Posts Tagged ‘dimensão’

Sera mesmo que firmamos a base concreta para alcançar a quinta dimensão?!

Wednesday, July 31st, 2019

xxxxx

Suspeito que no mesmo lugar que estão as coisas que vejo e percebo existam outras coisas que não percebo. Sabemos que toda matéria no final é mero espaço vazio. O sistema solar é 5% matéria solida e 95% espaço vazio. Esta matéria nos astros e gazes são formada de átomos, os quais são 5% matéria e 95% espaço vazio. A matéria dos átomos na forma de massa e energia das partículas é  5% matéria e 95%, espaço vazio. As partículas são 5% matéria e 95% espaço vazio. A matéria das partículas são 5%… Enfim, acabamos de descobrir que no local onde vemos toda matéria, também é o mesmo local onde todo o espaço é vazio.

Nosso cérebro não tem capacidade para processar esta informação, porque não temos sensores para ver o espaço vazio. Com estes sensores nunca vamos resolver essa questão… vamos continuar vivendo na existência da matéria, crendo que só ela existe aqui, por imperativo de nossa sobrevivência. Vamos ignorar esse negocio de que somos vazios num espaço vazio…

Mas assim como não vemos e não percebemos o espaço vazio, suspeito que existem mais ou menos seis outros “universos” no mesmo local do espaço vazio e destas coisas materiais, inclusive nos locais em que nosso corpo estiver, que não vemos, não percebemos, não fazemos a menor ideia das suas existências.

Essa suspeita começou depois que interpretei a onda de luz natural ao meu modo e descobri a formula universal dos sistemas naturais. Uma onda de luz se divide em sete faixas. Cada faixa tem suas características, que são diferentes das outras faixas. Seja intensidade de vibração, o comprimento de onda que acelera ou desacelera a velocidade dos movimentos das coisas produzidas por ela, a qualidade e intensidade de energia, etc. A formula dos sistemas naturais apareceu pela primeira vez aqui como uma onda de luz. Descobri que uma onda de luz natural é um sistema, e funcional, como se fosse uma coisa viva, pois ela se move e tem sua anatomia interna construída pelo processo do ciclo vital. Quando uma onda de luz é comparada com a formula, percebemos que cada faixa da onda é uma parte de um único sistema, ou seja, ela, e apenas ela, executa um tipo de função dentro do sistema, o qual é a onda inteira.

No prosseguimento dos meus cálculos, uma onda de luz assim configurada como sistema, que se propagasse no meio de uma substancia que preencha todo o espaço ( digamos o éter, a dark matter, a espuma quântica, ou seja que nome se queira dar a essa substancia), ela causa fricção no atrito com essa substancia de onde saem faíscas de energia. Por fim resulta numa nebulosa onde luz mais energia mais a massa espacial se misturam. Como a onda é composta de sete faixas diferentes, e stas faixas estão misturadas com os outros dois elementos, afora a formula começa a construir novos sistemas que não são mais apenas de luz, mas contendo os três elementos. Assim surgem os sistemas das partículas fundamentais.  A formula apresenta em si o dualismo universal, pois ela tem duas faces, as quais podem serem simétricas ou assimétricas entre si. Deste dualismo resulta que as partículas fundamentais sejam dividias em quarks e léptons. Todo um mundo, um universo, e formado com um numero quase infinito de copias diferenciadas da formula, assim um mundo de objetos fundamentais se relacionam, se percebem, existem. A seguir a formula faz uma nova onda de sistemas agora não mais apenas constituída de três elementos, e sim de cinco, pois se adicionaram os quarks e léptons. Surge o mundo dos átomos, que se percebem, se relacionam por meios eletromagnéticos. Mas este novo nível do mundo, o dos átomos, percebe também o mundo formado anteriormente, das partículas fundamentais, pois eles são constituídos delas e eles se alimentam delas. Em seguida forma o mundo das galaxias, cujos objetos se percebem e se relacionam por meios mecanicistas, e percebem o mundo dos átomos, pouco ou nada percebendo do primeiro mundo.

E então nova onda de criação de um novo tipo de sistema – o dos sistemas biológicos – é criado. Estes novos sistemas se auto-percebem por meios biológicos, e percebem os outros níveis inferiores dentro do seu ciclo biológico que são os animais, as plantas, e podem perceber os mundos primeiros inferiores. Todos estes mundos são específicos, distintos, separados em “comunidades” ou “especies”, e mais importante, separados pelo nível de complexidade da organização dos elementos que os compõem. O mais importante é notar essas diferenças no tipo de organização, que começou pela eletromagnética, depois a mecanicista, depois a biológica… Mas todos ocupam o mesmo espaço. Todos estes mundos são coberturas, diferenciadas entre si, o que permanece igual em todos eles é a substancia que preenche este espaço…: a luz misturada a substancia espacial. Isto é o vazio que subjaz o nosso mundo material.

