Posts Tagged ‘formula’

Calvin Cycle e a Formula da Matrix/DNA: Maravilhas da Formula Criadora

Wednesday, December 2nd, 2020

Como a formula Matrix/DNA para sistemas naturais e ciclos vitais montou o Calvin Cycle? BASTA VER A SEGUNDA FIGURA AQUI PARA ENTENDER TUDO!

O processo da fotossíntese se divide em duas fases. Uma é chamada de fase clara, porque se dá na presença da luz; a outra é a fase escura, porque ocorre no interior da folha, sem luz. Esta segunda fase é o Calvin Cycle.

Um artigo completo explicando o Calvin Cycle pode ser visto no Wikipedia ou melhor no link: https://www.eartheclipse.com/biology/calvin-cycle.html

1) Figura do Calvin Cycle

Superpondo o objeto real criado ( o Calvin Cycle ) sobre o template gerador que é a formula Matrix/DNA, temos:

This image has an empty alt attribute; its file name is Calvin-Cycle-no-paint-1024x666.png
Calvin Cycle e a Formula Matrix/DNA

Recordando uma das figuras da formula:

The Universal Matrix/DNA as Closed System

F1 fica no local Stage 1, carbon fixation, depois que entra ” 3 molecules CO2″ na folha através dos poros chamados stomata. Ali existe uma molécula que é a receptora inicial de NADPH and ATP, os quais vem da primeira fase da fotossínteses que é outro ciclo. Este receptor (acceptor, porque F1 é função inicial receptora que inicia a mistura das matérias primas e gera o embrião do sistema ) é chamado RuBP: ribulose-1,5-bisphosphate (RuBP), a five-carbon acceptor molecule. Observe que no final do ciclo, no Stage 3, começa a ocorrer a regeneração de RuBP, da mesma forma que no sistema astronômico os fragmentos de F7 se reúnem num ponto para refazerem o vórtice nuclear.

Partindo daí deduzimos que o Stage 2 representa as funções F2, F3, F4. Observa-se que o produto final, 3-carbon sugar é emitido onde deve estar F4, onde fica a função masculina emitindo seu “espermatozoide” que tanto pode ser a energia e informação a fecundar F1 ( sistema fechado) ou pode ser energia/informação atirada para fora do sistema ( sistema aberto).

Temos então a novidade, o curioso caso em que um sistema perfaz-se como fechado e aberto ao mesmo tempo. Fechado porque ele mesmo fornece o material para refazer sua fonte inicial, e aberto porque ele recebe e fornece, ou seja faz trocas com o exterior.

Mas como isto é possível? Eu nunca vi sistema semelhante antes, ou não notei que outros sistemas também fazem isso. A explicação é que o sistema não é realmente fechado, como também não é realmente aberto. Em resumo, pode-se explicar com uma analogia de dois grupos de três passageiros humanos num veiculo:

Existe uma estrada circular, formando uma esfera, onde permanentemente roda um veiculo, com 3 pessoas. A certa altura, o veiculo para e recolhe 3 pessoas que pedem carona. Ficam 6 pessoas. Antes do veiculo chegar novamente ao ponto onde as 3 caronas entraram, elas saltam do veiculo, e correm a pé na frente, para reentrarem quando as três caronas desembarcarem… isto porque naquele trecho terá que ser feita uma tarefa da qual o grupo carona é especialista. Aquele trecho que fica no inicio e no final de uma volta, sempre terá apenas 3 passageiros. Essas voltas do veiculo com 3 pessoas representa o sistema fechado, que foi aberto no meio da volta e voltou a se fechar, sem afetar nada na chegada. E qual a evidencia para esta teoria? Está aqui: ” An enzyme called RuBP carboxylase/oxygenase or rubisco would catalyze the attachment of carbon dioxide to the RuBP. This process would make a six-carbon compound. But because the said compound is unstable, it would quickly split into two molecules of a three-carbon compound which is called as the 3-phosphoglyceric acid or 3-PGA. Hence, for each of carbon dioxide that would enter the cycle, two 3-PGA molecules are formed.”

Two 3-PGA … São dois grupos de 3 passageiros.

Mas sentimos aqui algo muito mais profundo e complexo acontecendo. E parece-me que a nível quântico! Pois um sistema fechado é estável, sempre. Se qualquer de suas partes se tornar instável – por alguma perturbação externa – o fluxo ou parte dele se desvia da lógica do ciclo vital, o que significa que não vai chegar o material necessário em F1 para reiniciar a auto-reciclagem. Mas neste sistema, ele já se torna instável logo após a partida do fluxo de F1. Como se seu corpo começasse gordo em demasia de maneira que o veiculo, muito pesado, não rolaria para perfazer o circuito. Mas quando o veiculo começa a falhar logo depois da partida, quer queira, quer não queira, o sistema será invadido por outro gordo, que vem de fora. Mas ao invés do invasor entrar no veiculo, empurra-o. E só pára quando termina o stage 2. O invasor entra como a molécula “NADO” e sai na forma de glucose. Tudo bem, não vemos nenhum dedo da quântica nisso, é perfeitamente racional pelas leis da física clássica. Mas…

E se o sistema não tivesse partido instável? Ele não pode evitar a invasão que sempre ocorrerá no meio do trajeto. Se o gordo invasor tivesse entrado no veiculo, todo o sistema teria desmoronado. Então para que o sistema sobreviva ele precisa se tornar instável logo na partida. Mas como, na partida, o motorista do veiculo sabe que vai ser atacado no futuro?!!!

