Posts Tagged ‘vida’

Gestação de humano em nove meses e a fusão dos genomas (vídeos)

Tuesday, April 6th, 2021

xxxx

Life in the womb (9 months in 4 minutes) HD – Presented to You from PSNX

by : BobbyandDanna Jackson

https://www.youtube.com/watch?v=_5OvgQW6FG4

Fertilization – Nucleus Medical Media Nucleus Medical Media

Aliens e a Terra: Armas nucleares é deles e suas intenções reveladas às crianças na escola de Zimbabwe in 1994

Sunday, February 14th, 2021

Durante algumas décadas após as bombas de Hiroxima e Nagasaki houveram relatos de presenças de UFOS e alienígenas. O ponto crucial foi a tomada das centrais nucleares em todos os países e desativação das ogivas pelas naves, por controle remoto ( segundo relato no documentário “The Phenomenon”, com link abaixo. Foi um teste e aviso de que eles se apoderaram destas armas, que elas estão sob o controle deles.

Das ocorrências tornadas publicas, a mais realista foi a ocorrida com as crianças na escola de Zimbabwe ( vídeo com link abaixo).

Das partes governamentais, a ocorrência mais notória foi o vídeo liberado pelo Pentágono em 2017 sobre aviões militares enquadrando UFOS nos radares, conforme reportagem no New York Times:

‘Wow, What Is That?’ Navy Pilots Report Unexplained Flying Objects

https://www.nytimes.com/2019/05/26/us/politics/ufo-sightings-navy-pilots.html

O artigo mais recente sobre a situação atual da procura de vida extraterrestre e a possível visita de aliens a este planeta tem uma longa secção de centenas de comentários onde os leitores apontam todas as possibilidades imaginadas nesse cenário, esta no New York Times, em:

Why aren’t we looking for them?

https://www.nytimes.com/2021/02/11/opinion/aliens-extraterrestrial-life.html?action=click&module=Opinion&pgtype=Homepage#commentsContainer

Notável é o seguinte comentário:

” The most compelling evidence that aliens has been at Earth was an interview with white children at a boarding school in Zimbabwe in 1994. The film had an interview with the children, there were 60 of them, in 1994, describing their encounter with aliens who had some kind of communication with them. The children then produced drawings that were nearly identical showing the aliens. Even more impressive, the documentary interviewed the same children and their school master 17 years later, in 2011, and they all recounted the alien encounter. No one said it was a figment of their collective imaginations. These and massive number of other reported encounters from all over the world leads me to believe that intelligent aliens exist. Are they here now? Probably.”

https://www.amazon.com/gp/video/ https://www.amazon.com/gp/video/

xxxxx

A seguir, o que a cosmovisão da Matrix/DNA sugere a respeito:

Para iniciar, é preciso diferenciar a busca por vida alienígena da busca por inteligência e/ou autoconsciência alienígena. Uma arquitetura natural que alcança a complexidade necessária para apresentar inteligência ou autoconsciência não precisa ser “viva”, mas sim ser uma das formas de “sistema” natural.

As sementes para desenvolver sistemas naturais complexos são espalhadas ( provavelmente ao acaso) em todas as galáxias. Porque elas são o genoma das galáxias, ou seja, o produto da evolução das galáxias.

A “vida” tal como a conhecemos no único exemplo que temos á mão, é apenas um nome humano dado aos sistemas naturais que tem sua matéria organizada na forma biológica. E é provável que mesmo na forma biológica existam muitas outras formas de vida com suas muitas espécies que sejam bem diferentes da forma de vida terrestre. Basta lembrar que o átomo central na formação da vida terrestre foi o carbono, porque com seus seis elementos ele é a cópia mais fiel do building block das galáxias. Porem percebemos na tabela periódica que a cada 8 elementos, o próximo na escala imita todas as propriedades do primeiro elemento. Então, se para desenvolver uma vida biológica basta ter um átomo central com as propriedades do carbono, torna-se possível que num planeta os corpos biológicos começaram como base o átomo de Silício, que tem 14 elementos, em outro pode ter começado a partir do Titânio 22, e assim por diante. Como serão as formas dos corpos, haverá ou não respiração, reprodução assexuada, etc, será também resolvida conforme o contexto dos meios ambientes diferenciados.

Portanto é possível que nos deparemos e passemos por alguma arquitetura, microscópica ou gigantesca, que seja um sistema biológico sem nos dar conta de que é um ser vivo.

Esta busca se torna mais difícil porque nada nos garante que apenas os sistemas naturais na forma biológica podem desenvolver os requisitos para expressarem inteligência ou autoconsciência. Como vemos no documentário The Phenomenon, os cientistas constataram em material extraterrestre, átomos ou isótopos com propriedades diferentes de todos os átomos terrestres, o que abre o leque de possibilidades de diferentes sistemas naturais funcionais. Além disso não sabemos quantas formas de organização da matéria são possíveis. Conhecemos os sistemas atômicos com suas características eletromagnéticas, os sistemas astronômicos com suas características mecanicistas, os biológicos com essas propriedades vitais, e só.

Mas se os modelos e cálculos da teoria da Matrix/DNA estiverem próximos do correto, devem existir no mínimo mais 4 ordens de organização da matéria que ainda nos são desconhecidas. E as próximas 4 ordens se tornam cada vez mais complexas que compõem um mundo não captável aos nossos sensores naturais. Assim como nós seriamos a ordem de organização no nível 3 ( ou terceira dimensão) e podemos perceber e atuar nas duas ordens anteriores ( atômica e astronômica), não podemos atuar nas 4 mais complexas por não termos sensores para capta-las ( estas sete dimensões são derivadas das sete divisões ou faixas vibratórias da onde de luz original, sendo que existimos na faixa da luz visível). Isto significa que poderemos visitar e até viver em astros habitados por seres destas dimensões mais complexas e portanto, autoconscientes, que nunca notaríamos sua existência.

Isto nos conduz a uma nova ou terceira explicação do porque não encontramos ainda vida fora da Terra, além das duas conhecidas relativas as diferenças universais do tempo e do espaço. Para outras formas de vida, e de outros sistemas naturais inteligentes que estejam no nosso nível três, é nos impossível nos encontrarmos devido nossa constituição física não superar as barreiras do tempo e espaço. Se tem seres vivos biológicos já inteligentes ( não necessariamente autoconscientes) em outros planetas, mesmo que no sistema estelar mais próximo, nunca faremos contato, porque não poderemos ir lá e eles não poderiam vir aqui.

Mas assim como nós conseguimos descer nas dimensões menos complexas e atuar nelas, assim também é possível que os possíveis seres das dimensões mais complexas possam também, não apenas descerem e atuarem no nosso nível atômico, astronômico como no nosso nível biológico. Com a inquietante possibilidade que eles podem atravessarem estas dimensões e se mostrarem a nós ou se ocultarem na invisibilidade não acessível aos nossos sensores. Inclusive sua tecnologia pode produzir equipamentos que possam aparecer e desaparecer à nossa percepção.

