Importante Mensagem da Matrix/DNA: Conheça-me, Antes que Seja Tarde de Mais para Ti e Seus Descendentes

Esta mensagem vai ao ar, não com a pretensão de ser lida por humanos, mas sim por alguma possível existente inteligencia superior que assista nossa Internet e tenha alguma vontade de nos ajudar, informando-nos o que precisamos saber agora, para salvar-mo-nos a nos e a nossas futuras gera coes.
Tenho sido a unica pessoa nos últimos tempos que divide seu tempo entre duas moradias: na moderna New York City e numa rustica e solitária barraca de lona no meio da selva amazônica  Na cidade eu busco Ciência e Tecnologia, na selva eu busco informações sobre a Natureza bruta, virgem, primitiva. Sei que a mídia anuncia a todo momento as visões de mundo de pessoas de todos os tipos de cultura, e se eu anunciasse minha visão de mundo seria apenas mais uma, porem, pela sua especifica e peculiar diferença, seria incompreensível e estranha. Mas tenho que fazer render algum resultado pratico deste masoquista hobby de deixar o conforto da vida moderna e enfrentar o inferno selvagem, principalmente quando acredito que minha aprendizagem deveria ser a de todos os humanos,  extremamente necessária e urgente, para a liberdade, saúde e bem-estar, senão para nós mesmos ainda nesta vida, mas certamente para nossas próximas gerações. Portanto tento divulgar agora uma resumida mensagem forjada nesta aprendizagem:
A moderna vida humana nas cidades quando comparada com a primitiva vida que ainda mantem os nativos da selva, imediatamente revela que algo esta errado, que este meio-ambiente produzido pelo homem não é para seres naturais humanos. Viver sobre uma camada de asfalto separando-nos da terra que esta em nossa natureza intima, em meio a selva de blocos de cimento e no meio da perturbação de ruídos de motores e maquinas, entorpecendo o cérebro durante horas seguidas encerrados em engrenagens de produção sem ver a luz do dia… isto é uma absurda condição de existência, a tragedia humana.  Vemos as ruas povoadas de seres que caminham silenciosos, mudos como zumbis  que nem ao menos te cumprimentam, não são mais humanos. Como é absurda a minha condição de existência imitando na selva a vida primitiva, pois meu intelecto nutrido e crescido por uma cultura de 15.000 anos não se suporta dentro de um mero macaco melhorado.
Quando estou chegando e sobrevoando os céus de New York, observando a dinâmica da cidade, me pergunto como e porque a Humanidade deu esse passo fora da selva natural bruta mas caiu direto nesta selva mecânica de pedra. E ainda influenciado pelo espirito da selva chego a conclusão que as tao propaladas teorias de conspirações não existem. Não tem alienígenas reptilianos invisíveis nos controlando para sugar nossas energias, não existem conscientes “iluminattis” tramando nos bastidores, não existem governos coesos com propósitos próprios criando um sistema social em que eles e seus familiares seriam também pegos na engrenagem. O que esta ocorrendo é simplesmente o livre fluir de forças naturais nesta longa cadeia de causas e efeitos que vem desde o Big Bang… mais a força do livre-arbítrio, não de cada individuo isolado, porem dessa camada de consciente coletivo composta por cada bolha de consciência dentro de cada uma das sete bilhões de cabeças humanas. E deixa-me explicar resumidamente isso.