O fluxo nada pode saber do futuro, assim como as aguas de um rio não podem saber que lá na frente vai desaguar sobre ela as aguas de outro rio que também vem correndo na direção do mar.

O FENOMENO QUANTICO DA “ESCOLHA RETARDADA” SE MANIFESTA NO CALVIN CYCLE?

Esta estranha surpresa nos lembra imediatamente o mesmo problema chamado de “escolha retardada” que ocorre na dimensão quântica, e que foi meu assunto a uns dois ou três artigos atrás. No qual o acaso que vai ocorrer no futuro determinou a logica do que ocorreu no passado…. Os caras ficam observando o canhão emitir um feixe de fótons que saem na forma de partículas e perfazem um circuito. Aí resolvem brincar com os fótons e faze-los quebrarem o nariz num paredão. Devido a se moverem na velocidade da luz, não é possível colocar a barreira no circuito depois que os fótons foram disparados. Então colocam a barreira antes e disparam o canhão. Os fótons atravessaram a barreira. Como? Repetem a experiência, Vamos focar na barreira como fazem isso. Aí descobrem estupefatos que os fótons não vinham como partículas e sim como ondas, as quais atravessam facilmente a barreira. Mas como vinham como ondas se saíram como partículas? E porque quando não colocamos a segunda barreira, os fótons saem como partícula e continuam como partícula até o fim? Vamos focar a boca do canhão de onde saem estes fótons. Sem barreira, saem como partículas. Quando botam a barreira, saem como ondas.

Como é que os fótons adivinham que lá no futuro vão encontrar outra barreira e por isso precisam serem ondas? E no Calvin Cycle, como é que os carbonos sabem que devem entrar em numero de seis, o que parece suicídio, na forma instável, porque lá na frente vai chegar algo que se os encontrassem na forma estável estariam todos mortos?!!!

NÃO EXISTE DE FATO A DUALIDADE SIMULTANEA DE UM OBJETO COMO ONDA E PARTICULA ?

Para mim, a formula da Matrix/DNA está sugerindo uma solução que me parece lógica. É uma solução parecida com a epigenética. E vem reforçar uma suspeita que venho pensando a tempo e que escandalizaria os cientistas da teoria quântica: “Não existe essa dualidade onda/partícula. Claro que essa ideia tem minado toda a nossa racionalidade, pois ela não existe de fato. O que existe, no experimento acima, é uma partícula fóton se movendo junto com seu background, seu fractal maior, que é um campo que é onda, como se fosse um campo eletromagnético. Acontece que essa onda é luz a luz original de onde vem os fótons, e os fótons são miniaturas da onda, eles contem tudo o que a onda completa contem, com seus sete estágios vibracionais. E acho que isso explica também o ainda desconhecido comando de instruções do DNA. A formula está ali materializada em carne e osso, mas ela continua junto como luz.

A MATRIX/DNA, ENQUANTO ONDA DE LUZ, É ATEMPORAL?

A onda é atemporal ( passado e futuro colapsam a um ponto que é o presente, então, sempre existe apenas o presente) portanto antes do fóton partir, a onda já sabe qual será sua futura trajetória. Se a onda sabe que terá a segunda barreira, ela modela o fóton para se comportar como onda. Essa ideia me veio do meu modelo teórico do átomo, quando procurava descobrir como a formula Matrix/DNA ( que é a onda que estamos falando) construiu os sistemas atômicos. Sendo o primeiro molde evolutivo do sistema universal, o átomo foi feito mais como template do que objeto real. O template está circunscrito nas sete camadas eletrônicas, cada camada sendo uma das partes da formula. Elas são campos abstratos de força, ou luz, e apenas emergem como objetos se tocadas por um elétron. É como se um corpo humano fosse invisível e quando tocado em algum órgão, ou mais alguns, estes órgãos se materializassem sendo visíveis… com o resto do corpo permanecendo invisível. E isso resolveria as contradições entre o modelo teórico de Rutherford, onde elétrons circulam o núcleo como partículas, e o modelo teórico quântico, onde os elétrons aparecem como ondas difusas. Ora, a partícula elétron continua, mas agora também a camada eletrônica correspondente a onda se manifesta, por isso os observadores veem como onda.

( Pesquisa a ser continuada)

A formula da Matrix/DNA refletida na formula da Filosofia Ubuntu?

Monday, November 30th, 2020

Observe como o circuito é auto reciclável. pense na criação de nova forma de sistema e coloque “experiência” no local de F1:

dadid kolb

xxxx

1] EXPERIÊNCIA

Pergunta-orientadora: O que aconteceu?

Objetivo: Viver uma determinada experiência

2] REFLEXÃO

Pergunta-orientadoraO que senti?

Objetivo: Refletir e partilhar como se viveu a experiência (sentimentos, pensamentos, comportamentos etc.)

