Atue para Diminuir os Defeitos de Gestação das Mentes na Terra (Atualização 1)

Vamos tentar, pela primeira vez na nossa vida, um bate-papo sério a nível apenas mental? Vamos supor que na sua existência como uma “mente”, você é um prisioneiro algemado e acorrentado dentro de uma cela escura, e eu sou o prêso de sua mesma espécie ocupando a cela vizinha? A cela é essa caixa craniana que nos parece estar-mos dentro. Você concorda em continuar êsse bate-papo através destas grossas paredes, nêsse silêncio eterno e nesta escuridão?

Nos raros momentos que posso escapar desta louca e insana correria, faço uma pausa me isolando do mundo, me sento e fecho os olhos. Tento sentir a existência. Tudo escuro, não tenho nenhum sentido de percepção próprio funcionando, uma sensação incomoda de impotência total. O que sou, o que é esta existência? Sou um pensamento, porem, como tal, não sinto ter um corpo, e, pior, não tenho nem olhos para ver nada nessa escuridão. Por que existo? Tem algum sentido criar uma mente e expô-la a esta absurda situação? Você tambem faz estas pausas escapando inclusive do seu corpo carnal? Experimente agora. Você sente a mesma coisa?

Somos 7 bilhões de porções, bôlhas mentais, e aqui a divisão dos povos pela Tôrre de Babel funciona perfeitamente: não só divide uma espécie em grupos pela linguagem, mais ainda, divide-os individualmente, cada um se torna mudo e sem idioma. Aliás nem grunhidos mentais tentando comunicar algo, nem sinais, a não ser os precários, ensaiados através do corpo carnal. Somos, mentalmente, 7 bilhões de seres vivendo na mais absoluta solidão e isolamento.

Vamos tentar nos comunicar nesse nosso nivel mental através das grossas e pesadas paredes que existem entre nós? Para tanto temos que esquecer o nivel de comunicação carnal comum entre nós humanos. E graças ao não sei o quê ou quem, existe a nuvem da Internet, que permite uma iniciativa de comunicação a nivel mental. Eu estou começando a falar primeiro, portanto vou tentar me apresentar. A seguir vou ficar esperando que a sua voz mental fale e tente se apresentar. Então vamos saber se realmente somos iguais, se temos algo em comum, principalmente se podemos nos ajudar em algo para amenizar a terrível situação em que eu acho nos encontramos. E você? Também está insatisfeito com essa existência mental nestas condições?

Você assistiu o filme “The Matrix”? Pois eu penso que como mente estamos existindo quase igual aquêles corpos humanos dentro das capsulas. A pouca diferença, na minha opinião, está na interpretação do que é a “Matrix”: para mim ela tem uma face e esta face é tal como a fórmula/software que apresento no meu website, é apenas a alma real de um nosso ancestral longínquo mas que ainda domina nosso meio-ambiente e nosso código genético através do grupo dos genes egoístas. Na minha cosmovisão, a Matrix é o lado negro do nosso próprio ser. Mas ainda temos uma chance, pois a mente é uma nova forma transcendente dessa alma da Matrix, com novas informações naturais que vieram de fora dessa Matrix, é um fenômeno emergente do cérebro humano, e apesar de muito débil, tem ainda um pouco de livre-arbitrio, de fôrça contra o grupo de genes, e um enorme potencial para vencer o lado escuro da fôrça negativa da Matrix/DNA. Assim, eu sou agora como o hacker, Nero, entrando no seu computador e te chamando para nos unir-mos para a luta pela nossa liberdade. Mas não acredite em mim, sou tambem um cego mental ainda e não quero ser o responsável por mais desgraças para ninguem da minha espécie. Esteja atento e só tome providências depois de muito pensar.

Deixe-me descrever. Deram um nome ao que sou, enquanto sou êsse algo que sente a existência: mente. Pareço uma nuvem abstrata e sem forma, sem consistência concreta. Parece que tenho fios de algo, holográficos ou energéticos, ou como um feixe dêstes fios dentro de um cabo parecendo um cordão umbilical, que é a corrente que me prende aos grilhões da cela, quer dizer, aos neurônios do cérebro, o qual tem ramificações, nervos, se extendendo por um corpo carnal, e tem sentidos de percepção para perceber o mundo externo. Porque? Para que existo assim, porque iria querer um corpo animal e um mundo material que nada tem a ver comigo? Você tambem se faz estas perguntas?

