Archive for abril 9th, 2012

Interessante Imagem do Cérebro e Descrição dos Hemisférios: Para Registrar e Pesquisar

segunda-feira, abril 9th, 2012

xxxx

Imagem do Cérebro Dividio entre os Hemisférios

Imagem do Cérebro Dividio entre os Hemisférios

Tradução?:

Mercedes Brains…
Lado esquerdo:
“Eu sou o hemisfério esquerdo. Eu sou um cientista. Um matemático. Eu amo o que reconheço. Eu classifico. Eu sou exato. Linear. Analítico. Estrategista. Sou prático. Sempre no controle. Um mestre das palavras e linguagem. Realista. Eu calculo equações e brinco com números. Eu sou a ordem. Eu sou lógico. Eu sei exatamente quem eu sou.”

E do outro lado:

“Eu sou o hemisfério direito. Sou a criatividade. Um espírito livre. Sou paixão. Sou saudade. Sensualidade. Eu sou o som de gargalhadas. Eu sou o gosto. A sensação da areia nos pés descalços. Sou movimento. Cores vivas. Sou o anseio de pintar a tela em branco. Sou a imaginação sem limites. Arte. Poesia. Eu percebo. Eu sinto. Eu sou tudo o que eu queria ser.”

Para Ler e Refletir: Controvérsias entre a Teoria da Matrix/DNA e as Teorias de Almas, Espíritos e Reencarnações

segunda-feira, abril 9th, 2012

Interessante interpretação da história de Giordano Bruno, lida num website espirita, e transcrita abaixo, suscitou uma resposta da Matrix/DNA, a qual vai transcrita abaixo tambem:

Forum Espirita:
http://www.forumespirita.net/fe/reencarnacao/a-reencarnacao/

A REENCARNAÇÃO
« em: 30 de Maio de 2008, 11:55 »
Vitor_Goncalves
Olá Amigos

Como já tenho referido, acho necessário ler livros mesmo que não sejam espiritas, porque nos complementam, nas nossas convicções. Apresento-vos um trecho do livro “O Principe da Luz” de Pedro Barahona Lemos.

” Giordano Bruno, padre dominicano, foi morto pelo fogo aos 52 anos de idade, em Roma, no século XVII, por ter declarado, entre outras coisas, que a Alma humana voltaria, após a morte física de cada um, a habitar um corpo diferente, tantas vezes quantas as necessárias até à sua espiritualização, altura em que, purificada de vez, poderia então integrar a Unidade, ou seja retornar definitivamente a Deus.
Este conceito não podia deixar a Igreja indiferente, já que a iria abalar nas suas estruturas se se generalizasse de novo, uma vez que a salvação de cada um deixava de depender dela, passando para o campo pessoal entre o indivíduo e Deus. Dito de outro modo: a afirmação de Bruno implicava um conceito espiritual dentro do próprio indivídiuo e o corte radical com qualquer religião organizada instituída, Igreja incluída.
Mas Giordano Bruno foi mais longe, ao defender também que a Alma, sendo uma parte de Deus, como tal é imortal, contrariando a Igreja, que defendia, como defende, que a Alma de cada um só surge no momento da concepção e não é de origem divina.
No fundo, era o gnosticismo que parecia querer voltar, ao fim de catorze séculos.
Nos primeiros seis séculos da sua existência, a Igreja era, como se viu, reencarnacionista, devido sobretudo à filosofia gnóstica. Com a exterminação destes e, por conveniência própria – ou não podieria subsistir como entidade autónoma -, influenciada por Santo Agostinho, a reencarnação foi abolida e a salvação de cada um passou a ser da sua (Igreja) exclusiva responsabilidade.
Esta posição e o medo das ameaças levaram a que a população do então Império Romano começasse a renunciar à Reencarnação, que, contudo, não desaparece como modo de remissão dos pecados. Bem pelo contrário.
Assim em meados do século VII, este conceito surge de novo em força nos territórios actualmente ocupados pela Bulgária e países dos Balcãs, através dos Paulicianos – que se intitulavam seguidores de Paulo – e Bogomilistas, para se estender depois à França e Itália. É neste contexto que a Igreja procede à exterminação dos Cátaros, em pleno século XIII.
Já atrás se falou deste assunto.
Os milhares de mortes provocados não abalaram contudo esta crença que em pleno século XIX é popular na Polónia, defendida e ensinada – pasme-se – por um arcebispo católico de seu nome Passavali.
Hoje, 30% dos católicos acreditam na reencarnação. O Budismo e o Hinduismo são, de certa maneira, também ele reencarnacionistas. E o propósito final é igual para todas as religiões que a defendem: a purificação de cada um, até à sua definitiva união com a Unidade.”
(Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/reencarnacao/a-reencarnacao/#ixzz1rZNNmZ9q)