3] GENERALIZAÇÃO

Pergunta-orientadoraPorque aconteceu?

Objetivo: Sistematizar e aprender a partir da experiência

4] APLICAÇÃO

Pergunta-orientadoraO que vou fazer?

Objetivo: Compreender as implicações práticas das conclusões identificadas e a sua aplicabilidade para a vida

É porque se acredita na eficácia de uma aprendizagem baseada na experiência que na Academia de Líderes Ubuntu procura oferecer-se, em cada sessão, um conjunto de experiências que despertem a curiosidade e a motivação para a reflexão e aprendizagem. Recorre-se a diversas ferramentas como os filmes, documentários, dinâmicas de ação-reflexão, contos, músicas, textos, de modo a proporcionar aos participantes vivências marcantes, refletindo posteriormente e em conjunto sobre elas, promovendo o seu desenvolvimento individual e também coletivo. As atividades que vão sendo propostas estão estruturadas em termos de objetivos pedagógicos e intencionalidade da aprendizagem.

Como o ouvido humano foi construído pela formula da Matrix/DNA, o “Genoma de Deus”.

Monday, June 1st, 2020

Tudo o que a nova forma do sistema natural universal chegando ‘a Terra e vindo do ápice da evolução naquela época – que era o building block dos sistemas galácticos – precisou para se adaptar, sobreviver e evoluir neste ambiente – ela “pediu” e foi atendida pela formula de Luz – o genoma de Deus, que eu prefiro crer ser apenas uma Fonte Criadora. Desde que a fórmula, ou Fonte Criadora, veio no Big Bang na forma de sistema quase-perfeito ( “quase”, para ser aberta à evolução ), contendo todas as informações na forma de software para ser utilizada na criação de hardwares e seus acessórios, era extremamente versátil e maleável para se encaixar nos diversos ambientes, acessórios como os biológicos para captar e traduzir as ondas de som adquiriram variadas formas e empregaram o máximo possível das informações disponíveis na formula. Assim os primeiros seres vivos ( sistemas biológicos) precisavam “ouvir” no novo ambiente e o software no DNA começou a materializar informações construindo cada vez mais aperfeiçoamentos ao longo da evolução ( ou até descartando materializações anteriores por desuso em outros ambientes). Enfim, como se encontra o ápice da evolução da cópia da formula empregada na captura e translação das ondas do som, no ser humano? Como esta forma de audição esta deformada ou variada em relação à formula perfeita? Quais as informações da formula original já foram aplicadas na construção do ouvido humano?

Vejamos na figura abaixo a anatomia interna do ouvido humano e depois vamos comparar com a figura da formula:

A formula da Matrix/DNA deformada como building block deste sistema astronomico, no estado de sistema fechado quase-perfeito:

Agora vamos ver quem é quem, ou seja, quais as partes do ouvido representando quais funções da formula:

Se o estimulo que “liga” o sistema entra pelo pavilhão auricular, já temos a pista de que este deve ser ou F1 ou F4. Mas já podemos descartar F1 porque esta é a fornalha ou vórtice que recebe a matéria prima externa para construir o sistema, e julgando pela sua forma imitando vortices com espirais, e pela sua posição interna como inicial do sistema, já detectamos que F1 deve ser a Cóclea.

Então a unica outra função que emite sinais internos para deflagrar a operação de um sistema é a F4 – a função macho, que emite ou retransmite estímulos como espermatozoides contendo uma quantidade de informações, na direção de F1, a Cóclea.

Para continuar as identificações é melhor focalizar F1, porque aí se inicia o fluxo do sistema o qual tem uma sequencia revelada na formula. Ora, no building block astronomico, logo acima e ao redor do vórtice tem o horizonte de eventos, a camada de matéria dispersa que servira como placenta para envolver a semente, venha esta de F1 ou de F4. Na figura vemos esta região identificada como “Ouvido médio” e tem aquele canal auricular vermelho. Os apetrechos como tímpano, martelo, bigorna, tudo feito com informações da formula sendo agregadas ao sinal do estimulo que no caso são as ondas de som. Assim como a superfície do planeta recebe a luz solar com informações e as traduz na enorme diversidade de seres vivos, o tímpano recebe o sinal e o traduz para entendimento do cérebro.

O tubo pelo qual entra a onda sonora, chamado “meato acústico” claramente representa a função numero 5, observe o “tubo” meridiano na formula. Não é apenas a situação e a forma semelhantes, mas a autenticidade da função da formula copiada no hardware auditivo: canal de transporte das informações vindas de F4 e encaminhadas para F1. As outras funções, como F2, F3, F6 e F7 estão representadas iu encarnadas nas formas do martelo, bigorna, ossículos, etc., e deveremos mais tarde e com mais tempo ver se identificamos exatamente cada uma, não apenas para aumentar nosso conhecimento, mas esse conhecimento pode nos ajudar mais tarde no desenvolvimento de tecnologias e medicinas para sanar defeitos auriculares.

Assim , como tenho repetido, desde as nossas mãos até cada bactéria que existe em nosso corpo são acessórios que nossos antepassados e mesmos nós agora pedimos, imploramos, choramos nossas necessidades e desesperos por melhor poder de manipular a matéria, e a formula encarnada como software em nosso DNA atendeu mandando uma sua cópia para o local do corpo que se concentrava nossa atenção pedinte, para ser usada e modelada pelos nossos esforços através dos nossos exercícios na direção da matéria que precisamos manipular.

Por que amamos?

Monday, April 27th, 2020

Emoções é um fenômeno estranho para um filosofo naturalista. Como isso surgiu, se os sistemas naturais ancestrais, não-biológicos, nada tinham de emoções?! Como isso pode ter surgido num animal irracional, iniciando pelo amor maternal?

Bem, o amor fraternal pode ter sido uma evolução de algo que já “estava escrito nas estrelas”. De acordo com a definição pela Matrix/DNA Theory, uma estrela é como uma mãe atarefada em alimentar seus rebentos ( planetas) com seu nectar energetico e mante-los protegidos sob suas longas asas gravitacionais.

Mas as outras emoções nunca foram por mim localizadas nestes principios ancestrais. Por outro lado a teoria indica que emoções são propriedades do ego resultantes de duas influências: de um lado está o cérebro com sua psique e instintos primarios, do outro, está a luz da formula da Matrix banhada em substância da consciência cósmica. O ego seria o elo produzido pelo contacto entre estas duas dimensões.

Por exemplo, como e porque amamos? Da herança recebida da genética animal irracional os instintos animais prevalecem quando o ego tem pouca influência da consciência cósmica. À medida que vai evoluindo, o baixo cérebro vai cedendo influência no ego, e este espaço é ocupado pela substância da consciência cósmica. Dizer que amamos não é verdade, pois quase todas as vezes que alguém diz que ama certa coisa vamos notar que no fundo esse alguém está recebendo algum benefício material por isso. Esse “amor” é um ´prototipo do amor definido como ” desprendimento e dadiva ao objeto amado”. Este seria o estado emocional autentico da conciencia cosmica. Então, como resposta ‘a pergunta “por que amamos?” seria: em relação a humanos´é porque algo da substância cósmica está entrando no espaço do ego.

Mas… em se tratando de algo invisivel, tão abstrato, é possível que eu esteja interpretando a fórmula da Matrix/DNA de forma errada. Portanto é mais um assunto a ser registrado na categoria “research by Matrix/DNA”.

Formigas: marionetes da Matrix/DNA

Sunday, April 12th, 2020

REFLEXÃO BIOLÓGICA. UMA FORMIGA CORTADEIRA EM MEU JARDIM

Por: Biólogo Gerbson V. Nascimento.

No espaço limitado de minha casa, há duas áreas que tenho total paixão: Minha pequena biblioteca, onde leio, escrevo e faço algumas pesquisas de pouca envergadura, e meu pequeno jardim amarrotado de plantas (algumas sendo PANC), um sapo, minhocas e muitos artrópodes. Entre os artrópodes que moram e visitam constantemente meu jardim, estão as formigas cortadeiras. Elas cortam matéria vegetal saudável e carregam com muita maestria para seu formigueiro, fazendo verdadeiros caminhos de insetos. Elas não comem tal coisa, apenas o mastigam e usam como adubo para a lavoura de um fungo que nasce e cresce unicamente em seu formigueiro e dele retiram seu alimento.

Olhando toda aquela atividade coordenada e intensa, me pergunto como tudo começou e então parece que vejo uma jovem formiga alada deixando seu ninho que naquele dia está agitado com o evento dos voos nupciais. A jovem formiga alada, até aquele momento pouquíssimo fez no formigueiro. Ela não procurou comida, não defendeu o formigueiro em um ataque, não cuidou das larvas, nem fez escavações. Tudo que fez foi aguardar aquele dia. Ele chegou! Ela então usa suas asas pela primeira e última vez, afastando-se do formigueiro. No ar copula com muitos machos e então é levada pelo vento para terras distantes.Se nada de mal lhe ocorrer, ela alcança o chão e a primeira coisa que faz é arrancar seu par de asas. Ela não precisará mais delas. Nunca mais em sua vida voará.

Então aquela que nunca cavou antes, agora tem de cavar um pequeno buraco que será sua casa. Após feito, ela se isola na escuridão e nunca mais verá o dia novamente. No escuro e no silêncio de sua moradia, ela põe seus ovos. Os fortes músculos que sustentavam suas asas, vão aos poucos sendo absorvidos e dando força a agora futura Rainha Formiga. Mas com o tempo, o músculo já todo absorvido, não pode mais ajuda-la. Então para sobreviver, não só ela, mas também o futuro formigueiro, ela tem de praticar o ato extremo de comer alguns de seus ovos. Com a eclosão dos primeiros ovos, mas trabalho surge para aquela que nunca antes trabalhou. Ela terá que alimentar as larvas. Ela faz isso regurgitando parte do que comeu. Passando-se algum tempo, as larvas entram em estado de pupa. Mais um tempo e dali saem operarias. Elas são fracas e mirradas, mas conseguem sair do buraco e buscar alimento que fortalecem sua cansada rainha. Conforme o número de operarias aumentam as coisas só melhoram para a rainha que agora apenas se ocupam em colocar ovos. Todo o restante do trabalho é feito pelas operarias. O formigueiro cresce, o fungo que a rainha levou consigo aumenta e assim surge o grande número de operarias cortando folhas para cuidar dessa lavoura.

A reflexão é intensa e não pude deixar de aprender algo com ela. Algo que sem dúvida posso usar em minha própria vida.

Referências e bibliografias:MAETERLINCK, M. A vida das formigas; um universo misterioso. São Paulo: Hemus.WILSON. E. Cartas de um jovem cientista. 1ª ed. São Paulo: Companhia das letras, 2015.Foto: Formigas carregando folha.Fonte: Disponível em:<http://docebiologia.blogspot.com/2013/08/por-que-as-formigas-andam-em-fila.html>.Acesso em: 08. Abr. 2020.

Analise tendo por base a formula da Matrix/DNA:

” Elas cortam matéria vegetal saudável e carregam com muita maestria para seu formigueiro, fazendo verdadeiros caminhos de insetos. Elas não comem tal coisa, apenas o mastigam e usam como adubo para a lavoura de um fungo que nasce e cresce unicamente em seu formigueiro e dele retiram seu alimento. “

Matrix: Porque e como a fórmula que estava no estado astronômico e veio à superfície da Terra, tendo que se refazer e se readaptar, manipulou as formigas para atuarem assim? Onde na fórmula estão os mecanismos, processos, ferramentas, que são aplicados pelas formigas?

A Matrix/DNA is a “formula” or a “circle diagram” in English?

Monday, January 20th, 2020

A friend wrote:

This is the actual formula?

I sensed that the circle diagram was important, but I wasn’t sure quite how it fit in the system.

Louis:
Why do you insist on using words that already have an established meaning? If you say “formula” when you don’t mean “formula”, people are bound to get confused. If you really think you’re on to something, you should probably put more effort into making sense.

My research:

Definition of formula in English:

https://www.merriam-webster.com/dictionary/formula#h1

Resumo: nem mesmo a Brittanica é completa na definição sobre o que é uma formula. Ela fala de formula no sentido de matemática, química, medicina. Mas e no sentido de sistemas animados, coisas vivas?

Sabe qual o problema? Se me disseres que o DNA é a formula geral para todos os seres vivos eu vou concordar. Mas se disseres que o DNA consiste de letras arranjadas num certo padrão ( one sugar is linked to a base but base A, de adenine, não se liga a base C, citosina… etc., eu vou discordar. O código ou formula do DNA representado por letras é uma criação humana, e não da Natureza que produziu o DNA. A Natureza usa átomos e moléculas, não letras. E a natureza não alinha seus símbolos como se faz com uma formula matemática. Ela distribui os símbolos separados em diferentes posições geométricas, como está no DNA. Da mesma forma, a Matrix/DNA é, digamos, o template de todos os sistemas naturais, mas para faze-la, a natureza não usa letras, nem átomos, nem moléculas. O que vai no lugar de letras ou moléculas são funções: as quais chamei Função 1, F1, Função 2, F2, etc. E função não é um corpo concreto como são átomos e moléculas, funções são mais parecidas com forças, e estas ninguém ainda sabe definir, apenas nominar. Mas a Matrix funciona como o DNA e se o DNA é uma formula, natural, então a Matrix também é uma formula e natural.

Mas existe o problema que o homem ocidental foi escolado por um curriculum em que formulas são representações estáticas que representam unidades mortas que adquirem dinâmicas ao se dar sequencia as formulas. Nunca ninguém da academia se referiu ao DNA como uma formula. Eu acho isto uma falha, porem não me interessa discutir e corrigir isso, não estou aqui para debater semântica. Mas se eu usar a palavra formula para o que entendo ser uma formula, e natural, vou estar causando confusão na mente dos leitores ingleses, como meu amigo apontou acima. Então devo procurar outra palavra, outro nome.

Que tal ” The Matrix/DNA Model” ?

Não sei. Não existe nenhum outro modelo no Universo que faz o que a Matrix/DNA faz. faria sentido dizer ” the DNA model”? Me parece que não. Mas se isto vai diminuir uma confusão desnecessária e incomoda que apenas prejudica o objetivo supremo que é a mensagem contida na Matrix/DNA, então vamos tentar usar o tal ” model”.

E que tal a palavra “Diagram”?

Opa! Vamos ver a definição disso nos dicionários:

Example of a diagram

A Matrix/DNA não é bem isso, mas é o que mais se assemelha. Decidido:

The Matrix/DNA Diagram

Célula: Ciclo Vital criado pela Formula Universal

Wednesday, December 11th, 2019

A evolução desde o sistema galáctico para os sistemas biológicos vivos teria que provocar uma drástica mutação nos processos internos do sistema devido aos ambientes e substancias de origens serem muito diferentes. Na comparação ente um sistema galáctico – pelo meu modelo teórico – e a primeira célula viva vemos que o significado geral dos sistemas foi mantido, a dinâmica do ciclo vital que veio com ondas de luz de alguma maneira se impôs. Temos que estudar como um sistema regido pela mecânica astronômica se torna um sistema pelo método biológico de organização da matéria. Não podemos esquecer que entre a mecânica astronômica e a organização biológica teve um elo, que foi a química orgânica. A mutação ocorreu nas formações químicas das moléculas orgânicas primitivas, aqui temos que desvendar como foi essa mutação. E a separação de um todo em pacotes de informações para depois serem juntados estes pacotes reproduzindo o todo permite muitas variações, em ambientes inéditos.

