Archive for abril, 2011

Mente – Evolução da Consciência – Caso em Estudo

domingo, abril 24th, 2011

Evolution of consciousness

Introdução no site:

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC49701/

E “paper” no site:

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC49701/pdf/pnas01090-0042.pdf

Proc. Natl. Acad. Sci. USA

Vol. 89, pp. 7320-7324, August 1992

Evolution

JOHN C. ECCLES

Max-Planck-Institute for Brain Research, D-6000 Frankfurt/Main 71, Federal Republic of Germany

Contributed by John C. Eccles, May 8, 1992

ABSTRACT

The hypothesis of the origin of consciousness is built upon the unique properties of the mammalian neocortex. The apical dendrites of the pyramidal cells bundle together as they ascend to lamina I to form neural receptor units of – 100 apical dendrites plus branches receiving hundreds of thousands of excitatory synapses, the collective assemblage being called a dendron. It is proposed that the whole world of consciousness, the mental world, is microgranular, with mental units called psychons, and that in mind-brain interaction one psychon is linked to one dendron through quantum physics. The hypothesis is that in mammalian evolution dendrons evolved for more effective integration of the increased complexity of sensory inputs. These evolved dendrons had the capacity for interacting with psychons that came to exist, so forming the mental world and giving the mammal conscious experiences. In Darwinian evolution, consciousness would have occurred initially some 200 million years ago in relation to the primitive cerebral cortices of evolving mammals. It would give global experiences of a surrounding world for guiding behavior beyond what is given by the unconscious operation of sensory cortical areasper se. So concious experiences would give mammals evolutionary advantage ever the reptiles, which lack a neocortex giving conscousness. The Wulst of the avian brain needs further investigation to discover how it could give birds the consciousness that they seem to have.

In the past decade or so there has been a general recognition of the centrality of consciousness in human experiences (1-9). The mental word consciousness is now an “in” word, being used shamelessly even -by strong materialists! An introductory statement for the evolution of consciousness is that one cannot expect that consciousness came to higher animals as a sudden illumination. Rather, as with life originating in a prebiotic world, it would be anticipated that consciousness came secretly and surreptitiously into a hitherto mindless world. Moreover, as we attempt to discover evidence for consciousness from the study of animal brains and behavior, we can only assess probability. We search for manifestations of consciousness in mammals because we recognize it as central to the ongoing human experiences, the qualia, that fill our waking life like a rich tapestry replete with feelings, thoughts, memories, imaginings, and sufferings.

Our experience is uniquely ours, but we are rescued from solipsism by communication with other human beings by language and other subtle creations, such as music and gesture, and by sharing our immersion in a rich inherited culture.

Mammalian Cerebral Cortex

Mammals have a cerebral cortex qualitatively similar to ours,though, with rare exceptions, much smaller. Some exhibit intelligence and a learned behavior and are moved by feelings and moods, even with emotional attachment and understanding. So we must give them some feelings and qualia such as we human beings experience even though it cannot be rationally established in the way that is possible by inter human communication (10). I am presenting a biological basis for an evolutionary origin of consciousness. It derives from a hypothesis of mind-brain interaction that has already been published (10, 11) and that is based on the special anatomical and functional properties of the mammalian cerebral cortex. The microproperties of neural communication in the cerebral cortex (Fig. 1A) are in classical physics and are not of immediate concern in mindbrain interaction. Rather, our concern is in the ultramicroproperties (Fig. 2B), where quantum physics may be expected to play a key role (10, 11, 16-17) (F. Beck and J.C.E.,

unpublished data).

A Matriz sugere: “Superposição em Mecânica Quântica é o mesmo que Ciclo Vital”.

terça-feira, abril 19th, 2011

O mundo quântico está criando o niilismo e ateísmo entre cientistas, professores e estudantes ao passar a idéia de que existimos sôbre um pantano de areia movediça e portanto não temos futuro nem sentido para a existência. Mas a fórmula da Matriz/DNA está sugerindo o contrário, que o mundo quântico é uma plataforma sólida sob nossos pés e no qual estão os códigos basilares inclusive já determinando nossa transcendência. Aqui vamos apontar alguns d6estes indícios.

Meu estado mental nêstes dias é o seguinte:”A fórmula da Matriz/DNA explica tudo o que existe no mundo perceptivel aos meus sentidos. Ela chegou ao ponto de arremeter-nos para alem das fronteiras deste Universo e apontar na direção de sua causa criadora: um sistema normal, natural, material, porem, inteligente, consciente. Agora tenho dois caminhos. Primeiro é aplicar essa fórmula tecnológicamente, para transformar o meio-ambiente num sistema perfeito para a manutenção do corpo humano; segundo…é procurar se não existe algo mais alem da matéria, porque a falta de um propósito nesta nova visão do mundo é decepcionante. Mas essa busca me causou um repentino mal-estar, quando dias atrás descobrí que na luz estgá o principio do ciclo vital, e ao que parece, o principio do código genético. O mal-estar vem da suposição que a luz é algo tão tênue e abstrato, intocável, que interrompe aí qualquer possibilidade de pesquisa. Seja qual for a fonte emissora ou criadora de universos materiais, ela usa uma substnacia, que é a luz. mas a luz é um abismo entre nós e essa causa primeira, então retornamos à estaca zero, sem uma resposta para a questão do que é a existência, para que existimos, porque estamos aqui, etc.

Mas continuarei a pesquisa, aliás, por varias vêzes eu tinha me deparado antes com obstaculos que pareciam o fim mas sempre conseguí ultrapassa-los. Continuo devagar, aleatóriamente, captando algo aqui, pensando algo acolá, resignado e sem esperança mas que a qualquer momento pode estourar. E assim captei o trecho abaixo, em inglês, que lança mais uma luz sôbre o estudo da luz, da luz como onda, etc.:

“Schrödinger and Heisenberg independently uncovered dual descriptions of particles and atoms. Later, the theories proved equivalent. Then in 1926 Heisenberg’s previous advisor, Max Born, discovered why no one had found a physical interpretation for Schrödinger’s wave function. They are not physical waves at all; rather the wave function includes all the possible states of a system. Before a measurement those states exist in superposition, wherein every possible outcome is described at the same time. Superposition is one of the defining qualities of quantum mechanics and implies that individual events cannot be predicted; only the probability of an experimental outcome can be derived.”

http://seedmagazine.com/content/article/the_reality_tests/P2/

Ora, eu já tinha percebido que a incerteza de Heisenberg se explica porque não posso ver a Maria em todos os estados de seu corpo de 30 anos num só instante. Num instante em que olhei para Maria ela era um baby de um ano. Noutro instante ela era uma adulta de 40 anos. Afinal qual é a maria real? A do primeiro instante ou a do segundo? Se eu fôsse um gigante do tamanho do sistema solar, minha dimensão de tempo seria uma tão lenta de maneira que ao olhar para Maria veria seu mundo e movimentos em vertiginosa velocidade e em dois minutos meus observando-a a veria inicialmente como baby e no final dos meus dois minutos já a estaria vendo como adulta. De maneira que na confusão das imagens, eu não acreditaria que a Maria adulta era a mesma particula que ví no inicio na forma de baby. isto aconteceu com Heisenberg. Quando êle começou a medir alguns dados como velocidade, massa, de Maria baby tentando fixa-la num ponto, ela escorregava de suas mãos. Se ele media volume e partia para medir a massa, o volume já tinha mudado e de maneira que ele podia perceber, mas como êle não sabe que a particula está se transformando sob ciclo vital, quando obtinha a massa acreditava que era outra partícula. jamais obtinha todos os dados de um instante.