Pelos relatos das crianças os alienígenas estabeleceram contato telepático inserindo uma mensagem que indica serem bem intencionados para com nossa espécie. E pelo relato das autoridades, se os alienígenas tomaram o controle das armas nucleares, provavelmente não é porque elas poderiam prejudica-los, então novamente fica o indicio de que sua intenção nos seja beneficial. Mas temos que considerar a probabilidade de que existam um numero quase infinito de espécies alienígenas, que muitas delas podem vir aqui e que podem se diferenciar em suas intenções.

Eu particularmente acompanho com interesse – mas sem decidir se acredito ou não, ainda – as palestras da neurocirurgiã Dra. Monica de Medeiros e da Psicóloga Margarete (D Ávila…?) que se apresentam como médiuns telepatas transmitindo mensagens de uma extraterrestre que se dia estar na Terra a serviço de uma Confederação Galáctica, apenas mantendo um cordão de isolamento e segurança em volta do planeta impedindo a entrada de alienígenas desenvolvidos tecnologicamente mas sem a contrapartida da evolução ética e moral, ou seja, protegendo a vida na Terra. meu interesse maior é porque nestas palestras ocorrem descrições de aspectos naturais como relacionados a detalhes dos átomos, do nosso corpo, das galáxias, etc., totalmente do desconhecimento das nossas ciências e impossíveis de serem imaginados pelos cérebros das duas humanas. Enfim, neste tema em que não temos certezas racionalizadas de nada, a minha postura é a de apoiar no que for possível as pesquisas por qualquer metodo, seja pelo cientifico acadêmico ou outros. Na selva amazônica me relatavam a existência de tribos que jamais fizeram ideia de que existem mais humanos neste mundo além deles, então imagino o que estão perdendo pela falta desse conhecimento. Apesar de não poder concluir se este desconhecimento no final da história é bom ou ruim para eles.

Quando penso nisso me pergunto se não estou sendo irresponsável. Por dois motivos. Primeiro porque essa pesquisa pode nos conduzir a um contato que pode ser bom ou ruim para nos. Se fosse apenas por mim eu correria o risco com determinação. Mas quando penso que essa pesquisa pode conduzir nossas crianças e espécie inteira a ser escravizada, devorada, ou infectada por vírus alienígena, tendo a recuar e condena-la. Segundo porque devo pensar no bem da raça que contatar-mos; se for tecnologicamente menos avançada que nós, será difícil protege-la contra a monstruosidade natural da aristocracia humana. Não o faço porem baseado no seguinte pensamento: por não saber da existência de outros humanos neste planeta, os aborígenes não perceberam a necessidade de se desenvolverem em armas de defesa e por isso foram colhidos de surpresa e dizimados. E quando temos certeza que existem alienígenas, de alguma maneira, nossa pesquisa pode nos levar a desenvolver as armas de defesa para uma pior eventualidade. Afinal, foi o conhecimento da existência de meteoritos que começamos a desenvolver misseis para destrui-los no espaço antes que atinjam a Terra.

O sentido da vida humana pela cosmovisão Matrix/DNA descrito num texto mais extenso

Thursday, February 11th, 2021

“Somos 8 bilhões de irmãos-genes semiconscientes que, juntamente com mais trilhões de outros irmãos genes espalhados neste Universo-placenta cujas células placentárias são estas galáxias e no qual está ocorrendo um simples processo de reprodução genética do sistema natural super-consciente de nós ainda desconhecido assim como o feto desconhece o pai e a mãe, que deflagrou o Big Bang como um evento de fecundação e portanto como genes cada um de nós estamos dentro do pequeno fractal do grande fractal universal ao qual denominamos cérebro-placenta dentro de uma cabeça-ovo, somos uma informação única, especifica, indispensável e intransferível, manifestada na forma de uma partícula da consciência cósmica e portanto como os genes que constroem um organismo sem saber o que estão construindo, nossa missão neste mundo é nutrir e desenvolver as condições para quando essa nossa partícula for inserida naquele que será Todos-em-Um na forma do grande baby que vai nascer para além deste Universo no dia do Big Birth. seja o baby mais saudável e perfeito possível para regozijo dos que nos aguardam esperançosos de braços abertos.” Fazer compras? Ora com tudo isso a construir e ainda sabendo que meu futuro depende também que outros cumpram suas missões portanto tenho que também ajudá-los, achas que tenho tempo para compras e que vou descer a este nível animalesco?

Mensagem do dia 26/Jan/2021

Wednesday, January 27th, 2021

Charles Chaplin:

“Neste mundo, a terra é rica e pode alimentar a todos. A vida pode ser bela e livre, porem, nós perdemos o rumo.”

Postado no Instagram, em

https://www.instagram.com/p/CKe6ELlDyN0/

Mr. Chaplin, sorry, you are wrong. A vida já nasceu perdida antes dos humanos aparecerem, os animais viviam em escassez e carnificina. Esta falta de conhecimento de Ciências básicas se assemelha à cegueira conveniente dos religiosos defendendo seus falsos e convenientes deuses. Eu fui viver na selva virgem e aprendi: esta biosfera é produto de um estado caótico desta Natureza, e não do Seu estado oposto, o de ordem. Então procurei nas origens desta biosfera um motivo do caos, e meu método sugeriu uma resposta: entropia deste sistema astronômico, que foi o real criador dos sistemas biológicos na Terra. Esta galáxia é tão nossa ancestral como o são bactérias e macacos. Mas veio outra questão: porque a entropia ataca sistemas astronômicos? Porque as galáxias se tornaram sistemas fechados em si mesmas. Extrema expressão do egoísmo, fechando as portas à sua evolução. E esta galáxia fomos nós mesmos em tempos remotos, a escolha foi nossa. A entropia vem como uma salvação a um prisioneiro desesperado dentro do seu próprio criado falso Paraiso, que depois se revela como um inferno. Ela conduz o elemento à uma Queda, fragmentando-o em seus bits-informação, que são partículas fótons, os genes cósmicos. A queda conduzindo a diferente ambiente e materiais causa o Ponto de Mutação, que faz se levantar a nova criatura como um fluxo de Ordem, porém, trilhando um novo caminho. Nós, humanos, somos os genes atuais deste fluxo de Ordem, apresar de ainda sermos dominados pela herança irracional, somos filhos do caos. Mas vamos chegar lá se – e somente se – limpar-mos estas porcarias romantizadas da imaginação e ajoelhar-nos no solo com microscópios e mirar-mos os céus com telescópios, humildemente pedindo que a nossa grande Mestra, Mãe Terra, Gaia, nos revele seus mecanismos e processos, dos quais aprendemos Seu proposito evolutivo e sabemos como nos guiar em nossas decisões e comportamentos. Na Teoria da Matrix/DNA expomos aprendizagens fantásticas porque a mestra fiel nunca falha com suas criaturas que de fato a amam.

Qual a utilidade prática de uma nova cosmovisão como a Matrix/DNA e qual a utilidade publica de ter filósofos naturalistas como eu?