Para resumir:

Quando busco nas Ciências o que se sabe ou se vê do pensamento no meio da massa de neurônios, como é a conexão entre neuronios e pensamentos, me saio com uma imagem: a de uma nuvem onde não para de pipocar raios que se ampliam ramificados, às vêzes curtos em regiões periféricas, outras vêzes se extendendo por várias regiões, e quanto maiores ou mais intensos maiores são os relâmpagos. Sempre tem raios acontecendo, não pára nem mesmo quando estamos dormindo, por isso me parece que a “mente” é isso, um conjunto e uma continuidade de raios e seus relampagos. Existem muitas teorias e outras imagens, bem o sei, inclusive as que sugerem algo holográfico, outras avançam na imaginação para sugerirem almas, espiritos, mas para mim, fico no que se tem de concreto, registrado nas telas dos sensores: sinapses produzindo correntes de energia e clarões. Mas sou um filósofo naturalista e por isso não consigo deixar de procurar conexões evolucionárias entre fenômenos naturais. Então penso que a mente é algo novo no Universo, ao menos aqui nestas regiões da Via Láctea, ela surgiu apenas ontem em relação ao tempo astronomico. Nessa linha de meu modo de raciocinar, o surgimento damente tem que ser algo natural, tem que seguir o mesmo padrão comum a todos os surgimentos que penso ter detectado em, desde átomos a galáxias a células vivas. E esta imagem de nebulosa pipocando raios e relampagos não bate com o meu modêlo preferido de emergencias de novos sistemas naturais. Por exemplo, na origem do Universo havia alguma substancia etérea em um lugar do mundo na qual pipocavam vórtices e daí se manifestou a matéria. Tento visualizar um modêlo onde a imagem que temos da mente se acomode com esse padrão das origens, não conseguí ainda, então fico na expectativa, suspeitando que existe algo mais ocorrendo dentro do cérebro que nossos instrumentos cientificos não estão captando. Por outro lado, influenciado pela fórmula teórica da Matrix/DNA, suspeito que a mente seja uma nova emergencia natural de um nova forma do sistema natural universal que vem evoluindo desde antes das origens do Universo. Se assim for, estes raios e relampagos são as primeiras manifestações, pulsações latentes, que tentam se fixarem como estruturas, partes, de um sistema no mesmo modêlo da fórmula. Por isso tenho ainda que obter mapas do cérebro, tentar identificar os componentes do cérebro nas funções da fórmula e acreditando que cada parte, cada glandula, cada região docérebro produz seus raios específicos, diferenciados, como protótipos do que um dia virá a ser um dos órgãos do “corpo” manifestado e completo da mente. A coisa tôda se complica ainda mais quando me lembro que essa propriedade da mente como algo abstrato mas com uma fôrça para atuar e influenciar a matéria sugere que ela seja a ultima forma evolucionaria da face de software da fórmula da Matrix. Em teoria tenho o modêlo padrão de formação de hardwares, como é o Universo material, as galáxias, os seres vivos, mas quanto ao modêlo de formação de softwares naturais quase nada tenho, apenas a idéia de que êles se reproduzem com o genoma sem estar cerrado num saquinho cromossomico, com suas informações dispersas no tempo e espaço (modêlo do salto do software astronomico para software do sistema celular vivo). E isso explicaria como a mente é algo que vem de fora da Matrix, parece que de uma mente cósmica totalizante, pois suas informações, seus bits-genes, estariam espalhados no espaço acessíveis a quem esteja hardwareamente preparado para capta-las e assim se sobrepor às fôrças indesejáveis do egoísmo da Matrix. Esta hipótese reforça a idéia de que talvez hajam mentes adultas nos assistindo no nosso berço, à distância. Mas posso estar tôdo errado, nunca me esqueço que sou ainda um débil e precário bebê mental, e por isso preciso saber o que todos pensam a respeito, duas mentes amigas se aproximam mais da verdade que uma mente isolada, muitas mentes associadas se aproximam ainda mais, e preciso avançar nessa busca. E você, qual sua imagem dos pensamentos, estás interessado(a) nesta busca?

Concluo que como mente sou igual a um embrião dentro do escuro utero, ou quando muito, talvez um bebê recém-nascido que ainda nem sequer abriu os seus olhos próprios para ver por si mesmo. E é baseado nessa minha “verdade provisória”, nessa unica explicação, a qual satisfaz minha necessidade de lógica e razão por enquanto, que vou me mover, atuar, mesmo para evitar o pior enquanto estou assim, com meu corpo carnal sendo levado ao acaso pelo vento da vida ao léu. Você tambem têve esta conclusão? Como é a sua “imagem” da mente?

Sou ainda um embrião mental ou já nascí e sou um baby de berço? Essa pergunta estou sempre me fazendo. O fato de eu não sentir corpo mental algum sugere que sou um feto em formação ainda, que sou de uma substancia etérea que está se organizando no mesmo modêlo da formula da Matrix/DNA, mas o fato de ter consciência de existência e ver o mundo através de uma janela carnal parece que já saí do ambiente uterino e estou num berço como uma cela – a caixa craniana. Ou um ovo, um cocoom.