xxxxxxxxxxxxx

The Matrix/DNA:

O conflito entre Bruno e a máfia católica tem como causa a tendencia de humanos terem descoberto que para escapar do trabalho forçado a que todo humano foi condenado pela Natureza por ter nascido e ter ao mesmo tempo privilégios de consumo e poder existe o método de enganar a imaginação humana, a qual é produto da auto-consciência recem-surgida e ainda infantil. É cobra engolindo cobra, perde a mais fraca. É o recurso de explorar em beneficio próprio as coisas “invisiveis”, que parecem existir, como nós adultos exploramos nas crianças seus mêdos e imaginações sôbre monstros e bicho papão.

O texto está errado ao apelar para o nome “agnosticismo” , pois êste se define pelo estado mental do “se não ví, não toquei, ninguem provou, então não sei se existe ou não, e não me fale mais nisso a não ser que venha com provas factuais, não argumentos.” Isto em relação a tudo: alma, Deus, diabo, extra-terrestres, disco-voadores, etc. É diferente do ateísmo que afirma: “não provo que não existe, mas acredito que não existe”.

Temos outra teoria que tambem sugere essa idéia da “reunião da auto-consciência que evolue na humanidade com algo à sua imagem e semelhança superior ao Universo”. Não com “Deus” e nem “num retorno”, pois não existem fatos comprobatórios destas idéias. Esta teoria se baseia em outra teoria, a evolucionista darwiniana, de que todos os seres vivos descendem de um cepo primitivo comum. Mas ela trás uma novidade: o ancestral comum não existiu e não existe na superficie da Terra mas sim foi e continua sendo a galaxia original, a qual está assentada numa fórmula sistêmica natural que é idêntica à fórmula de um par de nucleotideos, a unidade fundamental de informação do DNA.

Ao menos essa teoria merece mais atenção do agnóstico porque ela apresenta as figuras da fórmula a qual pode ser testada cientificamente logo que desenvolver-mos a tecnologia.

Então o DNA seria apenas uma forma biológica de um sistema universal que vem evoluindo desde as origens dêste mundo na dimensão material, o qual já passou pelas formas de sistema atômico, astromomico, celular, corpo humano e agora se forma como sistema auto-consciente. Assim, como DNA de todas as formas do sistema natural essa fórmula recebe o nome de Matrix/DNA, para cuja divulgação e pesquisas já existe um website.

Esta teoria é mais racional à luz dos fatos que realmente conhecemos e podem serem comprovados. Quando ela se projeta na especulação das causas primeiras e cai na metafisica encontra como solução a possibilidade que êste Universo é um mero ôvo cósmico onde se gesta um embrião pelo processo genético. A forma desse embrião deve ser a ultima forma evolutiva que conhecemos, ou seja, a auto-consciência. Usto significa que o que gerou o Universo é um sistema possuidor de auto-consciência. E significa que quando o embrião nascer é como o retorno dos DNA’s dos pais na forma de filhos.