Monday, May 11th, 2020

Vale a pena viver a Vida? Se não, o mais racional para o rico é apenas se divertir até morrer, e para o pobre é suicidar-se logo de forma indolor. Se sim, ( o rico já respondeu acima que sim), eu pergunto ao pobre: porque é racional a você manter-se vivo nas suas condições de vida?

Todos os pobres a quem fiz a pergunta, imediatamente saíram fora do nível racional, entrando imediatamente no nível da fantasia metafisica ou mostrando estar condicionado mentalmente por esta cultura humana criada e inventada pelos mais fortes para fazerem o seu trabalho sujo.

Bem eu nasci pobre. Ainda dos piores, sem família e casa, criado ora nas ruas, ora temporariamente por algum parente. E quando cheguei por volta dos 20 anos muito sofridos, me fazendo essa pergunta, concluí que era mais racional preparar meu suicídio. Como escravo fugindo da senzala fui para morrer na selva amazônica, mas lá acabei achando algum ouro. Então, pensei que aquilo daria para comprar um terreno numa praia, fazer uma casa com um bar na frente, se não vendesse pinga num dia iria pegar uns peixes, encostar o burro na sombra gozando o resto da vida, e retornei da selva, vivo.

Mas enquanto viajava de hotel em hotel no litoral procurando o terreno e a praia, nas noites me sentava com cervejas e o fumo e ficava pensando, filosofando. Me voltava sempre a velha pergunta: “Vai valer a pena viver essa vida?”

Mas aconteceu algo na selva que, creio, me desconfigurou a rede neuronial que havia sido construída por milhares de leituras de todas as correntes do pensamento, religiões, e principalmente as informações fornecidas pela maioria das disciplinas cientificas, rede essa que eu de “o meu racional”. E acreditava que o meu racional era o mais perfeito e completo que pode existir, estava limpo de todas as misticas e teorias, exclusivamente embasado em dados realmente, cientificamente comprovados. Para mim continuava a conclusão de que me é indiferente viver ou não a experiencia de desocupado proprietário praiano e pescador até morrer. Nada faz sentido, nada tem proposito.

Agora eu não conseguia definir bem o que, mas algo na selva me abalou aquela certeza, me remexeu o racional, a ponto da velha pergunta mudar seu tom de racionalidade. Agora era:

” Vale a pena para as galaxias estarem assim, semeando a semente da vida em cada planeta dentro dela para frutificar naqueles que são de boa seara? Qual seria o lucro final, a vantagem, para as galáxias, na colheita dessa semeadura?”

” Tudo bem… as galáxias são tão irracionais como os pobres que perpetuam a vida plantando suas sementes e gerando rebentos sem qualquer lucro final e para desaparecerem todos um dia. Não é bem esta a questão interessante aqui. A questão que me angustia, me deixa inquieto surge quando troco o nome “galaxias” pelo nome “sistema astronomico”, e o nome vida, por “sistema biológico”. Agora estou limpando os conceitos metafísicos com que os humanos impregnam os fatos, excluindo a influencia do intelecto humano sobre estes objetos reais, para vê-los nus e crus tal como são. O que existe de comum entre a galaxia e sua cria é o fenótipo, ao qual damos o nome de “sistema”. Fica fácil aceitar que meus pais plantaram a semente que me trouxe à vida, aqui não preciso dizer que “corpos que são sistemas produziram uma semente que produziu um novo sistema, o qual é o meu corpo”. Sistemas é o fenótipo comum entre meus pais e eu, e sistemas é fenótipo comum entre o corpo da galaxia e o corpo de qualquer vivo.. Porque quando conserto as palavras devidas aos objetos, surge uma avalancha de perguntas que nunca me fiz antes, e nem mesmo nunca vi um filósofo ou cientista fazendo-as…:

“Como é a semente da vida?”

” Digo, qual sua constituição física?”

“Tem que ser algo parecido ( um grau menos evoluído) com o genoma, o DNA, o código genético biológicos. Mas onde está na galaxia, como é, como vem, transportado ou espalhado, pipocando de papoulas?”

“Porque essa diferença brutal entre criador e criatura, ou seja, entre o sistema galáctico e sua primeira criatura direta, o sistema celular ?!”

Não me refiro à diferença de tamanho, pois isto é mero problema relativista, e a natureza é expert em aplicar a nanotecnologia. Afinal ela não enfiou o corpo dos meus pais dentro de um microscópico saquinho cromossômico? Me refiro à diferença de grau evolutivo… Epa!… Heureka! Acabei de fazer uma grande descoberta: tem que haver um elo evolucionário entre galaxias e a primeira célula. LUCA? Mais um elo perdido para procurar-mos…

Bem, uma avalancha de mais perguntas me ocupavam até o sono vir de madrugada naqueles hotéis. Primeiro desconfiei que o revertério na minha configuração neuronial abalando meu racional pode ter sido produzido pelas noites na selva deitado numa rede no mais alto das arvores de onde eu via o céu mais estrelado do mundo ao mesmo tempo que via a escuridão da mata e minha vista ficava indo de um para outro enquanto delirava sob a febre malárica. A febre esquenta o cérebro, as sinapses ficam moles como macarrão e depois quando a febre se esvai os macarrões terminam conectados de diferente maneira… Isso já aconteceu na cabeça de outro filosofo, aquele que inventou a religião do Flying Spaguetti Monster… Raios, eu nunca havia pensado em galaxias… muito menos raciocinado que não pode existir outro criador da vida senão as galaxias.

É possível que a criação da vida pode ser por acaso, como estão ensinando nas escolas, mas este acaso só teve disponível as forças e elementos naturais disponíveis na galaxia, em nenhum lugar mais. Uma girafa não planeja dar a cria, ela surge por acaso, mas com material apenas da girafa… Ou seja, o acaso na criação da Vida é um acaso contido, na galaxia.

Bem… aqui desponta as respostas para as perguntas no título. Desisti de comprar terreno na praia, voltei para a selva, montei um restaurante num garimpo que me rendeu o suficiente para passar sete anos pesquisando na biosfera de natureza virgem na busca de qual foi a semente, como ela era, e como veio. Pois se a vida vale a pena ou não, depende de quem faz a pergunta. Se a própria vida ( através de um vivo como eu), ou se a galaxia, que a produz. A vida já encontrou sua resposta: não, não vale a pena. mas qual a resposta para a galaxia? O produtor? Talvez seja: ” Sim, a vida vale a pena porque ela me dá lucros, vantagens.”

Então porque vou ficar penando como o meio para um fim, e não partir para gozar o lucro do fim? Se eu descobrir qual a vantagem para a galaxia explorar a existência da vida, é possível que eu me apodere dessa vantagem. Ora, não vou ser a vida, vou ser o lucrador da existência da vida… Vou ser a galaxia, o criador, e não a criatura…

Aí sim, talvez valha a pena viver…

Brincadeira, eu estava apenas brincando. Assim como a carcaça putrefata dá sentido para a vida de um urubu, mas para mim não, talvez o lucro da galaxia para manter a vida não me apeteça. Talvez a vida seja para a galaxia o que o cosmético é para a mulher, apenas exibição de uma vaidade que desaparece. Eu pensei nisso mas claro, não faz sentido e releguei esse pensamento para o porão do esquecimento. Outra foi a motivação de eu investir tudo para procurar a tal semente. Na verdade foi uma: Filosofia. O vicio que faz a fraqueza dos filósofos.

