Archive for abril, 2009

Ciclo de Cori (2)

domingo, abril 12th, 2009

(Artigo em Construcao)

O ciclo de Cori, ciclo dos Cori ou via glicose-lactato-glicose consiste na conversão da glicose em lactato, produzido em tecidos musculares durante um período de privação de oxigénio, seguida da conversão do lactato em glucose, no fígado.

Ver mais em : http://pt.wikipedia.org/wiki

Obs: esta imagem abaixo deve ser vista por ultimo (nao consigo cola-la no lugar devido).

ciclo-de-cori-na-matriz.PNG/Ciclo_de_Cori

Identificando os ciclos naturais com base no Software Matriz Universal abre um novo mundo de entendimento e amplia nossas possibilidades de controle da Natureza.

Nada estudamos ainda neste ciclo e aqui “colamos” apenas as promeiras impressoes e deducoes visuais. Vejamos algumas imagens do ciclo e depois a comparacao com o Software Matriz:

 

File:CiclodeCori-pt.svg.

Esquema geral do ciclo de Cori. As setas a vermelho (tracejado) mostram a direcção das reacções metabólicas envolvidas no ciclo numa situação de esforço físico. A verde (setas a pontilhado), as reacções que ocorrem no período de reoxigenação (descanso). (Imagem em Wikipedia, Autor:PatriciaR, trabalho proprio). 

 

 Esquema Quimico do Ciclo

 

..

.Diagrama do Software da Matriz Universal no Estado de Sistema Fechado

E abaixo, um primeiro ensaio da montagem entre a Formula Matricial e seu produto denominado Ciclo de Cori

 E a “montagem” continua na figura abaixo: (Bem, aqui deve ser vista a primeira figura.)

Lista de teses/conclusoes:

Pondo os tres quadros lado a lado ( as duas imagens do ciclo e a imagem do diagrama matricial) imediatamente percebemos a igualdade, a conexao, ou como o ciclo se assenta na formula. Ate’ aqui tenho entendido que o figado, no sistema “corpo humano” executa a Funcao 7 – funcao da limpeza do sistema e excrecao de materiais indesejados. Mas estou vendo que o figado tambem ‘e grande produtor de sustancias, como neste caso o glicogenio. Isto quer dizer que ele tambem pode representar a uniao da Funcao 7, que ‘e a ultima do circuito matricial, com a funcao seguinte, a Funcao 1, que ‘e a primeira do ciclo matricial. Pois a Funcao 1 – maternidade, gestacao, producao de todos os novos elementos que vao entrar no circuito – deve estar ai’ na producao do glicogenio. E quando situamos o figado na Funcao 1 e 7 a coisa toda adquire sentido logico. A partir daqui podemos analizar cada detalhe do ciclo e entender sua raiz na ancestralidade inclusive cosmica, seu significado, seus mecanismos ocultos, etc. Por exemplo, agora tenho um novo entendimento sobre o que ‘e lactose e penso nas espinhas normais que surgem no nosso corpo e expelem aquela massa branca, e entendo como e porque o sistema tem que expulsar aquilo, ja’ que deve ser composta por atomos dos quais ja foram retirados e usados toda a energia util, ou seja, em linguagem da Matriz, todas as particulas-informacao complementares que o organismo necessitava na sua auto-organizacao ou reposicao. Para “sentir” o processo ciclico mentalmente – `as vezes entendemos coisas, estamos vendo coisas importantes mas falta-nos palavras para comunica-las – e’ melhor pensarmos tambem na forma da Matriz como building block astronomico. Mas vamos abrir a lista de descricao das descobertas que sera’ ampliada toda vez que aprendermos algo novo sobre os elementos envolvidos neste processo e voltar-mos aqui:      

1) O glicogenio funciona como o material altamente energetico dentro do buraco negro, reserva de energia. Do glicogenio e’ obtido a glicose da mesma maneira que do buraco negro e’ emitido o nucleo incandescente de um novo astro.

2) O lactato esta’ na posicao do cadaver degradado. Portanto deve ser um material expelido do corpo para limpeza.

3) A glicolise funciona por mecanismos desenvolvidos a partir dos antigos mecanismos que produzem as reacoes nucleares em pulsares e estrelas;

4)… (este espaco e’ seu, pois sei que voce pode ver coisas importantes que eu nao vi’ ainda…) 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Matriz Revela Como o Mundo e’ Finito e Infinito ao Mesmo Tempo!

sábado, abril 11th, 2009

Na falta de tempo para escrever um artigo adequado para este assunto, exponho uma copia de uma pergunta do usuario Paulo, no Yahoo Respostas e a minha seguinte resposta:

Pergunta do Paulo:

“Você consegue imaginar algo que seja infinito? Por exemplo: a imensidão do Universo. Não é possível que o Universo possa ter um limite, e se tiver, ele está contido em outro espaço? Vocês entendem algo que não dá para entender?”

Minha resposta:

Existe uma maneira de conceber o mundo sendo finito e infinito ao mesmo tempo, Paulo. Sao dois mundos contrarios em tudo, nos dois nao podem existir ao mesmo tempo, e quando um mundo acaba, sua substancia se torna no outro que comeca, e vice-versa. Assim, temos dois mundos finitos, porem a retroalimentacao torna os dois num so infinito. E para entender como isso e’ possivel, veja esta analogia pratica:

Gelo e liquido sao duas formas de uma unica substancia: agua.

Entao, ao Sul existe a terra tropical, onde a agua na forma liquida corre do centro do continente para o norte, digamos, Belem. Ali o liquido entra no oceano e e’ levado para o polo norte. No polo norte tudo e’ diferente da selva tropical, para comecar um e’ verde, outro e’ branco. As leis naturais sao muito, muito diferentes. O liquido nao pode existir ali, tanto que ele muda para gelo no meio do oceano se quiser ir ao polo norte. Por outro lado, o mesmo acontece com o gelo vindo do polo norte; ele muda para liquido no meio do caminho.

