Archive for abril 4th, 2009

As origens da “Cadeia de Transporte de Electrons” na Mitocondria, explicada pela Teoria da Matriz

sábado, abril 4th, 2009

Para entender este assunto,e’ aconselhavel assistir o excelente filme de animacao denominado “Electron Transport Chain” no site da MCBE ( Molecular Cellular Biology Education) em
http://vcell.ndsu.nodak.edu/animations/etc/movie.htm

                                                       Electron Transport  Chain

electron-transp-chain.jpgMuito

Mas nosso trabalho e’ observar o fenomeno e perguntar: “De onde a Natureza aqui na Terra tirou essa ideia?! Que detalhes da Matriz ela usou aqui?”
E veja o que descobrimos:
O objetivo maior desse processo e’ alimentar a celula. Parece que o processo em si e’ um ancestral prototipo do processo de “comer”. Em outras palavras, depois que desvendei o misterio, e assisti o filme novamente, me parceu estar vendo a celula sentada `a mesa e comendo.
Se o objetivo ‘e alimentar, a natureza vai no ponto da Matriz onde ocorre a alimentacao. Este ponto envolve as Funcoes 1, 5 e 7. Em LUCA, alimentacao consiste em massa vinda como poeira ou debris do cadaver estelar e de energia vinda como cometa do pulsar. Entao, aqui na alimentacao celular, a energia sao os dois eletrons fornecidos por cada molecula de NADH (se nao me engano isso ‘e um elemento inorganico chamado sodio ou cloreto de potassio?) e a massa vem como protons que adentram a mitocondria. Entao teriamos a seguinte figura obtida da Matriz:
Fig 1
Ora, esta’ claro que aquela espetacular geringonca denominada ” ATP Synthase” ‘e a versao mitocondrial proteica do nucleo de Luca. Uma copia ou reproducao quimica de um buraco negro envolto por um quasar! Mas e’ claro! Veja bem a figura! A parte de cima existe para captar e manter os protons, assim como o quasar existe para captar e manter os dejetos estelares como horizonte de eventos. A parte de baixo, maior, gira para misturar ADP com protons e bombear ATP para fora assim como o buraco negro gira para misturar massa e energia e bombear o astro-baby para fora.
Portanto temos os astronomicos quasares e buracos negros bem aqui, desta forma, debaixo de nossos narizes!
Mas interessante tambem e’ como a natureza se vira para fazer as coisas, Ela repete infinitamente a aplicacao da formula matricial, nao se poupa trabalho, tendo que reconstgruir uma nova derivacao de algum trecho da matriz como neste caso, so para fazer os eletrons fazerem o que a energia de comtas faz no nucleo da galaxia: mante-la girando, ou seja, manter a fornalha com combustivel. Aprnas para isso, para fazer eletrons de um aemento inorganico chegar na mitocondria, mais especificamente na ATP Synthase, ela reproduz um trecho consideravel da matriz e faz os eletrons se moverem assim como o fluxo de eneergia se move no cirduito matricial. Entao aquelas tres estruturas que vemos alinhadas `a esquerda da bomba nuclear fazem o papel de tres funcoes proximas do nucleo astronomico. No filme eles chamam aquelas estruturas de “complexes” – leia o texto do filme – mas acho que sao simples proteinas nao? E os dois “mobile carriers” – ubiquimone e cytochtome c – sao enzimas. Veja aqui como esta claro que proteinas e enzimas sao “pedacos do circuito dinamico contendo especificas informacoes de especificos trechos”.
Raios, a coisa esta muiyto clara. O NADH faz o papel de estrela fornecendo a energia. E ai comeca o processo de transporte, mas para tal, e preciso reconstriuir o processo matricial, entao tem que fazer um complexo representando pulsar, outro represerntando planeta… bem, na verdade estou meio indeciso se isto e copia do trecho `a esquerda ou a cireira da funcao 1, vamos ter que pesquisar mais isso.
Mas assim vamos decifrando tudo o que a natureza fez aqui e que tem enchido os olhos dos atonitos observadores nos laboratorios.
( voltarei O ARTIGO COM FIGURAS, correcoes, etc.)