Por fim, o filósofo naturalista tem uma intuição cósmica, parece-lhe que fisgou um novo fio da meada do Grande Mistério, então volta a colher todos os dados que a humanidade sabe de fato sobre a natureza real, desde o micro ao macro, desde o Big Bang aos dias de hoje, espalha tudo no piso do salão e ali vive e dorme por semanas, anos, mudando os cartões com dados de lugar, conectando-os de um jeito, desmanchando, conectando-os de outro, procurando montar o grande quebra-cabeças. Quando termina ele olha o resultado, o grande quadro final, e descobre: “Está aí uma nova forma de interpretar o mundo, as existências de tudo, uma nova cosmovisão que nunca foi pensada antes. E ela prediz novos eventos, ela sugere experimentos, porque ela é uma teoria racional.”

Foi assim o início de quase todas as grandes descobertas, das ideologias que moveram a humanidade até hoje. Darwin colheu tudo o que pode da selva e ficou 30 anos montando o quebra-cabeça e então pela primeira vez no mundo sua boca proferiu o nome: Evolução. O meu quadro me levou a balbuciar outro nome: A Matrix/DNA. Darwin teve sorte porque era privilegiado na corte britânica e sua teoria previu várias coisas que foram confirmadas, validando-a. A Matrix/DNA, não sei qual sua validade…

Estas teorias, como a Matrix/DNA, sugere uma grande quantidade de mecanismos e processos na natureza, que nunca se observou antes. E a tecnologia humana foi toda criada imitando o que a natureza faz. Mas acontece que a existência dos filósofos tem outra utilidade pratica. Por exemplo, a minha cosmovisão me presenteou com uma resposta super-racional para a pergunta: Vale a pena viver a vida?

A resposta foi de um tal valor inestimável, basta dizer que vivi super-feliz desde então e hoje se eu pudesse estenderia minha vida o máximo…”

E por mais complexa ou maluca seja uma cosmovisão, ela sempre atrai mais alguns. Estes serão picados pela mosca da resposta, e terão a mesma motivação para viver e serão lucrativos para a humanidade. Portanto, antes de embarcar na onda moderna de dizer que Filosofia e filósofos são inúteis, pense nisso.

Budismo também é contra “origens”

Wednesday, October 16th, 2019

xxxx

Hindu and Buddhist philosophies state that any event is the result of previous events, as reflected in the concept of karma, and as such there is no such thing as a random event or a first event. (wikipedia : https://en.wikipedia.org/wiki/Randomness )

A teoria da Matrix/DNA contesta o conceito e definição humana da palavra “origens”, acrescentando que nunca houve “origens da vida” nem “origem do Universo”. As propriedades da vida vem sendo expressadas gradualmente a medida que evolui o sistema universal, desde o sistema atômico, e quando chega no biológico expressa todas as propriedades juntas. Portanto não existe fronteiras, divisão clara entre o que é um sistema vivo e um sistema não-vivo. Então não teve súbita origem da vida. Alias, tido é produto de transformações de algo que existia antes. E pelo que vejo no texto acima, o Budismo também já defendia esta ideia.

Tenho alertado que estas duas palavras tem causado grande prejuízo a obtenção de conhecimento natural pela humanidade. Por causa desta divisão entre vida e não-vida separaram a Evolução Universal em dois blocos – a Evolução Cosmológica e a Evolução Biológica – e devido a esta separação que cria um abismo evolucionário entre os dois blocos surgem vários misticismos, materialismos metafísicos crendo em acasos mágicos, e religiões, que precisam apelar ao imaginário para explicarem o que aconteceu depois da evolução cosmológica, como a origem da vida. se alguém concordar com minha teoria, deve sempre contestar qualquer fala incluindo os termos “origens da vida” ou origem de qualquer coisa, a bem da humanidade.

 











Existe vida apos a morte? Resposta: Não existe a “vida” como acreditas, logo não pode existir a “morte” como acreditas.

Tuesday, September 10th, 2019

xxxx

Ao que escolheu uma opção para a questão se existe ou não vida apos a morte, prepare-se que seu cérebro sera novamente virado de ponta-cabeça como foram os que acreditavam no sistema geocêntrico. Pensar em vida apos a morte não fara sentido no novo cérebro quando ele aprender que não existe “vida” como seus ancestrais acreditaram, e portanto não pode existir “morte da vida”, ou “vida apos a morte de uma vida”. Como um simples humano como eu teria alguma razão em dizer tal coisa estranha? Não existe outra alternativa para julgar isso senão for ao meu website e ver o resumo de 30 anos de pesquisas desconhecidas do público sobre fenômenos naturais. O resultado de minhas pesquisas nos lembra que, nesse debate sobre vida apLaraAs, prepare-se que seu cérebro sera novamente virado de ponta-cabeça como foram os que acreditavam no sistema geocêntrico. Pensar em vida apos a morte não fara sentido no novo cérebro quando ele aprender que não existe “vida” como seus ancestrais acreditaram, e portanto não pode existir “morte da vida”, ou “vida apos a morte de uma vida”. Como um simples humano como eu teria alguma razão em dizer tal coisa estranha? Não existe outra alternativa para julgar isso senão for ao meu website e ver o resumo de 30 anos de pesquisas desconhecidas do público sobre fenômenos naturais. O resultado de minhas pesquisas nos lembra que, nesse debate sobre vida apos a morte, milhares de hardwares de computadores “morrem” a cada dia, porem eles possuíam um software que é algo projetado fora do hardware ligando-se quanticamente com a mente do Bill Gates, uma nuvem no espaço alem dos hardwares, a qual nunca morreu ate agora, ao contrario, encontra-se em plena evolução. Nunca existiu “origens da vida”, pois qualquer origem seria uma quebra na longa cadeia de causas e efeitos que vem rolando desde o Big Bang, por algo fora dessa cadeia, que teria de ser não-natural, e o natural não demonstra ter sido afetado por algo não-natural. A solução para estes quebras-cabeças ficou simples depois que descobri no meio da Natureza uma fórmula natural que é a base, o template, de todos os sistemas naturais, de átomos a bacterias a galaxias a corpos humanos. A fórmula sugere que a nossa consciência pode ser comparada a uma bolha deixada pelo oceano na praia, e quando estoura a membrana da bolha, o conteúdo vai para a atmosfera ate retornar ao oceano… que pode ser comparado `a nuvem da Internet. Não tire conclusões com esse cérebro pequenino e limitado e tao pouco conhecimento da Natureza Universal, apenas estude mais essa Natureza como eu estudei porque assim terás melhor intuições para conduzir a sua existência de maneira que ela possa retornar ao seu habitat assim como o conteúdo de toda bolha retorna ao oceano, sem problemas… Mas como posso ter garantia que exista tal diferente habitat para minha bola de consciência? Bem… nem eu tenho essa garantia, porem, os meus mais de 4.000 artigos com evidencias sugerindo que existe um diferente habitat comparados com nenhuma evidência encontrada ate agora de que não exista tal habitat mas faz apostar a favor.os a morte, milhares de hardwares de computadores “morrem” a cada dia, porem eles possuíam um software que é algo projetado fora do hardware ligando-se quanticamente com a mente do Bill Gates, uma nuvem no espaço alem dos hardwares, a qual nunca morreu ate agora, ao contrario, encontra-se em plena evolução. Nunca existiu “origens da vida”, pois qualquer origem seria uma quebra na longa cadeia de causas e efeitos que vem rolando desde o Big Bang, por algo fora dessa cadeia, que teria de ser não-natural, e o natural não demonstra ter sido afetado por algo não-natural. A solução para estes quebras-cabeças ficou simples depois que descobri no meio da Natureza uma fórmula natural que é a base, o template, de todos os sistemas naturais, de átomos a bacterias a galaxias a corpos humanos. A fórmula sugere que a nossa consciência pode ser comparada a uma bolha deixada pelo oceano na praia, e quando estoura a membrana da bolha, o conteúdo vai para a atmosfera ate retornar ao oceano… que pode ser comparado `a nuvem da Internet. Não tire conclusões com esse cérebro pequenino e limitado e tao pouco conhecimento da Natureza Universal, apenas estude mais essa Natureza como eu estudei porque assim terás melhor intuições para conduzir a sua existência de maneira que ela possa retornar ao seu habitat assim como o conteúdo de toda bolha retorna ao oceano, sem problemas… Mas como posso ter garantia que exista tal diferente habitat para minha bola de consciência? Bem… nem eu tenho essa garantia, porem, os meus mais de 4.000 artigos com evidencias sugerindo que existe um diferente habitat comparados com nenhuma evidência encontrada ate agora de que não exista tal habitat mas faz apostar a favor.