Mas a mudança de formas do corpo humano é justamente o que Bohr chama de “diferentes estados de um sistema”. Movimentos, reações, função familiar, de um baby, tudo em conjunto revela um estado de um corpo; o mesmo conjunto de um adulto mostra outro estado. Ele nunca têve a intuição de que os sistemas observados são “vivos”. Quando observamos uma particula podemos ver num instante todos as diferentes formas de seu ciclo vital num só instante porque para nós, o tempo de vida de uma particula é um instante. Por isso, em superposição, todos os possiveis estados passados e os a vir podem ser descritos num só mesmo tempo.

Max Bohr descobriu porque ninguém tinha achado uma interpretação física para a função de onda de Schrödinger: porque ela não têm uma consistência física… apesar de estar presente no mundo fisico. É o mesmo problema que estou tendo para provar a existência e entender realmente a Matriz na sua forma astronômica. Ela não têm uma consistência física. A Matriz astronomica é um sistema que resulta da conexão dos sete tipos de astros. Mas cada tipo é apenas uma forma temporária e quando um está existindo, os outros seis não existem. Assim como quando a Maria está existindo com 33 anos, não existe a Maria de um ano, de 10, nem de cinquenta. Como vou provar a existência de uma coisa que existe mas não existe?

Então de que vale uma coisa que não existe fisicamente? Para que saber sôbre a Matriz? Ora, se eu conseguisse tirar uma cópia de cada nova forma de Maria e as pusesse de lado, no final juntando estas formas na mesma ordem cronológica eu teria um sistema familiar perfeito (se Maria fôsse hermafrodita). Mas o que faria a conexão entre as formas, e de tal maneira que as conectasse tão rigidamente, tão forte, que à volta do conjunto se formasse uma casa, o lar nuclear? Ora, os laços do tempo: o tempo é a conexão invisivel entre o eu adolescente e o eu adulto. Quando se junta as sete cópias num unico ponto do espaço, os sete tempos tornam-se um só. Setenta anos num instante. Todos os canais funcionam ao mesmo tempo. Assim a Natureza colocou as sete organelas/estruturas dentro de uma redoma membranosa e inventou a célula viva! Cada organela era um microorganismo separado vivendo por sua própria conta. Acontece que a mitocondria estava para o ribossomo como o homem está para o macaco: um laço evolucionario, um canal invisivel de tempo. O corpo do robossomo é o mesmo da mitocondria. Os dois se complementam, um depende mortalmente do outro para existir. Se não tivesse havido um adolescente chamado Luis, eu adulto não estaria existindo agora e se eu adulto não existisse agora, o adolescente Luis teria desaparecido sem deixar nem mesmo um cadaver. Isso é a fórmula da Matriz, aqui está a importância de saber que ela existe sem se mostrar: sem ela não existiria nenhum sistema natural, nada de células, nada de humanos.

Diz-se também que a superposiçào no mundo qu6antico faz com que um evento não possa ser previsivel (Superposition implies that individual events cannot be predicted; only the probability of an experimental outcome can be derived.). Pois bem. imagine que um individuo humano está sentado dentro de casa perto de uma janela e v6e através da vidraça um outro individuo entrando furtivamente na casa. Temos tr6es alternativas:
1) É possível prever com total exatidão o que vai acontecer?
2) É possível prever com ao menos 50 % de acêrto?
3) Qulaquer opinião será totalmente ao léu, pois existem milhões de possíveis resultados.

A terceira alternativa será a correta se nada sabemos sôbre o individuo dentro da casa. Se for um baby, o desfêcho será totalmente diferente do que aconteceria se fôsse um homem, adulto e militar fortemente armado. Nosso problema com a superposição que confunde uma partícula e tudo ao redor é que vemos o baby, o adulto, um homem, uma mulher, tudo ao mesmo tempo, e no final só vemos um vulto. Então a alternativa correta dentre as três acima é apenas uma questão de tempo, depende do nosso nível de conhecimento do mundo quantico. Hoje a alternativa mais sensata será a terceira, mas amanhã será a segunda e no futuro será a primeira. Aí vamos ver que o pantano não existia, que o mundo quantico, êle mesmo, nunca foi niilista e nunca disse que a existência se assenta no acaso absoluto.

Sómente a Matriz/DNA poderia explicar os Saltos Evolutivos e a própria Evolução?

sexta-feira, abril 15th, 2011

Imagine você num laboratório manipulando potássio, ferro, calcio, alguns gazes e tentando monta-los para construir uma arquitetura exatamente igual ao seu corpo. Seria possível fazê-lo mas depois de tudo montado terias deitada na prancheta uma coisa inerte como um cadáver. Precisarias insuflar energia para dar a partida inicial naquela  máquina mas seu corpo não pode emitir essa energia. Creio que se tentares usar todos os tipos de energia que temos, como a hidrostática, a atômica, etc. não iria adiantar.  Acredito que apenas uma forma de energia pode ligar e manter a sua cópia funcionando: a energia solar. Então você apanha uma quantidade de energia solar e a dirige de forma planejada e medida certa para dar essa partida como nós ligamos o plug do ventilador na tomada. Por fim a cópia de si mesmo sairia andando. Pois não foi isso que alguns simples compostos daqueles elementos fizeram na sôpa primordial quando inventaram a replicação de si mesmos? Não, certamente que não.

Diz a Academia que ao invés de montar cópias com elementos externos, como faz o DNA, os primeiros compostos orgânicos se duplicaram em si mesmos, crescendo, e depois se fragmentaram em pedaços, iguais à forma original. Eu não gosto dessa idéia e espero que possam provar isso na frente de meus olhos. Simplesmente porque nunca ví 6esse processo em nenhum lugar, e tôdas as formas de reprodução que conheço, seja no microsçopio ou macro nível, ela as acontecem como o DNA e animais fazem. Seria impossível a um corpo humano começar a agregar matéria a si mesmo de maneira que uma extensão conectada a êsse corpo começasse formando pés, pernas, bumbum e chegasse à cabeça, e depois se separasse em cópia. desta forma acredito que a teoria Acadêmica é uma viagem escorregando na maionése.

Portanto aquêle composto mineral e gasoso inicial não tinha todos os ingredientes necessários, e assim  como  para você criar uma cópia necessitas de um elemento que nem na Terra está ( o Sol e sua energia), também certamente algo externo á Terra mas presente com sua fôrça naquela sôpa foi necessário. Eu cheguei à conclusão que êsse algo nada mais foi que a própria essência do sistema constituido pelo Sol e a Terra, à qual denominei de a Matriz/DNA, e para mim êsse mistério foi resolvido. Mas… de onde veio essa essência, para que e porque ela existe? Porque esse afã em construir arquiteturas materiais cada vez mais complexas, sendo que essa tendencia é a responsavel criadora da minha existência? Responder essa questão é a meta que me mantem me esforçando e fazendo sacrificios para continuar vivendo. Tenho que perseguir essa ess6encia em tôdas suas manifestações na matéria porque apenas conhecendo seus detalhes, observando suas ações, terei a chance de finalmente conhecê-la por completo. Então assim se explica porque me dedico a exercícios como o abaixo que são colocados em textos e gravados aqui nêste website, pois estando na Internet alguém mais com a mesma meta poderia lê-los, interessar-se em ajuntar fôrças e idéias, e assim minhas cnaces seriam diplicadas. Se você é o “cara”, então leia, corrija, enriqueça, o texto a seguir:   