Das 7 faixas de onda, nos só vemos a quarta, que é a faixa da luz visível. E apenas percebemos muito bem  a existência de elementos que vibram e assumem as outras propriedades dessa quarta faixa, percebemos um pouco dos elementos das outras três faixas anteriores

Vamos trazer para cá, a figura do espectro eletromagnético que seria a face de uma onda de luz, alterada pelas hipóteses da Matrix/DNA Theory: ( observe que a onda tem inicio por uma fonte localizada a direita do gráfico e se propaga repetindo o processo do ciclo vital, o mesmo que produz as mudanças de formas do nosso corpo. Os símbolos F1, F2, etc. significam que cada faixa, cada cor, corresponde a uma função sistêmica na formula da Matrix/DNA, cuja figura vem a seguir. Clique na figura para amplia-la)

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

 

The Matrix/DNA as Software of Astronomical Systems's Building Blocks

The Matrix/DNA as Software of Astronomical Systems’s Building Blocks

 

Acontece que são sete faixas, e a logica não nos autoriza a dizer que a formula de luz parou de criar na quanta faixa. Não somos especiais. Mas assim como um crocodilo ou um tigre na selva vive o seu mundo de acordo com a sua individualidade, o seu eu, e praticamente nada mais lhe importa, ele também quase nada percebe do que acontece na faixa logo acima da dele, que a faixa dos humanos e suas coisas. Acho que na primeira vez que um tigre vê um carro  e se movendo pensa que é outro animal. Assim nos humanos nada percebemos dos elementos que compõem as quinta, sexta, e sétima faixas. Talvez a quinta faixa seja composta dessas coisas que não entendemos e não vemos nada, que chamamos de consciências, e/ou a sexta faixa seja algo como o mundo dos espíritos…

Para um átomo só existe o mundo dos átomos e quica, alguma coisa do mundo das partículas. Átomos não teriam a menor noção da existência de planetas, galaxias, sapatos… apesar deles e seu mundo estar ocupando o mesmo espaço ocupado por astros e sapatos. Então é possível que nos conhecemos as três dimensões abaixo de nos ( a das partículas, dos átomos, dos astronômicos), mais as duas que estão na nossa dimensão biológica mas abaixo de nos – as plantas, os animas – e talvez estejamos adentrando no conhecimento das primeiras coisas da quinta dimensão com esse vago conhecimento da consciência. Mas da sexta e da sétima não fazemos a minima ideia.

Enfim, para que vale, qual a vantagem, em fazer-mos todo este exercício mental feito agora?

Esse exercício mental nos levou `a ideia inusitada de como pode ser que exista realmente sete universos paralelos, convivendo num mesmo lugar e mesmo tempo. E nos levou a suspeitar que existe uma quinta dimensão, como um quinto mundo, existindo aqui e agora, talvez atravessando nossos corpos como as ondas magnéticas, os sinais dos celulares estão atravessando. Mas nos não estamos atravessando os corpos deles. Nos somos elementos, partículas, que compõem os corpos deles, assim como átomos compõem os nossos corpos. Talvez não. Nos herdamos dos astros os seus níveis evolutivos de complexidade, esta esta dentro dos nossos corpos, mas os astros não estão, pois são muito grandes, etc. Talvez o que de nos compõem os corpos dos corpos da quinta dimensão são as propriedades de complexidade evolutiva que possuímos, reunidas nisso que denominamos de nossas consciências.

A vantagem é que nos passamos a ser capazes agora de digerir a suspeita e exista a quinta, e talvez a sexta, a sétima dimensão. Mas não apenas suspeitar de forma aleatória como muitos misticos já suspeitaram. Agora nos viemos pelo caminho concreto da racionalidade e ate conseguimos já adiantar algumas ideias do que deve ser esta quinta dimensão. E isto nos cria um novo desejo, um novo estimulo, o de avançar na direção desta quinta dimensão, pois pela logica que vimos ate agora, ela deve ser bem mais complexa, mais evoluída, portanto mais poderosa. Com alguns destes poderes poderíamos resolver mazelas que nos prejudicam a vida aqui. Essa suspeita assim firmada concretamente nos estimula a evoluir, a saltar do quarto degrau procurando se agarrar no quinto degrau. No que me toca, vou investir qualquer tempo ou energia sobrando nesse empreendimento.