Falta a esta teoria falar da idéia da “purificação”. Qual o melhor método para um ser se educar perfeitamente ao mesmo tempo que mantem seu livre-arbitrio? Quando ele se torna arrogante numa idéia própria errada, divida-o em seus menores fragmentos, cada qual contendo uma fração dêste defeito, e deixe todos estes pequenos defeitos se confrontarem entre si e confrontarem ao mesmo tempo o grande defeito completo, na forma de sua espécie. Sendo vitima da injustiça é que um ser aprende a amar a justiça. Vendo sua tendencia errada nos outros, vendo seus efeitos errados, e sentindo na pele a dor desses defeitos, o ser se vê no espelho, v6e sua feiura e passa a desejar sua beleza. Assim uma unica Matrix/DNA que caiu na Terra por um erro cometido quando seu ancestral tentou ser sistema fechado em si mesmo, como galaxia soberana, foi dividida em bilhões de DNA’s biológicos… para retornar purificada dêsse defeito.

Se aproveitar da ingenuidade e debilidade de uma criança é covardia, e um crime! Principalmente quando o efeito desta exploração significa tortura e empecilho para a formação da criança. E todo individuo que “afirma” saber ou conhecer coisas invisiveis aos demais, sem prova-lo de fato, está cometendo êste crime contra essa criança mental que ainda é a Humanidade. E o que vemos tanto em Giordano Bruno ( se êle de fato disse aquelas palavras e daquela forma), como o que vemos e ouvimos a tôda hora da cupula católica e qualquer outra religião, é essa “afirmação” do invisivel, sem apresentação de provas factuais.

Porem, a Natureza é muito complexa, ela se abre num leque aparentemente sem fim de aspectos. Não é possivel a um unico ser humano buscar na Natureza todos os fatos que hoje estão à nossa disposição para conhecê-los. Por isso dividimo-nos em atribuições, em áreas especializadas, em disciplinas cientificas, em métodos filosóficos de montagem de todos os fatos coletados em quebra-cabeças que sugiram cosmovisões, visões do mundo. Em relação ao conhecimento dos fatos temos o método cientifico que bem ou mal tem conseguido controlar nossa evolução dentro de parametros naturais lógicos e racionais. Porem em relação às filosofias da imaginação nenhum controle global existe. Fica portanto a cargo do caráter dos individuos. Penso que um homem ou mulher de caráter benéfico e amante da Humanidade jamais lhe passa na cabeça mentir ou tentar influenciar/dirigir outras pessoas a seguirem suas crenças oriundas do seu jeito de montar seu quebra-cabeças visionario. Como tambem penso ser dever de cada ser humano de bom carater tentar participar das decisões relacionadas à escolha dos caminhos e destinos que a natureza nos apresenta sempre. Por isso tudo a palavra mais importante é “a minha teoria sigere que… “, ou, “a nossa teoria sugere que…” (quando expressar a crença de um grupo).

Não vejo estas palavras no que se alega acima ter dito Bruno e não as vejo em nenhuma outra organização religiosa. Mas vejo em todos o estado de “escapismo do trabalho real produtor com as próprias mãos ao menos dos produtos que consome”. Vejo predadores, parasitas, ambição por poder sôbre humanos. E vejo-os trocando suas técnicas por fôrça das circunstancias modernas: hoje não matam queimando em fogueiras como antes, matam queimando através de guerras. Não exploram a energia dos outros descaradamente como na escravatura, mas continuam escravisando através de instituições como o capitalismo e comunismo selvagens. Porem, como sugere a “minha teoria” – o êrro que vemos nos outros e nos deixam indignados é a visão de nossa própria imagem no espelho” – não vou ser tão burro de me açoitar a mim mesmo, agindo com violência para combater a violência encoberta em mim mesmo. Penso que tôdas estas teorias devem dialogar, trocar idéias porque cada qual foi por um caminho diferente e pode ter descoberto algo real que interessa a todos, mas deve ser um dialogo sem juizes humanos, sem coordenadores de mesas, pois o Inico juiz autoriado aqui é o conjunto de fatos reais ao qual denominamos “Natureza”. Tôdas as teorias deveriam, sempre que apresentar uma idéia qualquer – como as de que existem almas, deuses, disco-voadores, Matrix/DNA, etc. – e na impossibilidade de apresentar o fato real comprobatório, apresentar ao menos um outro fato natural real que sirva como parâmetro lógico, racional. A isto se chama “evidências”. Assim todo agnóstico, todo aquêle que não é radical fundamentalista numa crença particular ou grupal, terá a seu dispor os numeros de evidencias que cada cosmovisão apresenta, e claro, lógicamente, prestar mais atenção naquela cujo numero estiver na frente do páreo. A disciplina da Psicologia Cientifica deveria criar uma matéria n6esse sentido para ser incluida no curriculum escolar do segundo grau, se estamos interessados em evitar que seres humanos sejam doutrinados por predadores e mantenham seu pensamento livre para fazer sua escôlha.

( Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/reencarnacao/a-reencarnacao/#ixzz1rZNxQotw)

Phantomschmerzen: A dor fantasma dos membros amputados, explicada pela Matrix/DNA ou Espiritismo?

segunda-feira, abril 9th, 2012

Minha participação no forum da:

Superinteressante – Editora Abril

https://www.sac.abril.com.br/

FórumGeralCiênciaPhantomschmerzen

Hegner Kautsky
Iniciante

Hegner KautskyDesde: 23/8/2011 11:26:58
Posts: 4

Phantomschmerzen

Postado em 23/8/2011 11:37:16.

Phantomschmerzen
Por diversas vezes encontramos situações que é difícil compreender como isso é possível, uma dessas situações são as dores fantasmas, do alemão Phantomschmerzen, essa dor é originada em membros amputados, isso mesmo, membros que não existem mais fisicamente, mais ainda provocam sensações de dor nas pessoas.
Em princípio isso parece impossível, como uma pessoa que tem uma perna amputada abaixo do joelho, possa ainda assim sentir dor no pé desta perna que não existe mais, pelo menos no nível material, o que pode sugerir que existe algo que não é visível a olho nu, como as imagens Kirlian, que é uma bioeletrografia, que pode, em certas circunstâncias, registrar o campo bioeletrico residual de partes cortadas de folhas e até falange de dedos.
Isso mostra que mesmo após a amputação de membros, ou partes dele, o corpo físico, mantém uma espécie registo de backup das partes que faltam, o que pode explicar a dor em membros que não existem mais.
Outra possibilidade é mais voltada ao campo espiritual, o espírito não pode ser amputado como um simples membro, ele continuaria existindo em sua totalidade, como se nunca tivesse sido amputado, o que também pode explicar a dor fantasma.
Seja qual for o motivo, a dor fantasma é tão real para a pessoa, que ela pode quase que tocar a parte que dói, mesmo que isso pareça impossível.
Então não estranhe se alguém comentar que fulano deve estar maluco, porque sente alguma sensação em uma parte do corpo que foi amputada. Ela apenas sofre de Phantomschmerzen.
hegner@uol.com.br

xxx

Louis C. Morelli
Iniciante

Louis C. MorelliDesde: 29/10/2011 09:25:21
Posts: 4

site

Re: Phantomschmerzen

Postado em 9/5/2012 13:11:26.

Hegner, pense um pouco comigo: para que espiritos precisariam de pernas? Se existirem espiritos, porque teriam a forma dos humanos?

Mas a sua sugestão é racional: ( pode ser que) o corpo físico, mantém uma espécie de registro de backup das partes que faltam, o que pode explicar a dor em membros que não existem mais.

Existe uma nova teoria da existência que explica isso de outra maneira, porem conservando sua idéia do backup. Ela apresenta uma fórmula, que é semelhante a um diagrama de software, na qual todas as configurações de todos os tipos de sistemas naturais se encaixam, e o corpo humano é um dêstes sistemas naturais.

`A descoberta desta fórmula se juntou a pelo menos mais quatro investigações:
1) O que é o comando de instruções que opera o DNA? ;
2) O que é a “mente” que opera o cérebro? ;
3) Se o sistema galáctico tem a mesma configuração do sistema celular, qual foi o elemento emitido pela galaxia para organizar os átomos terrestres de maneira que produziu o sistema celular à sua imagem e semelhança?
4) A evolução está produzindo a mente humana, ou auto-consciência, pela mesma formula que produziu o cérebro humano?

O resultado destas quatro questões apontaram uma unica solução, que resolveria os quatro problemas e agora explicaria tambem a dor fantasma: se o ser humano, assim como todos os demais sistemas naturais, de átomos a galáxias, for constituido de hardware mais software. E que o software seja o diagrama apresentado na teoria.

A Teoria da Matrix/DNA diversas vêzes tem encontrado ressonancia de seus modêlos na doutrina espirita, mas como o método aplicado na teoria foi exclusivamente naturalista ou materialista, à medida que se aprofunda nas dimensões da Natureza ainda não elucidadas, nossas interpretações parecem diferirem, se separarem cada vez mais. São duas teorias e quem vai resolver isso certamente não seremos nós.

Evolução: Controvérsias com a Matrix/DNA

segunda-feira, abril 9th, 2012

Minha participação no forum da:

Superinteressante

https://www.sac.abril.com.br/

FórumGeralCiênciaLamarck não estaria certo?

luiz henrique becker moreira
Iniciante

luiz henrique becker moreiraDesde: 7/5/2011 14:21:00
Posts: 2

Lamarck não estaria certo?

Postado em 4/11/2011 02:25:30.

Gostaria muito que refletissem sobre essas minhas anotações:

Eu teimo comigo mesmo que haja alguma disposição do ser em procurar a desenvolver seu corpo conforme o ambiente o pede para isso. Isso pode ser um pouco Lamarckista da minha parte, mas temos de considerar. Como espécies se especializaram tão perfeitamente ao seu ambiente e às condições exigidas?
A Seleção Natural escolhe as melhores conformações, conforme Darwin. Mas os animais estão inteiramente alheios à aleatoriedade das mutações genéticas, as quais podem nunca os beneficiar. O que eu quero dizer é, conforme as acácias cresciam, pode ser que os ascendentes das girafas não acompanhassem o ritmo, não sofressem essas mutações, não mudassem, não se alterassem de modo a crescer o pescoço e poderem comer a planta. A não ser que o pescoço tenha crescido e depois elas tivessem feito uso dele alimentando-se das acácias, o que é muito difícil, pois não atenderia à lei de propagar somente o que é bom para a espécie, que se no caso as girafas se alimentassem de gramíneas ou arbustos, um pescoço longo não lhes serviria de nada.
A minha proposta para isso é que, de alguma forma que ainda não sei explicar, as girafas sabiam que necessitavam de um pescoço maior, e que por isso o corpo trabalhava a procurar modificações que lhe fossem benéficas.
Mudando um pouco de assunto, eu andei refletindo sobre as origens primordiais da vida, e me veio à cabeça: para formar tecidos, as células se agrupam. Suas relações recíprocas são baseadas no conjunto. Por que as células se agrupam? Por que as primeiras células se agruparam? Mas isso é pra outra anotação, visto a extensão do assunto.

Se alguém da super quiser ajudar aí, estou de braços abertos…

xxx

Mauro Bartolomeu
Iniciante

Mauro BartolomeuDesde: 2/3/2012 03:36:48
Posts: 3

Re: Lamarck não estaria certo?

Postado em 3/3/2012 21:44:07.