 A evolução era para ter parado muitas vêzes e só mesmo a presença de algo como a Matriz/DNA pode explicar o que a fêz seguir adiante. As partículas não tinham porque se constituirem em átomos, os corpos de massa sideral não tinham para que se constituirem em sistemas estelares, os répteis não tinham o porque de inventarem a engenharia de manter os ovos dentro do corpo. Temos que analizar caso por caso, exaustivamente, pois é a unica possibilidade que temos em mãos para observar a Matriz atuando, se transferindo de corpos simples e construindo corpos mais complexos. Primeiro foram os processos da evolução das particulas e átomos mas vamos deixar isso por enquanto. Pense como eram os corpos de matéria formados por agrupamentos de átomos no espaço, porções inicialmente com formas irregulares e dispersadas caóticamente e não tinham nenhum motivo em si mesmas para mudar aquêle estado. pela lógica o cosmos hoje seria nada mais que aquilo não havia fôrça com sentido para alterar aqu6ele estado mas mesmo assim aqu6eles corpos se dirigiram a formarem um sistema organizado quase perfeito que funciona como o mecanismo de um relógio. Todos os dias e a bilhões de anos o Sol continua queimando, irradiando energia, à sua volta corpos giram numa precisão e repetição mecanica extraordinaria. Como e porque uma máquina seria criada por porções de matéria separadas e sôltas no espaço? Mas vamos pular do espaço direto para um planeta, a Terra. Inicialmente uma esfera contendo rochas e de alguma forma nela tinha uma maior variedade de compostos atômicos aos quais denominamos ferro, níquel, cobalto, ouro… de alguma forma havia os gases oxig6enio e hidrogênio e deu certo que formaram uma composição especial que resultou na água. Mas o planeta não apenas girava sincronizado em volta da estr6ela, porem girava s6obre si mesmo e tanto no sentido horizontal como vertical e da combinação destes tres tipos de giros emergiram as propriedades do dia, da noite, das estações, as diferentes configurações e composiçõers de polos, oceanos e continentes. Tudo isso movia mas não por fôrças internas aos corpos e sim cada coisa era movida pela fôrça que emanava de corpos maiores. Não havia motivo para que alguma composição nova de ferro, potássio, sendo misturadas com gazes e sendo aquecidos pela energia solar se esforçasse para se transformar em algo novo nunca existente antes, que fôsse aquela microscópica porção de repente despertada para as benesses da liberdade e autinmia se livrando das perturbações que sentia causadas pelas fôrças emitidas pelos corpos macroscópicos. No entanto isso aconteceu e acabaram por inventar novos mecanismos e processos e arquiteturas que resultaram mais tarde numa novva forma de máquina, milhões de v6ezes mais complezxa que a maquina solar, como é a máquina do corpo animal.

Porque e para que uma microscópica composição de minerais e gazes aquecidos pela energia solar às vezes e outras enregeladas pela ausencia dessa energia iria se mover para buscar outra acomodação no seu ambiente? Não é lógico. Certamente não estava nestes elementos as fôrças que os levaram a emitir radiações de si mesmos na direção dos compostos separados e informes que estavam ao seu redor, selecionando uns e descartando a maioria dos outros, e ainda mais, atraindo-os para si, para crescerem, e depois se quebrarem em fragmentos iguais, o que resultaria em cópias e mais tarde no fenomeno da reprodução. Agregação de elementos separados já havia devido ao magnetismo e gravitação, mas seleção e montagem destes elementos segundo a sua própria configuração?

(estudo interrompido aqui para posterior continuação)

Io: Uma Lua cheia de magma e coberta por vulcões como os Pulsares?

quarta-feira, abril 13th, 2011

NASA’s Galileo reveals magma ‘ocean’ beneath surface of Jupiter’s moon

Zeitnews, of the Zeitgeist Movement:

http://www.zeitnews.org/space-science/nasas-galileo-reveals-magma-ocean-beneath-surface-of-jupiters-moon.html

A new analysis of data from NASA’s Galileo spacecraft has revealed that beneath the surface of Jupiter’s volcanic moon Io is an “ocean” of molten or partially molten magma.

The finding, from a study published May 13 in the journal Science, is the first direct confirmation of such a magma layer on Io and explains why the moon is the most volcanic object known in the solar system. The research was conducted by scientists from UCLA, UC Santa Cruz and the University of Michigan–Ann Arbor.

“The hot magma in Io’s ocean is millions of times better at conducting electricity than rocks typically found on the Earth’s surface” said the study’s lead author, Krishan Khurana, a former co-investigator on Galileo’s magnetometer team and a research geophysicist with UCLA’s Institute of Geophysics and Planetary Physics. “Just like the waves beamed from an airport metal detector bounce off metallic coins in your pocket, betraying their presence to the detector, Jupiter’s rotating magnetic field continually bounces off the molten rocks in Io’s interior. The bounced signal can be detected by a magnetometer on a passing spacecraft.

“Scientists are excited that we finally understand where Io’s magma is coming from and have an explanation for some of the mysterious signatures we saw in some of Galileo’s magnetic field data,” Khurana added. “It turns out Io was continually giving off a ‘sounding signal’ in Jupiter’s rotating magnetic field that matched what would be expected from molten or partially molten rocks deep beneath the surface.”

Io’s volcanoes are the only known active magma volcanoes in the solar system other than those on Earth; Io produces about 100 times more lava each year than all of Earth’s volcanoes. While those on Earth occur in localized hotspots like the “Ring of Fire” around the Pacific Ocean, Io’s volcanoes are distributed all over its surface. A global magma ocean lying beneath about 20 to 30 miles (30 to 50 km) of Io’s crust helps explain the moon’s activity.

“It has been suggested that both the Earth and moon may have had similar magma oceans billions of years ago, at the time of their formation, but they have long since cooled,” said Torrence Johnson, who was Galileo’s project scientist, based at NASA’s Jet Propulsion Laboratory in Pasadena, Calif., and who was not directly involved in the study. “Io’s volcanism informs us how volcanoes work and provides a window in time to styles of volcanic activity that may have occurred on the Earth and moon during their earliest history.”

Io’s volcanoes were discovered by NASA’s Voyager spacecraft in 1979. The energy for the volcanic activity comes from the squeezing and stretching of the moon by Jupiter’s gravity as Io orbits the immense planet, the largest in the solar system.

Galileo was launched in 1989 and began orbiting Jupiter in 1995. After a successful mission, the spacecraft was intentionally sent into Jupiter’s atmosphere in 2003. The unexplained signatures appeared in the magnetic-field data taken from Galileo fly-bys of Io in October 1999 and February 2000, during the final phase of the mission.

“But at the time, models of the interaction between Io and Jupiter’s immense magnetic field, which bathes the moon in charged particles, were not yet sophisticated enough for us to understand what was going on in Io’s interior,” said study co-author Xianzhe Jia of the University of Michigan.

Recent work in mineral physics showed that a group of what are known as “ultramific” rocks become capable of carrying substantial electrical current when melted. These rocks are igneous in origin — that is, they are formed through the cooling of magma. On Earth, ultramific rocks are believed to derive from the mantle. The finding led Khurana and colleagues to test the hypothesis that the strange signature was produced by an electrical current flowing in a molten or partially molten layer of this kind of rock.

Tests showed that the signatures detected by Galileo were consistent with a rock like lherzolite, an igneous rock rich in silicates of magnesium and iron found, for example, in Spitzbergen, Sweden. The magma ocean layer on Io appears to be more than 30 miles (50 km) thick, making up at least 10 percent of the moon’s mantle by volume. The blistering temperature of the magma ocean probably exceeds 2,200 degrees Fahrenheit (1,200 degrees Celsius).