Percebo o espaço e o tempo e as coisas que êles contem, mas com sentidos muito precários, pois só vejo aparências dos corpos, e num horizonte muito limitado, apenas as coisas que estão ao meu redor. Você tambem é assim?

Para ter algo em que acreditar e ter motivos para desejar continuar existindo assim e não me suicidar agora – preciso de um ideal mental, e não simplesmente o animalesco ideal de conduzir o corpo ao seu supremo estado de bem-estar. Você tambem está nêste estado? Ou consegues se anular existencialmente como mente e viver apenas o momento presente do corpo carnal? Bem, se sim, você já está se retirando dêste texto, não tens nenhum interêsse neste papo. Eu não consigo e invejo os que conseguem. E você?

Eu elegí como alternativa mais lógica e racional o método de responder às minhas perguntas mentais com respostas extraídas das minhas experiências no mundo material. Quer dizer, tôdas explicações que vou dando como prováveis são baseadas em parâmetros que encontro ao fazer comparações entre o eu mental e o eu carnal mais o mundo externo. Por isso estou falando dêsse negócio de embrião, baby, cela escura, prisão: são tudo coisas que capto através dos neurônios como existentes na realidade. Acho que essa é a alternativa correta, pois que outro recurso eu teria para formular explicações? Me apegar às produções da minha mente trabalhando sózinha e por si mesma dentro da cela escura? A êsse método chamo de “imaginação” e não o aprecio, acho que nos apronta muitas armadilhas e é um método ineficaz. O que você acha do meu método? Você tem outro? Qual?

Um importante parâmetro para mim é o que acho que aprendí com as nossas deduções de certos processos do mundo real. É importante porque esse parametro me dá uma certa paz e mais fôrça para aceitar o absurdo dessa existência mental. É o seguinte:… Tôda vez que a Natureza desenvolve um novo nivel de sistema natural ela aplica uma sequencia em duas fases. A primeira é a dos ovos botados fora e a prole abandonada á própria sorte; a segunda, o feto e o embrião, às vêzes até mesmo o nascido e com alta idade, é mantido dentro e alimentado e protegido. Nos sistemas biológicos aconteceu isso: das bactérias aos répteis os ovos foram botados fora, mas aí evoluiram para mamiferos onde os ovos ficam dentro e as crias são até cuidadas enquanto bebês. Na espécie humana os novos sistemas são cuidados até a maioridade. Êste processo adquiriu muita importancia no meu pensamento quando achei a fórmula da Matrix/DNA, a qual revela que os astros no nosso ancestral sistema astronomico já apresentava as duas fazes: um astro é gerado dentro de um buraco negro, é ejaculado como ovo botado fora e perambula pelo espaço de poeira estelar congelada, mas a seguir é absorvido na órbita de uma estrêla e alimentado e protegido até sua maioridade sexual. Sempre considerando que a Matrix/DNA ainda é apenas uma teoria – mas com muita força explicativa – encontro aqui uma explição para minha absurda existência mental atual: como mente estou na fase de ovos botados fora, portanto sujeito aos acasos e tôdos os predadores e tragédias que ele pode trazer.

Mas nosso ancestral astronomico, na verdade nunca botou os ovos fora, pois enquanto o baby está vagando no espaço, o espaço está dentro do corpo do seu sistema gerador. Será que como sistemas biológicos tambem vai ser assim, no final? Será que na verdade, desde as bactérias, passando pelos répteis, chegando a nós, esta nova forma de sistema nunca foi de fato abandonada?

Seja como for, vou seguindo meus parametros e então me lembro que, mesmo ainda na forma de feto ou embrião humano, existem seus semelhantes adultos lá fora conscientes de sua existência e movidos a cuidar de sua existência. Na forma de recem-nascido, os adultos o mantem confortavelmente instalados numa casa e num berço, tentando protege-lo o maximo que podem. E aqui a grande pergunta:

Será que você, mental, não terá, na sua dimensão, seja energética, holográfica, ou outra coisa inimaginavel, outras mentes adultas te observando, conscientes de sua existência, e tentando melhora-la na medida de suas capacidades ?! Se tiver, lembre-se que existe, entre você mental/carnal e as mentes superiores alienígenas, o seu “eu” cósmico, que é a Matrix/DNA. Como será as relações entre as mentes superiores à nossa se de fato existem), e a Matrix? Lembre-se que a Matrix/DNA, no seu aspecto egoísta de sistema fechado, é você mesmo(a), pois foi uma opção de sua alma a bilhões de anos atrás, num corpo de um ancestral muito primitivo. Estariam estas mentes alienígenas se contendo em fazer mais por você porque isso iria contra você mesmo, contra seu livre-arbitrio? É uma situação dificil de resolver, não?

