Posts Tagged ‘cérebro’

Entidade/software dos sistemas naturais: bactérias e neurônios como evidencias

Thursday, March 19th, 2020

Bactérias se comunicam do mesmo jeito que os nossos neurônios

https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Curiosidades/cerebro_bacteria_neuronio.php

Artigo: A pesquisa foi realizada em biofilmes ou “placas” bacterianas que formam o tártaro – sim, aquele que se aloja nos dentes. A comunicação entre as bactérias é feita por meio de canais iônicos, as mesmas estruturas envolvidas na comunicação entre neurônios.

Matrix/DNA: Bem, aqui, ‘a primeira vista, não estamos falando de presença da entidade de sistemas, pois o tártaro é apenas uma massa de sistemas, não formando um sistema. Mas também a humanidade não è um sistema, no entanto existe comunicação entre seus sistemas, quen são corpos humanos, familias, etc. Penso que quando os humanos criam essa comunicação externa a seus corpos, com seus semelhantes, ele está formando um novo tipo de sistema ao qual vamos denominar de “sistema social”, do qual emerge uma entidade. Então, voltando ao tartaro, se existe essa comunicação entre bactérias e entre suas diferentes zonas, deve ter aí algo parecido com um sistema social.

Artigo: No biofilme, as bactérias são capazes de resolver conflitos dentro da comunidade assim como as sociedades humanas.

Matrix/DNA: Bem… os pesquisadores instruíram a coisa. Vindos por caminhos diferentes, ambos notamos a característica de sociedade humana nos tártaros.

Artigo: Essas oscilações no tamanho do biofilme requerem grande coordenação entre as bactérias periféricas e as centrais, o que levou os pesquisadores a imaginar que essa comunicação era feita de forma eletroquímica.

Matrix/DNA: Isso sugere que a abstrata entidade possui uma força física, pois consegue atuar sobre a matéria física. Essa força se expressa biologicamente através de elementos electroquimicos.

Artigo: Os experimentos revelaram que as oscilações no tamanho da membrana conduziam sinais elétricos de longo alcance dentro do biofilme. Conforme a energia se propagava, a atividade metabólica das bactérias era coordenada. Quando os canais iônicos eram deletados das bactérias, a placa não era capaz de conduzir os sinais elétricos e se desordenava.

Matrix/DNA: Isto sugere que quando se suprimiu o canal ou circuito por onde correm o fluxo de energia/informação, se deletou a entidade do sistema, e sem essa no controle geral, o sistema se desmancha.

Artigo: Gurol Suel, líder do projeto, declarou que “assim como os neurônios do nosso cérebro, descobrimos que as bactérias usam canais iônicos para comunicação entre si, por meio de sinais elétricos. Desse jeito, a comunidade bacteriana dentro dos biofilmes parece funcionar como um ‘cérebro microbiano'”.

Matrix/DNA: Bacterias no tartaro e neuronios no cerebro. Dusa formas de sistemas, derivadas da formula universal dos sistemas naturais. A diferença entre tartaro e cerebro se resume à diferença que as transformações produzem seus diferentes graus evolutivos.

O cérebro humano defeituoso, seus maus efeitos e sugestões para corrigi-los

Tuesday, March 3rd, 2020

Lendo o artigo abaixo:

Tem gente que perde pessoas incríveis por atitudes ridículas.

no link: https://impulsopensante.blogspot.com/2020/02/tem-gente-que-perde-pessoas-incriveis.html?showComment=1583292122152#c3212257069031680375

E consultando a formula da Matrix/DNA, ela sugeriu a seguinte explicação:

Desprezar o bom que tem e correr atras do que julga ser o melhor para si é uma consequência de um defeito no cérebro humano, e pode ser corrigido se tiver consciência deste defeito. O cérebro humano é um sistema natural, mas o córtex cerebral esta indevidamente dividido em duas partes, o que torna o cérebro um sistema separado em duas metades. Ao invés do pensamento sistêmico ver o todo – o que faria a pessoa ver o valor do que ela tem no sistema ao seu redor – o uso de uma metade faz a pessoa querer apenas o que é bom para aquela metade ao invés do que é bom para o seu inteiro. Então o seu alvo, se obtido, apenas reforça seu defeituoso uso de uma metade, tornando-se um processo de feed-back sem fim. O fato de o alvo se revelar mal depois é porque ele era mal para seu inteiro como sistema completo mas a pessoa não foi capaz de discernir isso. Informações sobre isto e desenhos dos cérebros perfeitos e defeituosos estão na Teoria da Matrix/DNA.

Cerebro menor nos bulinadores e arrogantes.

Thursday, February 20th, 2020

Ahhh… agora entendí porque os bolsopatas na Internet relincham o “kkkkk ” constantemente, que é a expressão digital do bullying: cérebro menor. Mas não é para rir, e sim para ter pena…

Pessoas que praticam bullying têm o cérebro menor, conclui pesquisa

Por Natalie Rosa | 20 de Fevereiro de 2020 às 18h10

https://canaltech.com.br/saude/pessoas-que-praticam-bullying-tem-o-cerebro-menor-conclui-pesquisa-160789/

” A pesquisa mostrou que os cérebros de participantes com longos históricos de roubo, agressão, violência, abuso, mentiras, ou dificuldade em cuidar de suas responsabilidades, eram diferentes dos que não tinham nada disso. Então, foi chegado à conclusão de que os córtex das pessoas que praticam bullying são mais finos, e seus cérebros inteiros possuem menos área de superfície. Resumindo, os cérebros são menores”

É compreensível. O cortex é um órgão novo na evolução, desenvolvido apenas em humanos. Mas os humanos mantem na parte inferior do cerebro os órgãos herdados do cérebro animal irracional, inclusive, o caroço reptiliano, que dizem ser resquicio do cerebro reptil.

Como também as propriedades do pensamento contínuo e da autoconsciência abrangendo horizontes tempo/espaciais mais amplos que o imediatismo animal, são novidades caracteristicas dos humanos, basta somar dois mais dois, ou seja, que quanto maior o cortex, maior o intelecto absorvedor de conhecimento e mais subjugados e menos expressados são os instintos e impulsos violentos animais. Bullying e´ato desumano, total ausencia da empatia consciente, malicia como a insensibilidade do predador animal. As partes baixas do cérebro mais expressadas que as partes altas.

Bem,… isso é apenas uma hipótese que me ocorreu agora refletindo nos resultados desta pesquisa. Hipótese a ser testada…