Mudam no meio do caminho, para se adaptarem as leis do outro polo, o gelo e o liquido jamais vao conhecer os mundos opostos aos seus.

Assim pode ser com nosso mundo, material. Neste mundo aqui, o tempo vai do passado para o futuro, o espaco expande. no outro mundo tudo ao contrario, o tempo vai do futuro para o passado, o espaco contrai. Jamais um humano saindo daqui chegaria como humano no outro mundo e um E.T. de la nunca chegaria aqui.

Agora pode ser que todo o mundo material chegue a um fim, porem antes se transforma na forma que comeca um outro mundo anti-material. E depois a coisa inverte. Entendeu?

Nos, como consciencia podemos ser como a agua: temos uma forma aqui, podemos ser mortais aqui e la, porem quando nos transformamos somos o outro mundo, em outra forma oposta, e assim seriamos infinitos sendo finitos.

A Teoria da Matriz Universal chega ate o principio quantico e ali ela nos induz a olhar alem do Big Bang e parece-nos ver justamente esse mundo exatamente oposto. Mas ela complica a coisa quando seus modelos comeca a tomar a forma de um mundo com infinitos universos alinhados na forma do DNA: interessante e’ que nesse modelo eu pude encontrar pela primeira vez num calculo humano um jmundo que nunca terminaria, pois existe uma maneira dele criar novas informacoes infinitamente. Porem ainda nao resolvi o problema do comeco, naqueles modelos. A nao ser que exista realmente os dois mundos opostos.

Abracos…

Da Queda dos Quatro Personagens do Paraiso se Levanta o Homem ?!

sexta-feira, abril 10th, 2009

cranfall.jpgEm outra parte deste web-site descrevo a maior surpresa do mais extremista materialista e conhecedor da Matriz quando se depara com o Genese, o I Ching e a Doutrina Secreta: a Matriz estava ali descrita fielmente em tres diferentes formas de metaforas e parabolas!

O passado longinquo registrado como memoria genetica emerge das profundezas do cerebro na forma de intuicoes como flashes esporadicos e ininteligiveis, a Razao desperta tenta interpreta-los e assim surgem os mitos como bases sagradas das religioes. (caramba! hoje estou gastando…) … Mas com isso, este materialista tem recolher o rabo, enfiar a viola no saco, e estudar humildemente aquelas escrituras, pois ali deve ter coisas sobre a Matriz que nos ainda nao vimos. Engracado e’ que estamos fazendo justamente o caminho inverso dos autores sagrados: enquanto eles viram o quadro real e dai extrairam o quadro interpretativo virtual, nos estamos vendo o quadro interpretativo virtual (feito por eles) para dai extrair mais elementos do quadro real. Claro que devemos ficar atentos para nao adicionar elementos inexistentes e mistificar a Matriz. Mas veja onde este exercicio  (irrresistivel) esta’ nos levando!   

Agora me ocorre que o nosso ancestral no Paraiso nao era apenas os fluxos de informacoes masculino e feminino que os sagrados denominaram Adao e Eva; nem era apenas a serpente que simboliza nosso gene egoista; tambem nao era apenas o ambiente total paradisiaco, orgasmico, mecanicista,  que Adao e Eva construiram como suas confortaveis extensoes e que se tornaram seus proprios corpos. Nao… em nosso verdadeiro e total ancestral havia algo mais.

Seja o que for o Universo observavel – ou um ovo cosmico fecundado, ou o simples hardware de um computador hospedando um software vivo, que no final das contas podem ser a mesma coisa – a auto-consciencia e’ mais uma das formas que a criatura sendo gerada adquire enquanto se desenvolve intra-uterinamente. Se a auto-consciencia ‘e a ultima forma dessa criatura, quando for completada ela vai nascer no dia do Big Birth, e o Universo inteiro material sera’ descartado como e’ a placenta no dia do parto. Se a auto-consciencia nao e’ ainda a ultima forma, … nao importa muito agora; o que importa ‘e que com a forma da auto-consciencia j’a vamos tendo uma ideia mais aproximada da forma do ser ou sistema que gerou este Universo, seja se reproduzindo geneticamente ou seja criando e lancando softwares vivos.

Em todas as possibilidade vistas acima, se extrai sempre a mesma e unica conclusao: o ser ou sistema que estava atras do Big Bang e’ nosso ancstral. Se nao for nosso genitor(a) direto, como parece mais indicado.  

Mas foi este ser que apareceu no Paraiso na forma de Deus. Termodinamicamente falando – ou seja, na versao mecanicista ou minha visao naturalista – Ele se transmuta numa simples forca bruta mas poderosa, universal, a forca mortal da entropia. Ele vem com o chicote na mao para tirar dali os tres elementos – os “humanos”, a serpente, e o proprio paraiso ao transformar tudo na terra esteril – ele destroi, limpa tudo. Desta forma ele representa a meia face da Natureza relativa ao sistema aberto, como representa a mae gravida que forca o embriao resistente e chorao a nascer, expulsando-o de onde ele estava acomodado.

Acho que ja’ naquela forma astronomica, a mente que vinha dormindo na pedra, sonhando no atomo, ja’ tinha adquirido alguma nocao auto-consciente, e depois de quase uma eternidade degustando o mesmo parque de diversoes cercado por todos os lados, nao aguentava mais e preferia pagar qualquer preco para sair dali. Ate’ mesmo se suicidando. Acho que a coisa vai por ai’, mas como estamos apenas tentando extrair os conceitos morais e licoes de aprendizagem de apenas mais dos eventos que constituiram nossa historia, de apenas mais um rolar da engrenagem do hardware fisico, nao vou gastar mais tempo nisso agora, o tema vai ficar em aberto para correcoes e acrescimos sempre que algo novo nos fornecer mais elementos para raciocinar.

