Os racionalistas que criticam os misticos espiritualistas estão convidados a criticarem a cosmovisão da Matrix/DNA, com fatos.

xxxx

Parabéns pela lógica. Gostaria que você analisasse e criticasse minha teoria, para eu me livrar dela. Reagi com a mesma lógica sua contra a teoria espiritualista, argumentando que ninguém pode se corrigir e evoluir vivendo sob o ciclo da fraqueza e miséria na Terra. Pagar karma? Ora, as prisões não corrigem, tornam-nos mais criminosos.

Porém, apesar de parecer ser puramente lógica, é possível que haja neste mundo e no nosso inconsciente uma lógica diferente e mais logica ainda, que justificaria este nosso nascimento absurdo aqui. Descobri essa possibilidade numa investigação pelo método naturalista, exclusivamente materialista. Trouxe para a mesa todos os fatos e eventos reais conhecidos e comprovados deste Universo e procurei conectá-los sem as místicas e teorias comuns. Quase fechei o quebra-cabeças, mas sobrou apenas um mistério a resolver: o que era aquela onda de luz original no Big Bang? De onde e como veio? Estudando-a no espectro eletromagnético percebi que ela tem uma anatomia, formando um sistema funcional que se expande e se propaga pelo mesmo ciclo vital que faz nossos corpos se propagarem no tempo e espaço. No meu website podes ver como ela se encaixa na função de fórmula criadora de todos os sistemas naturais, de átomos, a galaxias, e inclusive, da unidade de informação do DNA, a qual é em si um sistema funcional. Mas daí tem dois desfechos surpreendentes:

1) As sete faixas ou micro-ondas são como os órgãos do nosso corpo, porém a nível cósmico, estas faixas produzem sete dimensões ou sete realidades porque cada faixa tem todas suas propriedades em um nível deferente das propriedades das outras seis faixas. Um nível de vibração, intensidade energética, comprimento de onda, temperatura, etc., que cria uma realidade que não se mistura com as outras seis, como sendo sete universos paralelos. Isto sugere a possibilidade de que a minha centelha de Matrix/DNA seja “sete-em-um”, cada qual na sua faixa dimensional. Se isto estiver correto, a minha forma biológica tem que fazer o que convém aos sete, que no seu conjunto compõe o Eu, Superior, mesmo que alguma tarefa não me agrade. Por exemplo, se sujei a casa, eu devo limpá-la.

2) No quebra-cabeças apareceu que, quando eu estava na forma de um ancestral remoto, chamado LUCA – the Last Universal Common Ancestor, vivendo longe daqui, usando a dadiva do livre-arbítrio cometi um erro gravíssimo contra as leis naturais e o propósito da existência de qualquer DNA (genoma), me tornando um sistema fechado em si mesmo, o qual se tornou meu inferno, implorando para dele ser libertado ou a morte eterna, porem quem decidiu foram as minhas outras seis partes, que não são culpadas e não querem morrer, e assim decidimos então que eu mesmo consertasse a burrada que fiz. Tenho o modelo teórico, o retrato falado, deste ancestral como sistema fechado, se desfazendo pela entropia cujos fragmentos caíram nas superficies dos planetas criando este tipo de vida no estado de caos e rastejando como sistema aberto, comendo o pão que o diabo amassou, para retornar ao caminho certo. Como fazendo isso seremos libertados, o que é melhor do que a morte eterna, voce nasceu aqui não satisfeito, porém aprovado pelas outras seis partes suas…., pelo seu Eu superior. Aliás esta história foi narrada na forma da parabola do retorno do filho prodigo e depois numa lenda sobre uma tal de queda de um paraíso, porém como não gosto de religiões, desprezei os insights daqueles autores semianalfabetos. Ele não se suicidou no chiqueiro, porque teve enorme saudade de seus pais, então comeu lama e aguentou porque tinha esperança de retornar.

Como até agora ninguém me apresentou um fato ou evento real conhecido que derrube essa teoria, estou suportando comer lama nesta prisão motivado pelo significado existencial que emerge desta teoria: “Somos 8 bilhões de irmãos genes semiconscientes que juntamente com mais bilhões de outros irmãos espalhados neste Universo estamos construindo um embrião de autoconsciência num corpo de luz para nascer além deste Universo no dia do Big Birth. Assim você é – como qualquer gene – o único portador de uma informação específica, intransferível e indestrutível cuja missão é inseri-la na Grande Obra, e de quebra, tens o desejo de ajudar todos os irmãos genes a cumprirem as suas missões, porque se um apenas não o fizer, nasceremos com um aleijão…

Como você pegou no pé dos espiritualistas com exemplar logica racional, imploro-lhe que busque a falha aqui também e apresente o desejado fato que possa me derrubar, pois o que me interessa é a Verdade.

Tags: