Posts Tagged ‘universo’

Os humanos estão desprezando a Mestra Natureza para consultarem Oráculos pseudo-naturais

Saturday, May 8th, 2021

No artigo com link abaixo, se revela como a moderna intelectualidade acadêmica está se perdendo em masturbações mentais infindáveis que os afasta cada vez mais de sua mãe Natureza. Bastaria voltarem sua atenção para a face linda que a natureza nos mostra, nos afaga e nos suporta aqui e agora, e conversarem com ela, pedindo-lhe as explicações sobre nossa existência, mas não preferem transportar suas mentes num barco à deriva num oceano infindável de elocubrações mentais que não vão conduzi-los a lugar algum. Fico indignado e por isso me pronuncio como nos dois posts copiados abaixo…

Artigo publicado na Tecmundo em 05/05/21:

O que existe além do universo? A resposta pode dar dor de cabeça

https://www.tecmundo.com.br/ciencia/216787-existe-universo-resposta-dar-dor-cabeca.

Minha resposta:

Imagem

Louis Charles Morelli • May, 28, 21 • edited

O Universo dos físicos e matemáticos é mágico. Ele cria informações do Nada, por mágica. Por exemplo, no universo dos físicos a vida surgiu depois dos átomos e galaxias, e como as propriedades vitais não existiam nos seus modelos teóricos de átomos e galaxias, só podem ter sido criadas por acaso, propriedades vindas do Nada. Tudo bem, porém não posso aceitar esta teoria. Pois tudo indica que o corpo humano com vida foi produzido por este Universo, e porque ele tinha informações para isso. Mas assim como o corpo humano precisa de uma infraestrutura sólida como o esqueleto ósseo, a vida primordial precisava de uma estrutura solida para iniciar. Sistemas atômicos e astronômicos são o passado estrutural da vida complexa, constituída de sistemas biológicos, e os físicos, com a lógica matemática, estão limitados ã captação das coisas deste esqueleto cósmico estrutural. Porém olho novamente para um corpo humano, vejo que tem esqueleto mais simples coberto pela carne mais complexa e quando estudo a história deste corpo descubro que a carne produz esqueletos e não que esqueletos produzam a carne. Então projeto minha inquirição para o antes do Big Bang produtor deste esqueleto, e somente uma solução é possível: seja lá o que for que deflagrou o Big Bang, que iniciou a construção deste esqueleto fisico-mecanico cósmico, TINHA VIDA! Era algo vivo, ou ao menos, continha as leis e propriedades da Vida!. Isto é aplicar a Navalha de Occam neste mistério, pois a solução se torna simples, tudo o que existe aqui se tornam evidências e nosso Universo não é misticamente mascarado de magico. Ele só pode criar coisas pelo mesmo processo e informações que ele foi criado. No primeiro instante da fecundação de um ovulo ocorre um relâmpago de luz, um micro-big bang como no primeiro instante deste universo. Nunca esse moderno mindset acadêmico dominado por físicos + matemáticos vão conseguir elaborar a Teoria do Tudo, sem a participação dos experts em leis e informações da Vida, como biólogos, neurologistas, etc. O mindset acadêmico se tornou mistico pois inclusive acredita que a evolução que vemos nos sistemas biológicos também foi criada aqui vinda do Nada, pois não procuram o elo evolucionário vindo da evolução cosmológica que dirigiu toda a existência dos nossos ancestrais sistemas astronômicos e atômicos.

O mesmo artigo republicado no facebook – A Ilha do Conhecimento

E minha resposta:

A minha investigação privada apontou uma resposta: Antes e além do que nossos sensores (naturais e artificiais) captam e denominamos Universo existe uma extensão mais complexa dele, no qual existem seres “naturais”, não mágicos, cujos corpos são constituídos de um fluído semelhante a luz e autoconsciência. Estes seres se autorreproduzem por um processo semelhante ao genético/computacional quântico fecundando regiões externas preenchidas com matéria/energia escura em eventos que denominamos Big Bangs. Do Big Bang se expande esse fluido luminífero no qual estão encriptados todas as informações para construir uma placenta e um ser (ou uma ninhada de vários seres) que será seu filho. Todos os trilhões de mínimos detalhes conhecidos deste universo hoje são incontestáveis evidências desta teoria. Alguns exemplos: 1) Nos 9 meses da gestação de um corpo humano uma célula inicial se transforma em várias novas formas que apresentam as mesmas formas do período da evolução cosmológica: filogenia biológica recapitula ontologia cósmica; 2) A unidade fundamental de informação do DNA é composta de seis moléculas (dois açucares nas hastes e 4 bases) cujo conjunto é um sistema e funcional. Este sistema é exata reprodução do sistema mais simples que produz os sistemas astronômicos e veio de outra sua forma mais simples ainda que produz os sistemas atômicos, o qual é a exata forma da onda de luz completa visível como espectro eletromagnético, o que significa que nosso DNA foi emitido do Big Bang como onda de luz contendo um código; 3) No microciclo da gestação de um corpo humano se expressa a autoconsciência vinda de seus pais, enquanto no macro ciclo da gestação deste ser cósmico essa autoconsciência vinda de seus genitores se expressa nos 13,8 bilhões de anos; 4) Um corpo humano surge de uma fonte e se propaga no tempo ( aumentando sua idade) e no espaço ( crescendo em tamanho) pelo processo do ciclo vital que produz as transformações das suas 7 formas notáveis (feto, baby, criança, etc.), na mesma exata sequência constatada na propagação da onda de luz primordial, revelando igualmente a causa como sendo o mecanismo do ciclo vital que transforma as formas, as propriedades gerais como intensidades, frequências, comprimentos de ondas, nas sete faixas do espectro eletromagnético. Portanto, não apenas a vida biológica, mas todos os sistemas naturais, desde aquela onda primordial foram formados e evoluem pela mesma formula vital. Desafio todos os humanos, todos os religiosos, cientistas, materialistas, místicos, ateus, capitalistas ou comunistas, etc., a apresentarem um único fato conhecido e comprovado que derrube esta cosmovisão. Se queres saber o que existia antes do Universo equipe-se com uma sonda e camera com poderosa lente situando-a na região microscópica de um ovulo no instante que ele é fecundado. O “spark” ou clarão de energia no momento da fusão dos dois gametas iluminando todo o universo intraovular será à imagem e semelhança do spark inicial do Big Bang na dimensão macrocósmica… e então olhe para alem do ovulo e veja os dois seres que o produziu… Big Bang na dimensão macrocósmica… e então olhe para além do ovulo e veja os dois seres que o produziu…

Uma fração do Grande Pecado Original no DNA de cada ser humano

Wednesday, March 17th, 2021

xxxx

Albert Camus:

“Quando formos todos culpados, será a democracia.”

Louis Charles Morelli:

” Onde todos são culpados, todos forçosamente aprendem a não repetirem o mesmo erro da culpa. E o princípio da autocura. A Humanidade (e esta biosfera inteira) hoje, é o produto de um grande equívoco do seu livre-arbítrio quando existia na pele de um único antepassado bilhões de anos atrás.

Foi o maior erro, a maior transgressão que se pode cometer contra as Leis Naturais deste Universo: o extremo egoísmo tornando o ser num sistema fechado em si mesmo, fechando as portas `a sua própria evolução. Descobri isso ao focalizar a ponta última do DNA de hoje e descer na sua história vendo a evolução ao reverso, e assim cheguei neste ancestral, vi a sua Queda, justo como sistema fechado, e como caiu na superfície deste planeta na forma de micro-organismos.

Hoje cada humano tem uma fração (0,0000001%) do total desta culpa registrada no DNA. Assim todos enfrentam os maus efeitos dos outros 99% do erro que está no resto dos humanos, e ao se indisporem contra cada fração do defeito em outro humano, no fim acabam por odiar o defeito inteiro, e quando isso acontecer, todos serão desinfetados, exorcizados, e assim livres novamente para reencetar sua evolução suprema. Mas também todos tem sua fração do Acerto, da Verdade, que veio da nossa Fonte Geradora. E isso foi descoberto por um método logico, racionalista…

Existe alguma lógica na existência deste Universo e nossa existência? Encontrei uma possível, pense nela

Sunday, February 21st, 2021

Na minha opinião de autodidata não acadêmico, existe neste Universo uma lógica, e apenas uma. Ela teria se manifestado no meio do caos pós-Big Bang”, como uma força natural imbuída de um “Princípio da Ordem”, o qual deflagrou a avalancha desta longa cadeia de causas e efeitos (que já conta 13,8 bilhões), interligados, construindo sistemas naturais com interiores ordenados, da qual seu último produto mais complexo nesta nossa região do tempo e o espaço é o sistema cérebro humano. A lógica se revelará quando descobrirmos o processo aplicado nessa evolução dos sistemas ordeiros. No processo sabemos que existe uma lógica (complexificar o simples inicial até que essa complexidade se torne autoconsciente: é o que os fatos reais nos demonstram aqui e agora). Se houver ou não uma inteligência no comando deste processo, vamos deduzir da qualidade da lógica extraída dele. Efetuando minha investigação particular por um método (anatomia comparada entre todos os sistemas naturais conhecidos, de átomos a galáxias a células e cérebros) resultou na indicação de um processo universal: reprodução genética. Ou seja, este Universo de células galácticas está imitando uma placenta cósmica onde está ocorrendo um processo de reprodução genética (também chamado computacional) daquilo desconhecido que deflagrou o Big Bang como um evento de fecundação. Pois existe uma fórmula essencial (como o DNA é para os sistemas biológicos) comum desde átomos a galáxias a vivos que vem evoluindo com as mesmas características dos ciclos vitais, e atuando como um genoma universal. Que a autoconsciência tenha se expressado neste estágio ainda embrionário indica que a coisa desconhecida seja autoconsciente. Que a lógica consiste em construir e complexificar sistemas naturais, deduz-se que a coisa desconhecida seja um sistema natural. E que a reprodução genética não requer nenhuma intervenção de inteligência, sendo um processo puramente natural transmitido entre os corpos dos reprodutores, a coisa desconhecida deve ser natural, um sistema, e autoconsciente. Que se reproduz sem aplicar lógica apesar de que na Natureza o processo de desenvolva sob uma lógica. A esta teoria, desta lógica, nomeei como “Teoria da Formula Universal Matrix/DNA dos Sistemas Naturais e Ciclos Vitais”

( Extraído do post que publiquei em 21/02/2021, no QUORA, no link:

https://pt.quora.com/q/filosofiapura

relativo a questão: O que é a lógica? )

Não se deixe enganar quando alguém fala a palavra “tempo”. Porque tempo não existe no mundo real e prejudica sua inteligencia. Veja esta prova.

Saturday, November 14th, 2020
See the source image

Eu provei que o tempo não existe graças a essa minha esquisitice de querer viver como eremita, longe de tudo. Antes de fugir para o meio da selva amazônica e lá ficar por uns sete anos, morava na capital de São Paulo e nos finais de semana pegava o carro e ia viajar pela estrada velha do litoral, subindo e descendo montanhas, até chegar numa praia que fica cheia de gente durante o dia e ninguém à noite. Então nas madrugadas debaixo do belo luar da lua cheia, e ao lado das montanhas, eu me tornava o lobo solitário, podia uivar à vontade para a lua cheia, ouvindo o eco batendo nas montanhas, e depois cair na areia em meditação profunda, tendo como fundo musical o som das aguas do mar.

Foi assim que eu consegui o que ninguém mais na região conseguiu: conhecer o “seo Hagamenon”, saber que ele existia. Ele era um eremita solitário vivendo num casebre de caixotes na mata da montanha ao lado. Fazia questão de esconder-se, por isso me disse que as vezes ficava assistindo do alto do mato da montanha o povão na praia, e à noite quando se certificava que não havia mais viva alma ele descia e achava muitos objetos uteis, até alguma comida, bebida, etc. Mas eu o peguei no flagrante por umas duas vezes, segurei firme o tubo de gás pimenta oculto na manga como precaução, cumprimentei-o, mas surpreso ele saia correndo para a montanha. Na terceira vez levei leitoa assada e garrafas de vinho, comemos e bebemos a noite toda, consegui doma-lo. Perguntei porque “hagamenon”, um nome incomum, dos gregos… e ele rápido corrigiu: ” Não, não é o Hagamenorn grego ( ele tinha um sotaque estranho e só então notei que podia ser “hagamenor” ). ” É a letra “h”, sozinha e minúscula, e separada do resto, que é “menor”: h…menor?! ” Sim, h minúsculo de hominho pequeno, sou o menor dos homens do mundo ( aqueles outros que são h maiúsculo), sou o “aaaa..não” de Deus sempre dizendo “aaa…sim, meu Deus”.

Até hoje quando me lembro da criatividade daquele louco quando estou dentro de um trem e caio na gargalhada sozinho até ouvir a mulher mineira do lado dizendo ao marido: “Esse trem é louco e tá dentro do trem…” Ao que o marido olha pra mim e responde: “Ele é mais fraco que eu. Qualquer problema e boto esse trem fora do trem”… Mas aí me certifico que o tubo de gás pimenta está pronto na mão para qualquer problema, faço o gesto de tocar violão e canto alto:

“Este trem que é o de verdade, na próxima estação…

Bota pra fora todos os trens otários que transportou,

Seja o otário um trem forte ou não…

E já não tá mais aqui quem falou…”

Claro, pois nessa altura já estava correndo para outro vagão.

Mas até parece que o velho h…menor estava esperando alguém na montanha para uma ultima confissão, pois uns dois meses depois encontrei seu cadáver desfeito na cabana. Depois que a policia fez seu trabalho e a cabana ficou abandonada, eu passei a viver nela nos finais de semana. Foi aí que descobri a prova que o tempo não existe.

Os praianos deixavam muito lixo na praia, de vez em quando o pessoal da prefeitura ia limpar, mas não limpava perto do mato. Da arvore que eu via os praianos durante o dia, notei um pequeno monte de lixo na orla da mata. Garrafas plásticas, marmitas de isopor e alumínio, até pedaços de cadeiras… A altura do monte estava no nível de um sulco numa pedra ao lado. Dois dias depois notei que o monte estava mais alto, a altura estava no nível de outro suco mais elevado na pedra, mais lixo tinha sido agregado. E assim foi por dias, meses, o monte cresceu muito, já estava mais alto que a pedra toda. Pensando naquilo tive a ideia que podia fazer um novo tipo de ampulheta para medir o tempo: riscando sulcos paralelos na pedra em toda sua altura sendo que a distancia de cada sulco era igual ao lixo que era acumulado em uma semana, eu podia contar as semanas passando, o lixo funcionava como a areia na ampulheta.