O circuito sistêmico sempre tem o mesmo desenho do ciclo vital, pois é o ciclo que vital que se torna um sistema.

Esta figura quando vista sob a perspectiva da visão de mundo pela Matrix/DNA lembra imediatamente a formula universal do sistema natural universal. Então vamos trazer a formula para cá:

Formula do Sistema Natural Universal

Na figura da célula notamos que o ciclo começa no topo de cima com a célula filha, então temos que inverter o sentido da figura da formula pondo F1 no lugar da célula filha, F2 onde a célula cresce, etc. Quando na Interfase, a célula começa ps preparativos para a bifurcação do circuito que acontecerá em F4 e para isso ela duplica o DNA que é o carregador da informação para um segundo fluxo do circuito de desprender. Ela está fazendo isso entre F2 e F3, por isso ela é dirigida pela formula a crescer ainda mais. Na Profase vemos o processo sexual hermafrodita se solidificar. A cromatina se condensa em cromossomos que é uma forma necessária para constituir os genomas sexuais e o desaparecimento do nucléolo tem que acontecer: até aqui, em F3, se impos a face feminina do processo, com a criação da célula filha pela femea em F1, mas em F4, que é a face masculina, a feminina sai e cede o lugar ao masculino.

Na prometafase se insere a F5 com seu ramo lateral e interno. Se na galaxia isto acontecia com os cometas retornando no espaço na direçâo onde vai se formar novamente F1, e na reprodução das seccões do DNA entra para isso a uracila, na célula são fabricados os centromeros e em lugar da linha do fluxo de F5 surgem os microtubulos. O que importa na formula é dividir o sistema ao meio, em face esquerda e direita, para que depois cada uma construa sua outra metade. A engenhosidade da formula aqui é extraordinaria, considerando-se que sua unica experiencia anterior era o mecanismo muito mais simples astronomico, mas nem por isso vamos personalizar a formula com inteligencia própria: creio que tudo ocorreu pelo forte impulso do fluxo avançar e obedecendo a formula que determinava a bifurcação. tudo deve ter ocorrido por processos naturais, como quando as águas das montanhas vão forçando a abertura de caminhos na sua descida. Mas ainda não tenho dados para decidir o que foi que realmente realizou o evento que resultou na extraordinária experimentação e confecção de extraordinary novos elementos.

Na fase Mitótica a membrana desaparece e isso não é surpresa pois já vimos acontecer isso nesta mesma posição nas galaxias: quando a femea está desativada, a poeira do horizonte de eventos, ou quasar, desaparece também. Na Metáfase fica uma questão. Qual o mecanismo e porque os cromossomas que estavam dispersos na cromatina se alinham em sequencia? Se logo a seguir eles se separam novamente em cromátides que vão para os dois lados da célula? A pesquisar…

Por fim F5 se torna Myosin II e completa a separação. Daqui a célula velha vai para sua morte, determinada por F6 e F7.

Portanto não foi a matéria simples e burra da superfície deste planetinha que inventou pela primeira vez no Universo esse método de tão extraordinária engenharia, e sim as partículas de luz que se infiltraram com o liquido nessa matéria e simplesmente caminharam como vem caminhando desde o Big Bang quando a onda de luz original caminhou no espaço sideral e se propagando no tempo ao ir montando seus órgãos anatômicos internos – ou suas faixas diferenciadas – na mesma sequencia do ciclo vital. E depois estavam infiltradas nesta estrela Sol de onde vieram recompostas como luz para dirigir os átomos terrestres a se subordinarem ao modelo de sistema que elas constituem.

Mas nem tudo ficou tão fácil de ser compreendido com a fórmula da Matrix/DNA. O ciclo dos centríolos, ou centrômeros, e a própria presença dos centríolos, continua muito complexo, inexplicável. Parece que outra coisa alem da formula estava fazendo as coisas nas origens da célula. Mas ao mesmo tempo os centríolos servem como um alerta e um alento: a formula ainda tem muitos segredos encriptados nela. Um desses segredos que não tenho informações vindas da Ciência é que a formula tem sua camada mais invisível, que é seu campo magnético. As imagens geradas pelo centríolo lembra os fusos do campo magnético do planeta, os seus polos magnéticos, etc. Vejamos a figura abaixo:

File:Centrosome Cycle.svg

Se existe uma camada subliminar da formula de consistência eletromagnética, atrelada a sua substancia de luz, e há já muita evidencia de que de fato existe, os polos norte e sul representam F1 e F4. Mas quem é quem? Qual o polo feminino e o masculino?