 











EQM – Importantes intersecções com Matrix/DNA

Monday, August 26th, 2019

xxxx

EQM – “Ele não pode voltar, ele já sabe demais” | NDE – “He can’t return, he knows too much”

https://www.youtube.com/watch?v=1wV8JKE1Nf8

Pontos de intersecção:

O narrador diz que experimentou varias diferentes dimensões, e as comparou a espelhos revelando um evento, uma cena, mas cada qual mostrando uma diferença em relação aos outros. E um filosofo naturalista, portanto realizando sua investigação apenas no meio materialista, parece ter encontrado exatamente isso, e aqui, nesta nossa matéria… Isto significa que o nosso cérebro e nossos sensores possuem um raciocínio logico que pode entender a logica num mundo multidimensional, ou de vários universos paralelos coexistindo ao mesmo tempo no mesmo espaço, aqui e agora. mesmo assim, com toda a logica dizendo que isso existe, eu não consigo compreender e não posso acreditar nisso. mas o universo é como é, e  ele não da a minima para o que acredito ou não. Vamos a ver isso…

Quer queiramos ou não, quer compreendemos ou não, nossos egos e corpos estão vivendo em milhares ou milhões de lugares diferentes justo nesse momento, sem um saber do outro…

Para entender como isso é possível vamos pegar um exemplo concreto que todos conhecemos muito bem: o ciclo vital que percorre nosso corpo numa existência, geralmente de 70 ou 80 anos.

Nos surgimos num instante de Big Bang dentro de um ovulo, no momento que rompe bruscamente a membrana de um espermatozoide e genes masculinos se fundem com femininos dando inicio a nossa historia. Surgimos assim como uma microscópica “bolinha”. Essa bolinha torna-se na forma de morula, depois blástula, depois algo como um girino, um peixinho, um feto, etc… ou seja, ate  a forma final de cadáver, aquela bolinha inicial se transforma em muitas outras formas. Se considerar-mos que a cada segundo esta morrendo uma célula do corpo e ao mesmo tempo nascendo outra para ocupar o seu lugar, e que a célula nascida não é exatamente igual a que substituiu, isto significa que a cada segundo nosso corpo esta mudando de forma. Quando eu acabar de escrever esta frase, sera outro a digitar o ponto final, não mais o eu que começou a frase. Mas imagine agora você filmando os 80 anos de vida de uma pessoa, num só rolo de filme, e você roda o filme todo em apenas um segundo. Qual imagem vera na tela? Nada legível, imagino que seria uma mancha, uma nuvem. Pois bem, agora estamos mais aptos a entender o que acontece e produz estas diferentes dimensões de mundos paralelos.

Existem ondas de luz, iluminadas, brancas. Mas esta onda não fé uma figura estática e igual, homogênea, desde seu inicio ate seu final. basta saber que uma onda de luz branca contem em si as sete cores do arco-iris, ms quando todas estas cores são misturadas, apenas se vê a cor branca. Ela surge de uma maneira, como um pequeno ponto partindo de uma fonte, e a partir dai ela vai se ampliando. Mas enquanto ela se amplia ela vai mudando de forma, no sentido em que formas seria a diferença na frequência de onda, comprimento de onda, vibração de onda, intensividade, etc. ( se queres te lembrar alguns detalhes sobre ondas, de uma olhada na figura mais embaixo)

Notaste a semelhança entre a onda de luz e o seu corpo? Os dois mudam de forma constantemente. Isto significa que o mesmo efeito que sofre uma onda de luz ao se ampliar, se propagar cada vez mais fundo e mais longe e em maior tempo, no tempo/espaço, sofre o seu corpo o mesmo efeito, por isso também dizemos que nosso corpo se propaga no tempo (aumentando a idade) e no espaço ( aumentando o volume).

Uma onda de luz pode durar muito mais tempo que um corpo humano, ou menos tempo, não sei. Mas os cálculos na Matrix/DNA estão sugerindo que uma onda de luz que foi emitida junto com o Big Bang – ou ela mesmo causou o Big Bang – ainda esta no espaço ocupando todo este Universo. Então ela teria 13,8 bilhões de anos. Agora imagine que tivéssemos um rolo de filme destes 13,8 bilhões de naos e o rodássemos num segundo. O que apareceria na tela? A mesma coisa do nosso corpo, uma mancha só, talvez uma mancha luminosa.

O seu corpo tem milhões de formas diferentes em 80 anos, mas em qualquer dado momento, ele tem uma unica forma. Neste exato momento é impossível seu corpo mostrar-se desdobrado nas formas que foi no passado e as formas que vai ser no futuro. Apenas a mancha na tela do filme rápido contem todas as formas dos 80 anos num mesmo momento. Mas essa mancha do seu corpo na realidade não existe…

Ou existe? E aqui esta o espinho incomodo no nosso cocuruto. O mundo esta dizendo que sim. Quem morreu, conheceu outras dimensões, e voltou, estão todos dizendo que sim. Em qualquer dado momento de sua vida você é aquele corpo naquele momento e ao mesmo tempo um corpo, invisível, contendo todos os seus 80 anos… Por isso existe a premonição, que é o ponto de vista do corpo invisível de 80 anos, não o nosso ponto de vista neste dado momento. A imagem visível já sabe tudo o que vai acontecer no seu futuro.