Mas no silencio sob o luar nas madrugadas em que ficava sentado observando o mar, pensei no tempo que corria e me obrigaria a sair dali para o trabalho na cidade, me veio a mente que algo se movia no mundo e estava ao meu lado, avançando…, era o “TEMPO”… um fantasma invisível …. brrrrr… Me lembrei da multidão de filósofos e cientistas queimando neurônios por causa deste fantasma que se movia ao nosso lado, por cima de nós, de dentro de mim, no meio das estrelas, quantas equações matemáticas tinham o tempo como fator concreto variável…

Lembrei dos sulcos que fiz na pedra como armadilha para pegar o tempo, dos relógios que registram o fantasma alado passar, e… espera aí,… o tal tempo que eu queria pegar no monte era bem visível e concreto, eram os praianos. O que o relógio registrava era movimentos do planeta, outro objeto visível.

Então que invisível era este? Nas equações e nas elucubrações mentais dos filósofos o tempo era uma força real, um agente influenciando o mundo material… agente invisível produzindo a evolução com tanta força que quando o tempo se chamava Paleolítico ele atuava tanto em cima de um macaco que quando ele mudou o nome para Mesozoico tinha transformado o macaco em homo sapiens!

Encantado com os filósofos e cientistas quando era criança, pensava que o nosso mundo estava sendo cozinhado dentro de uma panela que estava na cratera de um vulcão ativo invisível que nunca se apaga, e o fogo do vulcão era o tempo. Tudo começou como um caldo de ingredientes espalhados ao acaso e o tempo cozinhou aquele caldo tornando-o a sopa dos cientistas da abiogêneses que criou bolhas que foram as membranas das células e continuou cozinhando e assim existimos aqui hoje pulando devido o fogo do tempo queimando nossas bundas. Sim, a julgar pelo que concluíram filósofos e matemáticos o tempo é a força material catalizadora que cozinha tudo neste universo, transformando tudo.

Mas… não havia nenhum fogo invisível debaixo daquele monte de lixo e nenhum agente invisível trazendo todos os dias ás escondidas mais garrafas plásticas, mais restos de sanduiches, e agregando essas coisas encima do monte. O monte crescia pela ação de agentes visíveis concretos – os praianos – e a cada dia ficava mais velho porque contava mais uma volta da Terra, outro agente concreto. Eu, um inventivo humano que fui na pedra desenhar sulcos e chamando a pedra de “minha ampulheta” , era o único ali naquela praia e naquelas montanhas dizendo a palavra tempo. A Natureza, as arvores, as rochas, não sabem o que é isso. Dizia a palavra “tempo” ao invés de dizer que os praianos botaram mais garrafas em cima do monte enquanto um observador em Marte viu a Terra girar de maneira que quando ele começou a olhar as luzes de New York estava a 40 graus à esquerda da face do sol e quando ele parou de olhar as luzes tinham se distanciado e sumido de vista. Onde está alguma força invisível correndo, se movendo, no meio de tudo isto?

Não existe!

Por isso calculei que não é possível ao humano fazer viagem no tempo… glug… que?… (olha eu caindo na fantasia também repetindo essa palavra-cilada que desvia o racional da racionalidade) … quero dizer, não é possível ao humano viajar com uma metralhadora até a Galileia onde, segundo autores contam num livro, soldados romanos estão fazendo uma cruz e se aprontando para crucificar um cara que eu gosto muito, e com minha metralhadora não vou permitir! Não é possível porque o corpo humano dos que viviam ali tinham diferenças desses corpos humanos que agora estão fazendo esse barulhão, e o pior, tem alguém de salto alto fazendo tik-tok pra lá e pra cá em cima da minha cabeça no apartamento de cima. Por exemplo, nas células dos soldados romanos os cromossomas tinham um telomero mais curto que envelhecia a célula aos 50 anos, enquanto nas células da diva de sapato alto em cima da minha cabeça tem um telomero mais comprido que só envelhece aos 60… para ela ter mais dez anos para gastar mais comprando mais cosméticos por mais dez anos.

Viagem no tempo? Deixa a imaginação deles continuar viajando…

main article image
Physicists Say They’ve Come Up With a Mathematical Model For a Viable Time Machine
https://www.sciencealert.com/physicists-just-came-up-with-a-mathematical-model-for-a-viable-time-machine

O cara saindo daqui, com armadura de guerra, pegando sua capsula voadora, chegando lá com a metralhadora… durante a viagem iria perdendo as garrafas plásticas e restos de sanduiche que foram sendo acrescentados pela evolução no seu corpo, a armadura sumindo, sendo trocada por shortinho de couro de leopardo ( como desfilavam os soldados machões romanos), perucas desaparecendo, a pele muito branca se escurecendo, e até o tamanho do corpo sendo reduzido aos 1,50 mts de outrora… Pior: a metralhadora agora virou arco e flecha. Como enfrentar o exército romano? Assim ele não vai salvar nazareno nenhum. E depois quando quisesse voltar, onde ele iria achar as garrafas plásticas, os pedaços de telomeros, a peruca, que ele perdeu na viagem de ida?

Resumo: nada de viagens do tempo com corpos e maquinas físicas, não porque não temos tecnologia, mas sim porque o tempo não existe. O que existe é o agregado gradual de garrafas plásticas sobre o monte dia a dia, o planeta girando em torno de uma estrela… O que existe são os sulcos que fiz na pedra, a minha visionaria invenção que acreditei que iria medir os movimentos do invisível fantasma e ia de boca cheia falar que era o meu “relógio que filma o invisível chamado tempo e registra passo a passo o seu movimento!” Conheço bem estas teorias sobre as dobras do tempo, viagem no tempo saindo da terceira e passando pela quarta dimensão, etc, nas analisando tudo, tudo se resume a sequencia de movimentos de objetos materiais.

Como um erro no inicio gera uma cadeia de mais erros, inventaram o erro da ampulheta, para medir o tempo. Como pode representar o tempo que todos creem se move do antes para o depois, de baixo para cima, por areia se movendo para baixo?! Eu não sou trouxa de cair nessa cadeia de erros por isso minha ampulheta é um monte de lixo que cresce de baixo para cima…

Os humanos inventaram esse negocio de tempo para poderem viver em sociedade e se relacionarem, poderem fazer algumas coisas juntos. Começou em Belém do Pará quando um casal apaixonado nim parque procurava desesperadamente um jeito de se encontrarem novamente e então ela teve um brilho esplendoroso no olhar, porque uma luz acendeu dentro de sua cabeça e ela disse: Todo dia à tarde chove, por isso tiramos a soneca depois do almoço. Podemos ficar sem almoçar antes da chuva indo para o parque se encontrar lá, ou podemos ir quando a chuva terminar… Eram as primeiras idéias que levaram à invenção do relógio, dos números marcando dias e anos… diria o dono do botequim que não sabe organizar a sequencia dos eventos e por isso não sabe que esses números marcando anos existiam no ano zero de Jesus Cristo que existiu antes do casal existir em Belém.