Porque o Tsumani Foi Muito Bom Para o Povo Japonês

terça-feira, abril 12th, 2011

A tragédia humana no Japão foi como uma cirurgia dolorosa mas necessária para curar uma espécie de cancer na camada do consciente coletivo japonês. Lí num artigo do New York Times que o povo japonês está como que atordoado, pensativo, revendo seus valores e definições existenciais. Estavam como uma boiada numa correria em disparada no estilo burguês em que a única meta é ficar rico, mesmo matando-se no trabalho. De repente vêem tôdo seu patrimonio indo água abaixo. Existiria alguma intenção da Natureza em sua sabedoria universal ou de alguma entidade sobrenatural na fôrça que sacudiu a Terra sob os pés dos japoneses? Não podemos saber mas que o evento se encaixou exatamente no sentido da História Natural, não restam dúvidas.

Na antiguidade os povos orientais “amarelos” se destacaram por uma extremada contemplação espiritual-naturalista mas individualista. A meta suprema do ser era alcançar o nirvana. Assim se emparelharam com os filósofos gregos que se enveredaram para o pensamento metafisico lidando com os conceitos de beleza, ética, e as teorias da matéria sem no entanto arregaçar as mangas e lidar na experimentaçào prática com a matéria, a qual era tarefa para os iletrados. Mas extremo esforço na evolução mental sem o correspondente esforço na evolução material, na busca e aprendizagem dos mecanismos e processos da Natureza, faz com que a mente seja obrigada a descer do seu pedestal e arrastar-se na lama da superficie terrestre. Como disse Don Juan, o feiticeiro indígena, para Carlos Castãneda: “Estás na Terra, és tambem carne, então preste atenção na matéria, investigue seus mecanismos e processos para que viva e lute como Homem e Vitorioso!” 

Mas principalmente com a dolorosa cirurgia da Segunda Guerra Mundial que veio como um choque para o despertar do sonho metafisico – para se entender que o poder terrestre está do lado de quem lida na matéria – o consciente coletivo japonês virou de ponta-cabeça e debandou pelo seu oposto: entrou fundo na corrida burguesa materialista.

Onde está na juventude japonesa os sábios devaneios de Confucio, I Ching, Buda? Porque sua Ciência perdeu terreno para a Ciência da Russia que produziu a Máquina Kirlian em busca da aura e dos chakras que eram prerrogativas dos orientais? 

Agora a Natureza atuou mas surpreendentemente como uma fôrça corretora dos caminhos da Evolução. É preciso entender o que significa essa palavra “Natureza”. Ela não é a matéria, não é o Universo perceptivel aos nossos sentidos mas tambem não é um conceito abstrato, fantasmagórico. Ela é algo que flui através da Matéria como nossa mente flue através do nosso cérebro. Como o invisivel e mentalizado software comanda e opera a eletrônica do hardware em nossos computadores. Natureza é uma tendência, cuja  meta suprema é um sonho de perfeição. Ela consiste numa fórmula conceitual simples mas de extraordinária engenharia como está desenhada em meu website. Esta fórmula tem desde antes do Big Bang conduzido a massa amorfa e a energia destrambelhada da matéria a se organizar como sistema, cada vez mais sofisticado, mais complexo. Se hoje no meio dos vivos ela se materializa como o DNA, esta é apenas a forma biológica de sua fórmula como uma Matriz Universal.

A fórmula é um sonho, um mundo utópico irrealizável de extrema perfeição ( como se o sentido da existência do Universo fôsse a meta final de produzir um filho do Além como a arquitetura mais perfeita possível),  mas não importa: desde o principio ela vem evoluindo no sentido de se concretizar, e aquilo ou aquêle que não entender isto e não sintonizar suas frequências vibratórias com as frequências das ondas dessa evolução será apanhado a meio caminho, e desmanchado em fragmentos, para que sua matéria seja refeita no caminho certo, o caminho escolhido pela Natureza. Esta é a realidade do sempre, aqui e agora, exista ou não alguma inteligência superior por trás dela.

Onde o povo japonês tem errado a ponto de seu sacrificio e martirio – em duas ocasiões – ser um inevitável evento corretor? Já citamos os desvios extremados do consciente coletivo. O segundo motivo é que o indevido individualismo buscando o nirvana apenas para sua alma ao invés de o trazer para todos os seres humanos da Terra se projetou a nível de nação, e descambou para o estremado individualismo da raça contra tôdas as outras raças. O artigo no New York Times revela como a tradição japonesa não admite sua miscigenação com pessoas estrangeiras. Mas se a Natureza na Terra iniciou sua produção da Matriz biológica por meio de bilhões de fragmentos diferenciados entre si que inicialmente tendem a se confrontarem e gerarem o caos ambiental ao redor para depois, através da fôrça tendente ao estado de ordem, ir reunindo estes bits-informação numa unica arquitetura super-complexa, isto siginifica que será recompensado com a transcendência os individuos que se misturam sem discriminações. A patente e surpreendente criatividade americana que foi uma explosão na Ciência e tecnologia humana deve-se a que o seu povo abriu os braços e o coração para receber todos os povos. Por outro lado é famosa a frase de que japonês não cria, mas copia.

Não pude evitar a formação de lágrimas quando ví meus queridos irmãos japôneses sendo massacrados pelas fôrças da desumana Natureza. Não pude evitar de correr ao meu cofrinho-porquinho e retirar as moedas de minhas parcas economias e leva-la para a Cruz Vermelha. Tenho japoneses casados na minha familia, grandes e inesqueciveis amigos foram japoneses-americanos, mas não posso deixar de notar e aproveitar mais essa lição que se não foi aprendida voluntáriamente por nossa própria vontade, o foi pela sina do destino inevitável. A Natureza não tem os sentimentos humanos, ela não brinca em serviço no afã de realizar seu sonho utópico, ela nos obrigará a que nos misturemos com tôdos os viventes do Universo, pois em cada ultima e perdida região do Cosmos existe alguma especifica infoermação de sua fórmula inexorável que terá de ser assimilada. Por bem ou por mal, e que se aprenda a entender a Natureza para evitar estas cirurgias corretoras dolorosas.

Dilma,China e a Denuncia de um Pacto Macabro

terça-feira, abril 12th, 2011

http://br.noticias.yahoo.com/dilma-quer-diversificar-com%C3%A9rcio-china-20110412-045901-027.html

Mais uma vez…tudo errado! A cegueira cientifico-intelectual da diplomacia brasileira revela o caráter retrógrado do consciente coletivo brasileiro. Querem “chinalizar” o Brazil? Bilhões de seres humanos arrolados como robots para dentro de fábricas com trabalho escravo a míseros cents por hora, formando uma massa sem destino, sem sentido existencial, manietada por uma ditadura desumana. Muito diferente da agenda do “Tea Party”que cresce e se manifesta nos USA defendendo a liberdade individual e portas abertas à sua íntima evolução. Os investimentos chineses estão centrados nas áreas de petróleo, tecnologia agrícola e produção de soja. Matéria-prima. Energia para mover a mecãnica perpétua da máquina chinesa e alimento para manter as massas. E assim o povo brasileiro, ao invés de ser lançado à sua evolução na Ciência e tecnologia de ponta, é carreado como rebanho para as minas subterrãneas e a roça!

 Temos que fazer e vender aviões, computadores, fibras óticas, raio lasers! E não sangrar nosso solo vampirizando seus recursos naturais para sustentar aberrações externas que são um prejuízo para a evolução da Humanidade.
O Brazil ficou muito tempo sem emprêgo porque todo o trabalho do mundo está sendo feito na China em fábricas montadas por capitalistas internacionais para explorar a mão-de obra gratuíta.