E difícil entender como o tempo pode ser apenas um ponto, digamos, um segundo, e ao mesmo tempo uma enormidade, digamos, 13,8 bilhões de anos. Acho que isso depende do observador, da velocidade do tempo que ele capta ou opera, ou seja, um fenômeno relativístico. não existe passado e futuro, apenas existe o presente, porem o presente é tao amplo que contem todo o passado e todo o futuro. Arre… querem fundir minha cuca…

Cada diferente ponto numa onda de luz é uma diferente dimensão. A matéria que esta num ponto, digamos M, não vibra como a matéria que esta no ponto seguinte, N. O mundo de uma não é o mesmo mundo da outra. Mas a onda universal esta estacionaria, ela tem no minimo 13,8 bilhões de pontos diferentes, e todos estão numa só onda.  Uma onda de luz é constituída de suas partículas, os fótons, cada um é um ponto dela. Acontece que cada foton contem em si tudo o que a onda completá contem em si. O foton é uma copia fiel da coisa inteira. Então o micro esta no macro e vice versa, o macro esta no micro. A sua forma agora é uma micro-forma, e a sua imagem de 80 anos é uma macro-forma. os seus 80 anos estão resumidos neste exato momento e este exato momento contem seus 80 anos.

Mas o que diferencia e produz os diferentes pontos da luz – quer dizer, as suas diferentes dimensões da matéria/energia – é o processo do ciclo vital. assim como nos, a onda de luz se propaga exibindo a evolução das formas pelo ciclo vital. Então o que liga o seu corpo neste exato momento e este mundo real que percebes neste exato momento, com o seu corpo em outro momento seguinte ou passado, também é o mesmo ciclo vital. Nesta dimensão aqui e agora você tem 23 anos, 4 meses, 23 dias, 13 horas. Na dimensão seguinte paralela o seu corpo e o mundo que ela esta tem outra idade, e portanto outra constituição de matéria. Num universo paralelo existindo neste momento justo ao seu lado seu corpo não pode ter de jeito nenhum a sua mesma idade que tem aqui. No minimo sua imagem no universo paralelo mais próximo terá 23 anos, 4 meses,23 dias 13 horas e 1 minuto.

Existem interações entre duas diferentes dimensões? A logica natural esta sugerindo que não, mas pode haver. O seu corpo neste exato momento não tem como interagir com suas duas formas vizinhas. Porque o seu corpo no momento anterior não existe mais e o seu corpo no momento seguinte ainda não existe, então vai interagir com que? E Monfort fala também algo neste sentido, que uma dimensão não interfere na outra. Alias, talvez seja por isto que não queriam que ele voltasse, pois o que ele sabia de uma dimensão iria influenciar na outra dimensão e isto é uma agressão contra a linha do tempo do ciclo vital, com consequências nefastas para as duas dimensões envolvidas. Mas então como os personagens na dimensão mais elevada, no quarto do sitio, estavam operando com as mãos dos médicos nesta nossa dimensão?  Monfort disse que la se sentiu como sendo o todo. O todo pode mudar um ponto ou uma parte dentro de si, mas um ponto ou uma parte dentro de si não pode mudar o todo. Então, seria possível sim, a quinta dimensão estar influenciando na quarta, se a quinta esta sendo o instrumento de aca o do todo. Entendeu?

Ouvindo a narrativa do Beto Monfort e consultando a formula da Matrix/DNA, foi a essa dedução que cheguei. A coisa toda se torna muito complicada para entender, fica a pergunta do porque o mundo é assim… e temos que nos curvar a resposta: porque é assim. Continue evoluindo ao continuar investigando e um dia saberás porque é assim.

Agora vamos abordar o assunto começando por outro prisma ( mas aviso já que chegaremos ao mesmo resultado).

Vamos tentar conectar os ossos de dinossauro que temos colhido aqui na Terra com os ossos que Monfort nos trouxe da quinta dimensão, pois nos, humanos, estamos na quarta. “Eles dizem que não podemos saber o que não nos é devido saber” – e Monfort esta desafiando a lei ao divulgar o que soube – mas a humanidade esta empenhada desesperadamente na busca desse saber, principalmente cientistas e filósofos naturalistas como eu. Então a alegoria dos espelhos para explicar as diferentes graduações entre as diferentes dimensões são novos ossos fantasmas de Monfort que estão batendo com ossos concretos que nossa investigação já tinha percebido neste mundo natural. Quando descobrimos que o DNA biológico tem a mesma configuração que o template dos sistemas astronômicos e sistemas atômicos, montamos os passos da Historia Natural Universal e o roteiro nesta historia nos levou a descobrir como essa Matrix/DNA universal estava no momento da origem desta natureza universal: na forma de uma onda de luz. E agora vamos entender a alegoria dos espelhos.

A luz que produziu ou foi emitida com  Big Bang tem uma anatomia física como um sistema e funcional, igual ao do nosso DNA. As sete grandes moléculas do DNA ( os dois açucares nas hastes e as cinco bases) são a representação material biológica das sete faixas de frequência/vibração da onda de luz. Quer dizer, o código genético no DNA já estava encriptado numa onda de luz nas origens do Universo. Outra grande surpresa foi descobrir o método pelo qual esta Matrix constrói os sistemas materiais: ela penetra um novo corpo material resultante da evolução de uma especie anterior e o move pelo processo do ciclo vital. Ciclo vital e este processo que faz nosso corpo mudar de formas durante uma vida, desde as formulas iniciais da morula, blástula, feto, embrião, jovem adulto, etc. Sempre nos referimos a sete formas principais do nosso corpo, e o interessante é que cada forma replica o estado físico de cada faixa da onda de luz. mas entre a forma de criança e de jovem, por exemplo, existem mil formas intermediarias nesta transformação. Agora podemos chegar aos espelhos do Monfort e suas dimensões intermediarias.

Esta onda original de luz ancestral do DNA foi uma especie de genoma recebido neste espaço de dark matter para gerar uma auto-consciência cósmica, para alem deste Universo. A especie humana esta sendo um gene semi-consciente que esta gestando um estagio deste feto de auto-consciência cósmica. Esta se gestando a sua forma no futuro. Por razoes muito longas para explicar aqui, apenas adianto que estamos na quarta dimensão, o que você pode ver no espectro eletromagnético da onda de luz, que a quarta corresponde a faixa da luz visível, a unica que faixa no mundo natural que nossos sensores capta. se aluz esta toda aqui, onde estão as outras seis faixas?

Os espelhos de Monfort. Ele foi sumamente feliz em ter esse insight brilhante, ele acertou na mosca! Os seres que fizeram a cirurgia em paralelo aos médicos da Terra são nossas formas na quinta dimensão existindo justamente agora! As primeiras três dimensões, que produziram partículas, átomos e astronômicos no espaço celeste, e moléculas, plantas e animais irracionais na Terra, nos já passamos e estavam la, na dimensão onde Monfort foi, por isso ele ouvia o silvar de pássaros, talvez o mugido dos animais, sentia o aroma do campo.

