Universo Produzido Pelo Decaimento/Reprodução de Um Grande Cérebro?

Universo no Inicio por Simulação Computacional Bolshoi

Imagens por simulação computacional sôbre as origens do Universo foram publicadas por:

Bolshoi Cosmological Simulation

http://hipacc.ucsc.edu/Bolshoi/index.html

E divulgadas por:

Forbes

http://www.forbes.com/sites/bruceupbin/2011/10/03/the-universe-simulated/?partner=contextstory

O texto introdutório é:

You’re looking at a glimpse of how the universe began. This image is a product of the most accurate and complete simulation of the evolution of how the universe began, aka the Big Bang, created by the Bolshoi simulation developed by UC-Santa Cruz and New Mexico State astrophysicists using the Pleiades supercomputer at NASA Ames Research Center. The results were made public (with lots more images) late last week.

Comentário da Matrix/DNA

Questões sôbre “Universo” não são as prioridades da Matrix/DNA, as quais são as buscas por soluções que afligem a Humanidade aqui e agora e a busca pela melhor visão de mundo concordante com os fatos conhecidos comprovados para que essa visão de mundo nos sirva como guia das nossas decisões nas escolhas entre várias alternativas. Supomos que o pequeno cérebro humano e a suposta embrionária consciência humana são incapazes de atinar com o que é o Universo, por isso geralmente passamos ao largo dêstes assuntos publicados na mídia.

Mas a busca por um guia como uma visão do mundo torna impossível alguma incursão nossa nessa àrea relacionada a “Universo”. Nossa visão de mundo deve tatear e se respaldar no maior horizonte visivel e calculável possível, para ser menos errada. Devido a isso temos sim algo a respeito de Universo na Teoria da Matrix/DNA (como o gráfico do Universo Relativo de Mil Faces), e nossos calculos nos conduziram a sugestões diferentes das que existem.

Diferimos dos misticos que sugerem uma criação sôbrenatural do Universo porque nossos modêlos sugerem que o Universo – ou foi uma criação natural pelo método das reprodução genética; ou foi uma criação computacional através de programa que usa bits-informação genes-semi-vivos na forma dos vórtices.

Diferimos dos pensadores dentro do cientificismo oficial acadêmico que sugerem uma criação puramente físico-mecãnica do Universo e sem prévio desenhado propósito pelas fôrças que o produziram. Nossos modêlos nos conduzem a concordar com a criação do Universo por meras fôrças naturais – mesmo no caso do método computacional – porem, seja através da genética ou através de softwares computacionais, havia um prévio desenhado processo.

Nossos modêlos sugerem que no Universo tem ocorrido uma macro-evolução simples, seguindo uma unica “lineage”. Portanto não teria havido desvios da cadeia de causas e efeitos, seja por influências do acaso ou sobrenaturais. Devido a essa sugestão procuramos fazer cálculos reduzindo as imagens do presente e sob a direção das leis da evolução, ao cada vez mais primordial, o que resulta em que a imagem complexa de hoje contenha em si como infra-estrutura a imagem simples do inicio. Assim como a redução da imagem do corpo humano é calculada na direção do encontro com a imagem do primeiro ser vivo, ou seja, do primeiro sistema celular. Assim o que são cada órgão e sub-sistema do corpo humano se encontra com seu correspondente sub-sistema ou organela da primeira célula. Portanto, cada aspecto do cérebro humano deve se encontrar com seu correspondente aspecto na imagem do inico do Universo. Assim está sendo construída nossa teoria cosmológica.

O mesmo método é aplicado quando temos que ultrapassar as fronteiras da célula em têrmos de tempos e espaços mais remotos, até quando chegarmos ao inicio do Universo. Por isso, o ultimo evolucionario produto da evolução do Universo aqui e agora entendemos ser não o corpo animal mamifero, mas sim o cérebro humano, e quiçá, esta coisa que não é palpavel e inteligivel ainda, a consciência humana. Como não temos e não sabemos se existe uma imagem retratando a consciência humana, ficamos como ultimo produto concreto, com o cérebro. Então procuramos visualizar na figura dêste produto final mais complexo a sua infra-estrutural figura mais simples do inicio. As duas figuras tem que ter um efeito visual semelhante, quando superpostas lado a lado.

Por isso nos agrada a imagem acima resultante da simulação computacional feita pelo pensamento cientificsta oficial. Supomos ver evidente similaridade quando colocamos esta imagem teórica do Universo recém-nascido, lado a lado com a imagem do cérebro humano. Nos agrada tanto que torna-se irresistível registrar e arrolar a imagem como uma remota evidência da cosmovisão da Matrix/DNA. Com isso supomos que sempre que nos enveredar-mos na profuncidade da visão de mundo, seremos lembrados inconscientemente dessa imagem e por ela nossos calculos serão influenciados.

Porque colocamos a imagem do cérebro humano sôbre a mesa para calcular a imagem do Universo recem-nascido na fôlha em branco ao lado sôbre a mesma mesa?

Porque, assim como cada bebê humano pode ser visto como o resultado do decaimento e soerguimento de um corpo humano adulto, supomos que o Universo recem-nascido foi o resultado do decaimento e soerguimento de algo parecido com um cérebro, porque, se o bebê humano se transformou na sua ultima forma exatamente na mesma forma do corpo humano que o gerou, o Universo deve ter se transformado na sua ultima forma exatamente na mesma forma do que o gerou. Se esta ultima forma do Universo é o cérebro humano, a forma que o gerou deve ter a mesma imagem de um cérebro.

Tags: , , , ,