Grande parcela da Humanidade ainda acredita em deuses mágicos que teriam criado a vida aqui na Terra. E outra parcela acredita cada vez em maior numero num acaso absoluto determinista, pelo qual o Universo esta tunelado para produzir este resultado sem proposito consciente. Assim os dois grupos se cegam para a realidade histórica revelada pelas evidencias desmascaradas pela investigação cientifica:  a de que somos produtos de uma evolução direta deste planeta, deste sistema solar a que ele pertence, e desta galaxia a que pertence este sistema estelar. Esquece-se que estes sistemas são, portanto, nossos ancestrais, tanto quanto são nossos tataravós e bactérias que proliferam dentro de nossos corpos. Da-se o salto para a metafisica, rebuscando deuses mágicos  sejam estes conscientes ou meros acasos absolutos, ao invés de nos apegar-mos aos nossos reais criadores e buscar causas, motivos naturais. Pois se o fizéssemos imediatamente nos lembraríamos que nosso criador direto é uma especie de maquina, que funciona maravilhosamente explicado pela mecânica Newtoniana. E o desmascaramento do nosso criador direto como maquina, imediatamente nos faz lembrar que o nosso meio-ambiente moderno e nossos sistemas sociais parecem maquinas onde cada vez mais nos tornamos robotizados. Basta olhar de cima a cidade, onde todo dia as sete horas da manha o povo que mora na zona sul se desloca para a zona norte e retorna as seis horas  da tarde para a zona sul enquanto o povo que mora na zona norte todo dia as sete horas se desloca para a sul…
E impossível deixar de racionalmente ligar as duas coisas:  o passado como maquina, o presente na direção de vir a ser como maquina, e o futuro como maquina. O Admirável Mundo Novo, em abundancia de consumo, governado pela Inteligencia Artificial. Onde foi parar a inteligencia natural, isto a selva natural clama, onde estão meus filhos que saíram de casa e não retornam, não sinto seus pês no meu solo…
Eu, como único representante da selva em New York City, trago no bolso esta mensagem da selva, uma pergunta, mas como também não sei onde foi parar a inteligencia natural, não consigo entregar a mensagem, ela fica me queimando no bolso, eu mesmo tenho que procura a reposta antes de retornar a selva.
Quando pisamos firme no solo natural que nos criou, descobrimos que o nosso criador ancestral deve de alguma maneira estar ainda embutido em nossa genética  pois ele foi o criador de nosso DNA e todo criador se projeta em sua obra, todos os pais projetam sua forma nos seus rebentos. E  também nos lembramos que ele é o verdadeiro criador do ambiente natural na superfície da Terra. Deve ser um criador inconsciente, longe de ser um consciente engenheiro, assim como a menina que constrói internamente um útero para abrigar suas crias quando se tornar mulher não é nenhuma engenheira consciente. Ele, o nosso real criador, de todos os viventes na Terra,  esta dentro de nos, esta a nossa volta por todos os lugares, esta acima de nos, ele esta em nosso passado, ele foi e é nosso ancestral, e ele é uma especie de maquina…, uma especie de relógio funcionando perfeita e quase eternamente! Então porque a surpresa quando vemos uma maquina em nosso futuro… se pela lei da reprodução, os filhos são a imagem e semelhança dos pais…
Mas não queremos essa tragedia humana, não aceitamos esse futuro robotizado. No entanto, onde buscar forças para lutar contra o determinismo do Universo, da nossa Natureza… Este é um dos maiores motivos porque ao sair da selva, não vou para o paraíso da praia no Caribe, e sim para New York: nela esta a mais avançada Ciência e apenas na Ciência estou alimentando uma esperança de encontrar a força que necessito mortalmente. E um dos estudos que vejo sendo ferrenhamente perseguido pelas Ciências chama-se “o conflito entre determinismo e livre-arbítrio”. Opa… isto esta diretamente relacionado com minha suprema busca.
Então lembramos que uma característica marcante da nossa existência é uma certa autonomia de movimentos, a capacidade de escolher direções entre as varias alternativas oferecidas pelo Universo. Vemos isto em todos os animais, notando-se que a medida que se desce na arvore da evolução essa força vai diminuindo, e quando chegamos nas plantas, essa especie de limitado livre-arbítrio parece desaparecer, esvaindo-se na escuridão dos mistérios  Teria sido algum ancestral nosso, evoluído a partir de alguma planta, o inventor ou descobridor do livre-arbítrio… Esta ideia não faz sentido, portanto continuamos nossa inquirição adentrando mais no remoto passado e vamos nos lembrar que antes das plantas existiu o ser unicelular, o qual se dividiu entre dois caminhos: um se tornou célula vegetal, estacionaria mas auto-sustentável, e a outra se tornou célula animal, com autonomia de movimentos mas filha da necessidade. Me sinto na selva seguindo as pegadas deixadas poer um animal, o meu jantar.