O que eu quero ja’ deixar assentado aqui, e’ a nova ideia de que nos, humanos podemos ser um conjunto final tipo 4 em 1, ou 4×1. O paraiso representando nosso corpo fisico num extremo esforco narcisista de estetica vaidosa e vazio mental; a serpente representando nosso gene egoista que tenta interromper o proposito supremo da existencia do Universo, assim como o embriao acomodado se agarra na placenta, resiste ao nascimento, tanto que sai par a luz deste mundo frio e vazio, chorando; Adao e Eva representando a personalidade humana com suas emocoes oriundas do desenvolvimento miscigenado entre instintos herdados dos animais e de LUCA mais as intuicoes do divino; e Deus representando a nossa consciencia, ou, quando muito, o software vivo que deflagrou o Big Bang.

Somos 4 em 1? Dentro de nos esta’ todo aquele paraiso, que com todos seus personagens, se colapsaram, foram fragmentados em bits e misturados e tornados poeira da terra da qual se levantou voce, Homem ou Mulher, como a Fenix se levantou das proprias cinzas?

Fantastica ideia! Que Adao, a serpente, mesmo o paraiso, possam estarem encriptados em meus genes, e’ uma possibilidade que ja me ocorreu varias vezes e achei ate’ natural. Mas agora tambem Deus…!       

Falhas na Inteligencia Humana devido a Relatividade do Tempo e Espaco

quarta-feira, abril 8th, 2009

No’s vamos nos tornar muito mais “inteligentes”, isto e’, nos posicionar mais confortavel, saudavel, poderosos e ricos na Natureza, `a medida que vamos corrigindo nossos erros de raciocinio devido `as ilusoes relativisticas  produzidas pela nossa pobre percepcao da realidade. Este artigo comeca assim, baguncado, citando os primeiros itens que precisam serem corrigidos e os quais serao desenvolvidos `a medida que nos desenvolvemos. Portanto:

1)Proporcionalmente ao tamanho dos astros no Cosmos, os seres humanos sao bilhoes de vezes menores que os eletrons no atomo; 

A nossa mente tem tido muita dificuldade em aprender sobre as causas e origens dos fenomenos naturais na superficie da Terra porque tem dificuldade em ligar estes fenomenos aos seus correpondentes fenomenos no Cosmos. Nao conseguimos fazer eficientemente os calculos de proporcoes e medidas de tempo e espaco. Com isso ficamos criando misticas fantasiosas como criancas e quebrando a cara porque erramos na interpretacao dos sentidos, significados e objetivos da existencia de tais fenomenos. Desde ha’ muito existe a controversia se o espaco e’ vazio ou possui alguma substancia, e tem-se falado em eter, e os positivistas tem desmentido isso, e agora surgem com a ideia do espaco ser preenchido com a tal “dark matter”, como se voltassem atras e para nao darem o braco a torcer renomearam o eter.  O principal obstaculo para nos aceitar-mos que o espaco seja preenchido por algo vem do fato que podemos mover nosso corpo nele sem encontrar resistencia, e isso nos da’ a sensacao de estarmos nos movendo no vazio. Porem, quando vemos varias estruturas materiais movendo-se ou sendo movidas dentro da celula, cujo espaco e’ preenchido por uma substancia, podemos suspeitar tambem dessa quase certeza.

Vamos assistir um filme sobre as coisas se movendo dentro de uma celula? Veja por exemplo, http://vcell.ndsu.nodak.edu/animations/photosystemII/photosystemII.htm , onde moleculas, proteinas, e ate’ mesmo as gigantescas organelas se movem naquele espaco. Para nao falar da facilidade dos protons, eletrons, fotons…  Agora vamos sair da celula e pensar em termos de Cosmos.

O sistema solar pode ser, em relacao `a Via Lactea, de um tamanho proporcional ao que um atomo e’ em relacao `a celula. Portanto, cada planeta do sistema solar pode ser comparado a cada particula do atomo. E como existem seis bilhoes de humanos agarrados na superficie de um planeta, podemos agora ter uma nocao de qual o nosso tamanho em relacao ao tamanho do Cosmos: e’o mesmo tamanho de seis bilhoes de coisinhas que cabessem agarradas num eletron!

– “VATAPA’ SARURU… O DIABO QUE O CARREGUE! VAI SER PEQUENO ASSIM NA CASO DO C…!!!”

Acho que somos, nestas proporcoes, menores ainda que os fotons, pois um foton pode energizar e excitar um eletron, e um ser humano nao consegue sacudir e mover um planeta.

Ora, com esse tamanho, com essa “minusculidade”, nos podemos nos mover dentro do Universo, ou seja, dentro do corpo do Cosmos, passando por dentro de seus atomos, e ainda desviando-nos de suas particulas… que sao astros celestes.

Mas quando vamos nos mover neste espaco, somos atraidos pelos corpos densos materiais e neles ficamos presos. isso nos da’ uma ideria do porque a luz nao atravessa corpos mateiriais. Voce pode ver que a luz do sol chega numa arvore ou num telhado, mas os fotons de luz se perdem dentro deles tanto quer do outro lado tem sombra. Acho que os fotos sao atraidos e ficam agarrados nos objetos como nos ficamos agarrados no planeta ao inves de boiar no espaco. 