Luiz, o q a teoria da seleção natural refuta é justamente a necessidade de uma “disposição” dos seres vivos a se adaptar ao meio, primeiro pq o processo de seleção leva muito mais tempo do q a vida de cada ser individual, e depois pq nenhuma “adaptação” do indivíduo ao meio pode ser transmitida para as próximas gerações se não consistir numa mutação gênica. Ora, o indivíduo não pode alterar seu próprio genoma, de tal maneira q a evolução depende apenas das mutações aleatórias e da adaptação das espécies ao meio, em períodos de tempo extremamente longos.
É claro q muitas mutações produzirão características inúteis, a grande maioria delas fará isso. Serão muito raras as q produzirão vantagens adaptativas. E é justamente isso q permite a uma força cega, o acaso, gerar níveis cada vez maiores de organização (o q já aponta para uma resposta para sua última pergunta).

xxxx

Louis C. Morelli
Iniciante

Louis C. MorelliDesde: 29/10/2011 09:25:21
Posts: 3

site

Re: Lamarck não estaria certo?

Postado em 9/5/2012 12:28:34.

Existe uma nova teoria que sugere sua idéia tambem estar correta. O processo da evolução por essa teoria revela-se muito mais complexo do que o neo-darwinismo, e lamarckismo mais darwinismo são somados mas ainda incompletos para explicar o processo total.

Por exemplo, na explicação acima do Mauro, que é baseada no neo-darwinismo ou ainda na Grande Síntese, suas duas refutações podem ser anuladas se, como diz a nova teoria, tanto a biosfera, que é o agente selecionador natural, quanto os ancestrais da girafa, vieram de um mesmo ancestral comum, o qual foi o sistema astronomico existente momentos antes das origens da Vida. O esforço da girafa em alcançar a acacia faz expressar um grupo de genes que contem as caracteristicas para pescoço comprido, e este esforço coincide com o esforço da biosfera em reproduzir o ancestral comum, portanto na biosfera existe à disposição o mesmo mecanismo que pode ser ativado por qualquer de suas partes, como é o caso da girafa. A flexibilidade ou variação do tamanho do pescoço é um recurso que já existia na carga genética transmitida pelo ancestral comum: trata-se do encurtamento ou alongamento do circuito dos sistemas naturais.

Enfim, os fatos e eventos reais conhecidos e comprovados podem ser mentalmente arranjados pelos humanos de duas maneiras: uma, a de que exista o acaso cego como defendido pelo Mauro, outra, a de que a Evolução Biológica tem apresentado um propósito, tem sido dirigida porque estaria contida dentro de um processo maior, um processo de macro-reprodução de LUCA ( the Last Universal Common Ancestor). E LUCA é um sistema astronomico. A teoria do Mauro se esquece totalmente de como era o estado do mundo que produziu a Vida aqui, o qual realmente produziu a Vida aqui e não considera a possibilidade de que Evolução Biológica seja continuidade da Evolução Cosmológica. Pois a nova teoria fêz isso: analizar a Vida considerando o sistema natural maior onde ela existe e buscando as fôrças e elementos no passado que teriam atuado na sua produção.

Porque as células originais se agruparam? Porque as organelas se agruparam num sistema celular? Porque os sistemas estelares se agrupam num sistema galáctico? A fórmula da Matrix/DNA, que é a base da nova teoria explica isso de maneira que satisfaz minhas exigências intelectuais, o que não quer dizer que seja a Verdade e que vá satisfazer as suas, mas é interessante dar uma olhada nessa teoria. Afinal de contas foi elaborada aqui mesmo, por um brasileiro estudando a selva amazônica.

Divulgação do Website: Lista do que já foi realizado:

segunda-feira, abril 9th, 2012

- Em Maio, 08 de 2012 –  Outlook e-mail mandado à Abril Editora – Veja sugerindo publicação de meus arti tendo como base o artigo “Numa conferencia Internacional gato ensina…””- http://theuniversalmatrix.com/pt-br/artigos/?p=4062

Ver se Outllok mandou o e-mail e se há resposta no imbox de austriak727@hotmail.com

xxxx