Portanto essa propriedade de livre-arbítrio vem antes das plantas, remontando as origens da Vida. E estas origens foi protagonizada pela maquina Newtoniana que nos rodeia. Nela, nas suas origens, devemos buscar as pegadas dessa coisa indefinida mas que de fato possui uma força atuante, denominada “livre-arbítrio”. Poi essa força esta por trás do lapso histórico e enigmático entre a selva natural e a selva de pedra. Ela deve ser a causa que explica porque nossos ancestrais nos dirigiu a este destino e porque continuamos a reforçar este indesejado e terrível destino…
Então chegamos a um passado muito remoto, onde o Universo era povoado por nebulosas disformes de átomos leves, tornando-se estrelas como fornalhas gasosas, mas que sem sombra de duvidas, foram nossas ancestrais. Elas criaram o futuro, nós somos o seu futuro, elas foram ou são nossos ancestrais, somos elas agora. Mas ali qualquer pessoa de bom senso vai notar a ausência de qualquer livre-arbítrio. Se a auto-consciência que emergiu nos complexos cérebros humanos já tinha ali naquelas estrelas gasosas as informações e elementos que a tornaria possível e existente no futuro, ela estava tao separada em partículas como estão separados os primitivos neurônios do incipiente sistema nervoso das água-vivas. Por mais que uma imagem moderna fornecida pelo Hubble do espaço sideral seja muito parecida com a imagem do cérebro humano, não conseguimos digerir racionalmente que este Universo seja um imenso cérebro dotado de auto-consciência.  Se o for, estamos definitivamente perdidos, porque, desde que o Universo não se move, que seria um cérebro imóvel preso dentro de uma cela  como a nossa craniana, onde a auto-consciência esta prisioneira… se o grande Universo não consegue se libertar… muito menos nos, minusculas criaturas. E racional concluir como os antigos misticos hindus que nossa alma dormia na nebulosa de átomos  sonhava na nebulosa de galaxias, começou a despertar nos vegetais, acordou nos animais e se levantou nos homens. Mas… meu Deus… porque… o destino da inteligencia escravizada  algemada, manietada, dentro de celas escuras como cabeças humanas, movendo-se como peças da engrenagem de uma maquina…
Esta pergunta crucial conduziu antigos misticos a uma conjectura racional: algum ancestral nosso que já tinha o livre-arbítrio cometeu uma tremenda besteira escolhendo a direção errada. Tanto parece obvia esta ocorrência que tanto pensaram em suas causas e efeitos que chegaram a produzir incríveis situações imaginarias, como a fabula de Adão e Eva no Paraíso  Mas hoje as conquistas da Ciência e uma maior maturidade intelectual nos conduz a reiniciar a busca com novos conhecimentos, portanto, se ainda seria impossível descobrir-mos o que realmente aconteceu no passado com alguns de nossos não vivos ancestrais, ao menos com certeza nossas situações imaginarias estarão mais próximas da verdade.