Portanto, o fato do nosso corpo atravessar livremente o espaco nao significa que o espaco seja vazio, assim como particulas se movem dentro de atomos e mesmo organelas se movem dentro de celulas, como se o espaco dentre elas fosse vazio, sem  precisarem nadar. Pois temos a impressao que se o espaco fosse preenchido por alguma substancia, para nos mover-mos atraves dela teriamos que ter nadadeiras ou bater os bracos, nadando. Particulas, atomos, moleculas e mesmo organelas sem cilios movem-se no liquido sem precisarem nadar. 

Mas disso decorre ja’ outro problema: o que e’, qual a forma do Universo? Ora, vamos supor que um eletron mova-se em toda area dentro do atomo e com isso possa saber a forma do atomo. mas esta’ dentro de um atomo que junto com outros milhoes formam uma celula, e se o eletron nao sai ou nao tem telescopio para ver la’ fora, nao tem a menor ideia da existencia de celulas. Mas ele esta’ dentro de uma. Nos, menores que eletrons ja sabemos a forma do eletron a que estamos agarrados, do atomo em que nosso eletron esta dentro, e ate mesmo da celula que nosso atomo esta, ou seja, a Via Lactea. E fomos mais longe… ja estamos vendo as celulas vizinhas, como Andromedra, Orion, etc..

Mas… quando e’ que aquele eletron movendo-se dentro do atomo que poderia saber que seu atomo esta dentro de uma celula, iria saber que sua celula esta dentro de um figado? Assim, nao sabemos o que forma as galaxias que estamos vendo proximas a nos. Vai ser preciso ver muitas bilhoes de galaxias, andar por dentro de todas, e ve-las do lado de fora para saber que tipo de forma ela tem. E claro, e’ bem possivel que ai’ ainda estejamos vendo apenas um orgao, de algum corpo… Talvez o Cosmos tenha um corpo, talvez este corpo esteja neste momento jogando futebol… nos nao temos, cientifica e espiritualmente nenhuma autoridade para contestar esta racional possibilidade.

E’ triste, e’ deprimente, ter consciencia da nossa pequenez e debilidade, mas e’ preciso suportar e manter essa consciencia. Pessoas existem que estao captando alguns fluxos de substancias e e expansoes dentro de um orgao do Universo e ja estao achando que entendem de Universo, a forma de seu corpo, suas origens, etc.. E essa ilusao de entendimento os levam a se comportarem e tomarem decisoes que os farao quebrarem a cara, pois a Natureza fatalmente sempre corrige os ruidos dentro de si mesma.

Um destes comportamentos falhos de inteligencia produz o irracional ceticismo e desaprovacao da Teoria da Matriz por parte de alguns. Irracional porque nao existem fatos para embasarem  a predisposta negativa rejeicao asim como o desconhecimento do orgao que estou dentro e a pior ignorancia sobre o que exista alem desse orgao certamente me fez fazer uma teoria cheia de erros, se nao estiver tudo errado… O IMPORTANTE E’ TER CONSCIENCIA DA NOSSA PEQUENEZ EM RELACAO AO COSMOS, POIS ASSIM VAMOS AUMENTANDO O TAMANHO DESSA CONSCIENCIA, OU SEJA, DIMINUINDO A DIFERENCA ENTRE O MICRO-TAMANHO DA NOSSA INTELIGENCIA E  O MACRO-TAMANHO DO COSMOS. 

(Dos muitos erros que fiz neste pensamento, voce pode detectar algum? Tens algo a acrescentar? Por favor, informe, pois quero que a minha consciencia cresca. Uma boa tatica para fazer cada consciencia crescer e’ trazer `a mesa o produto da colheita de informacoes que cada consciencia faz no seu campo de atuacao. Assim soma-se tudo  e todas as conciencias presentes crescem juntas. Note que a informacao e’ algo inusitado: pode-se come-la quantas vezes quiser, passar o prato com elas para todos da mesa,  que elas sempre continua ali no prato!… ).   

Um Motor na Celula Explica o Motor Rotacional das Galaxias?

segunda-feira, abril 6th, 2009

(artigo melhorado e postado na data 28 de julho de 2010, mantido ainda para acompanhar reação do Google imagens: ele vai por a imagem deste post no topo da lista devido sua antiguidade ou vai por a imagem do post novo?) 

ORIGENS   … do Complexo Mitocondrial Sintetizador de ATP.

Se o povo quer teimar que existe diferencas entre Vida  e inanimados e se baseassem numa afirmacao assim: ” Vida e’ a capacidade de construir motores”, eu ficaria ate’ mais conformado. Conhecer por exemplo o complexo motor sintetizador de energia quimica que existe dentro da mitocondria na celula vital e assistir um filme com ele funcionando (veja-o em http://vcell.ndsu.nodak.edu/animations/atpgradient/index.htm ) nos deixa boquiabertos! E’ um verdadeiro motor, um micro-motor, construido dentro da celula! Como? Por quem? De onde a materia burra da Terra tirou essa ideia? Pois olhamos para todo o Universo e todo passado antes da celula e nao vemos nada existente ali parecido com motor, mesmo que fosse um prototipo de motor.