Fui trabalhar no descarregamento de containers nos Estados Unidos e o que ví? Tudo vem da China. Do Brazil apenas algumas malhas de Santa Catarina e ossos para cachorros do Rio Grande. Desta forma a China é um cancer na classe trabalhadora mundial. Agora temos emprêgo na construção porque estamos vendendo os nossos recursos naturais em troca de moradia. Bolsa familia, alimento barato e casa própria será a explosão da população brasileira, enquanto o total descaso com a educação científica e intelectual vão completar a constituição de uma massa amôrfa, quase-eterna.

A única coisa que presta nêstes acôrdos é a sociedade na tecnologia espacial. O Partido dos Trabalhadores precisa mudar suas raízes intelectuais de sonho de uma elite nababa e carnavalesca mantendo um povo feliz com novelas e futebol enquanto não veêm a luz do sol dentro das fábricas. Isso não tem futuro porque está contra as leis naturais: a Natureza sempre tem evoluído do mais simples para o mais complexo e quem não entra no seu ritmo é destruído pela avalancha das transformações.

Menos política e mais educação cientifica, pois a Ciência é que tem proporcionado poder e riqueza aos povos de certas nações. Claro que devemos manter boas e construtivas relações com o povo chinês buscando a convivência solidária e evolução dos dois povos, mas devemos sempre manter um pé atrás e criticar o regime que se impõem como uma ditadura contra as liberdades democráticas. E a classe trabalhadora brasileira tem que entender quem no mundo avilta o valor de seu trabalho devido estar psicológicamente anestesiado e anulado para a vida e o progresso. Trocar nossa energia e os nutrientes de nosso solo pelos computadores e bugigangas da China é burrice pela qual nossas futuras gerações irão pagar muito caro.

Certeza Absoluta: O Final do Universo Será a Mais Evoluída Máquina Universal…na Forma de um Bebê!

domingo, abril 10th, 2011

Eu sou 70 quilos de matéria ajuntada e organizada do jeito que está. E que vai ser fragmentada e dispersada no meio do resto da matéria mais próxima. Por isso me dá pena quando vejo qualquer pessoa. Ela se pensa importante, que é alguma coisa e sempre se esquece que não passa de um pequeno volume de matéria temporária, muito breve. Nada mais. Mas tem um detalhe importante aqui.

A 3.ooo anos atrás também havia uma pessoa que era matéria e circundada por matéria. Hoje, existem nós. Daqui a 3.000 anos provavelmente tambem haverá uma pessoa-matéria circundada por matéria. Qual a principal diferença entre as três, além do tempo?

A de 3.ooo anos atrás tinha um cérebro menos evoluído que a presente, e a presente o tem menos que a do futuro. A passada tinha à sua volta tochas de fogo, velas, cavalos, cabanas quase sem utilidades domésticas; a presente tem aviões, computadores, satélites; a do futuro terá à sua volta disco-voadores, robots. A essa diferença vamos chamar “evolução”. Mas para que, porque existe evolução?

O que é evolução? O seguinte: no inicio o Universo nasceu com 10 zitrilhões de diferentes particulas-informação, ou seja, haviam 10 zitrilhões de diferentes tipos de particulas, e cada qual tinha um quantidade de cópias. No total o Universo então nasceu com muitas vêzes os 10 zitrilhões. Estas cópias que é o mais comum formam a grande massa da matéria e no total da matéria existem aqui e ali uma daquelas particulas-informação, as quais não estão próximas entre si, porque entre uma e outra existe muita massa, ou como diremos, muito “DNA lixo”.

Mas está ocorrendo que em certos pontos do tempo e do espaço estão sendo reunidas particulas selecionadas, aquelas especiais, e numa certa sequência em que se encaixam uma nas outras. É essa convergência de apenas uma partícula de cada tipo para um ponto formando uma nova porção de matéria que indica estar havendo o que chamamos de “aumento da complexidade”.

O interessante é que estas porções de matéria mais “especializadas” que o resto, antes de serem dissolvidas, de alguma maneira estabelecem que de algo delas surgirá a nova futura forma ainda mais complexa. O planeta Terra se tornou o astro mais complexo do sistema solar quando surgiu continentes, água e atmosfera, e isso produziu as porções de matéria da biosfera, as quais produziram as porções denominadas sistemas biológicos, como êste que aqui está agora escrevendo estas besteiras. O homem do passado foi dissolvido mas antes lançou de si uma porção de matéria que evoluiu para o homem de hoje. E interessante notar que as novas formas se tornam mais evoluídas não porque aumenta o volume e quantidade de suas partículas ( muitas vêzes tem até diminuido), mas sim porque novas particulas informação que não estavam muito próximas foram buscadas de alguma forma e incorporadas na porção sob evolução.

Ora, se continuar êste processo, isto significa que esteja onde estiver a ultima partícula-informação, que seja na mais distante galaxia e lá estejam tôdas suas cópias, ela será engolfada e incorporada na porção que evolui. de maneira que um dia finalmente teremos uma arquitetura material que terá uma apenas particula de cada tipo, mas todos os tipos ali estarão reunidos, encaixados, conectados. O resto será mera massa.

Outra coisa interessante é que essa porção final poderá ser muito pequena. Pode ser talvez menor que um átomo ( e agora é impossível deixar de lembrar-se da teoria que diz o Universo ter nascido de um pequeno átomo). Mas será uma espécie de máquina, ou organismo, da mais extraordinária engenharia possível. Será a arquitetura mais complexa possível de existir, ao menos, nêste Universo.

Será talvez um Moto-contínuo? A máquina mais perfeita do mundo?

Bem… agora que definimos o que a realidade material foi, é, e será, vem a inevitável pergunta:

– “Para que?!!! Porque existem 10 zitrilhões de informações diferenciadas, porque elas se conectam, porque são movidas de onde estão e dirigidas a um ponto unico e comum?

Isto significa que muitas espécies de vida extraterrestres, cada qual com uma quantidade das particulas especiais de suas regiões, irão se cruzarem de alguma forma de maneira que de tôdas elas haverá um descendente final comum.

Quem é ateu tem aqui muito material para pensar. E quem acredita em Deus vai se acostumando com estas particularidades da Obra, se queres entender como seu Deus pensa e qual Sua meta.

Eu, agnóstico, busco um sentido existencial ou ausência de sentido nisso. É impossível negar que a História tem vindo até aqui seguindo sempre uma mesma direção, quando a matéria teria “n” possibilidades de direções diferentes, inclusive, a de direção nenhuma. A direção é evidente n6este processo que denominamos  “evolução”. E como investigador que sempre procura um parametro real, factual, existente aqui e agora, como explicação ou solução mais viável para qualquer quebra-cabeça gerado por um fenômeno de magnitude universal – porque não acredito que o Universo seja mágico e tenha feito as coisas que existem aqui e agora a partir do nada por passes de mágica – só encontrei uma analogia até agora. Todos os pais humanos eram porções diferenciadas e separadas de matéria que continham suas partículas especiais, se dividiam em raças e tribos distantes, começaram a miscigenarem-se, produzindo bebês cada vez mais complexos e todos partilham um desejo em comum: que seu filho seja o mais perfeito possível. Tudo igual ao Universo. Então, ao invés da máquina mais perfeita, estará o Universo fadado a produzir o bebê mais perfeito?! Mas…filho de quem?!   

Porque 95% das Mulheres Já Nascem Corruptas

domingo, abril 3rd, 2011

Antes que elas comecem a atirar-me pedras, adianto que também 95% dos Homens já nascem com uma psicologia tendente a serem corruptos. Mas já na Antiguidade de alguma forma a mente humana intuiu acertadamente que a causa principal das condições absurdas desta biosfera terrestre em estado caótico e selvagem estava no comportamento e natureza feminina, por isso imaginaram fábulas como a do Paraíso: Eva teria sido o pivô inicial de tôda nossa desgraça futura. E agora que estamos descobrindo tôdo o passado da matéria que constitui o mundo e os nossos corpos, que nela sempre existiu a dualidade dos opostos que tambem produz a dualidade feminino/masculino, dualidade esta que estêve atuante inclusive na formação e na história de sistemas ancestrais não-vivos, como os átomos e galáxias, descobrimos também que na conjuntura termodinâmica daquêles sistemas, foi a parte feminina da  “alma universal” que iniciou a desobediência à sabedoria divina e resultou na queda em que caímos condenados a rastejar na superfície lamacenta de um planetinha perdido no Cosmos. A intuição mística e a metodologia de investigação racional chegaram à mesma conclusão: quando a parte feminina da alma universal, do software do código cósmico que sempre acompanhou o hardware material cósmico, conseguiu o domínio e contrôle dos destinos da alma universal, fêz o mesmo que as rainhas das sociedades das abelhas e das formigas sempre fazem: implanta o sistema fechado em si mesmo, expressão do extremo egoísmo e egocentrismo, o qual sempre será amaldiçoado e destruído pela Lei de Claudius, a qual vem do alem do Universo na forma da fôrça medida pela entropia…, a fôrça da degeneração e da morte, que obriga a alma universal à sua sina de se transformar para evoluir.

A realidade humana é a seguinte: somos filhos da necessidade. O ser humano precisa de estruturas materiais para se alimentar, sobreviver e se acomodar no ambiente, estruturas como alfaces e cadeiras. Estas estruturas não existem gratuítamente na Natureza, portanto o ser humano está condenado a obtê-las com o suor do próprio rôsto. Se quiser estas coisas e se tiver os princípios morais de respeito e consideração a seres humanos e animais, tôdo ser humano tem que ser um escravo voluntário do trabalho forçado e rotineiro, realmente produtivo, manualmente executado. Aqui não existem opiniões, senões e lugar para conjecturas falsas. É assim, caímos no mundo com estas condições e ponto final. Quem trabalha num banco, roupinha limpa, gravata, ar condicionado, está com sua mãos fazendo suas cadeiras e plantando suas alfaces? Não! Então é um corrupto. Não me venha con histórias e lembre-se que os religiosos dizem que podes até te enganares a si próprio, mas a Deus ninguém engana, pois êle está vendo de onde vem o que estás consumindo.

Mas essa maldição tem acarretado um outro problema muitíssimo importante para a vida dos seres humanos: todos querem se livrar dela e o único meio de fazê-lo, se o individuo tiver mais fôrça para tal, é fazer-se de cego, convenientemente aleniado, para auto-justificar-se em ser corrupto, ou seja: não respeitar os principios morais de respeito e consideração aos outros seres humanos. Ninguém quer ficar 12 horas por dia fechado dentro de uma fábrica sem ver a luz do sol e sendo torturado físicamente, mas todo mundo quer comer, ter mansão e gerar filhos para outros na fábrica sustentarem. Uma das maneiras encontradas por essa mente corrupta para livrar-se da maldição sôbre os humanos foi a invenção da familia, no estilo denominado “familia nuclear”, que foi revestida de “moralmente e politicamente correta”, a ponto de ser falseada com a palavra “familia sagrada”, através da qual os mais fortes conseguem escravizar os desafortunados que nascem sem uma estrutura familiar. Eu sei bem como funciona isso, pois nascí sem familia e sentí todo o pêso opressor da sociedade para me manter o mais subjugado escravo a vida tôda, uma vida em que, para conseguir o meu pequeno naco de estruturas materiais, sempre tive que ir para a fábrica produzir dez vêzes mais do que consumí. Apenas quem está fora de um sistema, no caso, fora dos lares familiares, é que pode ver e entender sua realidade.

Ninguem quer trabalhar no pesado, mas todo mundo quer consumir, e faz o possível para obter sempre cada vez o melhor, a ponto de, se uma sociedade dos mais fracos não  se estruturar e reagir com violência, todo ser humano se torna infinitamente corrupto, perdulário poço sem fundo, da energia e economias humanas, dando-lhes os destinos da luxúria e do supérfluo.

Se não fôsse essa natureza corrupta do ser humano, a Humanidade hoje teria vencido a maldição, e todos seriam muito mais felizes. Pois o trabalho escravo pode ser realizado pelo engenho humano se êste fôr guiado pelos principios morais a ser aplicado na tecnologia e automação. Já poderíamos ter transformado a Terra na réplica do paraíso ajardinado e adequado para acomodar a vida humana, a milhares de anos atrás. Não o fizemos ainda porque temos estado sendo guiados pela parte corrupta de nossa alma, a qual não deixa o corrupto dominante perceber a verdadeira condição de nossa realidade e alimenta a vaidade, e a contra-reação do corrupto dominado criando os conflitos que atritam as relações humanas de forma caótica e incendiária, fazendo-nos ficar milenarmente vegetando num ciclo vicioso de errada construção e errada destruição.

É aqui que entra o objetivo dêste artigo. Descobrimos uma face mais profunda da realidade que desce no passado desterrando causas soterradas nas noites dos tempos, causas devidas aos comportamentos de nossos ancestrais e continuadas por nós. Causas que foram relembradas pelo nosso inconsciente e registradas alegóricamente na forma das fábulas religiosas e agoras foram desnudas pelos nossos instrumentos usados na investigação cientifica.

Nós precisamos corrigir o foco da nossa ótica que foi feita errada projetando uma imagem do mundo de ponta-cabeça para nosso cérebro. Êste êrro mutacional faz parte da maldição e consiste no método aplicado pela fôrça da morte entrópica quando obriga a alma universal a corrigir-se em seus desvios pelas sendas do caminho da evolução. Dividir para reinar, ou seja, fragmentar uma alma errada em seus menores pedacinhos, cada qual com uma fração do êrro total, e pôr êstes êrros a se degladiarem, de maneira que todos experimentarão as consequencias de serem vitimas de seu próprio êrro, para depois re-ajuntar os pedacinhos consertados e obter a alma corrigida. O fato dos nossos olhos captar a imagem contrária do mundo externo e obrigar o cérebro a uma ginástica dos diabos para manter o corpo vivo e em pé é o que nos conduziu a sermos enganados por uma falsa aparência e termos a tendencia a sermos corruptos contra a realidade na sua forma errada. Entendeu? Explico de outra forma. Se tens um filho a quem amas e para quem desejas o melhor mundo real, mas êle não o obedece e o abandona porque acredita numa idéia errada (como por exemplo, o melhor mundo para se viver seria na forma de Adão e Eva no Paraíso do Éden; êste é um desejo equivocado contra as leis da Natureza, do Universo, e sabe-se lá mais de quem, cujas leis exigem nossa continua transformação com evolução, pois esta espécie de paraíso seria um moto contínuo e eterno, um sistema fechado em si mesmo, o qual fecha as portas à evolução), como faria para salva-lo da tortura eterna quando êle descobrir que seu mundo o faz estupido e infeliz? Ora, conduza-o de forma a que ele mesmo se refaça e corretamente, o que  o trará de volta e curado para entender que o seu mundo paternal e maternal é o unico e melhor para a felicidade infinita. Faça isso sem aplicar castigos como tortura física diretamente na alma. E como se faz isso? Ora! Antes de construir seu mundo errado, havia o mundo certo conduzindo-o para o destino certo. Mas êle desviou-se e construiu um mundo errado, falso. Quando sua evolução chegasse ao ponto de entender que tinha errado e estaria eternamente perdido, aí sim, ele seria torturado na alma. Mas você como pai e mãe que o ama, tudo fará ao seu dispor para evitar essa dor. Então enquanto sua alma ainda é embrionária e não sofre os efeitos do mundo externo, você o retira do canal errado mas dá-lhe olhos que superam a evolução de suas outras partes de maneira que êle possa ver os efeitos errados do mundo errado, sem que essa visão chegue à sua alma.  Os nossos olhos vê as imagens ao contrário, o mundo de ponta-cabeças, porque ela vê o futuro de um mundo virtual que não existe de fato, vê quais seriam os efeitos do mundo que nós mesmos construímosm na forma de nossos antepassados, ou seja, quais seriam seus efeitos no futuro quando nossa alma nascesse e despertasse. Em relação ao nosso verdadeiro e profundo “Eu”, nossos corpos vivem hoje uma realidade virtual, o mundo ilusório da Matriz. Nossos corpos são virtuais, ou seja, não são reais em relação à verdadeira realidade. Nossos sofrimentos atuais são virtuais, ou seja, são falsos, de maneira que nunca estas experiencias do aqui e agora serão registradas no código genético cósmico da nossa verdadeira alma. Pois ela ainda se forma e dorme no estágio embrionário. Somos corruptos por Natureza, mas corruptos em relação a uma realidade corrupta, corrompida, portanto nossa natureza corrupta e a realidade corrupta são falsas, virtuais. Meramente temporárias. 

O verdadeiro veneno da corrupção hoje, aqui e agora,tem um veículo e um nome: o cérebro. Êle está estruturado na mesma forma da Matriz como sistema fechado em si mesmo. Êle é o representante fiel das galáxias aqui na Terra. Êle continua a lutar contra nossa visão certa do mundo corrupto, bem ao gôsto dêle. Êle continua a resistir, retorcendo, redirecionando a luz do mundo virtual, pondo-a na posição correta, fazendo-a a se encaixar na sua teimosa tendência ao super-egoísmo e seu mundo como paraíso fechado. Êle foi o produto natural, real, herdeiro do mundo errado que nossa alma universal, quando ainda habitava nossas ancestrais formas primitivas, ainda sem vida biológica, construiu equivocadamente em desobediência aos destinos traçados alem dêste Universo. É êle quem detem o poder sôbre o código universal aqui nestas dimensões, assim como os genes que constroem um feto aleijado detem o poder genético dentro da barriga de uma mulher gravida. Mas antes que o corpo final nasça para a luz do mundo real, a mãe e os médicos e tôdas as fôrças do mundo dos corpos perfeitos estão atuando para que estes genes mudem suas tendências equivocadas.

A descoberta da Matriz e a intuição de que essa realidade é falsa, virtual, está acontecendo com várias mentes, ao mesmo tempo, em várias partes do planeta. Basta digitar a palavra em Inglês, “Matrix”, na busca do Google, pular os ítens iniciais que dizem respeito ao filme, e ver a avalancha de websites que surgem a cada dia provindas de pessoas anunciando que existe uma Matriz. A maioria desvirtua a intuição descambando para o lado do misticismo, da religião, mas isso sempre aconteceu com as primeiras intuições corretas humanas. E êsse despertar a nível global indica que a alma universal está entrando no canal final do nascimento, do despertar. Ela já começa a mostrar suas primeiras influências, como a sabedoria sôbre o que é o mundo real, já começa a consertar os filamentos de conexões neuroniais do cérebro, de maneira que êle mesmo começa a descobrir que tem siso corrupto e atuado errado. Nossa visão distorcedora de um mundo distorcido existente apenas no cérebro já começa a ser substituída pela visão mais profunda da alma: já começam a surgir e aumentam a cada dia na Internet websites falando em universo holografico, mente holografica… quando na realidade o abstracionismo temporario holografico é a nossa realidade virtual. Eu mesmo, após ter desvendado tôda a história da realidade material e descoberto importantes aspectos da Matriz, acabei caindo no estudo da realidade holografica e fui cair numa fenomenologia que ainda me mantem meio atordoado: a luz. O mundo real, o que veio determinado alem deste Universo, tem um elo perceptivel conosco, que é a luz natural, a qual, possui dinâmica e transformações próprias, de maneira que suas variações em frequências e períodos nada mais são que as fontes de criação do código genético que tem construído todos os sistemas naturais e inclusive fornece o processo para o ciclo vital. Estamos começando a sair do saco embrionário e dar as primeiras apalpadelas no corpo real do nosso criador real, agora é a Matriz no seu aspecto virtual que começa a cair perante nossa visão anímica.

Com isso reconhecemos o que existe de errado em nós, onde começou o nosso êrro, porque construímos êsse mundo virtual. Os antigos podiam intuir tudo isso, mas apenas a solidez do método cientifico poderia nos levar a ver alem da névoa da ilusão de ótica. Cientificamente descendo ao mais íntimo do ser dos nossos corpos, alcançando os menores pedacinhos, analizando-os e conhecendo-os, a Ciência retorna ao corpo total para vê-lo como sistema em sua totalidade, e então autoriza a um dos seus porta-vozes, Richard Dawkins a declarar alto e em bom tom:

– “O problema está dentro de nós mesmos. Nos nossos menores pedacinhos. Guerra aos nossos genes!”

E eu completaria: – “Guerra aos nossos genes e aos nossos cérebros! Viva a nossa Alma Universal!” 

Para abreviar esta finalização, é preciso entender o que é a nossa tendencia à corrupção e o que vamos fazer para elimina-la, sem esperar as cirurgias dolorosas que acontecem quando deixamos a tarefa para a Natureza. No Jardim do Éden, a parte feminina da nossa alma tomou as rédeas das decisões e mentalizou um mundo ideal, bem ao gôsto feminino: o lar como um mundo bonito, perfeito, as provisões sendo fornecidas gratuitamente, um marido amoroso, protetor e dedicado, e a felicidade estaria completa. Que se exploda o mundo externo e tudo o mais, que nada venha a perturbar nossa vida. No seu projeto o mundo era baseado num circuito auto-reciclavel para assim perdurar por tôda eternidade. Mas havia um obstáculo. Adão. Adão não conseguia perder sua tendencia aventureira, exteriorizante, que odeia os limites de um mundo sem novidades. Quando êle se ausentava saindo do circuito Eva ficava só e o seu sistema ficava frágil, suscetivel a perturbações vindas do mundo externo. O circuito do sistema, que tinha a forma de uma serpente engolindo a própria cauda, só seria eterno se Adão, sua contra-face masculina, se mantivesse dentro de casa. Então Eva inventou uma atração para Adão mais poderosa que a tração que o mundo externo exercia sôbre êle: o sexo. Desta forma, a fôrça exteriorizante dentro de Adão seria canalizada para Eva e se manteria dentro do circuito. Eva inventou o instrumento ideal para manter o mundo na forma da serpente, e ofereceu a Adão êste instrumento na forma da maçã. Ela já havia subjugado a força evolutiva que veio do alem do Universo na forma dos vórtices espirais quanticos, tendo imoblizado-os na forma de uma arvore cujos ramos eram becos sem saída para os braços espirais, tornando os vórtices paralizados. A parte feminina da alma universal é poderosa e engenhosa, basta ver o que acontece quando ela se assenta como rainha no trono, nas sociedades das abelhas e das formigas. Tudo se torna seus escravos, seu lar confortável e protegido pelos zangões se torna quase eterno, só ela se permite que todo o sexo dos machos convirjam para ela,  e ela vive sua extrema felicidade. Mas o sistema fecha as portas à evolução, a qual tem designios muito mais elevados para os filhos do além que os destas formas provisórias. Adão comeu da maçã, gostou, deixou-se enveredar pelos abraços quentes e ambiente acolhedor de um lar fechado, tornou-se fiel a Eva e deixou de atirar sua fôrça e substancia na direção de atrações do mundo externo, e o paraíso se firmou, com pretensões à eternidade absoluta. Eva desenhou o projeto perfeito de um motor continuo, perpétuo, auto-reciclavel. Ela distorceu a Matriz, o código genético universal, que havia sido planejado para evoluir e que continha, como um dos seus principais mecanismos, a tendencia exteriorizante masculina, a qual é necessária para manter um sistema aberto á evolução, pois é através dêste mecanismo que as informações sôbre o corpo final dos filhos de Deus ou seja lá de quem está alem dêste Universo,  e que pairam no espaço sideral, são trazidas e assimiladas por um sistema natural sob evolução.