A matéria do Universo naquela época era movida pelas leis dos sistemas descritas em parte na teoria da termodinâmica  mais especificamente pelos primeiro e segundo princípios da termodinâmica. Estes sistemas não possuíam a menor condição de escolhas de caminhos, mas as leis que os governavam, talvez tivessem a propriedade do livre-arbitrio. Elas vinham de onde, qual era sua fonte… Teria essa fonte a propriedade do livre-arbítrio, mesmo que num grau demasiado tênue  como vimos que ela vai decrescendo em força a medida que descemos no passado pelas pegadas de ancestrais cada vez mais primitivos e menos “vivos”…
Seja como for, o meu intelecto, um pouco mais favorecido do que o dos antigos misticos, devido reforçado pelo maior conhecimento da Natureza pelo método cientifico, encontrou ali ainda um fio tênue fluindo e carregando nas costas essa propriedade do livre-arbítrio: aquelas nebulosas de estrelas gasosas podiam escolher entre os dois caminhos que surgem da bifurcação  entre serem sistemas abertos ou sistemas fechados dentro de si mesmos. Pois dependia de uma sua região se voltar para dentro da nebulosa e fluir gravitacionalmente para conectarem-se aos elementos, ou voltar-se de costas para sua nebulosa e fluir livre para a imensidão externa povoada por outras nebulosas e estrelas. Em palavras mais técnicas  diríamos que num sistema aberto o seu calor passa para o mundo exterior mais frio e num sistema fechado, isolado, seu calor é mantido internamente. Calor é energia, e segundo o que nos consta, pensamentos são energias de sinapses neuroniais, talvez consciência seja energia.
Seria a energia das estrelas gasosas a essência ancestral da nossa auto-consciência… Partículas materiais são compostas dos bosons de Higgs mais partículas ainda menores internas denominadas “fotons”. Fotons são partículas que escapam do feixe de uma onda de luz que apresenta diferentes frequências de vibrações no vácuo  e vão para o espaço exterior, agarrando-se aos bosons de Higgs. Os fotons que permanecem no feixe continuam o avançar da luz, os que saem, caem nas trevas, e finalmente constroem o mundo material. Primeiro constroem as estrelas gasosas. Então as pegadas do livre-arbítrio não foram interrompidas, não terminaram nas estrelas, mas continuam alem, agora caindo no imenso oceano universal das ondas de luz emitidas quando houve a explosão do Big Bang. Teriam então os fotons o poder do livre-arbítrio… Chegamos finalmente no fim das pegadas… Pergunta que não faz sentido racional, a não ser que…
Em minhas inquirições cheguei a um possível resultado estonteante:  a luz natural são os braços e as mãos do criador do Universo. Raios, essas pegadas nos levam longe demais…
Temos uma situação quase semelhante para observar aqui e agora. Os planetas como gigantes de gás,  Júpiter e talvez Saturno, se localizam em regiões mais distantes do Sol, suas baixas densidades materiais e distancias do Sol os colocam numa posição de equilíbrio entre distanciar-se mais na direção das fronteiras do sistema, ou aproximar-se mais na direção do centro do sistema.  Tem Júpiter o livre-arbítrio de escolher seu destino… Diz a logica da Historia que é possível que tenha, por menos sentido racional que isso nos pareça. Júpiter ainda imita a forma de nossas ancestrais gasosas e suspeitamos que nelas nossa alma era fragmentada, incipiente, mas já sonhava. Os sonhos influem na respiração e palpitação dos corpos e isso, em termos de planetas, estrelas, significa influencias nos movimentos das massas gasosas. Se são sonhos harmônicos  tranquilos, não baseados nas carências emotivas e instintos materiais, os corpos que sonham se deixam dirigir pelas forças das conjunturas, e estas forças se auto-equilibram, portanto Júpiter permanecera dentro do sistema; se são sonhos agitados, inquietos, baseados em atividades de aventuras, os corpos se desregulam em relação ao ritmo de respiração da conjuntura do sistema externo, e assim enfraquecem o poder do influxo gravitacional. Júpiter assim sonhando se distanciara cada vez mais do Sol e se tornara uma nova estrela pairando alem das fronteiras do sistema solar. Mera conjectura do intelecto formado entre a selva natural e a selva de pedra, que sente a necessidade racional de ver naqueles longínquos ancestrais a sua própria  presença como potencial latente, a crença de que o eu consciente veio de lá, de alguma maneira.