( Raios, esta figura nao era para se colar aqui, ela deveria se fixar depois das duas figuras seguintes, mas nao consigo trabalhar este blog, inserir figuras, como se ja nao bastasse a pessima apresentacao dos desenhos pois nao sou desenhista, nao sou graphic designer, fiz isso no “paint”, imagine!, e nao sei inserir imagens direito… assim o texto fica fora de ordem, meio sem sentido e nao sei se um leitor poderia entender a mensagem toda. Alguem ai’ poderia me ajudar?)

lucas-nucleous-to-motor-atp-synthase.JPGmo

Mas parece que a Teoria da Matriz faturou mais esta. Nos seus modelos da anatomia de LUCA – The Last Universal Common Ancestral – vemos um motor, e agora descubro, igualzinho o motor da celula! Desde que LUCA e’ um ser astronomico e existente muito antes da “Vida” aparecer na Terra, respondemos a pergunta acima: ” A materia burra da Terra – como nao poderia deixar de ser – nao inventou coisa alguma, e a Natureza tambem nao tirou essa ideia de algum lugar, simplesmente aconteceu uma normal e natural reproducao genetica que vemos aqui como uma auto-organizacao do sistema da Matriz Universal, na qual a Funcao  1 simplesmente fez seu rotineiro trabalho.” Pois a forma e a funcionalidade do motor celular e’ a mesma forma e funcionalidade de um dos motores do buiding block astronomico. Vamos ver isto…

Obderve na figura acima, como a estrutura existente no corpo de LUCA, desenhada na figura azul abaixo como funcao 1, vai se transformando no processo de reproducao ate’ chegar na estrutura existente dentro de uma celula humana!

  E’ incrivel a capacidade de previsao desta teoria. Juro que a 20 ou 30 anos atras nada sabia do motor na celula, apenas sabia que na mitocondria era produzida energia ATP para a celula.  Vim a ver este motor pela primeira vez a 3 dias atras, na Internet, e naquela epoca e no meio da selva eu nem sonhava que existiria Internet. Mas a 20 anos atras, riscando papeis sobre joelhos na selva, sem sabe-lo, eu fiz o projeto, o desenho grafico do motor celular, porem, meu motor estava no ceu…. Naquela epoca quando terminei o desenho de LUCA, e observando a figura, me perguntei: “Sistemas astronomicos giram e essa coisa ai deve girar tambem. Mas como? Qual a forca que a sustem girando se ela nao perde energia porque recicla-a e seu isolamento no espaco implica que ela nao recebe energia de fonte externa?” Veja o desenho: 

    matriz.jpg

Eu sabia que o sistema astronomico tinha que ser espiralado, e nao redondo como esta’ no desenho ( nunca tentei faze-lo espiralado como e’ na realidade porque nao sei como desenha-lo e manter clara a ideia do circuito). Tambem ainda tenho comigo os rascunhos de um mecanismo que faz o circuito mover-se, baseado em dois cones iguais onde a forca centriguga de um se torna a forca centripeta do outro e assim se bombeia mutuamente.  Porem, obervando o movimento dos cometas logo “senti” que entrava uma forma de energia no bico do vortice, ou seja, no buraco negro. Podia ser ela? Sim: emitidos pelo Pulsar, os cometas caem na linha magnetica espiral que os conduzem direto ao nucleo. E quando chegam ali, no bico do vortice, e adentram o buraco negro, eles vem com aa forca de movimento em queda espiralado. Ao entrarem ali caem em meio `a massa rarefeita misturada com gazes, e como veem com aquele movimento, e’ possivel que eles  imprimam esse movimento na massa, fazendo-a girar espiraladamente, pois no meio dela o cometa sobe a uma boa altura. Ora o bombardeio constante por cometas mantem todo o sistema girando e com a rotacao ele bombeia a energia de volta ao Pulsar,  completando o moto continuo.

Mas agora observe a figura abaixo (onde protons fazem a funcao de cometas):    

atp_synthase2-png.jpg

  Bem, tenho de parar agora, voltarei aqui para completar, mas acho que nao sera’ nacessario, para um bom enetendedor meia palavra bas…  Porem, reflita profundamente nas duas figuras, veja como aquele amontoado de poeira do quasar ou horizonte de eventos veio parar na celula acima do eixo rotacional. Veja no filme a caso da diferenca de gradientes, e veja no desenho de Luca como a nevoa acima do buraco negro tem maior gradiente que o fundo dele… Nao e’ fantastico? )

A Tragedia Humana e’ uma questao de “Ovos dentro ou Ovos Fora”

domingo, abril 5th, 2009

Este pensamento (acho que uma grande descoberta) me ocorreu assistindo o filme “Hotel Ruanda”. Todos sabemos da grande diferenca entre repteis e mamiferos: os primeiros botam os ovos fora deixando a prole abandonada ao acaso, os outros nutrem e protegem a prole ate’ esta amadurecer.  E depois descobrimos estupefatos que a transformacao de repteis para mamiferos aconteceu porque foi programado geneticamente, pois no corpo de LUCA existe numa primeira fase, o abandono dos ovos, e numa segunda, a manutencao dos ovos dentro. Pois com a mais recente invencao da Natureza – a mente humana ou autoconsciencia ainda fetal e dentro de um ovo craniano – esta’ acontecendo o mesmo universal roteiro. Somos seis bilhoes de embrioes mentais mas filhos de uma especie primitiva ainda da primeira onda, como eram os repteis e todos os que os antecederam, assim somos seis bilhoes de ovos botados fora.

Eu ja tinha algumas vezes tocado nestas reflexoes mas nunca tinha terminado-as. A coisa toda explodiu numa cena do filme. Os soldados da ONU retiram apenas os brancos do hotel e partem, ficando para traz uma multidao de africanos que se sabia seria esquartejada ate’ a morte. O pai agarrado `a mae e aos filhos, com os olhos arregalados prescrutando o mundo ao redor procurando uma forca, a forca que deveria (por tudo que e’ mais racional neste mundo)  existir, a forca do proposito que tem criado o mundo, feito-o desenvolver-se e chegar ate ao estagio de criar a inteligencia, que, portanto, tem derrotado todos os principios de eventos que poderiam ter destruido tudo.  O pai, seus filhos, a humanidade, e o mundo que os suporta, existe desde toda a erternidade, e nao seria possivel que um bando de facinoras enlouquecidos pudesse por um fim `a Historia, a qual se escreveu porque foi suportada por um proposito. E o prosposito tem que estar firmado, apoiado, numa forca.

