Imperdível! Vídeo Inspirador e Informativo Baseado Num dos Capitulos Mais Importante da Evolução Humana

Graças ao blog “LIKE A PHYSICIST” , no endereço:

http://likeaphysicist.wordpress.com/2011/12/27/history-channel-albert-einstein-dublado/

que nos enviou o vídeo abaixo, confesso que assistí a uma das melhores aulas de minha vida! Mostra como caminha em dessintonia a mente ou auto-consciência humana na sua luta para se formar de vez, nascer e despregar-se do cérebro, viver sua liberdade, em relação a como caminha a vida material humana. E nos dá uma pequena amostra de como será o poder desta mente quando for autônoma! Capaz de captar fenômenos invisiveis, fôrças ocultas aos nossos sentidos carnais, e pô-los à nossa disposição para usa-los. Só mesmo vendo o vídeo a seguir. Na continuidade sempre voltarei aqui para analizar cena por cena, frase por frase, e registrar um comentário, porque a batalha da mente nêste filme em tudo se parece com a batalha real agora da Teoria da Matrix/DNA. Com a diferença que no filme a teoria foi já comprovada como compatível com a realidade, enquanto a Matrix/DNA continua a depender de testes, descobertas de fatos novos, para comprova-la ou desprova-la. Apenas um adendo:

Einstein não encontrou as soluções fazendo experiencias num laboratório ou manuseando os objetos sôbre os quais pensava. Foi tudo “racionalização” disciplinada, esforçada, que produziam suas “experiencias imaginarias” como a de que êle se imaginava viajando a bordo de um facho de luz. Como, sentado numa cadeira, um humano pode descobrir que massa se transforma em energia e vice-versa? Pondo as imagens que vem ã mente no papel, experimentar conexões entre elas, traduzir estas conexões imaginadas em equações matematicas, as quais funcionam como foi a evolução da computação, onde um hardware concreto produz um software mental abstrato, mas êste avança mais que o atual hardware e por isso, impulsiona a evolução do hardware. Foi assim que cheguei na fórmula da Matrix/DNA. Desenhando ribossomos, planetas, moléculas, procurando conexões, com a diferença que nêste caso as conexões não podem ser traduzidas matematicamente, e sim pelas leis da evolução.

O nosso software avançou alem dos achados de Einstein quando desenhamos o facho de luz curvo de Einstein : a nossa fórmula indicou que um espectro de luz contem o código do ciclo vital, ou seja, uma luz pura é a primeira manifestação da Vida no Universo. Einstein não pescou isso porque estudava mais a mecânica que a biologia dos objetos. Mas Einstein fracassou na sua teoria por algum tempo, têve que refazê-la algumas vêzes, porem, no fim, venceu, e ainda em vida, porque estava certo. Quantas vêzes êle deve ter se incriminado nas piores situações da vida, se pegando em dificuldades materiais financeiras, com seus familiares acusando-o de desajustado e preguiçoso, e êle buscando mentalmente a causa do porque tinha chegado naquelas situações, a qual era sua idéia de que o espaço/tempo, uma coisa invisivel, abstrata que só poderia existir nas ilusões da mente, teria uma substancia material capaz de ser influenciada por corpos materiais mais densos? Quantas v6ezes 6ele deve ter parado e sse perguntado: “mas o que estou dizendo? fazendo? Para onde minha mente está me levando? Onde se viu dizer que êsse espaço vazio tem força e substancia? Isto é como um vicio que está me levando à minha ruína mas o que fazer, se não consigo me livrar dêle? Sei que êle tinha êstes momentos de auto-punição, porque eu os tenho, tudo igual. E não sei se o teste salvador ou fatalmente destruidor vai chegar antes que eu atinja o fundo do poço. Mas tanto êle como eu não temos outra alternativa. A fôrça de uma idéia é como a jovem mulher que sonha em se engravidar e gerar um filho. Ela pode escolher no momento do parto a sua morte se vai salvar o nascimento de seu filho. Desgraçadamente acontece que o embrião nasce morto. À mãe, se sobreviver ou não, a sua apreciação da vida acaba para sempre. Para ela, a existência, a vida do filho se tornou mais importante que sua própria vida. Assim funcionam idéias como a da “evolução”, para Darwin, da “relatividade geral” para Einstein, da Matrix/DNA para mim, mas e quantos seres humanos, quantas idéias assim existiram que por serem provadas erradas nunca ficaram conhecidas? Se minha idéia estiver errada, se o DNA não é apenas mais uma variação de uma Matrix universal, se houver teste e a Matrix/DNA não passar, será como meu filho nascendo morto.

xxxx

Tags: