Archive for agosto 1st, 2010

Motivando os Jovens a Gostarem de Ciências

domingo, agosto 1st, 2010
Como gostar de ciências?
“Como gostar de ciencias? Eu queria gostar de ciencias..principalmente o corpo humano, acho diificil e não sei a forma de estudar ou/e gravar..Eu gostaria de saber sobre o corpo humano mas não consigo aprender e dessa forma naum gosto. Alguem me ajuda aí se for possível..”
A pergunta acima foi postada por alguém no Yahoo-Respostas e veja uma resposta inspirada na mensagem da Matriz:
TheUniversalMatrix by TheUnive… 
Hummm… quem sabe se você entender porque gosto tanto de Ciências você passe a gostar também?

Você vê sentido na vida das pessoas que nascem, crescem, casam, geram filhos e morrem? Aí os filhos nascem, crescem, geram filhos e morrem. Novamente os filhos nascem, crescem… Mas com esta rotina esta espécie humana tem qual destino? Será totalmente eliminada da face da Terra. Porque? Porque não existe aí os adendos: nascem, crescem, aprendem tudo o que os ancestrais aprenderam sobre a natureza e os fatos reais do mundo, conhecem um pouco daquilo que é invisível a olho nu como coisas do micro e do macro cosmos, além de conhecerem coisas do passado e do futuro, e depois que conheceram tudo o que se sabe, tentam, procuram, descobrir algo mais para aumentar o patrimônio do conhecimento do mundo real da humanidade. Se existisse este adendo qual seria o destino desta espécie? Espalhar-se pelo espaço sideral na grande aventura cósmica e contemplar o desenrolar disto, sabe-se lá para onde!

Veja bem: a maioria do povo é anti-científico ou despreza a ciência, se alinham naquela primeira espécie. O que aconteceu com todos os ancestrais que assim se portaram? Por exemplo, cadê os índios nativos da América? Acontece que o mundo não é estático, o planeta muda, o Sol muda, a Natureza na Terra muda, e tudo muda no sentido do simples para o mais complexo, ou seja, no sentido da evolução. Acontece que aquilo que porventura esteja no meio da natureza e não evolua, será fatalmente surpreendido por uma mudança para o qual estará despreparado, e aí, é tarde demais.

Os índios foram extintos porque se acomodaram sem evoluir suas ciências enquanto os europeus evoluíram suas ciências e quando os dois povos se confrontaram, o desprezador das Cências Naturais desapareceu. Mas não precisariam serem os europeus. Alguma outra força da Natureza teria um dia acabado com aquela rotina, pois a Natureza não para e não admite que ninguém vivendo nela pare.

Ou então faça como os criacionistas religiosos, acomode-se com uma resposta imaginada (Deus) para todas as questões. Como os fanáticos muçulmanos, os talibas, etc.. Enquanto isso, no outro lado do mundo os americanos estão dia e noite respirando Ciências… e o que aconteceu na guerra entre os dois? Quem valeu na hora do pega para capar? Deus ou a Ciência?

Ciências Naturais é observar os fatos e eventos da Natureza, refletir sobre eles, tentar entende-los, tentar reproduzi-los experimentalmente em laboratório, e este esforço faz com que conheçamos os mecanismos e processos naturais. Com estes criamos a tecnologia e com esta, o poder, a força, e talvez, a única alternativa para evitar a extinção inevitável que o Universo reservaria para nós.

Aos cristãos eu costumo lembrar uma frase: “Se queres conhecer a mim, procure conhecer antes a minha obra. Pois Eu me revelo através dela” . Ora, qual a obra de Deus, senão a sua natureza? E como conhece-la, senão pelo método científico e participando da sociedade científica que transmite seus conhecimentos de geração a geração? Então quem se aproxima mais do conhecimento de Deus? O religioso que despreza a Natureza em nome de um reino sobrenatural ou o homem simples e humilde que se admira e se concentra tanto na Natureza a ponto de se ajoelhar na lama e estudar seus detalhes?

Se te interessa, veja o resultado de meu envolvimento com a ciência nas horas de folga (porque ler e tentar praticar Ciência sempre foi para mim o melhor hobby), uma Teoria intitulada “A Matriz Universal dos Sistemas Naturais e Ciclos Vitais”, no website abaixo. E depois desta, esperamos de braços abertos que venha participar de nossa causa.

Fonte(s):