Suspeito que a compreensão de como as forças naturais construíram este processo dos centrômeros vai ser encontrada quando desenvolver-mos mais a epigenética. Este não é um processo genético, localizado nos elementos e partindo dos elementos, parece mais um efeito da identidade dos sistemas. Pois os passos na evolução deste ciclo dos centrômeros vão ocorrendo em paralelo aos passos na evolução dos cromossomas no núcleo celular e depois os dois elementos se conectam complementarmente. de onde veio a ideia de dotar um corpo, como o centríolo, de tentáculos, e depois dirigir estes tentáculos exatamente para cada secção dos cromossomas quando alinhados no eixo celular, e ainda mais… dotar os tentáculos de “mãos” moleculares para agarrarem e puxarem uma das hastes do DNA!!!. Isto parece a harmonia de uma orquestra tocando uma sinfonia, e toda orquestra tem que ter um maestro. Neste caso a identidade do sistema, por isso, aposto que a epigenética vai elucidar este mistério.

A Formula da Matrix/DNA e o Dilema Existencial Humano.

Saturday, August 17th, 2019

xxxxx

( Obs: levar esta figura ao power-point para botar numeros nas camisas)

 

Formula da Matrix/DNA: humano como sistema fechado

Formula da Matrix/DNA: humano como sistema fechado

 

Basta escrever o numero F2 no homem que comeca a subir a escada que toda a formula emerge. Assim, F4 sera o homem no topo da escada, F6 o homem caído como cadaver, F7 sera o sistema degradado comecando a se auto-reciclar.

The Matrix/DNA as Software of Astronomical Systems's Building Blocks

The Matrix/DNA as Software of Closed Systems

Muito interessante notar algo. O quadro expressa algo mal, como um ciclo de vida sem sentido, torturado. Enquanto isso, foi exatamente o que aconteceu na Historia Natural quando uma forma nossa ancestral se auto-organizou como sistema fechado em si mesmo, cortando todas as relações com o mundo externo. Fez isto com a intencao de ter o paraíso perfeito apenas para si e viver esse paraíso eternamente.

Para iniciar a abertura deste sistema, ou para evitar que um sistema aberto se torne fechado, o principal recurso esta em F4. Representa a funcao reprodutora do macho no sistema. Ele tem opcao entre duas escolhas. Ou emite sua carga genetica apenas na direcao de F1 ( monogamia), fechando o sistema num rodizio auto reciclável,  ou emite tambem para fora do sistema, fecundando F1s externos, gerando mais sistemas. O que vai determinar o enfraquecimento e morte de si mesmo como sistema, apesar que sua carga genetica continua existindo e proliferando.

E a figura parece ter sido feita propositalmente para mostrar isso. O homem no topo da escada, F4, esta com a mão na cabeca como se estando indeciso, ao ver seu corpo caído e sabendo que isso sera seu futuro, se escolher a opcao sistema fechado. Muito interessante, material para se refletir mais sobre a formula.

No sistema astronomico, F4 é a estrela, como o Sol. No ciclo vital humano, F4 é o adulto iniciando sua maturidade sexual. Na celula é a mitocôndria, que emite ATP para manter com energia F1.

Caminhar para sua morte ou para a sua escravidao eterna?

Assim parece que a Natureza é implacável, insensível com suas criaturas e ja tem a predisposição para puni-las. Mas resta uma remota possibilidade da coisa ser diferente. Nos percebemos e conhecemos apenas esta dimensao material. Um estudo mais profundo dos fenomenos naturais levanta a suspeita de que ao lado deste hardware material caminha um software, invisível a nos. Se o homem escolher a opcao de abrir o sistema – que é a opcao da sua morte imediata – o hardware continuara existindo e se multiplicando no exterior. Para o homem isto não é consolador, pois ele, seu ego, sua personalidade é o que mais lhe interessa e não seu genoma no corpo de outros humanos. Mas se a vida depois da sua morte continua no seu aspecto hardware, porque não tambem no aspecto software? Ninguem pode afirmar sim ou não, pois este nos é invisível, pertence a uma dimensao não tocável ou perceptível aos nossos sentidos.

Enfim, tambem não se pode afirmar que a Natureza seja insensível com suas criaturas, se o software sobreviver.











Crise na reciclagem do lixo e solucao na formula da Matrix/DNA

Friday, August 16th, 2019

xxxxx

Os recicláveis dos USA estavam sendo comprados pela China, a qual parou de comprar e agora estao sendo jogados nos lixões ou no mar, um problema serio que tende rapidamente se tornar calamitoso, considerando a noticia seguinte:

” While the industry stalls, residents and businesses are consuming and generating more waste than ever. In 2014, Los Angeles County generated approximately 22 million tons of waste. By 2018, that number had climbed to 30 million tons…

O fenomeno “reciclagem” nos lembra logo da formula universal para todos os sistemas naturais, pois nela é praticada a reciclagem do material degradado. Portanto vamos ler a noticia no link abaixo e trazer para ca’ a formula ver o que ela sugere como solucao:

As California’s recycling industry struggles, companies and consumers are forced to adapt

https://www.msn.com/en-us/money/companies/as-californias-recycling-industry-struggles-companies-and-consumers-are-forced-to-adapt/ar-AAFQNkA?ocid=spartanntp