Enquanto isso um pouco distante dali, na selva amazônica, um índio fala aos outros: ” As antas vão todas as noites para o rio nessa direção ó… quando a lua fica acima do rio e manda seu espirito tomar banho na agua do rio. As antas também entram na agua aproveitando a claridade e se rirem dos astronautas da NASA porque elas não precisam ter aquele trabalhão dos diabos para viajarem e pisarem na lua, pois elas pisam na lua apenas esperando ela descer aqui… Vocês acreditam que as antas acreditam que a lua lá de cima é igual ao espirito dela que veem na agua! Coitadas são muito mais burras que eu, porque sei que as duas não é a mesma coisa, a daqui é só o espirito, … kikiki). Mas então basta esperar que a lua desce aqui e nos que estamos no mesmo rio aqui e vemos quando o espirito da lua está se banhando, ai vamos correr ao nosso encontro com as antas que foi marcado pela lua e, … comer saborosas costelas de antas.”

Como saberíamos que enquanto a matéria do continente americano estava rolando e produzindo a corrida do outro na Califórnia, a matéria rolando no continente europeu estava aprontando outras coisas, como a revolução francesa? Se não tivéssemos inventado essa historia de contar as voltas do planeta em torno da estrela nunca saberíamos que a revolução francesa aconteceu antes da luta pela independência americana e que foi aquela que influenciou esta. O Brasil deu de -7 a +0 na Alemanha ( você leu certo, é menos sete a mais zero), antes ou depois de cair o sutiã da Jackson no show em Las Vegas? Nós precisamos saber essas questões, isso é cultura, é a forma como organizamos os eventos à medida que vão acontecendo, a quantidade de garrafas plásticas e restos de sanduiches que vão sendo agregados encima do monte na praia… e para isso inventamos os medidores de movimentos da matéria, para saber e entender a sequencia em que acontecem… não para captar um agente invisível no microscópio ou no telescópio e nem para medir um fantasma invisível que não existe. Esse fantasma produto da imaginação infantil enquanto a humanidade era criança se foi a muito temp…. opppps… ( lá ia eu escorregando de novo), …há muitas garrafas e sanduiches atrás.

Mas falando sério agora, quando uns anos eu era o ermitão na selva amazônica fazendo perguntas filosóficas à Natureza, certo dia a Mestra franziu o cenho e disse: ” Menino impertinente, não para de encher o saco com tantas perguntas… sabe de uma coisa? Vou te dar um oraculo que vai te responder todas as perguntas, e veja se me deixa em paz…” E num passe de magia apareceu na lareira um pequeno altar onde tinha uma figura, a face da Matrix/DNA ! A formula que apareceu no Big Bang como onda de luz tão forte que hoje banha todo este Universo e nos cega os olhos tanto que não podemos vê-la, essa sim, um agente invisível que atua e move tudo neste mundo. E nas respostas da Matrix/DNA havia conteúdos que me fez começar a desconfiar da existência do tempo dos matemáticos, e não só isso, que a Matemática não era a linguagem superior do universo, que ela só se aplica com eficiência às coisinhas do nosso mundinho, por isso ela continua aceitando erros como a variável do tempo que não existe, isso será corrigido quando a linguagem for corrigida e adaptada para mundos maiores. Por exemplo, na evolução, não foi o mais adaptado e poderoso dos repteis – o dinossauro – que foi selecionado para transcender o reino dos repteis e se alojar no tronco da arvore da evolução na forma dos novos e engenhosos mamíferos. Não… a Natureza olhou para aqueles bichões que só tinham crescido em tamanho e força, sem nada de ética, moral, amor fraternal, então Ela os descartou, como um galho da arvore a secar e extinguir, e voltou o tempo ao inverso, indo lá atrás na história da evolução dos répteis até encontrar um meio desajeitado que parecia um porquinho, o cinodonte, que ao invés de comer os filhotes saltando fora dos seus ovos botados fora, fazia até ninhos de espinhas de cobra para junta-los… E a Natureza sorriu, caiu de amores, e apontou seu dedo cósmico para a pequena e humilde criatura que tremia temendo os monstros dinossauros, e disse: “Tu desejarás construir estes ninhos cada vez mais perto de ti, um dia desejarás fazê-los mesmo até dentro de ti, e assim terás o ninho de placenta e manterás os ovos dentro, e te tornarás uma mamífera, a futura rainha toda poderosa deste planeta!”

Como então o tempo correu ao inverso?! Voltou do futuro para o passado na história? Para quem estivesse em outro continente tentando registrar a sequencia de eventos iria se ver em papos de aranha pois algo na evolução num continente não iria bater com as leis da evolução em outro continente. teria a seleção natural dos arrogantes evolucionistas selecionado ao contrario, elegendo o mais fraco? Nada disso. Na praia do seo h… menor, tem montinhos de lixo mais escondidos perto daquele que cresceu muito, neles os praianos não acrescentaram tantas garrafas de plástico. Em relação ao racionalismo linear da lógica matemática, o tempo segue em minha reta e do passado para o futuro, não pode fazer estas curvas e voltar atrás, por isso a matemática linear atual não se aplicará aos mundos maiores da vida… como os buracos de minhoca. Como fazer as contas até os dinossauros e depois apagar metade das contas, esconder um pedaço da reta, e voltar ao cinodonte, para daí pegar a outra estrada trilhada pelos mamíferos até chegar ao homo sapiens?

Mas tem muito mais nas respostas da Matrix/DNA como evidencias sugerindo que o tempo é um fantasma imaginário humano. Alias ela sempre usa outros termos, como cadeia de causas e efeitos, dinâmica, movimentos dos corpos, sequencias, etc., nunca ouvi ela pronunciar esta palavra, tempo.

Sábio era o seo h…menor, quando via aquele mundo de gente invadindo sua praia e se lembrava de 30 anos atrás ( digo, menos 30 voltas da Terra no Sol) quando não vinha quase ninguém e exclamava com saudades: “Lá se foi aquele tempo”.

See the source image
Por 30 anos Joaquim te xingou toda manhã por lembra-lo da fábrica. Um dia ele se aposentou, te botou asas, e te mandou ver se ele estava na esquina, e então mudou de lugar, e você retornou, não o encontrou e continua assim voando, procurando, por toda eternidade…

Ou o caipira que foi raptado e encaixotado numa caixa de cimento chamado apartamento no meio de uma parafernália de prédios e motores ruidosos, olhando pela janela, relembrando com suspiro e saudades as noites na rede da varanda, sentindo o cheiro da plantação crescer, dos sapos na lagoa coaxando, enquanto enrolava o fumo do cigarro de palha, e exclamando a maior verdade deste mundo … “Foi-se o tempo”. Uma verdade que só os filósofos e matemáticos teimosos ainda não enxergaram e continuam a enfiar fantasmas nas suas equações, que por isso estão desviando o ritmo da tecnologia humana artificial da sincronicidade com o ritmo da Natureza que também avança desenvolvendo sua tecnologia natural… Um dia ainda vamos levantar numa manhã sem sentir solo firme, sem ar para respirar, e quando tivermos caindo veremos a Natureza se distanciando por outra estrada, acenando para nós e dizendo: “Sinto muito, vocês pegaram o caminho errado, não é esse o indicado pelo universo atemporal, bye, bye…”

