Archive for março 23rd, 2013

Mais uma experiencia fortalecendo a Teoria da Matrix/DNA de que a Luz imprime o codigo da Vida na materia!

sábado, março 23rd, 2013

Domina o pensamento cientifico moderno a crença de que a Vida surgiu simplesmente de reações químicas da matéria inanimada. Essa crença comanda os rumos da Ciência e inspira os tipos de experimentos visando comprova-la. E geralmente se acha o que se procura… ou ao menos o que se parece com o que se procura. A Ciência só acha algo fora dessa visão de mundo, algo que não estava procurando, por acidente. Portanto, se houver a crença de que o mundo é cor de rosa, vai-se descobrir em todos os níveis da evolução tudo o que é cor de rosa e monta-se um Universo inteiro e funcionando, pensando-se que se descobriu tudo, enquanto tudo o que for das outras cores e o real completo funcionamento, será ignorado. É por isso que Hawking levou a matemática numa direção ao extremo que terminou por ver apenas o buraco negro que se forma dentro de qualquer vórtice no espaço. Nesta experiência aqui relatada, temos um notável exemplo de como ignoram o que foi o mais importante resultado.

Scientists Create Near-Living Crystal

http://myscienceacademy.org/2013/02/18/scientists-create-near-living-crystal/

A experiência agora, na tentativa de ver vida surgindo da não- vida, consistiu no seguinte:

Pegaram hematita (um composto de ferro e oxigênio) como as partículas básicas, e adicionaram um polímero esférico “coat”. Em seguida aplicaram luz azul nessa mistura, e as partículas começaram a se moverem, primeiro se separando e depois se reunindo numa maneira igual se comporta  as moléculas e matéria viva. No link acima apresentam um vídeo filmando a experiência.

Os cientistas disseram que o objetivo era “estudar como comportamentos complicados coletivos emergem de simples propriedades individuais. Agora nós mostramos que com um sistema ativo simples podemos reproduzir algumas características de sistemas vivos”.

O QUE DIZ A MATRIX/DNA

Antes de minha análise, é preciso corrigir um grave erro. Não foi mostrado um “sistema” ativo, e sim, apenas um processo. Sistema é algo muito mais complicado que simples atração ou rejeição entre elementos, sistema e um conjunto de partes conectadas exercendo todas as funções universais… as que também imprimem o ciclo vital nestes conjuntos. Acertado isso, a conclusão dos cientistas sobre o experimento chegaria a ser irônica, se não se tratasse de nossos heróis e seus equívocos. Estão vendo apenas a mistura, seus elementos, e ignorando o instrumento que esta penetrando as partículas e movendo-as segundo seus desígnios: a luz azul!

A luz azul é apenas uma das faixas de frequências de um raio incidente de luz, portanto, ela fará todas as substancias vibrarem na mesma frequência depois que vencer as vibrações especificas anteriores que dominavam cada substancia, por isso primeiro ela separa. E depois as junta numa mesma sintonia. Como as sete principais propriedades da Vida são produtos das sete principais frequências da luz, esta claro que o composto apresentara uma propriedade vital, mais as propriedades que porventura já existiam nas reações químicas mais simples.

Repete-se agora a mesma cena que aconteceu comigo na selva amazônica 30 anos atrás. Enquanto os químicos positivistas e eu estávamos ajoelhados no chão movendo a lama de pântanos procurando o cepo primitivo comum que deflagrou a vida na Terra, notei que a luz do sol me queimava os miolos e não podia deixar de pensar nela. E então comecei a pensar no quanto a luz influi na vida, quanto ela incidia naquela lama, levantei os olhos para o céu e num estalo vi o cepo. LUCA, o Last Universal Common Ancestor era gigantesco e estava no céu, e não no pântano. Agora também estão se se esquecendo de ver a luz, o mais importante elemento na experiência.

Foi sem duvida um grande trabalho e estamos agradecendo mais este grande passo na busca de conhecimento da Humanidade. Mas enquanto o pensamento moderno cientifico comemora porque acredita que isto fortaleceu sua teoria, nos, da Matrix/DNA, comemoramos porque também cremos que fortaleceu a nossa teoria. Não importa que sairá perdendo: o que interessa é que a Humanidade saiu ganhando.

XXXXX    XXXX

A seguir copiamos o artigo para futura analise item por item.

by Sarah Nicholls, Physicists at NYC University have this month published the results of their experiment on the lifelike behaviours of a newly-synthesized chemical compound. The scientists’ aim was to investigate self-organizing collective behaviours such as those seen in flocks of birds and schools of fish. They stated that the goal of the work was “to study how complicated collective behaviors arise from simple individual properties”.

Taking hematite (a compound of iron and oxygen) as the particle basis, they added a spherical polymer coat. Leaving a corner of the hematite particle exposed and subjecting the compound to blue light, the particles began moving, breaking apart and reforming in a ‘lifelike’ manner. The physicists have uploaded this clip displaying the behaviour of the “light-activated colloidal surfers.”

One of the physicists involved, Chaikin acknowledges that a definition of life is a difficult one to make. He comments that one definition of life is possessing metabolism, the ability to self-replicate and the ability to move and that the ‘colloidal surfers’ satisfy two of these criteria. They lack only the ability to self-replicate. Fellow physicist Palacci highlights the blurred boundaries between what can be classified as ‘living’ and what may be called ‘not living’ when he says “Here we show that with a simple, synthetic active system, we can reproduce some features of living systems…I do not think this makes our systems alive, but it stresses the fact that the limit between the two is somewhat arbitrary.”

With a better comprehension of the process at work, scientists could create new and improved materials. Substances including paint, milk, gelatin, glass, and porcelain are all made up of colloidal dispersions and could potentially be organized in a biological manner. This process could also be implemented in the make up of electronic products.