Mas se tiver estas inteligências mais adultas e superiores, onde estão elas? Em Orion, na constelação de Nébula? Porque não sentimos seus afagos, seu colo, seus sons, suas vozes, como os bebês de berço devem sentir os adultos? Porque ainda estaríamos dentro do utero,ou de um ovo? A cabeça humana é um ovo? O que você acha?

Bem, agora vamos aos finalmente, ao motivo que me induziu a postar esse chamado para um bate-papo apenas a nivel mental. Você já é capaz de perceber que um dos motivos que torturam nossa existência mental é o fato de estar-mos conectados a um corpo que depende tambem das ações dos outros corpos nossos semelhantes. E tem visto barbaridades, humanos se comportando como monstros, agindo contra nossa própria espécie humana. Num nivel menos escabroso tem os corpos humanos demasiados egoistas que se corrompem ainda pela conpetição animalesca, são vencidos pela fobia de possuir tudo o que é material, etc. Isto está atazanando nossa vida, a nivel carnal e mental.

Eu vejo isto como gestações mentais doentias, turbulentas, erráticas, uma tentativa da Matrix teimosa em se reproduzir dentro de nós como sistema absoluto fechado em si mesmo, exacerbando o supremo egoísmo, tentando impedir qualquer inovação da evolução porque acredita que seu mundo é perfeito e qualquer alteração iria estraga-lo, vivendo seu paraíso selvagem particular, como foi muito bem ilustrado pela intuição de outros seres humanos no quadro do Paraíso do Éden com Adão e Eva. Adão e Eva foi e é nossa forma de bebê cósmico que não quer crescer para a forma de criança, de feto que não quer deixar o conforto ilusório do útero, como se os macacos tudo fizessem para dominar a Terra e não se transformarem em humanos, tentando eternizar uma forma provisória e precária da nossa evolução, tentando impedir que cresçamos e nasçamos finalmente para o mundo das mentes adultas que nos aguardam. Mas se a fórmula da Matrix que temos for real, nós a desmascaramos finalmente, conseguimos identificar o demonio dentro de nós, portanto podemos exorcizá-lo, somos capazes de visualizar providências que poderiamos executar para amenizar os efeitos ou diminuir estas aberrações humanas que se voltam contram a própria Humanidade. Alguns acham que pregar o evangelho é o melhor método. Pode ser, mais não estou satisfeito com os resultados dêsse método, os crimes continuam acontecendo, o gene egoísta continua imperando, parece que é no minimo um método demasiado lento. É aqui que chego às ultimas perguntas de hoje, se você estiver me ouvindo desde sua cela:

Você concorda com minha opinião de que mentes humanas estão aqui em gestação, ou quando muito, são bebês de berços, olhos fechados ainda?

Se concorda…, você concorda que os desvios de comportamentos humanos se devem a mal-funcionamento nestes processos de gestação devido a fôrças negativas dentro do nosso próprio herdado genoma? E que êsse herdado genoma (a Matrix/DNA, talvez) é o mesmo autor do nosso mundo externo e suas imperfeições?

Se concorda ainda, você não acha que sua mente pode se somar a outras mentes e dirigirem seus corpos, suas mãos e suas vozes carnais, no sentido de amenizar os efeitos e talvez até erradicar de uma vez por tôdas, estas mal-funções de gestações?

Se sim, qual o seu método preferido? Vou adiantar que tenho um método preferido, mas que está sujeito a ser corrigido pelas suas criticas e sugestões: atuar com as mãos e comportamentos sociais ao mesmo tempo que transmitindo uma visão de mundo que entendo ser a ideal como base de uma nova ordem moral indutora de mentes para corrigir os defeitos atuais e instalar um novo sistema social para os que concordam, sem forçar ou impor êste sistema aos que não se simpatizam com êle. Você conhece quase nada ou muito pouco dessa cosmovisão, e tem todo o dever de desconfiar dela, foi elaborada por outra mente criança que nada tem de superior à sua mente, mas o que você acha, assim, em linhas gerais?

Precisamos descobrir quais as semelhanças e diferenças entre nossos ideais, nossos sonhos de suprema realização. Estabelecer um dialogo construtivo. Tentar desenhar um mundo ideal e possível de ser feito aqui com o qual todos concordam. Se o conseguir-mos vamos nos carregando uns aos outros, vencendo obstáculos, corrigindo os defeitos das placentas que nos envolvem para otimizar a gestação de cada um, avançando,tendo esperanças. A união, e apenas ela, faz a fôrça, e talvez a fôrça suficiente para derrubar-mos as paredes de nossas celas. Mas ela começa pelo diálogo entre espiritos desarmados.

Um abraço mental desde a cela do lado de cá…
Louis Morelli

Tags: , ,