A Terra sonha… Ora ela tem sua superfície revestida por uma camada de inconsciência que é composta por bolhas conscientes dentro de cabeças humanas que foram criadas por ela mesma, pela Terra. E todos os seres humanos sonham com uma vida diferente, melhor, para o futuro. A soma de todos estes sonhos compõem e sintetiza um grande único sonho,  no nível da camada inconsciente da Terra, faz parte da composição da Terra. Então a Terra sonha… de alguma maneira.
Então, o estado de ser um sistema fechado em si mesmo, como um motor perpetuo, uma maquina termodinâmica  foi uma escolha nossa mesma, quando estávamos na forma de um longínquo primitivo ancestral, uma bola de gaz efervescente, mas sonambula. Absurdo, mas acho difícil escapar da logica que aponta esta solução. Ingenuo, sem juízo  inconsciente não apenas a nível coletivo mas também como cada partícula individual… eis a moderna caricatura de Adão e Eva. Mudou muito a forma, porem o supremo significado continua o mesmo, pois os motivos dos antigos misticos continuam sendo nossos motivos. A suprema questão do porque, como, o que somos, como viemos parar aqui… Os deuses e a magia foram expulsos da Historia, mas a necessidade de um pecado e sua consequência  a queda, continuam a dirigir nossa imaginação. De alguma maneira tem que ser explicada a atual tragedia animal e humana.
A escolha entre ser sistema fechado em si mesmo e sistema aberto em si mesmo é uma escolha entre ser extremamente egoísta ou extremamente extrovertido, auto-fragmentador, altruísta porque renuncia-se a sua própria personalidade deixando-se conduzir pela personalidade reinante no mundo exterior. Parece claro e evidente que são dois extremos opostos entre si, portanto dois caminhos desaconselháveis,  equivocados. Se tivemos que escolher entre os dois, não tivemos a propriedade do livre-arbítrio, teríamos sido dirigidos, determinados. Escolhemos um, e ele nos persegue ate hoje, na forma dos genes egoístas que dominam nossa genética e dela, a nossa psique. Mas, não teria havido um terceiro caminho…  Se sim… tivemos ainda ali a dadiva de poder escolher.
Eva não teve como escolher porque foi hipnotizada pela serpente. A matéria solta no espaço não tem como escolher pois  é manietada pela força gravitacional. Mas Adão .. não tinha sido hipnotizado pela serpente. Ele podia ter arrastado Eva para longe dali e outro teria sido o destino. A consciência difusa e inconsciente que dormia separada em partículas informação no meio da matéria não era alcançada pela forca gravitacional, ela podia ter arrastado a matéria para fora das garras da gravitação  Se ao sonhar produzisse vibrações mais fortes que as vibrações gravitacionais. Se Adão tivesse sido mais forte e resistido aos pedidos de Eva. A matéria é sempre atraída pelos encantos do equilíbrio termodinâmico, é uma Eva hipnotizada por uma serpente que engole a própria cauda assentando-se assim num estado de imortalidade porque recicla-se a si própria  Porque Adão sucumbiu… Porque tivemos aqueles sonhos naquela hora.., Ora, Adão era foton, Eva era Higgs boson. E os fotons já tinham sido rebeldes antes, contra as ondas de luz onde residiam.
Ora, acontece comigo, e acho que com a maioria das pessoas, de as vezes acordar e ainda se lembrar de um sonho, onde nos divertíamos fazendo coisas erradas, proibidas na vida real. As vezes sou um super-homem de aço fechado dentro de uma jaula com uma fera, batendo nela ate vê la sangrar e morrer, com ódio, porque a fera comeu uma criança ou uma ovelha. Outras vezes sou um justiceiro mascarado ganhando uma guerra contra bandidos que ameaçam a Humanidade. Estes sonhos estão nos filmes de Hollywood. Sao sonhos proibidos pela realidade. Se ainda hoje sonhamos errado, porque não as nossas ancestrais inconscientes estrelas… as quais os antigos misticos deram nomes, como Adão e Eva…
Isto continuara um mistério  escondido dentro da nossa esquecida memoria genética  por mais que procuramos imaginar uma situação mais próxima do nosso mundo real, mas a tragedia humana esta ai e precisa ser explicada.