Mas onde esta ela que nao vem? Claro que ela tem elementos da logica e racionalidade como nos temos, portanto ela deve saber, que os facinoras estao vindo e trazendo a chama da morte, entao porque ela nao aparece? Diz o ditado que a forca ajuda a quem se ajuda, entao o pai levanta-se e se move, ele deve fazer por se ajudar, procurar a saida.

Quantas infinitas vezes isto aconteceu com tantos quantos humanos? Os cristaos na arena de Nero, mulheres, velhos, criancas, as jaulas sendo trazidas, os leoes rosnando… e todos os telespectadores do filme, neste momento, elevam a mente para cima e ao redor, em busca da forca que deveria aparecer ja’  e evitar o que as simples forcas brutas do mundo estao convergindo para fazer acontecer.  Ninguem, mas ninguem mesmo acredita que aquilo vai acontecer. Nao e’ possivel! Existe proposito, existe algum fundamento na existencia, o mundo veio do nada e a evolucao que houve e fez as coisas do agora… nao pode haver meros acidentes ao acaso da liberdade de acao destas forcas brutas e tao bestiais como sao feras, leoes, os facinoras de Ruanda.

Mas… as forcas brutas avancam, o racional nao aparece porque nao existe, as jaulas sao abertas e os leoes devoram a todos, pais e filhotes. Se os pais nao abandonaram os filhotes e estao ali juntos, eles manteram os ovos dentro e nutriram, mas se sao igualmente impotentes, e’ porque ambos, pais e filhos, estao dentro de um contexto maior, nao enquanto especie humanas, nao como humanos, mas como autoconsciencias. E’ na dimensao destas que estao existindo genitores que abandonan e ovos que sao abandonados. 

Os judeus nas camaras esperando o gaz da morte. O povo de Berlim vendo os canhoes russos chegando para a desforra do que fizeram em Stalingrado. O paciente recebendo a confirmacao de cancer e apenas mais alguns dias de vida… O torturado horrivelmente na cela fria sabendo que o dia esta’ clareando e vai iniciar nova sessao da aterrante tortura… Todos de repente se lembram da forca… e procuram-na.

A forca falta no momento H, aquela em quem acreditamos a vida toda, que esta’ em nossa natureza acreditar, nao temos como evitar a crenca nesta forca, a forca do “proposito”. Do “sentido”. Da “existencia do maior”, revelada pela existencia eterna do menor. Apenas naquela hora na arena, naquela hora na camara de gaz, naquela hora no leito do hospital, e apenas aquelas pessoas que enfrentaram a situacao, e apenas no ultimo momento de sentir o halito e o horror da tremenda bocarra do leao a 5 centimetors, e mais, apenas no instante que sente-se a pressao e dilaceramento da carne e’ que se convence finalmente que a forca nao existe, nunca existiu, e que nao eramos nada. Totalmente nulos e abaondonados como qualquer pedra inutil  no caminho. 

Nao tem como negar que a mamae cobra ou a mamae barata bota os ovos em qualquer lugar por onde passa e nunca mais volta para eles. Nao tem como negar que o baby besouro pode se deparar com uma bocarra de aranha aberta assim que ele rompe a casca do ovo e ia botar a cabeca para fora. Entao porque nasceu? Para que foi feito? Mas fechamos os olhos e passamos por cima disto com a intencao de nao ver a ausencia do proposito, ou, quando muito, se nao conseguimos evitar um rapido pensamento, deixamos a questao morrer perante a sombra de uma ideia, a de que os insetos nao estao dentro da hierarquia onde funciona o proposito e o racional.

Mas tudo muda em relacao `a mente.  Jamais vai nos passar pela cachola que uma mente tambem vive fora da hierarquia do proposito como as baratas e as lagartixas. Que uma consciencia seja mera larva dentro de um casulo abandonado ao sabor do vento… e das forcas brutas que se movem no mundo. Inconcebivel! Estamos cansados de presenciar eventos que afirmam isto, mas vamos chegar ate’ o ultimo instante da vida sem ver isto com os olhos de ver. Crenca e olhos fechados sao a mesma coisa.

Nao podemos conceber que a mente humana seja prole abandonada ao acaso, nem mesmo dentro da visao mais abrangente e conscientte da Matriz, porque “sabemos” que a mente humana e’ a reproducao genetica de uma mente superior muito maior e existente alem do Universo,  ex-machine. Porque aprendemos que seres inteligentes tem amor a suas proles. Portanto, enquanto nao chegar o ultimo instante da vida, nao vamos aceitar que a mae e o pai da nossa consciencia estao ausentes, nos abandonou desde quando nosso ovo surgiu, fecundado.

Mas existe a morte das mentes, existe a tragedia para as mentes, os humanos quando torturados sentem a dor maior porque quem sente a dor e’ a consciencia. A evidencia nao deixa margem a contestacoes: a mente nao tem proposito, pois esta’ ausente e nao existe aqui uma forca de algum proposito. Nao ha’ duvidas: seis bilhoes de cerebros, seis bilhoes de ovos despejados ao leu.  

Mas desta historia o que nos fascina e’ a teimosia da Natureza em repetir e confirmar incansavelemnte o mesmo roteiro, o mesmo ciclo, seja aplicado a quem for, ate’ mesmo a auto-consciencia: todo novo sistema natural, topo da evolucao, vai passar por duas fases, a fase dos ovos botados fora, e a fase dos ovos mantidos dentro.