E a formula da Matrix/DNA:

The universal matrix/DNA as closed system

The universal matrix/DNA as closed system

Bem… na verdade este assunto sera melhor visivel no esboço feito na selva da formula:


Matriz DNA Universal

Vemos na formula que o fluxo de energia/informacao do sistema se apresenta como um circuito fechado que se auto recicla. Quando o fluxo chega na funcao 7 ( que representa o “cadaver” do sistema) ele se decompõem em poeira ou particulas e nesta forma vai reconstruir a funcao 1, que é o ponto inicial do fluxo. Outro detalhe a se notar é que o fluxo se compoe alternativamente de particulas e ondas. na verdade o fluxo e a trajetória de um unico corpo material que rola ao sabor do seu ciclo vital, transformando-se em novas formas que se tornam as partes ou pessas do sistema.

Entao, F1 é onde inicia a formacao do corpo. trata-se do cone rotativo, um especie de caldeira em turbilhão. Para ele vem todos os ingredientes como materia-prima para formar o corpo. Alem de F5 que traz a energia que mantem a rotação, o rodamoinho recebe as impurezas na forma de massa degradada da morte do sistema anterior. esta formula é a base de todos os sistemas naturais, de atomos a galaxias a corpos vivos, porem, um dos seus aspectos principais é o de ser a formula que mostra como funciona um sistema aberto e um sistema fechado em si mesmo. Mostramos a formula no seu aspecto de sistema fechado porque seria o estado perfeito, eterno, como um moto-perpetuo. Para imaginar seu aspecto de sistema aberto basta cortar o circuito esferico entre F7 e F1, ficando o circuito com duas pontas que não se tocam, e portanto o sistema não seria auto-reciclavel, mas sim com morte predeterminada.

Sendo a formula do sistema perfeito, tem que ser a formula de um sistema completamente automático. neste aspecto o sistema é a mais perfeita maquina possivel. Que processa materia-prima fornecida por ele mesmo e produz um produto final, que  é ele mesmo.

Entao para o homem se livre do trabalho estupido rotineiro, ele deve buscar implantar um sistema mecânico automatizado de producao e consumo, baseado na formula. Vamos supor que o sistema sera implantado na producao, consumo, limpo e auto-sustentavel, de refrigerantes. Em F1 chegam os ingredientes do conteúdo do produto e se for o caso, tambem para embalagem do produto. de F1 o protótipo do produto vem ‘a luz e segue para F2, o qual ainda esta no meio da carga de materiais degradados e outros ingredientes que serao agregados ao protótipo. Em F3 o produto esta pronto para consumo, em F4 é comprado e consumido ( F5 seria o retorno da energia para retroalimentar F1, que neste caso, pode ser o dinheiro pago pelo consumidor). A partir dai o que é consumido pode ser ejetado para fora do sistema em F4 se for um sistema aberto ( mais na forma de urina) e o resto continua para F6, retornando os frascos para ser reciclado m F1.

Em outras palavras, no sistema automatizado perfeito, o material reciclável deve retornar diretamente para a fabrica que o produz. E ela ter a instrumentação para fazer a reciclagem.

mas o sistema de producao/consumo humano veio junto com o humano do estado caótico da Natureza, e não diretamente do estado de ordem do sistema astronomico. Portanto é   inevitável a fase inicial de problemas caóticos, que tem que serem aos poucos resolvidos visando o estado de ordem automatizado e eficiente, inclusive mantendo inalterado a fonte da materia-prima e sem poluir o exterior. Nesta fase caótica o mercado global caótico faz com que o consumidor esteja nos USA e a fabrica na China. Isto distorce a formula tendo que se inserir uma enorme distancia entre F7 e F1 + F2. Esta distancia tem que ser percorrida com energia vinda de fora da maquina, aumentando o custo do processo producao/consumo/reciclagem.

vamos separar o local da producao deixando a fabrica na China e a central de reciclagem nos USA, transportando o produto ja reciclado para a China? O certo mesmo era trazer de volta as fabricas que estavam nos USA que nunca deveriam ter ido para a China, pincipalmente quando existe um conflito de interesses entre consumidos e fabricantes.

Ai esta a solucao final sugerida pela formula: os consumidores, a fabrica, e a central de reciclagem devem estarem no mesmo local, ou regiao, ou pais. Qualquer outra alternativa continuara sendo prejudicial a humanidade. O artigo diz que a solucao deve vir dos “lawmakers”, os politicos que fazem as leis. Estes deveriam conhecer melhor este mundo conhecendo sua formula basica.











Hierocles’ Cycle (estoicismo): A formula como sistema fechado?

Tuesday, July 30th, 2019

xxxxx

Para pensar:

The Hierocles' Cycle of Human Attention

The Hierocles’ Cycle of Human Attention

E a formula dos sistemas fechados:

The Matrix/DNA as Software of Astronomical Systems's Building Blocks

The Matrix/DNA as Software of Astronomical Systems’s Building Blocks

Entao:

F1 = Self, Eu

F2 = Family

F3 = Friends

F4 = Community

F5  ( and or F6 ?) = All Humanity

F7 = Earth