Claro, somos humanos, e segundo “eles”, estamos proibidos de saber coisas mais profundas, da quinta dimensão, da sexta, da sétima, que “eles” também não podem saber. Talvez este conhecimento atrapalharia a construção do embrião cósmico, pois sabemos que o DNA constrói organismos numa sequencia especifica, se genes se adiantarem dará tudo errado. Mas o que “eles” provavelmente não sabem é que não podemos mais continuar neste nível de ignorância, não aguentamos mais este animalismo social, esta vida absurda, e estamos nos auto-destruindo, o que seria prejudicial ao embrião. Eu me revolto contra esta proibição porque meu coração esta sangrando quando vejo tantos irmãos genes- 7 bilhões – sendo torturados da maneira que estão. “Eles” não estão vendo isso, pois poderiam dar-nos uma mãozinha. Não o fazem então nos precisamos fazer algo e urgente, então me arrisco a continuar esta investigação  fuçando a matéria natural, desenterrando ossos fosseis ate da época do Big Bang, ossos de luz, e não titubeio a colher avidamente os ossos trazidos por Monfort, assim como ele esta se arriscando a divulgar o que lhe foi dito que não pode ser. ( se alguém se interessar por mais detalhes na minha investigação e mais explicações que batem com a narração de Monfort, pelo meu avatar acima podem chegar no meu website, theuniversalmatrix.com).

xxxx

Observe o espectro da luz segundo nossa teoria, para entender o texto acima (clique na imagem):

Light-The-Electro-Magnetic-Spectrum by MatrixDNA THeory

 

Outro detalhe muitíssimo interessante na narrativa do Monfort, vou recordar aqui:

– ” Enquanto estava na outra dimensão, eu me sentia como o todo, havia um entendimento, tudo fazia sentido” – ( sim, eu imagino que para a onda de luz universal de 13,8 bilhões de anos tudo o que acontece neste tempo neste universo é visto conectado, causas com efeitos tornando-se causas de novos efeitos, etc, tudo agora faz sentido. O mesmo deve acontecer se temos uma imagem sobreposta dos nosso 80 anos, para ela tudo o que acontece na nossa vida agora faz sentido) – “Eu sentia assim, como uma sensação de pureza, digamos, de bondade. mas quando vim para cá percebi que aqui eu não posso ser aquele puro. Aqui eu tenho que ser diferente. Não é que tenho de ter e praticar a maldade, mas é que… não sei como explicar, é a lei da sobrevivência entende? Se eu for puro aqui, se manter aquela aura de bondade que sou na outra dimensão, eu não sobrevivo aqui… ”

Um exemplo disso me aconteceu certa feita, na selva. Vi uma barata no piso dentro da minha barraca e relutei em mata-la. tentei expulsa-la para fora, tentei pega-la e joga-la fora, não tinha jeito. Eu tinha que praticar a maldade de mata-la, senão ela lambendo meus alimentos iria me transmitir uma doença… Não a matei e ela em agradecimento, tempos depois, veio me apresentar seus doze filhos… tudo dentro da barraca…

Aqui esta outro espinho me incomodando o cérebro. Porque aqui tem que ter a maldade? Porque existe o mal, afinal de contas? De onde veio isso, para que?

O dualismo entre todos os detalhes da matéria neste universo parece que existe desde o momento do Big Bang. Ali, se tinha o quente dominando, logo ele se arrefeceu e deu lugar para o frio, o seu oposto. Tinha a partícula spin left e tinha ao lado a partícula spin right. Então se existe o bem, tem que existir o mal. Mas o mal tortura barbaramente as criaturas neste Universo, quem inventou ou permitiu existir tal absurdo?

Alias, o Monfort em mais um brilhante insight toca neste assunto também. ” O bem se torna o mal terrível no momento seguinte, e vice-versa…” – ele disse.

A cosmovisão da Matrix/DNA sugere uma Historia Universal, e na sua versão, a 5 bilhões de anos atras, todos nos humanos e todas as criaturas vivas, biológicas, eram um só ser. Tem ancestral, Um sistema composto de astros, turbilhões, forças conectivas. E este sistema se tornou um sistema fechado em si mesmo, quando calculamos como deve ter sido seu “DNA”. E esta versão da Historia diz em outros trechos que tornar-se sistema fechado em si mesmo é a pior contravenção as leis da evolução natural. Então nos, no corpo de nosso ancestral, cometemos um pecado capital, antes das nossas origens como criaturas biológicas. Estamos aqui porque esse sistema foi atacado pela entropia e nos somos seus fragmentos. Somos um grande erro, um grande pecado, dividido em 8 bilhões de pedacinhos, de fracões. Sera daqui a origem e procedência do mal que existe aqui? Talvez não por dois motivos. Como já disse, a dualidade existia antes, desde o Big Bang. Segundo porque esse ancestral – toda a logica indica – não era inteligente, não tinha a menor consciência, então porque ser punido? Pu no se trata de punição e sim a depuração de uma tendencia interna negativa, a tendencia a ser sistema fechado?

Neste caso, realmente, não em como ser-mos puros aqui. mas uma vez o que Monfort disse esta batendo com o que a nossa teoria prevê.











Como ocorre a transformação evolutiva dos sistemas naturais e das especies vivas

Saturday, August 24th, 2019

xxxxx

Pense num tanque ou lago de águas paradas onde cai uma pedra. Olhando desde a margem do lago, portanto de cima da água, você vê a água formando ondas em círculos concêntricos. Imagine que você esta vendo se formar o segundo circulo, no qual você vê como era o Universo a 13 bilhões de anos atras, uma nebulosa de átomos leves, gasosos, e já se formando algumas estrelas de puro gaz. Desse segundo circulo, matéria como poeira e detritos são empurrados para a frente enquanto a terceira onda se forma e quando esta formado o terceiro circulo você vê o Universo como uma aglomerado de galaxias.

Assim funciona o mecanismo natural que transformou um único sistema inicial na origem do Universo em sistemas de átomos, e depois destes sistemas de átomos produziu os sistemas astronômicos, dos quais evoluíram os sistemas biológicos vivos, e destes agora, esta se formando o circulo dos sistemas de consciência pura. A evolução avança através das ondas de complexidade.

Mas como e porque cada novo circulo agrega mais novas informações aos sistemas que vem dos círculos ou ondas anteriores? Porque o Universo tem uma substancia espacial que é formada de uma matéria escura ainda não bem compreendida, que não parece ser formada de átomos e partículas, e no meio, junto com essa matéria escura, existe a onda de luz natural original emitida no momento do Big Bang. Isto significa que alem das ondas dos sistemas, como o resto da água que você vê em volta no lago, existe essa substancia misturada de escuridão e luz. Mas tem um importantíssimo detalhe…

Nos descobrimos ao observar o espectro eletromagnético formado de sete tipos de radiações, cada qual uma cor diferente na mesma sequencia das cores do arco-iris, e cujas radiações são na verdade essa onda de luz original, que ela é como uma coisa viva. A onda de luz universal tem um corpo formado de sete partes funcionais e essa anatomia toda é um sistema completo, funcional, como um ser vivo! Em seguida fomos descobrir que o design desta anatomia da luz é o mesmo design de uma unidade fundamental de informação do nosso DNA…!!!