Por isso nos acontecem as tragedias. Por isso as forcas brutas sempre afirmam sua existencia e sempre fazem o que estao ai para fazer: a nossa destruicao ate’ a morte.

E outra coisa que esta constatacao nos leva atonitos a raciocinar: se como auto-consciencias, estamos no primeiro nivel, na forma dos ovos fora, entao vira’ a forma dos ovos dentro! O que sera’, como sera’, a forma dos ovos dentro?! 

Mas isto tudo, ao inves de me decepcionar e fazer tambem abandonar os remos deixando a vida ao leu, me surte o efeito contrario: levantar, manter-se de pe, conclamar cada porcao de consciencia como a que sou, apelar ao seu entendimento, o de que devemos abondonar de uma vez por todas a sensacao do proposito existente, e criar-mos, nos sim, o proposito. Pois existe uma novidade com as auto-conciencias que nao existiram para repteis e mosquitos. Os recem-nascidos destes nao podiam se defenderem da aranha que esperava ao lado do ovo, muito menos os embrioes dentro dos ovos podiam tomar alguma providencia la’ fora para proteger os ovos. Mas a mente humana pode! Pois nao sei explicar como, mas ela consegue ter consciencia do que existe la’ fora nas imediacoes do ovo, e pode inclusive mover tentaculos que cresceram conectados ao ovo, e com eles podem mudar o mundo fora, com isso significando que podem criar situacoes para evitar a maioria dos tipos de tragedias. E’ nisso que devemos nos apegar daqui para a frente… 

Mas entao o que vamos fazer por exemplo, para nao mais existirem leoes comendo alguns de nos? Podemos faze-lo: eliminar todos os leoes. Tudo o que possa tornar-se inimigo do ser humano, tudo o que possa causar a menor dor ao ser humano tem que ser eliminado, e nao me venham os defensores de leoes, se os querem, que os levem para suas casas. Mas ai teriamos que eliminar os neros da vida, e isto e’ o pior, digo, ver-mos que dentro de nos,  e dentre nos, tambem existem nossos inimigos. Nao adianta apenas eliminar os leoes, e deixar os neros vivos, pois eles usarao outras coisas no lugar de leoes para nos agredir. Ai’ caimos novamente naquela questao: o mal cai sobre nos porque o mal esta’ dentro de nos? Bem, seja como for, se estiver vamos ter que extirpa-lo de nos.  Mas mesmo que o mal tambem esteja dentro de nos, isso nao impede que continue a afirmacao, baseadas em infinitas evidencias, de que estamos abandonados. Ou voce, como pai, ou mae, se tivesse um filho ruim, deixaria o horror cair sobre ele se pudesse evita-lo? Creio que nao. Porque voce e’ auto-consciente, e isto implica no amor paternal e maternal. Mas sobre nos, enquanto auto-consciencia, o horror cai sobre nos. O que significa, inquestionavelmente, que somos rebentos dentro de ovos abandonados.  

As origens da “Cadeia de Transporte de Electrons” na Mitocondria, explicada pela Teoria da Matriz

sábado, abril 4th, 2009

Para entender este assunto,e’ aconselhavel assistir o excelente filme de animacao denominado “Electron Transport Chain” no site da MCBE ( Molecular Cellular Biology Education) em
http://vcell.ndsu.nodak.edu/animations/etc/movie.htm

                                                       Electron Transport  Chain

electron-transp-chain.jpgMuito

Mas nosso trabalho e’ observar o fenomeno e perguntar: “De onde a Natureza aqui na Terra tirou essa ideia?! Que detalhes da Matriz ela usou aqui?”
E veja o que descobrimos:
O objetivo maior desse processo e’ alimentar a celula. Parece que o processo em si e’ um ancestral prototipo do processo de “comer”. Em outras palavras, depois que desvendei o misterio, e assisti o filme novamente, me parceu estar vendo a celula sentada `a mesa e comendo.
Se o objetivo ‘e alimentar, a natureza vai no ponto da Matriz onde ocorre a alimentacao. Este ponto envolve as Funcoes 1, 5 e 7. Em LUCA, alimentacao consiste em massa vinda como poeira ou debris do cadaver estelar e de energia vinda como cometa do pulsar. Entao, aqui na alimentacao celular, a energia sao os dois eletrons fornecidos por cada molecula de NADH (se nao me engano isso ‘e um elemento inorganico chamado sodio ou cloreto de potassio?) e a massa vem como protons que adentram a mitocondria. Entao teriamos a seguinte figura obtida da Matriz:
Fig 1
Ora, esta’ claro que aquela espetacular geringonca denominada ” ATP Synthase” ‘e a versao mitocondrial proteica do nucleo de Luca. Uma copia ou reproducao quimica de um buraco negro envolto por um quasar! Mas e’ claro! Veja bem a figura! A parte de cima existe para captar e manter os protons, assim como o quasar existe para captar e manter os dejetos estelares como horizonte de eventos. A parte de baixo, maior, gira para misturar ADP com protons e bombear ATP para fora assim como o buraco negro gira para misturar massa e energia e bombear o astro-baby para fora.
Portanto temos os astronomicos quasares e buracos negros bem aqui, desta forma, debaixo de nossos narizes!
Mas interessante tambem e’ como a natureza se vira para fazer as coisas, Ela repete infinitamente a aplicacao da formula matricial, nao se poupa trabalho, tendo que reconstgruir uma nova derivacao de algum trecho da matriz como neste caso, so para fazer os eletrons fazerem o que a energia de comtas faz no nucleo da galaxia: mante-la girando, ou seja, manter a fornalha com combustivel. Aprnas para isso, para fazer eletrons de um aemento inorganico chegar na mitocondria, mais especificamente na ATP Synthase, ela reproduz um trecho consideravel da matriz e faz os eletrons se moverem assim como o fluxo de eneergia se move no cirduito matricial. Entao aquelas tres estruturas que vemos alinhadas `a esquerda da bomba nuclear fazem o papel de tres funcoes proximas do nucleo astronomico. No filme eles chamam aquelas estruturas de “complexes” – leia o texto do filme – mas acho que sao simples proteinas nao? E os dois “mobile carriers” – ubiquimone e cytochtome c – sao enzimas. Veja aqui como esta claro que proteinas e enzimas sao “pedacos do circuito dinamico contendo especificas informacoes de especificos trechos”.
Raios, a coisa esta muiyto clara. O NADH faz o papel de estrela fornecendo a energia. E ai comeca o processo de transporte, mas para tal, e preciso reconstriuir o processo matricial, entao tem que fazer um complexo representando pulsar, outro represerntando planeta… bem, na verdade estou meio indeciso se isto e copia do trecho `a esquerda ou a cireira da funcao 1, vamos ter que pesquisar mais isso.
Mas assim vamos decifrando tudo o que a natureza fez aqui e que tem enchido os olhos dos atonitos observadores nos laboratorios.
( voltarei O ARTIGO COM FIGURAS, correcoes, etc.)

Como e Porque a Vida veio do Espaco

sexta-feira, abril 3rd, 2009

Depois de um seculo de tentativas experimentais em laboratorios na tentativa de criar a Vida terem malogrado e com o leque de misterios ampliando-se em profundidades insondaveis, ajuntou-se o fato de terem descoberto hidrocarbonos e outras moleculas organicas em meteoros vindo do espaco sideral, para que agora a vanguarda cientifica e intelectual tenha quase certeza que a Vida se originou em algum local ou astro cosmico. Mais recentemente uma nova ideia esta’ alvorocando a inquieta curiosidade humana: os buracos negros teriam a capacidade de gerar as primeiras formacoes de moleculas da Vida.

A Teoria da Matriz  chega com uma ideia jamais imaginada por ser humano algum. Segundo o que seus modelos indicam, a Vida realmente veio do espaco sideral, mas de uma maneira que a mais engenhosa mente humana jamais poderia conceber: a Vida nao teve origem em lugar algum deste Universo, a Vida nao foi criada e nao e’ criada por astro cosmico algum, nem mesmo pela Terra; A Vida, tal como denominamos os sistemas naturais biologicos, e’ simplesmente um passo evolucionario decorrente da transformacao e mutacao do Cosmos inteiro! Ou seja, apenas mais uma especie dentre as inumeras especies de sistemas naturais.

Quer dizer: nao e’ a materia de um astro ou de alguma regiao de poeira e gaz interestelar que produz os elementos basicos dos seres vivos, mas sim, uma quantidade igual e minima de materia de cada tipo de astro e de cada diferente regiao do espaco sideral. Ela esta a todo momento sendo irradiada por estrelas e nucleos de astros, pode ser encontrar em qualguer lufgar do espaco e basta ser semeada em boa seara que ela germina. Esta materia constitui o building block do Cosmos. Em outras palavras, nao o Cosmos em sua totalidade, mas suas unidades fundamentais sao prototipos vitais.

Entao vai acontecer que os futuros astronautas vao adentrar o Cosmos sedentos a procura do local ou astro que criou os primeiros elementos da Vida, vasculhando cada minimo ponto de cada astro, quando, na verdade, o criador estara acima da cabeca deles, em baixo dos pes deles, na frente dos narizes deles, e eles estarao dentro do criador, porque o criador nos rodeia e nos envolve por todos os lados! 

Vai acontecer com eles o que aconteceu comigo na selva amazonica quando eu imitava todos os pesquisadores da linha positivista – agachados, ajoelhados, se arrastando nos solos e lamas de pantanos ou mergulhando nos fundos dos mares, com uma lupa procurando um minusculo cepo primitivo comum, quando bastaria levantar a cabeca, seguir com o olhar a fonte da luz solar que nos queimava a nuca, e deparar com o tal cepo pairando no ceu `as nossas vistas, grande, magestoso, luminoso, mais revelador seria impossivel.  

Pecas que o mundo nos prega, ate’ me parece `as vezes que existe um Deus, que alem de passar o tempo jogando com softwares vivos, e’ um tremendo gozador!

 Vao procurar a fabrica original da Vida, e nunca vao encontrar apenas com o metodo cientifico e seus instrumentos. Por que o criador, LUCA, nao existe e portanto nao pode ser visto com os olhos de ver , mas sim,  ele existe, para ser percebido com a consciencia do entendimento. O que nos conforta, a nos que temos o espirito cientifico, e’ que, coletando esse material nos poderemos comprovar a existencia de LUCA e reproduzir a Vida em laboratorio.

Voces se lembram daquele filme antigo, ” Deu a Louca no Mundo”? Eu jamais esqueco pois nunca tinha rido tanto na vida! Antes de morrer um ladrao revelou para um monte de gente que o dinheiro estava num bau enterrado num parque, embaixo da letra “W”. Todo mundo no parque se arrastando de quatro procurando a tal letra no chao, imaginavam-na algo pequeno, esburacando o parque inteiro e davam voltas em baixo de quatro coqueiros de 5 metros de altura. E rodeavam os coqueiros sem ve-los, passavam por baixo e nao achavam a tal letra. Nisso um gaiato que ja tinha desistido de procurar e estava saindo do parque resolveu olhar para traz e… embasbacado descobriu que os quatro coqueiros estabam inclinados formanando um enorme “W”…  Parece ate’ um filme profetico, nos humanos vamos sempre  cair nessa cilada…

  (este artigo permanecera em construcao e retornaremos nele depois)