Archive for junho 8th, 2012

Homem Criando Deus, Tema que Está Despertando ampla Discussão no Facebook

sexta-feira, junho 8th, 2012
Homem Criando Deus

Homem Criando Deus

E a Matrix/DNA já rápidamente participou lá com breve comentário e registra aqui para retornar e analizar todos.


  • Louis Charles Morelli É… mas ateísmo é a face esquerda do teísmo. Ateísmo é a falta de preguiça em provar as origens da vida com”provas ilógicas”. Seria até melhor terem tambem preguiça do que se esforçar no caminho errado.O ateísmo está se baseando numa cosmovisão pseudo-cientifica onde a Evolução Cosmológica seria separada da Evolução Biológica. Nada mais ilógico. Quando tentamos unir as duas, surge uma nova possibilidade lógica, inclusive a possibilidade da existência de uma auto-consciência suprema diferente de todos os deuses e não-deuses imaginados, como se vê na Teoria da Matrix/DNA

Warren Bufffet se Comporta Como um Vegetal.Tragédia Mental.

sexta-feira, junho 8th, 2012

A galáxia espalha ao léu as sementes da vida e a sorte de cada árvore depende do terreno em que caiu. Mas se existisse tambem um sobrenatural criador e distribuidor de “almas”, a caótica biosfera terrestre onde estas almas caem, seria evidência que tambem as almas são espalhadas ao léu, e sua sorte dependeria das qualidades do local de seus nascimentos como humanos.

Árvores cujas sementes caíram na melhor seara  recebem o crescimento do seu corpo gratuítamente da Natureza, o alimento lhes vem gratuítamente pela fotossíntese, se desenvolvem rápido abocanhando mais território à sua volta. Árvores cujas sementes caíram nos cascalhos consomem o tempo buscando sobreviver e fazer crescer o próprio corpo, dirigem tôdas suas fôrças para aumentar a capacidade de fotossíntese da pouca energia que recebem, não tendo como lidar com crescimento de território.

Árvores de sorte rápidamente se tornam frondosas e esticam o máximo possível seus tentáculos e sua copa verde, para abocanhar maior quantidade de energia solar, indiferentes se estão invadindo o espaço e absorvendo a energia solar das pequeninas árvores no solo. Ao mesmo tempo as árvores de sorte esticam suas raízes subterraneas para sugar os nutrientes dos territórios conquistados, sugando assim nutrientes das árvores de azar, até suas mortes.

Se os homens tivessem almas, Warren Buffet seria uma das almas de sorte. Caiu em rica seara, lutou por abocanhar mais território, usurpou a energia e os nutrientes de todos os pequenos à volta. Mas, insaciável, ainda absorve tôdo o ar carbonico que pertence às almas de azar, mais distantes, tornando seu, todos os territórios. O resultado é êste que estamos vendo: enquanto nós, as almas de azar, estamos perdendo nossas casas e emprêgos, pensando que o dinheiro desapareceu, Warren Buffet revelou onde foi parar todo o dinheiro, ao mostrar que tinha em seus depósitos 10,5 bilhões de dólares para comprar ações da IBM, e outro tanto para comprar uma inteira estrada de ferro.

Warren Buffet

Warren Buffet

Em têrmos de sentido existencial, de essencias primeiras e verdades ultimas, de significados, existe diferença entre Warren Buffet e um vegetal?

Nenhuma!

Mas não era minha intenção criticar Warren Buffet, e sim, expremer a mente para tentar encontrar algum tipo de reação para uma árvore de azar como eu contra as agressões das árvores de sorte. Sim, tambem estou descobrindo que não existe diferença de essencia entre eu e uma árvore, da espécie das raquíticas, enquanto tenho me comportado sem reação inteligente.

A diferença aparente entre humanos, quaisquer animais – pois tôdas as espécies se comportam como vegetais, divididas entre predadores e prêsas – como disse, é apenas aparente. Baseiam-se os que dizem haver diferença existencial, num elemento abstrato, invisivel e intocavel, que denominam “inteligência”. Outros ainda vão alem e se saem com outro nome, “mente”, a qual seria um fator de diferença existencial. Sem pensar naqueles misticos que disseram que existe um criador e distribuidor de almas ao léu, mas êstes foram cegados a ponto de não enxergarem os resultados finais. Mas onde está êsse elemento, o que estaria fazendo, se a realidade está demonstrando que os comportamentos de árvores, animais e humanos, são idênticos? Sim são idênticos para o observador exigente que se situa num patamar elevado, subindo nos tôpos das montanhas e dos edificios,  para de lá ter uma visão geral mais completa, observar e analizar os resultados finais das existências na superficie da Terra.

Para êste observador, de nada adianta o argumento de que Warren Buffet abocanha territórios, energias e nutrientes, aplicando manobras “inteligentes”. O resultado final é o mesmo da árvore que abocanha territórios, energia e nutrientes. Então se Warren Buffet aplica inteligência em seu método, não há sentido lógico em se dizer que a árvore de sorte não aplica um método inteligente para obter seus resultados.

Sorte e azar no momento do nascimento cabem exatamente como definidores da existência de ricos e pobres, vencedores e perdedores. Significa que a arena onde ocorrem nascimentos funciona como um cassino, onde impera o acaso, e não a vontade, ou capacidade, dos jogadores. Inteligência nada tem a fazer em cassinos.

Existe sim uma diferença, porem mais uma vez, o autor dela não é o individuo que a possui, e sim novamente, uma vez mais, é resultado da insensibilidade da Natureza criadora. Esta possui uma quase infinidade de informações, cujas unidades fundamentais são materiais ( que sejam partículas, ondas ou vórtices) com diferentes formas. Não existe uma unidade de informação exatamente igual à outra na forma, uma onda ou partícula igual a outra, assim como não existe dois seres humanos exatamente iguais. E ela chama-se unidade de informação exatamente por isso: informação é o que impõe, transmite, projeta, uma forma, expressa a sua forma, à massa material. Estas unidades estão espalhadas por todo tempo e espaço, mas existem regiões, como a superficie terrestre, onde, enquanto muitas se expressam, outras continuam flutuando, mas estas sempre buscando uma vaga para entrarem e se expressarem tambem. É com o tempo que vai aumentando a agregação de mais partículas trazendo novas formas e a êsse processo resolvemos por bem denominar de “evolução”, com “aumento de complexidade”.

Esta diferença entre humanos, animais e árvores realmente existe, mas é uma diferença de complexidade de certas características, e não da característica denominada “inteligencia mental”,  ou de sensibilidades, de consciências… pois a realidade nua e crua revela que todos continuam a se comportarem exatamente iguais nos seus objetivos finais.

É justamente aqui que se abre um canal de esperanças para nós, as árvores de azar, encontrar uma maneira de defender-nos da vampiresca árvore da sorte, e até quem sabe, conseguir tambem conquistar um naco de território, de energia livre, de nutrientes.

Talvez o processo da evolução, do acréscimo de complexidade, esteja aberto ao infinito. Se sim, talvez tambem o próprio fenômeno denominado “comportamento” tenha chances de evoluir. Se não evoluiu enquanto as demais caracteristicas vieram evoluindo entre vegetais, animais e humanos, sugere-se que as informações relacionadas à evolução do comportamento estão rondando por aqui mas ainda não conseguiram entrar no nosso contexto material, ainda não encontraram uma brecha por onde penetrarem e se expressarem.

Bingo! Algo está “endurecendo” animais e principalmente humanos, algo que tem impedido a penetração destas informações. Elas estão no ar, flutuando ao léu, pois assim a Natureza as faz ( ou elas, as unidades-informação, no seu conjunto, fazem a Natureza total. Mas isso não nos importa agora).

O que é que está endurecendo nosso mundo humano, e como amolecê-lo, como agarrar estas informações que se parecem borboletas a bailarem no ar? Um acontecimento recente de espionagem entre nações pode ser a fonte de uma boa idéia nêste sentido. O Irã tem em seu país uma quantidade de informações que são desejadas por outra nação estrangeira, adversária. Estas informações estavam dispersas numa nuvem pairando sôbre o Irã, a chamada nuvem cibernética da Internet. Pois a nação adversária conseguiu inocular um pacote de informações naquela nuvem, o qual atrae e captura as informações desejadas. Tal tipo de pacote informacional em código é denominado “virus” ou “malware”, nomes pejorativos porque pervertida era a intenção da nação invasora, intenções que criam e alimentam conflitos dentro da espécie humana. A intenção é de uma guerra entre árvore de sorte que busca fragmentar uma capacidade de resistência de uma pequena arvore de azar que  se localiza em território que a arvore de sorte entende lhe pertencer. O Irã aumenta seu fator de azar quando tenta conservar para si, pelo boicote ou encarecumento de prêço, um nutriente que está em seu local, denominado “petróleo”. Mas o que nos interessa aqui é que estamos descobrindo que existe um método para amolecer nossa rêde, abrindo brechas nela, e ao mesmo tempo exportar informações nossas, que atraem e capturam e fazem as informações desejadas atravessarem estas brechas.

Existe uma diferença entre nossa intenção e a intenção do adversário predador do Irã. Nós não somos árvores de azar querendo reduzir a agressão das árvores de sorte ao conter seus crescimentos. Isto seria estupidez. Isto aumenta um conflito interno dentro da espécie prejudicando a todos, como se prejudicam os que estão em estado de guerra permanente. Seria estupidez fazer esforço no sentido de nos prejudicar ainda mais. O nosso alvo é recuperar o atraso de uma das arestas da evolução natural, da região onde localiza a característica “comportamentos”. Esta região está vedada, impermeável, e se comparamos a evolução com uma célula, imaginamos uma parte da membrana da célula que não está permitindo a passagem de nenhum elemento, nem para entrar, nem para sair. Mas aprendemos agora que existem virus, que quando se assentam nesta região da membrana, conseguem abrir uma brecha, inocular suas informações, e depois sair em grande numero levando quantas informações quiser.

O primeiro problema é que da mesma forma que virus atuam a nivel microscópico, quase inacessivel a nós, as informações naturais pertencem a um nivel, a uma dimensão, mais inacessível ainda. Nem mesmo temos muita idéia de como é isso, conhecimento quase nenhum. Mas temos uma maneira de começar a abordar esta região e manipular as informações que estão no nosso nível, de expulsar daqui as informações que sabemos contribuir para endurecer esta região da membrana. Talvez tenhamos uma transcendente recompensa ao descobrir que as informações expulsas daqui não apenas abrem uma brecha, como tambem ao penetrarem no reino das informações desejadas, atraiam-nas para cá. Estou falando de informações do comportamento das árvores de azar. São informações que estão aqui, dentro de nós, e que precisamos exorciza-las de nós, e expulsa-las daqui. Podemos reunir em pacotes e definir em conceitos estas informações de comportamento indesejadas que vieram dos vegetais e dos animais ancestrais e teimam a ficarem agarradas como carrapatos em nós: pacotes como “sexismo” e suas derivações como machismo e feminismos, os cultos das divas do sexo, ou suas instituições como casamentos e familias nucleares, pacotes como dispersores mentais aplicados pelas árvores de sorte para anular a capacidade de resistencia das árvores de azar, tipo “pão e circo para o povo”que se desobram em futebol social, novelas, modas de objetos de usos, etc. Temos que dirigir nossas poucas energias mas com todo vigor possível na batalha para exorcizar estas informações arraigadas nos humanos deserdados e expulsa-las de nossa pouca atmosfera livre, sem que os humanos predadores se apercebam e possam fazer qualquer coisa para nos interromper. Enquanto não tiver-mos mais informações sôbre o invisivel e inacessivel reino das informações naturais, é o minimo e indispensável que podemos fazer por ora. Por isso os leitores dêste website, que, segundo os registros de acessos, se espalham em bom numero por todo o planeta, estão de vez em quando deparando-se com artigos aqui, como êste mesmo,  estranhos ao caráter naturalista cientifico da Teoria da Matrix/DNA e arrolados na categoria “A Grande Causa da Humanidade”: os próprios modêlos teóricos, a inteira cosmovisão da Matrix, estão sugerindo que façamos êste esforço, por ora. Os modêlos sugerem que a Evolução está aqui sugerindo ter um propósito, o de desenvolver os cérebros humanos, para que sirvam como material placentário de boa qualidade para facilitar o nascimento da auto-consciência universal, a qual, esta sim, será a diferença entre sentidos existenciais, finalidades supremas, hábil a apresentar um novo tipo de comportamento diferente do comportamento de vegetais e animais, um comportamento que se pode dizer finalmente, “inteligência”. Não procure inteligência nos predadores como Warren Buffet, nem os tente imitar, nem os admirar: a inteligência está muito aquém dêle. A prova é a evidencia da realidade: se comportam exatamente como uma árvore.