Em outras palavras, a luz que banha todo o Universo, funciona como o nosso DNA. Como o DNA tem um código encriptado nele contendo todas as informações para construir um corpo humano, a luz universal tem nela encriptado o código para construir um sistema natural universal.

Então na sua embriogênese quando você era apenas um feto, as informações para construir sua forma futura de embrião e ate de criança peralta ou adulto paquerador já estavam ali, `a sua frente, esperando sua vez de entrar na grande obra. O resto da água que circunda em volta da onda que você vê formada pela caída da pedra não tem as informações para construir nada, mas quanto a evolução natural, o espaço a frente de qualquer forma que o sistema esteja, tem as informações que lhe serão agregadas e o transformarão numa nova e mais complexa especie.

Sacou? Não é lindo e gratificante se infiltrar escondido nos labirintos da natureza enquanto ela dorme e não o percebe, e descobrindo seus segredos mais íntimos? isto porque esta Natureza ainda não lhe revelou um mindinho de suas maravilhas, do que ela é capaz de fazer.

Nos, que somos a forma biológica deste sistema universal, estamos no quarto circulo, a quarta onda. Mas a luz completa tem sete ondas, sete camadas de complexidade, como sete são as cores do arco-iris. A diferença entre o que faz uma onda e a sua seguinte é fantástica. Olhe a diferença entre um átomo e uma galaxia, ou a diferença entre uma galaxia e uma célula viva!. Nos estamos na quarta onda. daqui vamos para a quinta. O que sera de nos na quinta? O que esta quarta onda esta ensaiando fazer a partir de nos – um sistema de auto-consciência, sei la de que tipo de substancia! – da para saber que não temos a menor ideia de como seremos na quinta. E depois… ainda vem a sexta, a sétima…

Coitado dos arrogantes que clamam aos quatro ventos que já sabem tudo… Eles sabem que botando fogo na Amazônia, eles e seus herdeiros serão mais ricos e mais felizes no futuro…

… pois eu não sei de nada, e não tenho a minima ideia, man…

Então estou em melhor situação que eles. Cada nova descoberta, cada novo insight da imaginação, como esse agora notando a semelhança entre as ondas na água e as ondas da luz natural… quase divina… nos proporciona uma alegria imensa, a qual nunca sera experimentada por quem já sabe de tudo…











Livro Final: Austriak opina se existe ou nao vida depois da morte

Saturday, August 17th, 2019

xxxxx

Behem, do Intelligent Designer, pergunta a Austriak:

– ” Ok… mas o que sua Ciencia diz sobre a questao se existe vida depois da morte?”

– ” Tudo o que sabemos se refere a este mundo material. A partir dessa constatação não faz sentido logico sequer perguntar se existe vida depois da morte. Mas nos não percebemos apenas a materia do mundo material. Diferente das amebas, os humanos percebem que a materia, muitas vezes esta organizada em sistemas, os quais funcionam. Tambem não faz sentido logico que essa materia (massa, energia elétrica, rochas, agua, etc.), tenha construído por si so, estes sistemas.  Quando nos tentamos imitar a natureza fabricando sistemas, também fabricamos o computador. Este, para funcionar, possui uma parte como hardware que é a materia visivel, palpável, e outra como software, algo não visivel, abstrato mas que tem uma forssa física material. O corpo humano é um sistema composto por hardware e software. E o que constroi um computador a partir da materia bruta é uma especie de software, a mente humana. Não sera esta a mesma causa que levou a materia a construir sistemas funcionais? Um software correndo no meio dela, desde o principio dos tempos?

” Justamente o que seria o software-formula da Matrix/DNA.

‘ O hardware morre e se decompõe, deixando de existir, não tem vida apos sua morte. Mas antes dele morrer, ele lança de si um ramo lateral que carrega o blueprint de seu corpo, o qual vai se recompor como outro corpo. Entao temos que dizer que de certa maneira, o hardware sobrevive apos sua morte. Sendo o software que corre dentro do hardware transcrito em corrente elétrica, portanto um software invisível, imperceptível aos nossos sentidos, ninguem pode afirmar cientificamente que o software do sistema corpo humano não faça o mesmo que o hardware, ou seja, de certa maneira, sobrevive apos sua morte. Existem varias sugestões emergindo da formula da Matrix/DNA sugerindo que na profundidade desta natureza tem uma especie de oceano de consciencia. E que o software humano se parece com uma bolha contendo agua e ar que aparece na superficie desse oceano, existe por algum tempo, explode, indo o ar de volta para o ar ( a materia vai de volta para a materia) enquanto a agua volta a ser o oceano. Nos computadores, dezenas de geracoes de hardware ja tem surgido e desaparecido, porem o software windows, desaparece em cada computador quando o hardware vai para o lixo, mas ele continua existindo na mente do Bill Gates. Pois o oceano de consciencia pode ser a uma versao universal da mente do Bill Gates. Em muitos relatos de pessoas que sobreviveram a morte clinica dizem algo como: ” Eu era eu, continuava sendo eu, mas meu corpo não tinha limites, eu me sentia como sendo o todo, o Universo….” Acho que esta é a diferenca entre uma bolha e seu oceano.

O mundo analisado pela perspectiva da formula mostra que a evolucao natural tem acontecido exatamente igual a evolucao dos nossos computadores. Tudo comecou com o abaco, depois veio as maquinas de calcular tocadas a manivela mecanica, depois as eletrônicas, finalmente o hardware mais software. mas a interação entre essa maquina que evoluiu e a mente humana tem sido um processo de feed-back, retroalimentação. A mente constroi um hardware e nele insere um software requerendo certas operações. O hardware realiza os processamentos de forma mais eficiente que a mente humana e atraves dos sensores eletromecânicos com que dotamos o cerebro eletromecânico, ele descobre novas informacoes na natureza. E entao repassa estas informacoes ao cerebro biologico que as processa, visualiza novas perspectivas e necessidades, elabora novo mais potente software que exige um mais potente hardware. Assim o software conduz a evolucao do hardware e o hardware conduz a evolucao do software. Mas cada maquina, cada hardware, possui apenas uma copia do software, uma bolha, enquanto o oceano nunca entrou no esquema, ele continua la fora na forma de mente da humanidade. não sera assim tambem em relacao a existencia do nosso corpo fisico, mental… e algo maior mais mental que exista fora do nosso corpo fisico?

Mas talvez tenho encontrado muitas destas sugestões porque inconscientemente eu torço para que haja vida apos a morte. não tenho encontrado sugestões de que não exista vida apos a morte na formula, mas como disse, isso não significa que elas não existam, apenas que inconscientemente não as vejo se elas estiverem a mostra. Portanto continuo agnóstico na questao: não sei se sim ou senao porque não tenho fatos para decidir.