enviado este material à Terra. Ora, a teoria da Matrix/DNA, quando trata das origens da vida, sugere que material do núcleo terrestre tenha “subido” para a superfície, pois segundo os cálculos, 50% das informações para a vida teria vindo de astros na forma de planetas ( os outros 50% teriam vindo de formas de astros entre F6 e F7, nos quais se incluem as estrelas). Infelizmente não guardei uma leitura antiga que informava que existe uma troca de elementos entre a superfície e o núcleo do planeta, algo como carregados por lixivia, e subiriam como lavas vulcânicas. O fato do Ferro-60 ter sido encontrado nas profundezas marítimas, que esta mais perto do núcleo e tem ventos e lavas vulcânicas é indicativo favorável à Matrix/DNA. Porque procurar a causa a muitos anos-luz distante da Terra, se ela pode estar aqui mesmo, abaixo de nossos pés?

No entanto, há de se lembrar que a Matrix/DNA sugere dois tipos de formação de galaxias e não tem os cálculos das transformações do primeiro processo no segundo, o que pode anular planetas de segunda geração como a Terra de portar um germe estelar.

Tags: , ,

Comments are closed.