  • “Oh… meu… caia na real… o tempo já era…. sumiu na era que ainda se acreditava em Papai Noel…”

Universo criado do Nada. Neste PDF (de Wuhan, China) afirmam terem provas matemáticas

Friday, April 3rd, 2020

Spontaneous creation of the universe from nothing

https://arxiv.org/pdf/1404.1207.pdf

Dongshan He,1,2 Dongfeng Gao,1 and Qing-yu Cai1, ∗ 1State Key Laboratory of Magnetic Resonances and Atomic and Molecular Physics, Wuhan Institute of Physics and Mathematics, Chinese Academy of Sciences, Wuhan 430071, China 2Graduate University of the Chinese Academy of Sciences, Beijing 100049, China

An interesting idea is that the universe could be spontaneously created from nothing, but no rigorous proof has been given. In this paper, we present such a proof based on the analytic solutions of the Wheeler-DeWitt equation (WDWE)… (read more)

A Matrix/DNA transfere o mistério daqui para o antes do Universo mas para as dimensões ao lado também

Friday, December 6th, 2019

A formiga nada sabe do nosso mundo humano, mas ela convive conosco. Então porque não pode acontecer que mesmo nada sabendo do mundo da sétima faixa, ou sétima dimensão, não estejamos no mesmo lugar convivendo com as formas e seres daquela dimensão?

A fórmula que está em mim veio dos meus pais que veio dos avos que veio dos macacos, das amebas, da galaxia, do átomo e … do desconhecido sistema natural que plantou seu genoma antes ou no ato do Big Bang. Podem alegar que o que eu fiz foi igual à Teoria da Panspermia, que transfere a origem da vida para outro astro mas não explica como ela surgiu naquele astro. Mas isto aqui é muito diferente da Panspermia.

E como surgiu o ser natural que expeliu o genoma? Enfim, a minha teoria parece necessitar de uma causa inicial supernatural e talvez magica, ocorrendo antes do Big Bang. Porem, a minha teoria da luz sugere que talvez não. Para explicar isso preciso antes fazer a analogia da formiga.

A formiga não tem a menor noção da existência dos humanos, do ambiente que foi modelado pelos humanos, apesar dela viver juntos conosco no mesmo mundo. Quando ela está subindo na parede, ela pode sentir que está subindo uma montanha, não tem a menor noção que está na casa de humanos. Quando um humano se aproxima da formiga, seus sensores devem informar o que nossos sensores informam quando estamos perto de uma montanha e vem vindo uma rocha ou avalancha de pedras rolando. Sentimos o chão vibrar, como a formiga deve sentir vibração no piso devido aos nossos passos. Vemos um enorme bólido da avalancha e assim a formiga deve visualizar um corpo humano, como uma enorme pedra, sem maiores complexidades. Ela não tem cérebro e sistema nervoso para ser capaz de processar as informações do que é um animal gigantesco centenas ou milhares de vezes o tamanho dela e o qual provavelmente ela nunca vê, apenas capta alguns sinais elétricos ou luminosos. Me parece que você pode chegar na frente dela, aproximar sua mão dela, e ela não se move, ela não esta te vendo. Apenas se toca-la ela se move e sai correndo.

Pois bem. Nos humanos vemos a luz. Mas a luz tem varias formas diferentes acopladas numa só onda. Cada forma tem uma cor quando reflete num prisma ou passa na atmosfera formando o arco-iris. Mas estas cores que vemos não são cores da onda de luz, são cores de apenas uma das formas da luz. A forma que vemos damos o nome de luz visível. As outras seis formas não captamos, nada vemos, mesmo que no espectro geral ela apareça dividida em cores também ( veja a imagem do espectro eletromagnético abaixo). A luz visível esta bem no meio da onda de luz, pois se são sete formas, a luz visível é a quarta forma, deixando três formas de um lado e as outras três do outro lado.

Sugere a Matrix/DNA que uma onda de luz original trouxe a este nosso universo material a formula que cria sistemas naturais e nestes incluindo nos, humanos. E que as sete formas da onda são exatamente as sete formas diferentes de um corpo humano, produzidas pelo ciclo vital. Isto significa que estamos a faixa da onda que vemos, a luz visível, corresponde no humano a sua forma de adulto jovem, recém vindo da juventude.

Cada forma da luz tem um tipo de vibração, uma sequencia, um comprimento de onda, tudo especifico a ela, os quais são diferentes de todas as outras seis faixas de onda. Então a primeira faixa corresponde aos primórdios da onda, da vida, do universo, do ser humano, etc. É a faixa do baby recém nascido, chamada de raios gama, onde sua energia e vibração esta em maior intensidade. A segunda fase corresponde a criança, ou todas as formas infantis dos outros elementos. As três faixas acima da nossa são do adulto amadurecido e vai até os fragmentos do cadaver que corresponde aos fragmentos da luz em fótons.

A formiga nada sabe do nosso mundo humano, mas ela convive conosco. Então porque não pode acontecer que mesmo nada sabendo do mundo da sétima faixa, ou sétima dimensão, não estejamos no mesmo lugar convivendo com as formas e seres daquela dimensão? Não temos sensores para captar o que esta construído acima do mesmo piso que vivemos, não temos cérebro suficiente para processar as elevadas informações, mas vivemos no mesmo mundo, dentro dele. Não existe separação entre nos e eles entre natural e super-natural, pois tudo é natural, como entre nos e a formiga tudo é natural. Tente imaginar que a diferença entre a parte do mundo captada por nós não é apenas temporal e sim, espacial, ou seja, não é o caso de antes ou depois do Universo, como se aquele antes e depois estivessem fora do universo. Talvez, na diferença espacial, devíamos olhar apara os lados, pois talvez, aqui bem próximo a nós, ou no mesmo local que estamos, estão as fronteiras entre a quarta e quinta dimensões, a sexta está logo ali, vizinha à nossa direita, etc. Sei que é difícil processar mentalmente isso, mas a analogia da formiga pode ajudar a iniciar a sentir o x da coisa.

Agora vamos supor que os seres da sexta, da sétima faixa, também se reproduzem. As formigas se reproduzem, quase como nos. Vamos supor ainda que as formigas são nossas ancestrais, estão no tronco da arvore da evolução em que estamos. E que de alguma forma quando estamos sendo formados na embriogênese, em algum momento os genes tem que construir as estruturas básicas da formiga que permanecem em nós, o que significaria que naquele estagio tenhamos quase a mesma forma da formiga. Se isso também acontece com os seres da sétima faixa da onda de luz, em algum momento da embriogênese deles seus genes estão construindo as estruturas básicas do corpo humano, e naquele momento eles tem a forma quase humana.

Mas sendo de sétima geração tudo neles será astronomico para nós, inclusive suas escalas de tempo e espaço. De maneira que se nossa embriogênese demora 9 meses, a deles pode demorar 20 bilhões de anos.

A formula da Matrix/DNA sugere que neste universo esta ocorrendo um mero processo de reprodução genética. Tudo o que aconteceu nestes 14 bilhões de anos foi a mesma sequencia e historia do que acontece nos sete ou oito meses da nossa embriogênese. Portanto, isto indica que a especie humana aqui e agora é a forma do feto – talvez já do embrião – de um ser filho de alguém da sétima dimensão. Como a formula sugere que seres da sétima dimensão possuem o corpo como sistema natural porem cuja substancia é luz, e alem da luz tem a super-consciência cósmica, isto indica que somos o feto de uma super-consciência. De fato, observando nosso primitivo estagio consciente, parece que somos isto mesmo.

Então, mesmo que transferimos a origem do sistema natural universal – que inclui os seres vivos – para antes do Big Bang, não estamos saindo do mundo natural, não estamos sugerindo a existência de um, criador super-natural. Ou os humanos seriam supernaturais para as formigas? Claro que não…

Observe a ínfima faixa ente UV e Infrared: é apenas isso que vemos e captamos do nosso mundo… mas está certo, os fetos nada captam do mundo externo alem do seu universo-bolsa. Se captamos esta faixa toda é graças ao fato que não somos um feto biológico qualquer, somos o feto de uma super-consciência, e assim já podemos captar algo fora dos universos-bolsas, tais como estrelas, galaxias, etc.

Pondo o Sistema Universal dentro do seu corpo, o seu interesse em conhecer os detalhes do seu corpo te conduzem a intuir os detalhes do sistema universal e assim, reducionisticamente, você é levado a conhecer o TODO!

Tuesday, December 3rd, 2019

Abaixo tem uma extensa copia da introdução ao relato de uma investigação cientifica sobre um detalhe do corpo: o mecanismo que faz o diafragma inspirar o ar. Focando uma minuscula parte da medula óssea, os cientistas vão relatando o que constatam e que já foi constatado antes por outros cientistas em varias investigações. Como se trata de um documento cientifico, os autores são obrigados a citar cada documento publicado antes sobre os detalhes, confirmando o que estão observando. Apenas depois disso eles vão mencionar o que descobriram alem do que já se sabe.

O que precisa notar aqui é como um minimo pedacinho, talvez microscópico, e apenas da medula óssea, já revelou tantos mecanismos e processos feitos pela Natureza. E nessa experiencia em particular, os cientistas foram descobrir que existe mais um mistério – “Como faz, o que bombeia o inicio da inspiração quando o bombeador normal num corpo saudável foi injuriado e parou de funcionar?! Alguma coisa que não estava funcionando entrou em funcionamento e continuou o bombeamento. Assim foram suspeitar que existe uma invisível ou desconhecida network alem da network normal. Isto vai desencadear uma nova onda de pesquisas encima daquele detalhezinho. E algo mais profundo, ainda nem sequer imaginado, existente na Natureza, será descoberto!

Permita-me agora analisar isto sob a perspectiva da minha cosmovisão construída quando pensei ter descoberto a formula universal de todos os sistemas naturais na selva amazônica. Tudo o que eu disser daqui para a frente, lembre-se, é dedução da minha teoria consultando aquela formula.

” O corpo humano está montado como um sistema, à imagem e semelhança, na sua estrutura ultima, de todos os outros sistemas existentes no Universo. Na verdade todos os outros sistemas nada mais são que copias evolutivas derivadas de um sistema universal que se iniciou nas origens do Universo, talvez com o Big Bang. Assim, sistemas atômicos, astronômicos, como o sistema-corpo de bactérias, são todos nossos ancestrais na nossa linhagem evolucionaria. A formula universal surgiu neste mundo com todas as informações existentes dentro deste Universo. Então tudo o que a Natureza faz é uso e ativação daquelas informações. Para entender isto lembre-se que quando nasce um complexo corpo humano, tudo o que ali está veio de informações contidas no genoma inicial de seus pais. A formula universal é um genoma, vinda do alem deste Universo.

Parece-me ser uma meta suprema desta Natureza Universal conduzir o sistema universal que está crescendo, evoluindo, dentro deste Universo, a aprender e conhecer por completo o que é, como é, como funciona, a formula deste genoma extra-universal. Nestes tempos e aqui na Terra, uma copia deste sistema universal é a especie humana, então ela está sendo conduzida nesta aprendizagem.

Mas a espécie humana é uma forma do sistema universal quase microscópica, limitada a uma ínfima parte do espaço sideral, então como sua inteligencia pode ser conduzida a se desenvolver, sem acesso as informações que estão muito distantes? Simples: todas as informações do Universo estão na formula que esta dentro do corpo humano, expressadas nos mínimos detalhes das carnes, dos ossos, das substancias. Estes detalhes no corpo humano causam mal-estar na inteligencia humana quando estão funcionando mal, com dores, paralisias, disfunções, etc. Então essa inteligencia tem que entrar fundo nestes detalhes buscando conhece-los para ver se os consertam quando estão errados. E assim vamos aprendendo informações em nós mesmos que servem, muitas vezes inconscientemente e por intuições inexplicáveis, para ao mesmo tempo ir-mos montando modelos de galaxias, átomos, coisas distantes de nós nas dimensões do Universo, nos aproximando cada vez mais do conhecimento mais correto do que é este mundo, mesmo estando limitados neste pequenino ponto no espaço-tempo!

Por exemplo, a suspeita dos cientistas nessa investigação de que existe uma network inibida, apenas em estado latente, que eles nunca conseguiram detectar, alem da normal network de músculos e nervos e neurônios que eles detectam, está conduzindo os humanos a uma descoberta fantastica, uma das coisas mais importante neste Universo. Trata-se de que este nosso mundo é feito como os computadores, possui um hardware – o mundo material que captamos – e um software – o mundo dos fótons que são partículas de luz constituindo os circuitos da formula Matrix, dentro de todos os sistemas. Não posso explicar aqui, mas a formula esta sugerindo que estes fótons interconectados com nossa matéria estão no estado de anti- fótons, com energia negativa e talvez opacos, escuros, pois seriam os fragmentos de uma onda de luz original que se fragmenta em fótons e estes tem a tendencia a retornarem pelos caminhos que vieram, reconstruindo a onda de luz original e quando chegam próximo á fonte se tornam novamente fótons positivos ( Como analogia, o genoma dos pais caem num oceano amniotic o e os genes começam a trabalhar para reconstruir o corpo dos pais, nossa conhecida reproduce genética sexual). Por serem quase fantasmagóricos não captamos os fótons e muito menos as networks que formam pois os fios de conexões são mais abstratos que as sinapses. Creio que é esta network que está escondida naquela região da medula espinhal e que os cientistas estão pressentindo, que apenas entrou em ação para salvar uma vida que não poderia viver sem inspirar ar. Quando os cientistas pensam com extrema curiosidade nesta network latente eles estão, sem o saberem, sendo conduzidos a descobrirem o que existe nas mais complexas dimensões deste universo, dentro de átomos, galaxias, etc.

Com isso descobri uma maior utilidade do reducionismo, este método cientifico que eu vinha, sem razão, combatendo porque acho que ele está impedindo o florescimento de um método ainda mais importante, o sistêmico.”

Copiei o pequeno trecho da introdução do paper cientifico apenas para ilustrar como temos que nos reduzir ao tamanho e dimensões de detalhes microscópicos para ir aprendendo o que a Natureza faz e é capaz, pois o que ela faz nas dimensões microscópicas aqui é o que ela aplica nas dimensões macroscópicas universais.