Adão e Eva, as duas meias-faces de uma alma universal ainda no estágio fetal, ainda sendo conduzidas pelos seus genes, cometeram um êrro antes das nossas origens humanas, um verdadeiro pecado original. Êste tipo de êrro se projeta em nós na forma de corrupção do nosso intimo código moral e é carregado pelo nosso assim denominado “gene egoísta”.

Tôda mulher detesta o trabalho fora de casa que se constitua em rotina e tortura fisica. Claro. Todo homem tambem. Mas ela inventou o casamento, para complementar seus planos na Terra e fazer valer sua invenção natural, o sexo, pois com isso ela pode obter o dinheiro do homem que tem dinheiro e/ou a submissão do homem que suporta o trabalho escravizante no seu lugar. Ela fecha os olhos para não entender como funciona a economia e assim enganar-se para justificar que apenas uma pessoa trabalhando na real produção das estruturas materiais que  uma familia de quatro, cinco , seis pessoas, consomem, e que ele sózinho não tem como produzir, explore o resultado do trabalho dos deserdados sem familia. Está tudo errado em nossa sociedade. Estaria tudo certo em relação ao mundo virtual, mas êste é um mundo falso, causa da maldição que se abateu sôbre todos nós. A verdadeira sagrada familia, a verdadeira familia em relação ao mundo real,  será aquela em que tôdas as mães são minhas mães, todos os pais são meus pais, todos os irmãos são meus irmãos, todos os filhos são meus filhos. Aqui está o caminho da evolução, da transformação e transcendência para formas de existência muito superior que as humanas. Mas esta familia virá a se tornar realidade entre nós quando começarmos a combater dentro de nós as nossas tendencias de desvios dos principios morais da nossa alma. Para isso acontecer é preciso antes desmacarar o lado falso da Matriz, o mundo da realidade virtual. E isso já está acontecendo.

Eu não gosto do trabalho escravizante, mas não o temo e não tento escapar dêle. Posso ser rico como for, para sempre estarei dedicando quatro ou seis horas por dia no trabalho braçal, produzindo meus alimentos, construindo casas para outros que vieram me ajudar a construir minha casa. Outras quatro horas por dia me dedico ás oficinas e laboratórios: quero construir as máquinas que vão libertar a humanidade dessa escravidão e as medicinas que combatam os nossos inimigos mortais. Assim fico em paz com meus principios morais que não são firmados em nenhuma religião, apenas se formaram junto com a minha aprendizagem no mundo. Bem… por enquanto isto é um sonho. Ainda vivo na rua procurando trabalho o menor stressante possível e o mais rentável possível para pagar o aluguel e o prato de comida de cada dia mas sempre esperando dar o golpe que minha internas e inconfessáveis corrupções imaginam para conquistar os espaços que foram ocupados pelos que assim já fizeram. Mas se eu consegui-lo, e só se o consegue através de um ato corrupto, prometo que vou manter aqueles principios morais, pois quero estar certo para um mundo real que, ao menos nos meus calculos, é o verdadeiro real e para mim tem sentido. E se êsse é realmente o mundo real, significa que êste meu extenso artigo é inutil se com êle eu pretendia mudar os outros, pois a mudança de cada um depende de si mesmo, ela vem de algo que ninguem de nós pode alcançar, ela vem da alma universal, e não se sabe em que estágio embrionário está a alma das pessoas.

As Causas e Origens da Crueldade Humana:Investigação

sexta-feira, abril 1st, 2011

Desde que eu não consigo matar sequer uma barata, mas mataria de bom grado qualquer tipo de predador – como leões, cobras, etc. – um assunto que ocupa muito minha mente e me tem intrigado, e aguçado minha curiosidade, é o que se passa na cabeça de um ser humano capaz de cometer atos cruéis, principalmente contra outros seres humanos.

Tanto assim que vou abrir mais esta categoria de investigação, para ir registrando atos cruéis que tiver conhecimento e tentar analizar os fatos, buscar causas no passado. A cosmovisão da Matriz/DNA não indica nenhuma pista para a existência dêsse mal no mundo antes das origens da vida. Mas como nada foi inventado a partir do nada, das fôrças naturais que existiam nos sistemas pré-vida algumas certamente foram as causas dessa existência em nosso mundo vivo. Mas tenho vasculhado os sistemas naturais em seus aspectos termo-dinâmicos e não consegui ainda detectar quais eram estas fôrças.

Acabei de assistir um filme “Tropa de Elite 2”. A cena de uma jornalista e um fotógrafo que caem nas mãos de homens animalescos me faz o sangue subir à cabeça de tanta revolta, vontade de pega-los e tortura-los da mesma maneira que fizeram com os dois. Mas uma pergunta não me sai da cabeça: “Como pode existir gente assim? Como funciona o cérebro dêles? Que fôrça ou aspecto do mundo, seja natural ou espiritual ou demoníaco, êles representam?

E então me lembro que tem gente que acredita em deus no estilo judaico-cristão. Ora, um deus que tivesse criado um mundo em cujo projeto havia a possibilidade de acontecer apenas 1% das cenas de terror que já aconteceram a seres humanos, seria um deus, no minimo, porco! Capaz de um trabalho dêsses, do mais baixo nível! E total ausência do sentimental amor humano! Quem, tendo coração, sabendo ver o futuro, teria permitido acontecer qualquer cena de vitimas do horror? É por isso que tais crentes foram capazes de quieimar seres humanos em fogueiras e como recentemente, matarem 12 ocidentais no Afeganistão porque alguém queimou um pedaço de papel na Flórida! Como pode a razão humana ter se desviado tanto do racional humano?

Nós temos que recompor a História Total, da Matriz, do código cósmico humano, desde quando ela surgiu no Big Bang e procurar onde acontece êste desvio, qual aspecto ou característica do mundo físico, material, está por trás dessa fôrça da crueldade. Aceito que os seres humanos são descendentes do macaco assassino. De animais canibais. Mas tôdas as cenas de crueldade que vejo no mundo animal tem uma mesma causa: matar para comer… bem pode existir tambem o matar para se apoderar de território. Mas muitas ocorrências de crueldade humana parece não se enquadrarem nestas causas. Então… como isso acontece? Porque acontece? Porque existem seres humanos ruins para outros seres humanos?

A fórmula da Matriz tem que ter alguma dica. Talvez registrando os casos e indícios vamos montando um leque de pistas até encontrar a resposta final. E conhecendo o inimigo, podemos descobrir seu antídoto. Êste assunto é um dos mais importantes para a Humanidade. Vamos sim, prosseguir com êle e aqui voltar sempre que houver novidades.