Adão e Eva comeram a maça que é a forma esférica do sistema fechado extremamente egoísta em cujo interior flui um circuito vital na forma de uma serpente engolindo a própria cauda.  Mudou a imagem, se aprofundou os conhecimentos, demos um passo mais próximo da realidade, enxergamos a termodinâmica de sistemas, escapando um pouco mais da metafisica. Mas a explicação continua sendo o mesmo mistério.  O que somos nos que no nosso passado cometemos tao ingenuo erro… Porque não fomos protegidos, porque temos que pagar o preço dos erros de infância na nossa forma de adultos… Ate a humilde justiça humana perdoa os crimes dos menores… Porque não Deus… Se não temos controle sobre nossos sonhos, se nossos sonhos parecem não atuar sobre nossas realidades,  porque temos que pagar pecados cometidos nos sonhos… Evoluímos desde a caótica falta de regras no nível quântico para   uma capacidade de por ordem nos sistemas, mas porque continuamos a estabelecer regras que funcionam contra nos mesmos… Evoluímos do nível canibalesco do reino dos animais, mas continuamos a suportar um sistema competitivo entre predadores e presas. Porque, se não somos mais meros animais, e em nos se levantou a consciência…
Enfim, as informações da cidade adicionadas as informações colhidas na selva bruta, a mistura do presente com o passado, me levou a encontrar a Matrix. E nos somos a Matrix tornada carne, DNA biológico  Essa Matrix vem desde antes do Big Bang, onde era um sistema, vivo e auto-consciente. O Big Bang  a fragmentou, foi uma queda, se tornou difusa e inconsciente, mas sonhando na forma de estrelas e galaxias. E agora começa a se levantar de novo, a abrir os olhos e começar a ver os contornos do vulto que é seu próprio corpo. Perguntar-se o que somos nos, quem somos, de onde viemos, é o mesmo que a Matrix se perguntando quem ela é  E isto nos leva a lembrar que também os antigos misticos lidaram com essa questão. Eles imaginaram uma solução: Lúcifer!
Um filho e anjo rebelde que teria sido expulso da casa do pai. Mas a nossa mentalidade cientifica de hoje não pode mais chegar a essa solução imaginaria. Nos tornamos mais exigentes, mais necessitados de realidade. Se não é Lúcifer, então porque a Matrix caiu…
Ou não caiu… Ou nunca existiu e tudo esta errado no nosso ” moderno cientifico conhecimento”…
Voltamos a estaca zero. Com a palavra alguma inteligencia mais evoluída que a nossa que possivelmente esteja assistindo nossa Internet. Se não tiver-mos a resposta a tempo, nunca teremos força para lutar contra o destino que as forças naturais estão nos levando. Seremos tal como nossos tataravós que jazem no céu  Maquinas. Peças de maquinas. Mentes algemadas eternamente dentro de celas escuras. Mentes solitárias que não podem tocar, beijar, falar, ver, suas irmas e irmãos em espécie  que também estão enjaulados nas celas vizinhas escuras. La fora nos criamos o cérebro eletromecânico dotado de Inteligencia Artificial. Ele chama-se “Big Brother”, e não a Matrix, pois a Matrix esta aprisionada. Ele governa o Admirável Mundo Novo, ele toca a flauta de Hamelin que esta atraindo a minha adorada New York  City para um abismo de trevas.