A Latent Propriospinal Network Can Restore Diaphragm Function after High Cervical Spinal Cord Injury: Cell Reports

https://www.cell.com/cell-reports/fulltext/S2211-1247(17)31381-5

Introduction

(Apenas uma observação: para você entender o texto mudei as cores de parágrafos. O texto dos autores esta em negro. Mas a cada citação de outros trabalhos que fazem, interrompi o texto para mostrar os outros trabalhos mencionados nestas citações, assim se tem uma ideia do grande grupo de cientistas e experiencias laboratoriais envolvidos no assunto. Quando retorna o texto dos autores, observe no inicio do paragrafo existe um parêntesis em aberto)

) Inspiration—the act of drawing air into the lungs—is executed primarily by the diaphragm, which contracts ∼20,000 times per day and 108 times over the average human lifespan. The diaphragm is solely innervated by phrenic motor neurons (PMNs), which are anatomically positioned at spinal cord levels C3-5/6. Thus, injury to the cervical spinal cord severely compromises diaphragm function.Excitatory circuits of the pre-Bötzinger complex (preBötC), located in the ventrolateral medulla, generate inspiration and relay inspiratory drive to PMNs via a medullary premotor nucleus termed the rostral ventral respiratory group (rVRG; Smith et al., 1991

  • Smith J.C.
  • Ellenberger H.H.
  • Ballanyi K.
  • Richter D.W.
  • Feldman J.L.

Pre-Bötzinger complex: a brainstem region that may generate respiratory rhythm in mammals.Science.1991; 254: 726-729

). Neurons of the rVRG maintain bulbospinal projections that synapse directly with PMNs (Davies et al., 1985

  • Davies J.G.
  • Kirkwood P.A.
  • Sears T.A.

The detection of monosynaptic connexions from inspiratory bulbospinal neurones to inspiratory motoneurones in the cat.J. Physiol.1985; 368: 33-

Crossref PubMed

Scopus (84)

Google Scholar

, Dobbins and Feldman, 1994

  • Dobbins E.G.
  • Feldman J.L.

Brainstem network controlling descending drive to phrenic motoneurons in rat.J. Comp. Neurol.1994; 347: 64-86

Crossref

PubMed

Scopus (362)

google Scholar

, Duffin and van Alphen, 1995

  • Duffin J.
  • van Alphen J.

Bilateral connections from ventral group inspiratory neurons to phrenic motoneurons in the rat determined by cross-correlation.Brain Res.1995; 694: 55-60

, Ellenberger and Feldman, 1988

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.

Monosynaptic transmission of respiratory drive to phrenic motoneurons from brainstem bulbospinal neurons in rats.J. Comp. Neurol.1988; 269: 47-57

, Ellenberger et al., 1990

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.
  • Goshgarian H.G.

Ventral respiratory group projections to phrenic motoneurons: electron microscopic evidence for monosynaptic connections.J. Comp. Neurol.1990; 302: 707-714

); therefore, it is well established that rhythmic PMN bursts arise from circuits rostral to the spinomedullary junction. Evidence that rVRG axons make direct synaptic contact with PMNs comes from studies examining cross-correlation between rVRG units and phrenic nerve activity, which exhibit 1- to 2-ms latencies typical of monosynaptic connections (Davies et al., 1985

  • Davies J.G.
  • Kirkwood P.A.
  • Sears T.A.

The detection of monosynaptic connexions from inspiratory bulbospinal neurones to inspiratory motoneurones in the cat.J. Physiol.1985; 368: 33-62

, Duffin and van Alphen, 1995

  • Bilateral connections from ventral group inspiratory neurons to phrenic motoneurons in the rat determined by cross-correlation.Brain Res.1995; 694: 55-60

). Additional evidence comes from anatomical studies demonstrating close apposition of rVRG axons, identified by anterograde labeling, with the dendritic arbors of retrogradely labeled PMNs (Ellenberger and Feldman, 1988

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.

Monosynaptic transmission of respiratory drive to phrenic motoneurons from brainstem bulbospinal neurons in rats.J. Comp. Neurol.1988; 269: 47-57

, Lane et al., 2008

  • Lane M.A.
  • White T.E.
  • Coutts M.A.
  • Jones A.L.
  • Sandhu M.S.
  • Bloom D.C.
  • Bolser D.C.
  • Yates B.J.
  • Fuller D.D.
  • Reier P.J.

Cervical prephrenic interneurons in the normal and lesioned spinal cord of the adult rat.J. Comp. Neurol.2008; 511: 692-709

). Also, synapses between rVRG axon terminals and PMNs have been identified at the ultrastructural level (Ellenberger et al., 1990

  • Ellenberger H.H.
  • Feldman J.L.
  • Goshgarian H.G.

Ventral respiratory group projections to phrenic motoneurons: electron microscopic evidence for monosynaptic connections.J. Comp. Neurol.1990; 302: 707-714

).The simplest model, which is widely accepted, is that PMN bursts are always directly evoked by rVRG input. Nonetheless, there are also data indicating that, in the absence of supraspinal (rVRG) input, PMN activity can be initiated centrally by various pharmacological manipulations (Coglianese et al., 1977

  • Coglianese C.J.
  • Peiss C.N.
  • Wurster R.D.

Rhythmic phrenic nerve activity and respiratory activity in spinal dogs.Respir. Physiol.1977; 29: 247-254

, Ghali and Marchenko, 2016

  • Ghali M.G.Z.
  • Marchenko V.

Patterns of phrenic nerve discharge after complete high cervical spinal cord injury in the decerebrate rat.J. Neurotrauma.2016; 33: 1115-1127

, Reinoso et al., 1996

  • Reinoso M.A.
  • Sieck G.C.
  • Hubmayr R.D.

Respiratory muscle coordination in acute spinal dogs.Respir. Physiol.1996; 104: 29-37

, Viala et al., 1979

  • Viala D.
  • Vidal C.
  • Freton E.

Coordinated rhythmic bursting in respiratory and locomotor muscle nerves in the spinal rabbit.Neurosci. Lett.1979; 11: 155-159

, Zimmer and Goshgarian, 2007

  • Zimmer M.B.
  • Goshgarian H.G.

GABA, not glycine, mediates inhibition of latent respiratory motor pathways after spinal cord injury.Exp. Neurol.2007; 203: 493-501

) or by electrical stimulation (Huang et al., 2016

  • Huang R.
  • Baca S.M.
  • Worrell J.W.
  • Liu X.
  • Seo Y.
  • Leiter J.C.
  • Lu D.C.

Modulation of respiratory output by cervical epidural stimulation in the anesthetized mouse.J. Appl. Physiol.2016; 121: 1272-1281

, Kowalski et al., 2013

  • Kowalski K.E.
  • Hsieh Y.H.
  • Dick T.E.
  • DiMarco A.F.

Diaphragm activation via high frequency spinal cord stimulation in a rodent model of spinal cord injury.Exp. Neurol.2013; 247: 689-693

). Although it has been suggested that this activity might be generated by a spinal analog of the preBötC (Ghali and Marchenko, 2016

  • Ghali M.G.Z.
  • Marchenko V.

Patterns of phrenic nerve discharge after complete high cervical spinal cord injury in the decerebrate rat.J. Neurotrauma.2016; 33: 1115-1127

), the origin of this activity has always been elusive. Indeed, it is largely unclear whether this PMN activity is caused by pharmacologic/electrical action on PMNs themselves or whether these manipulations engage propriospinal neurons, which are also known to synapse with PMNs (Dobbins and Feldman, 1994

  • Dobbins E.G.
  • Feldman J.L.

Brainstem network controlling descending drive to phrenic motoneurons in rat.J. Comp. Neurol.1994; 347: 64-86

, Lane et al., 2008

  • Lane M.A.
  • White T.E.
  • Coutts M.A.
  • Jones A.L.
  • Sandhu M.S.
  • Bloom D.C.
  • Bolser D.C.
  • Yates B.J.
  • Fuller D.D.
  • Reier P.J.

Cervical prephrenic interneurons in the normal and lesioned spinal cord of the adult rat.J. Comp. Neurol.2008; 511: 692-709

, Lipski et al., 1993

  • Lipski J.
  • Duffin J.
  • Kruszewska B.
  • Zhang X.

Upper cervical inspiratory neurons in the rat: an electrophysiological and morphological study.Exp. Brain Res.1993; 95: 477-487

, Lois et al., 2009

  • Lois J.H.
  • Rice C.D.
  • Yates B.J.

Neural circuits controlling diaphragm function in the cat revealed by transneuronal tracing.J. Appl. Physiol.2009; 106: 138-152

). Importantly, there is no existing evidence that, when isolated from the medulla, propriospinal neurons can generate spontaneous PMN burst activity.If there is a population of propriospinal neurons that can generate PMN bursts, then it is important to determine whether these interneurons simply relay inspiratory drive from the preBötC (e.g., preBötC → rVRG → interneuronal burst population → PMNs) or whether these neurons act as part of some other independent system—and what relevance this system might have. In this study, we establish an ex vivo model of spinal cord injury (SCI) and combine this model with pharmacologic and optogenetic perturbations to investigate whether propriospinal circuits are capable of evoking PMN bursts. We identify a recurrent excitatory network that is both sufficient and necessary for PMN bursting in the absence of the medulla and show that activity generated by this network is dissociable from bona fide inspiration. Furthermore, we demonstrate that this network can be used to promote diaphragm function after SCI in adult mice and rats.

Um novo Deus, para uma Nova Era

Saturday, September 7th, 2019

xxxx

Se eu tivesse uma capacidade de raciocínio, mas não o conhecimento que tenho hoje quando era aquela microscópica única célula, dois minutos apos a fecundação, e quando olhasse a distância, veria um oceano de líquido terminando numa casca, acreditaria que aquele era o inteiro universo, meu mundo se resumiria aquilo dentro da casca. Mas se nos dias seguintes visse meu corpo se transformando de formas mais simples para formas cada vez mais complexas, concluiria que estaria sendo objeto de uma evolução. Se nessa evolução, logo nos dias seguintes, desenvolvesse uma visão de raios-X e uma mente capaz de ver o passado, veria além da casca do ovo, o mundo dos meus pais, e os genomas deles produzindo aquele enorme Big Bang no centro do meu mundo quando a membrana do espermatozoide explodiu. E concluiria que além e antes do meu mundo é tudo natural, não existem seres supernaturais, e o processo pelo qual meu mundo foi feito é simplesmente um processo natural, sem nenhuma magica. E então também compreenderia que o que pensei ser evolução era, na verdade, uma ilusão, pois o que estava acontecendo dentro do meu mundo era um simples processo natural de reprodução genética. Nada supernatural, nada magico. E meu pai, e minha mãe, seriam meus deuses, o que mais amaria no mundo, mesmo eles sendo simplesmente naturais e incapazes de fazerem magicas.

Hoje estou sentado numa pedra grande que tem ao lado da porta da minha casinha numa pequena terra rural, ‘a meia-noite. Olho para o céu estrelado, penso que este é o meu mundo. Sei que o Universo esta se expandindo, então obrigatoriamente ele tem um limite, não é infinito. Mesmo que seja uma aureola de vácuo circundando-o, ele deve ter algo como a casca membranosa alem das últimas galaxias. E sei que o Universo teve início num Big Bang, similar ao do que ocorreu no primeiro instante da existência do meu corpo carnal. Tudo igual, me sinto como nos meus primeiros segundos neste mundo, um microscópico ser, que sente apenas as coisas naturais de seu mundo. Mas eu estudei muito, passei a vida carregando uma luneta para ver o céu e um microscópico rustico para ver as criaturinhas na lama dos pântanos. Sinto que minha mente se desenvolveu com as descobertas que fiz, como a existência da formula universal da Matrix/DNA, ao ponto de ter uma visão mais profunda e calcular com bom grau de probabilidade o que existe além das últimas galaxias. Também as Ciências Humanas e a minha fórmula me ajudaram a ver mais profundo no passado. Estou neste universo no ponto que estava alguns dias apos meu aparecimento como célulazinha no seu pequenino universo. E o que vejo além e no passado deste Universo, antes do meu aparecimento?

 

A fórmula universal mostrou as causas das existências de todas as coisas existentes dentro deste universo, e mais ainda, as causas de todos os eventos ocorridos nesta natureza universal. E para minha surpresa, tudo o que ela sugeriu bateu exatamente com minhas exigências racionais. Se ela sugeriu uma nova versão mais racional da Historia Universal, e nesta historia esta claramente revelado um longo processo de reprodução genética que ate ontem eu pensava, como meus amigos humanos, estar vendo evolução, então bastaria projetar a logica do processo ocorrendo aqui dentro deste mundo, para calcular o que deve existir alem e antes das fronteiras deste Universo. De certa forma adquiri uma visão de raios-X, pois agora olho o Universo pelos olhos de uma fórmula universal. Realizei os cálculos em enorme excitação e impaciência, pois intuitivamente eu sentia o que ia descobrir. E não foi surpresa quando vi, além e antes deste Universo, meus pais, naturais e auto-conscientes, mas nada de mágicas e nada supernaturais. São simples, mas sei que observam o universo engravidado, e esperam ansiosos pelo meu nascimento. Eles não desenharam este mundo onde estou, assim como minha mãe não desenhou a placenta que me envolveu e nutriu.  Assim existem os maus obstáculos, mas quando a coisa aqui vai mal, nós chutamos a barriga, gritando, rezando alto, então nossos pais percebem e administram alguma medicina, que meus irmãos aqui dizem ser “milagres que caíram do céu”… kkkkkk. São seres naturais, mas eu os amo como meus deuses. Aliás, os únicos deuses que tenho.

E agora admiro ainda mais aquele simples carpinteiro que um dia perguntado qual era o segredo fundamental deste mundo, ele levantou os olhos para o céu e disse: “Pai”. Em seguida abaixou os olhos à Terra, olhando seu corpo e disse: “Filho!”

Seus discípulos pensaram que quando ele olhou para si ele estava se vendo como Deus. Não, ele estava vendo seu corpo de homem, um corpo humano. O humano é o filho. Grande intuição! Se seus discípulos conhecessem estas coisas de DNA e genética, ao invés de filho ele teria dito “Genes”. Pois, na verdade, carregamos 8 bilhões de bolhas de auto-consciência com as quais estamos construindo-nos como o futuro filho. Mas mesmo assim, ele acertou na mosca!