Fantástica indicação da previsão da Matrix/DNA sobre “dois processos para formação de galáxias”?

xxxx

http://www.pnas.org/content/early/2018/06/04/1720167115

Neste paper da PNAS, pela primeira vez vejo mencionado   com grande insistencia os termos “first generation”, and “second generation” referindo-se a nebulosas estelares e pre-condicoes de formação do sistema solar. Assim de chofre sem ler cuidadosamente o paper, estou entendendo que separaram a formação destes sistemas em duas fases porque numas amostras de material interestelar so’ aparecem moléculas e elementos nao-organicos, e em outras amostras aparecem estes ingredientes acrescentados de carbono organico…! Isto e’ fenomenal para o modelo teórico astronomico da Matrix/DNA.

Primeiro porque fui o primeiro ( a 35 anos atras) a sugerir como resultados dos meus modelos que – assim como a célula vital teve duas fases ou dois processos diferentes de formação ( a primeira quando formou a primeira célula e a segunda quando a célula aprendeu a se reproduzir e formou todas as outras posteriores – também a formação de galáxias e/ou sistemas estelares tiveram dois processos de formação, pelo mesmo motivo. Como na teoria tratamos da formação do building block de galáxias, não pudemos ate hoje calcular como teria sido a transformação da primeira para a segunda fase, pois isto envolveria um estudo químico muito complexo e detalhado. Com isto ficamos sem afirmar um modelo de formação da Via Láctea e do nosso sistema solar, por não saber-mos se pertencem `a primeira ou segunda geração.

Se nos debates e fóruns da Internet em que participei esta alusão a dois processos de formação produziu nos interlocutores discredito, incompreensao e ate’ ironías, acontece que eles ainda nao sabiam destes recentes estudos e revelações dividindo as gerações pela Ciência Astronômica Oficial.

Outra grande e espetacular possibilidade que surge com estas recentes descobertas vai de encontro com outra sugestão feita a 35 anos atrás: a de que os sistemas astronômicos são internamente exclusivamente físicos e mecânicos, porém já apresentam uma cobertura de organização orgânico-biológica da matéria, a qual evoluiria para os princípios da origem da vida. Quando eu dizia isto então, os ouvintes iam ao delírio do criticismo. Pois neste paper se descobre que o carbono organico ja existia nas nebulosas pre-solares de segunda geracao e inclusive era forte catalizador na agregação de grandes compostos de elementos inorgânicos.

E para quem não percebeu ainda, a propalada transformação do inorgânico para o orgânico que sempre e’ acreditada nas teorias das origens da vida existentes, pode estar errada, e pode estar certa a minha teoria quando sugeriu ha’ 35 anos atras que esta transformacao se deu fora e antes da formação da Terra. Assim como a minha teoria está sugerindo que a teoria evolucionista darwiniana esta demasiado incompleta porque  a evolucao biologica neste planeta foi e e’ afetada por variáveis vindas da evolucao cosmologica ainda desconhecidas de quem não conhece a minha teoria.

Um dos textos do paper referindo-se a duas diferentes gerações:

” We interpret these observations as evidence for two sequential generations of aggregation, possibly in different environments. GEMS are thus first-generation aggregates in which subgrain mantles may have played a role in the aggregation (or accretion) process. The second generation of aggregation involved sticking of GEMS grains, crystals, and nanoglobules, also perhaps facilitated by a second generation of mantles, to form the aggregate structure with organic matrix observed in cometary IDPs…. 

Espero que tenha tempo, condições financeiras e disposição para retornar a este paper com link acima para fazer uma detalhada pesquisa nos papers derivados e relacionados ao tema. São centenas, milhares de indicações, evidências, como estas, que me fazem suspeitar que realmente a minha teoria tenha uma forte conexão com a realidade da natureza universal…

Tags: , , ,