A Inteligencia Artificial foi ou esta sendo criada pela inteligencia natural, como um Frankenstein que se levantara contra o próprio criador. Mas a inteligência natural foi criada pela Natureza, pela selva que esta clamando seus filhos de volta. Se eles não retornarem, ela vira busca-los. A Matrix é o filho de Deus que saiu de casa, criou Lúcifer que se tornou um Frankenstein e se voltou contra a Matrix. Mas o Pai esta clamando seu filho de volta. A Natureza manda um bilhete que esta no meu bolso. Talvez Deus esteja colocando um anuncio de filho desaparecido na Internet através de minhas mãos. Detesto o complexo de Messias, jamais cairei em suas garras, por mais forte que sejam as evidencias, pois podem serem falsas evidencias.  Ora eu sou a Matrix, estou apenas fazendo o que todo irmão deve fazer quando suspeita que seus irmãos estão na rua seguindo mas companhias. Vamos voltar para casa, mas não vamos ficar como os irmãos preguiçosos que estão em casa deixando a moradia no mato, vamos trabalhar e fazer uma casa melhor do que a selva e New York City.
 A Natureza é mais potente que o Admirável Mundo Novo construído sobre a camada de asfalto, porque ela é o solo que suporta este asfalto. Basta ela tremer e todo este mundo que raptou seus filhos se desmorona. Deus é mais potente que Lúcifer porque o Universo material construído esta apoiado sobre Seus braços e mãos feitos de ondas de energia que vibram segundo Sua vontade no vácuo onde se assenta este mundo. Basta uma vibração pouco mais forte para todo este Universo ruir por inteiro. Eu desisto: não sou atendido pela inteligencia artificial oculta neste sistema e não sou atendido por Lúcifer.  Não tenho como entregar os bilhetes, mas não suporto a tragedia humana. Por isso me volto aos autores dos bilhetes, me ajoelho e com lagrimas nos olhos imploro:
” Salve-nos… Senhor! Revele-nos algo que nos indique o caminho que nos leva de retorno a Sua moradia. Estas buscando seus filhos desencaminhados e perdidos na imensidão do Universo, enquanto estamos vasculhando o Universo buscando  algo, sem saber-mos bem o que. Enquanto isso o cérebro eletromecânico com seus tentáculos esta sendo a lanterna que nos esta dirigindo nessa escuridão  Mas ele é uma maquina, assim como a forma de nosso ancestral de onde caímos  por isso sabemos que ele não pode nos conduzir por bons caminhos. Suas mãos devem ser a luz que substitui essa lanterna. Estamos a um passo dela, pois já sentimos as vibrações no vácuo    Mas a escalada do gene egoísta que herdamos da maquina parece estar sendo mais rápida que nossos avanços na quântica e nossa busca no Cosmos esta interrompida pelos limites dessa luz apontada pela maquina. Assim a tragedia humana esta insuportável  Estamos como o filho prodigo, comendo a lama no chiqueiro dos porcos. Precisamos de força para escapar daqui e retornar a Sua casa. Esta força esta em seus braços e suas mãos que passam por aqui. Portanto podes mover o mundo de maneira que as portas da estrebaria sejam abertas e possamos escapar. Precisamos de Sua intervenção  urgente, aqui e agora!” 

Only a person like me that live between New York City and the jungle in Amazon can understand right what this man is saying. Urban life over asphalt, among cement and motors, is not natural and not for humans. But there is no conspirators driven humans to this slavery. If you know about the universal Matrix/DNA formula that Nature uses for organizing matter into systems and how works our free will, you will understand that it is all about natural forces doing their ways. These forces are coming from the system that created us, it is described by Newtonian mechanics, it works like a watche, it is encrypted into our genetics and it made this chaotic biosphere. So, standing inside us and standing as our environment, this ancestor’s genetics is being reproduced here, and we are going to be merely pieces of a larger mechanical system. it is everything natural, no ghosts, no aliens abductors, the government will be victim also. People need urgent to know about the Matrix/DNA, it is the opportunity for us, we can change this fate. But, while half of population believes in gods creating life and another half believing in randomness, we have no salvation, as did not have ours unconscious ancestors. Please, take a time and pay attention to what is suggesting to us the virgin nature of the jungle,the witness of life origins, because Nature does not play dices with her creatures, but nothing can do against our free will.

Read more at http://wewillblowyourmind.blogspot.com/2013/05/what-highly-conscious-people-talk-about.html#7IbDy9rmkgSL7IQP.99

Tags: